quarta-feira, janeiro 17, 2018

Meta para 2018 : Vergonha na cara - Finalizar séries de livros


Quero começar este post pedindo perdão pela minha total falta de vergonha na cara. 
Sério, me desculpem! 

Sabe quando tu AMAS os livros mas não finaliza a série? Prazer, Fernanda. 
Algumas dessas séries já terminaram HÁ ANOS! Eu devo ter algum problema pois eles estão na minha estante apenas me esperando mas, enfim, nem sei mais o que escrever. Simplesmente não sei porque ainda não as concluí porém para 2018 a minha vida vai mudar, irmãos! 

Amém!
Abaixo selecionei 5 séries para passar o ano de 2018 sem pendências. Algumas vocês não vão acreditar.

terça-feira, janeiro 16, 2018

Eu Li: Um Beijo à Meia-Noite - Eloisa James

Título:
Um Beijo à Meia-Noite
Autora:
Eloisa James
Editora:
Arqueiro
Ano:
2017
Série:
Contos de fadas #2

Adicione ao skoob


Kate Daltry é uma jovem de 23 anos que não costuma frequentar os salões da alta sociedade. Desde a morte do pai, sete anos antes, ela se vê praticamente presa à propriedade da família, atendendo aos caprichos da madrasta, Mariana. Por isso, quando a detestável mulher a obriga a comparecer a um baile, Kate fica revoltada, mas acaba obedecendo. Lá, conhece o sedutor Gabriel, um príncipe irresistível. E irritante. A atração entre eles é imediata e fulminante, mas ambos sabem que um relacionamento é impossível. Afinal, Gabriel já está prometido a outra mulher – uma princesa! – e precisa com urgência do dote milionário para sustentar o castelo. Ele deveria se empenhar em cortejar sua futura esposa, não Kate, a inteligente e intempestiva mocinha que se recusa a bajulá-lo o tempo todo. No entanto, Gabriel não consegue disfarçar o enorme desejo que sente por ela. Determinado a tê-la para si, o príncipe precisará decidir, de uma vez por todas, quem reinará em seu castelo. Um beijo à meia-noite é um conto de fadas inspirado na história de Cinderela. Com um estilo que combina graça, encanto e sedução, Eloisa James escreve uma narrativa envolvente, com direito a fada madrinha e sapatinho de cristal.
O conto de fadas da Cinderella nunca foi uma das minhas histórias de ninar favoritas... até esse livro!

Era uma vez... um rei em uma terra tão tão distante que resolveu se aliar a um clérigo com ideias progressistas bem retrogradas, se é que deu para me entender, e por causa dessa parceria todas as pessoas que desafiavam moralmente ou pessoalmente essa nova ordem foram "convidadas" a se retirar do reino afim de que essa nova imagem do reino fosse melhor aderida pela massa ingênua. Acontece que uma das pessoas que desafiavam essa nova ordem, era um dos irmãos do rei vigente, ou seja, um príncipe.

segunda-feira, janeiro 15, 2018

Pipoca da Semana - Voldemort: A Origem do Herdeiro


Título:
Voldemort: Origins of the Heir
Voldemort: A Origem do Herdeiro 
Ano:
2018 
Direção:
Gianmaria Pezzato
Produção:
Tryangle Films 
Duração:
55 minutos
Um filme independente criada por fãs da saga Harry Potter.
Depois de sua formatura na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, Tom Riddle desaparece. Ele volta dez anos depois, com novos poderes e um novo nome. Sua jornada em busca dos segredos da magia negra mudou profundamente ele, e dois velhos conhecidos vão atrás para detê-lo antes que ele atinja seu objetivo: a imortalidade.

É isso, pessoal! Temos uma nova coluna começando hoje: Pipoca de Semana é a nossa coluna de resenhas de filmes (os que não são adaptações; as adaptações vão continuar aparecendo no Na Tela) e não tem forma melhor de começar do que falando do universo Harry Potter. Só que o filme que temos hoje não é oficial, mas sim, uma fanfic produzida por um pequeno estúdio italiano, que ganhou a atenção de todo mundo quando foi liberado o trailer a seguir há alguns meses:



O filme recebeu financiamento coletivo e a autorização oficial da Warner para ser produzido. O resultado foi possível conferir no YouTube a partir do sábado passado (13/01). 

Logo no início temos uma cena de batalha de bruxos muito bem feita para um fanfilm e somos apresentados a protagonista Grisha Mclaggen. Ela está invadindo uma base bruxa soviética, pois está em busca do diário de Tom Riddle, mas falha em seu ataque e acaba sendo capturada pelos guardas. Sob efeito de Veritaserum, ela revela ser uma das herdeiras dos fundadores de Hogwarts (de Godric Gryffindor) e, através de vários flashbacks, somos revelados de seu passado na escola de bruxaria e sua amizade com outros 3 herdeiros dos outros fundadores, incluindo Tom Marvolo Riddle, herdeiro de Salazar Slytherin.

O foco principal da trama acaba explicando como os Herdeiros formaram um grupo e desejam buscar o ideal de acabar com o mal e as magias das trevas no mundo. Além de mostrar também como Tom Riddle ignorava completamente esse discurso e estava junto daquele grupo apenas para seguir seus próprios objetivos.

Em seus quase 60 minutos de duração, Voldemort: A Origem do Herdeiro traz uma fanfic muito boa. A produção não deixa a desejar em nada para um filme hollywodiano e acaba sendo uma ótimo adendo a qualquer Potterhead (muito melhor que aquela bagaça chamada Criança Amaldiçoada). O roteiro é muito bem pensado e cabe quase perfeitamente no canon da saga, tendo um errinho aqui e ali, mas nada que incomode. Mais ainda, para os fãs mais detalhistas, o filme é carregado fanservices e easter eggs, e ainda conta com uma cena específica de uma das memórias mostradas por Dumbledore a Harry em O Enigma do Príncipe, que não chegou a ser adaptada na versão cinematográfica da Warner.

Para quem não é fã, há alguns outros atrativos. As atuações estão também muito boas. Stefano Rossi, o ator que faz Tom Riddle está espetacular e não deixa em nada a desejar a atuação do Ralph Fiennes nos longas da Warner. Todo o elenco de suporte também está muito bom. Os efeitos especiais são outro ponto alto: apesar de ser um fanfilm, a direção de arte está realmente muito boa e todas as batalhas são muito bem feitas.

A única coisa que incomoda é a dublagem. O filme é de produção italiana e, aparentemente foi redublado para o inglês. Em alguma cenas, claramente é possível notar uma dessincronização das falas com os movimentos dos atores. Entretanto também não é nada que estrague a experiência.

Enfim, é realmente muito bom revisitar o universo Harry Potter sempre que possível. Recomendo esse filme de verdade para todo mundo. É só uma horinha e vale realmente a pena (tem um plot twist muito bom no final!)


Obs: o filme completo está disponível gratuitamente no youtube (link a seguir) com legendas em português.

domingo, janeiro 14, 2018

[Especial CCXP 2017] - Os Melhores Stands

Iron Studios destruindo (quase literalmente) tudo
Olá, pessoal. Cá estou eu novamente para falar mais um pouco sobre o que rolou na CCXP 17. Hoje vou falar sobre os melhores stands que foram preparados para a feira. Vamos lá.

sábado, janeiro 13, 2018

Novidades! Coluna #Diferentona

Olá, leitores mais lindos do Brasil! 
Como vai essa força hoje?

Hoje preciso sentar com vocês para termos "a conversa". Vamos falar sobre sexo? Também e eventualmente. Mas primeiramente venho apresentar uma proposta nova que consiste em um projeto pessoal que planejei para 2018: a coluna #Diferentona. 

Essa coluna foi pensada para alguns de vocês que, como eu, eventualmente fogem um pouco da temática primordial que trabalhamos aqui no blog Garota Pai D'Égua. Em sua maioria, nossos posts falam sobre romance - contemporâneos, históricos e de época, fantasia, YA, hot e geeks. Sejamos sinceros, nosso conteúdo é muito variado pois somos 7 colunistas com gostos e preferências distintas. Dá um caldinho bom e diverso. 

Eu adoro? Sim.
Eu me amarro? Claro. 

Mas eventualmente fico em uma vibe mais fechada. Me refiro à alguns autores que podemos apontar como "cults". Por exemplo, amo Austen e as Brontë mas também sou enlouquecida de amor por Gabriel García Márquez e Pablo Neruda. De nacionais, adoro a prosa de Chico Buarque, Caio Fernando Abreu e Clarice Lispector. Vocês provavelmente já devem ter ouvido falar desses autores e lido algo sobre eles, mas dificilmente foi aqui no Garota Pai D'Égua (na verdade, tem uma resenha de "O ovo apunhalado" de Caio Fernando Abreu que saiu no blog em 2013. Confiram aqui que o negócio vai ser nesse nipe.) (Esse livro é fantástico, leiam!).

Sendo assim, coloquei como uma das metas de ano novo escrever mais sobre esses autores que adoro mas que não estava compartilhando diretamente com os leitores do blog. Vejam bem, eu falo muito sobre vários deles, mas principalmente no meu twitter e nos encontros do PA Book Club então decidi trazer isso um pouco para vocês neste novo ano.

quarta-feira, janeiro 10, 2018

Eu Li: Bela - Ket Strapazzon

Título:
Bela 

Autora:
Ket Strapazzon 

Editora:
Amazon

Ano:
2016
Adicone ao skoob
"Era uma vez...
Bela é uma jovem cheia de responsabilidades, sempre pronta para ajudar os outros nem que tenha que deixar seus próprios sonhos de lado para isso. Quando o pai, que ela ama acima de tudo, se envolve em uma dívida, ela se oferece para pagar em troca da segurança dele. Em Rose Hill, a mansão coberta de hera e cheia de segredos em que Bela vai trabalhar, fantasmas do passado ecoam entre móveis antigos e livros empoeirados. E é em Rose Hill que ela vai descobrir que as paredes abrigam muito mais do que sussurros e ruídos inexplicáveis... Existe uma Fera à espreita, acompanhando todos os seus passos."

Olá, leitores! 

Hoje darei a dica de um livro nacional muito gostosinho daqueles que se lê em uma sentada. 
"Bela" é o livro de lançamento de Ket Strapazzon e foi publicado na Amazon para e-book. O valor é módico e custa muito pouco para a graciosidade que a história nos apresenta. É um livro pequeno e adorável que tem como inspiração o clássico "A Bela e a Fera" e ainda identifiquei um forte pé em "Jane Eyre". 

Bela é uma moça pobre porém batalhadora que mora com o pai doente. Sua mãe faleceu em sua infância e com ela se foi a vontade de viver do pai. Ele entrou em profunda depressão e a criou até que ela tivesse idade o suficiente para trabalhar e ajudar em casa. Sua relação com o pai é de puro amor e Bela faz de tudo para aliviar suas dores - do corpo e do coração. 

terça-feira, janeiro 09, 2018

Eu Li: Vacas - Dawn O'Porter


Título:
Vacas

Autora:
Dawn O'Porter

Editora:
HaperCollins Brasil

Ano:
2017
Adicone ao skoob
"Um pedaço de carne; feito para reproduzir; além da sua data de vencimento; parte do rebanho.
Mulheres não têm que se encaixar em estereótipos.
Tara, Cam e Stella são estranhas vivendo suas próprias vidas da melhor forma que podem, apesar de poder ser difícil gostar do que você vê no espelho quando a sociedade grita que você devia viver de um jeito específico.
Quando um evento extraordinário cria laços invisíveis de amizade entre elas, a catástrofe de uma mulher vira a inspiração de outra, e uma lição para todas.
Às vezes não tem problema não seguir o rebanho.
Vacas é um livro poderoso sobre três mulheres julgando uma à outra, mas também a si mesmas. Entre todo o barulho da vida moderna, elas precisam encontrar suas próprias vozes."

“Vacas – Nem toda mulher quer ser uma princesa” foi publicado pela Happer Collins no final do ano passado e chegou em minhas mãos perto do natal. E que presentão, hein! O livro vai tratar basicamente sobre feminismo na figura de três personagens extremamente diferentes e como cada uma reage e interage com suas particularidades e como o feminismo é capaz de alcançar a todas.

As mulheres em questão são Tara, Stella e Cam. Elas vivem na mesma cidade e não se conhecem pessoalmente e cada uma tem uma trajetória singular.

Tara é produtora de TV que precisa lidar com o machismo de seus colegas de trabalho rotineiramente. Ela tem uma filha pequena que cria sozinha – por sua escolha – e vê sua vida dá um nó quando um vídeo intimo seu é viralizado na internet. Em sua parte da história podemos visualizar a força de destruição que a internet pode ter na vida de uma pessoa. E existem vários casos reais que comprovam esse fato.
Stella é uma jovem mulher que perdeu recentemente sua irmã gêmea e agora vive sozinha com um parceiro que aparenta não estar tão afim dela. Passamos alguns capítulos para descobrir um mistério sobre uma doença que assola sua vida e como esse fato vai interferir diretamente em seu emocional e em algumas de suas atitudes.
Cam e uma blogueira feminista muito conhecida e aclamada. Mas claro que como toda boa feminista que se preze, ela sofre alguns ataques na internet mas já aprendeu a lidar com eles. Cam parte do princípio que ser uma mulher independente, sem filhos e sem compromisso sério não faz dela incompleta. Muito pelo contrário. Diferente de sua mãe e suas irmãs que escolheram ter família e filhos, Cam escolheu viver sozinha mas alguns fatos poderão alterar a perspectiva que ela passa para seus leitores.

quinta-feira, janeiro 04, 2018

Eu li: A Pedra Pagã - A Maldição de Hallow #3 - Nora Roberts


A Pedra Pagã

Título: 
A Pedra Pagã 
Autora: 
Nora Roberts 
Série: 
A Sina dos Sete
Editora: 
Arqueiro


Partilhando visões de morte e fogo, os irmãos de sangue Cal, Fox e Gage, e as mulheres ligadas a eles pelo destino, Quinn, Layla e Cybil, não podem ignorar o fato de que o demônio está mais forte do que nunca e que a batalha final pela cidade de Hawkins Hollow está a poucos meses de acontecer.
A boa notícia é que eles conseguiram a arma necessária para deter o inimigo ao unir os três pedaços de jaspe-sanguíneo. A má notícia é que ainda não sabem como usá-la e o tempo está se esgotando.
Compartilhando o dom de ver o futuro, Cybil e Gage podem descobrir a resposta para esse enigma se trabalharem juntos. Só que, além de não terem nada em comum, os dois se recusam a ceder aos próprios sentimentos. Um jogador profissional como Gage sabe que se entregar a uma mulher como Cybil – com a inteligência, a força e a beleza devastadora dela – pode ser uma aposta muito alta. E qualquer erro de estratégia pode significar a diferença entre o apocalipse e o fim do pesadelo para Hawkins Hollow.
Em A Pedra Pagã, Nora Roberts encerra a emocionante trilogia A Sina do Sete, uma história sobre família, amor e amizade que consegue arrancar arrepios e suspiros de seus leitores.



quarta-feira, janeiro 03, 2018

Eu Li: O Teorema Katherine - John Green

Título:
O Teorema Katherine

Autor:
John Green

Editora:
Intrínseca

Ano:
2013

Adicione ao Skoob

Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.
Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.

Depois de anos no forno, John Green finalmente lançou outro livro! Yay! 
Atualmente estou no meio da leitura de "Tartarugas até lá embaixo" e enquanto eu não termino para dividir com vocês, trarei a dica de um outro livro muito legal que adorei do autor (cês podem conferir outras dicas aqui, aqui e aqui). Então, vem comigo!

Venga
“O Teorema Katherine” é o terceiro livro de John Green publicado no Brasil (para a festa dos nerdfighter) e conta a história de Colin Singleton, um garoto viciado em anagramas e “célebre menino prodígio, célebre veterano de conflitos Katherinícos, célebre nerd e sitzpinkler*.”
Colin não foge das características dos personagens de John Green: nerd, fofo e apaixonado. O problema de Colin é que ele sofre de um estranho caso de circulo vicioso em seus relacionamentos amorosos: Katherine(s).

Logo após levar um pé na bunda de sua décima nona Katherine, seu melhor amigo, Hassan, o convence a pegar o Rabecão de Satã, carro de Colin, e sair pela estrada.
Em sua parada em Gunshot, Colin tem seu momento “Eureka”. Ele decide criar o ~Teorema da Fundamentação da Previsibilidade das Katherines~ que, em tese, prevê a duração de relacionamentos e determina quem será o Terminante e o Terminado. O livro é recheado de gráficos que, honestamente, não entendi nada (e nem me culpo por ser péssima em matemática, pois o criador do supracitado teorema é um prodígio, e eu... bem... não).

terça-feira, janeiro 02, 2018

Eu Li: Mister O - Lauren Blakely

Título:
Mister O
Autora:
Lauren Blakely
Editora:
Faro editorial
Ano:
2017

Adicione ao Skoob


Nick Hammer tem a vida que todo cara sempre sonhou: dinheiro e mulheres lindas aos seus pés, que não esperam nada em troca além do melhor sexo de suas vidas. E tudo isso graças ao seu personagem, Mister Orgasmo, que saiu das páginas dos gibis para ganhar um programa na televisão. Agora Nick se tornou o mentor sexual de homens ao redor do mundo e o objeto de desejo de todas as mulheres. Para para Nick, e seu alter ego Mister O, a receita é simples: dar prazer, sempre! 

Mas tudo isso pode estar em risco quando um pedido acontece. Harper, A irmã de seu melhor amigo, Spencer Holiday, também quer aprender as valiosas lições de Nick e Mister O. Harper é divertida, inteligente, linda e irresistivelmente sexy. E lutar contra o desejo de ter ela em sua cama será o pior pesadelo de Nick. Mister O vai conseguir “salvar” essa mocinha e ainda não ferrar a relação com o seu melhor amigo? Um romance divertido, leve, sexy e que vai arrancar suspiros dos leitores. Afinal, não dizem que o amor e a amizade andam lado a lado? Talvez eles até possam dormir na mesma cama.
Ok... você pode estar se perguntando: poxa Anne, um livro nesse naipe hot logo no início do ano? Então, bem-vindo 2018! E sim, vamos começar já com um livro de arrancar suspiros, mas calminha aí que apesar da capa ser muito provocante o livro está mais para aqueles romancinhos que começam inocentes e seguem mais intensos depois, o tipo de livro que alguns de nós tanto adoramos. Afinal, temos que começar o ano de alma leve e inspiradora, não é mesmo?

segunda-feira, janeiro 01, 2018

Eu Li: Pule, Kim Joo So - Gaby Brandalise

Título:
Pule, Kim Joo So
Autora:
Gaby Brandalise
Editora:
Verus
Ano:
2017

Adicone ao skoob


O que você faria se precisasse escapar da sua própria vida? Um história inspirada em dramas coreanos

Marina vive em Curitiba, atormentada pelas agressões do ex-namorado. So vive em Seul, preso a uma culpa da qual não consegue se livrar. Em mundos tão distantes, mas carregando dores parecidas, a história dos dois vai se cruzar e fazer com que eles finalmente tomem o controle da própria vida, encontrando o ponto de virada que sempre buscaram. Pule, Kim Joo So é uma história ágil e original, que vai surpreender e divertir da primeira à última linha.
Oi gente... vim aqui hoje compartilhar com vocês um dos meus últimos surto de 2017!  

Estava eu crente que já tinha encontrado o melhor livro do meu ano de leitora há algum tempo atrás, mas estava enganada. Eis que o blog recebe a prova do livro "Pule, Kim Joo So" e quando a Fernanda viu do que se tratava me perguntou se eu queria resenhar um livro que é inspirado em dramas coreanos? Obvio que eu respondi um sonoro SIIIMMMMMMMM. Fiquei muito feliz por ver finalmente o livro que tenha o foco em doramas e não em cultura kpop no geral. Afinal, apesar de gostar de kpop e tals... meu maior amor são os doramas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo