terça-feira, maio 30, 2017

[Resultado] Promoção Mônica: Força

E vamos para resultados de promoção
Olá, pessoal, tá na hora de revelar que ganho a HQ Mônica: Força autografada.

Primeiro, tivemos que realizar dois sorteios porque o primeiro sorteado não cumpriu todas as regras. Assim, a ganhadora dessa maravilhosa graphic novel da MSP foi:

Vera Lúcia Alves Afonso.

O resultado do sorteio pode ser verificado AQUI.

Vera, envie seu contato para o email garotapaidegua@hotmail.com ou entre em contato através do facebook até o próximo sábado as 23:59.

E é isso pessoal. Até a próxima.

sexta-feira, maio 12, 2017

Eu Li: E viveram felizes para sempre - Julia Quinn

Título:
E Viveram Felizes Para Sempre
Autora:
Julia Quinn
Editora:
Arqueiro
Série:
Os Bridgertons #9
Ano:
2016

Adicione ao Skoob


Alguns finais são apenas o começo...
Era uma vez uma família criada por uma autora de romances históricos...
Mas não era uma família comum. Oito irmãos e irmãs, seus maridos e esposas, filhos e filhas, sobrinhas e sobrinhos, além de uma irresistível matriarca. Esses são os Bridgertons: mais que uma família, uma força da natureza.
Ao longo de oito romances que foram sucesso de vendas, os leitores riram, choraram e se apaixonaram. Só que eles queriam mais. Então começaram a questionar a autora: O que aconteceu depois? Simon leu as cartas deixadas pelo pai? Francesca e Michael tiveram filhos? O que foi feito dos terríveis enteados de Eloise? Hyacinth finalmente encontrou os diamantes?
A última página de um livro realmente tem que ser o fim da história? Julia Quinn acha que não e, em E viveram felizes para sempre, oferece oito epílogos extras, todos sensuais, engraçados e reconfortantes, e responde aos anseios dos leitores trazendo, ainda, um drama inesperado, um final feliz para um personagem muito merecedor e um delicioso conto no qual ficamos conhecendo melhor ninguém menos que a sábia e espirituosa matriarca Violet Bridgerton.

Veja como tudo começou e descubra o que veio depois do fim desta série que encantou leitores no mundo inteiro.
Vou começar o post de hoje pedindo desculpas: A editora Arqueiro e aos leitores fãs de romances de época! Estou com esse livro há um tempinho, mas para mim foi muito dolorido começar a ler ele, pois eu sábia que depois desse livro não vou mais ter os personagens da família Bridgertons comigo em novas histórias. 

Para quem não está entendendo nada, vamos lá: Cada membro da família Bridgertons (com exceção da mãe, Sra Violet) tem um livro para contar a sua história. E as histórias são amaradinhas no final, mas sabe quando na sua mente de leitor, apesar do livro ter terminado, a história continua? Você se vê relutante em concordar que não há mais coisas acontecendo aos personagens depois da página final.

Aí quando penso que tudo vai bem, a editora me manda um livro novo com 8 novos epílogos, e uma história inédita, para contar o que aconteceu com os nossos personagens favoritos. E como são histórias curtinhas não dá nem para contar elas sem dar spoilers, então essa resenha vai ser um pouquinho diferente. Vou colocar abaixo algumas das minhas impressões sobre o livro, ok?

Abaixo coloco 3 curiosidades sobre cada epílogo de acordo com a ordem de publicação dos livros:
  1. Finalmente vamos descobrir o que tinha das cartas do pai do Simon Basset.
  2. A Daphne não brinca em serviço quando se trata de ser mãe.
  3. O nome todo de Simon é: Simon Arthur Henry Fitzranulph Basset.
  4. Os irmãos Bridgertons, mesmo depois de velhos, continuam jogando Pall Mall verozmente.
  5. Kate e Anthony envelhecem mas continuam amando se provocar.
  6. Kate e Anthony mantiveram a tradição da família de ter vários filhos.
  7. Sophie e Benedict continuam fogossos como sempre.
  8. Sophie colocou nacabeça que tem que ajudar sua irmã Posy a arranjar um marido.
  9. Apesar de Posy não ser uma Bridgerton de fato, ela acaba se tornando uma de coração e nunca mais volta a falar com a mãe e a história da Posy nesse livro é muito fofinha!
  10. O epilogo de Collin e Penelope é narrado logo após o casamento deles.
  11. Esse epilogo envolve a história de Eloise.
  12. Fiquei morrendo de vontade de sair correndo para ler novamente o livro do Collin e da Penelope.
  13.  E o Collin continua impossível.
  14. O segundo epilogo de Para Sir Phillip, com amor é um dos meus momentos favoritos do livro pois conta a história da enteada de Eloisa, A gêmea Amanda e como ela se apaixona pela primeira vez.
  15. A forma como a Amanda se relaciona com a Eloisa é linda de se ler. 
  16. A forma como mostra o amadurecimento do Sir Phillip dentro das medidas dele foi bem legal.
  17. O epilogo de Francesca vem responder a você que ficou se perguntando se ela teve ou não o filho que tanto queria.
  18. Quem diria que o Michael iria conseguir amar a Francesca de forma tão plena e aberta.
  19. O plot twist é tipo: WHAT? Mas vale muito a pena.
  20. No epilogo da Hyacinth só posso dizer que ela continua irritante tanto quanto era mais nova.
  21. O jogo vira, quando ela tem que lidar com uma filha que tem o mesmo gênio que ela.
  22. Descobrimos se a Hyacinth acha as jóias ou não.
  23. O epilogo do Gregory é um tiro no coração de cada leitor.
  24. Foi o momento mais triste e angustiante do livro.
  25. E ao mesmo tempo conseguimos ver uma face muito paternal em Gregory.
Achou que acabou né? Mas sabemos que a Titia Julia Quinn sempre nos prepara uma pequena surpresa ao termino de cada livro e este não seria diferente. Infelizmente não temos um final satisfatório no que se refere a Violet, e eu realmente torci para ela encontrar um novo grande amor, mas ainda assim foi lindo descobrir como a pequena, jovem e cabeça dura Violet conheceu o Edmund Brigdertons. Também descobrimos o que fez com que ela não desistisse de viver após a perda de seu grande amor.

Espero que vocês tenham gostado do post, e até o próximo!



quinta-feira, maio 11, 2017

Eu Li: Pandemônio - Delírio #2 - Lauren Oliver

Título Pandemônio
Autora:
Lauren Olivier
Editora:
Intrínseca
Série:
Delírio 
Adicione ao Skoob 
Em Pandemônio, o segundo livro da série, Lena Haloway está dividida entre o "antes"- que mostra seu sofrimento por ter perdido Alex ao mesmo tempo que precisa se transformar em alguém forte o suficiente para sobreviver na Selva - e o "agora", seu cotidiano infiltrada na cidade como integrante da Resistência. Ela terá que lutar contra um sistema cada vez mais repressor, sem, porém, se transformar em um zumbi: modo com os Inválidos se referem aos curados. E não importa o quanto o governo tema as emoções: as faíscas da revolta pouco a pouco incendeiam a sociedade, vidas de todos os lugares... inclusive de dentro.
Pandemônio é o segundo livro da série Delírio e essa resenha pode conter alguns spoilers do primeiro livro. Já resenhamos Delírio AQUI.

Pandemônio é um livro que eu até acho interessante, mas, pelo menos para mim, acabou sendo um tanto inferior ao primeiro livro da série. A trama é contada em dois tempos diferentes revezando capítulos como "Antes" e "Agora". "Antes" dá prosseguimento à história imediatamente após o fim do primeiro livro com Lena tentando sobreviver na floresta, encontrando-se com algumas pessoas que, em teoria são a "resistência" e convivendo com todo o conflito de ter nascido numa sociedade repressiva e agora estar convivendo com todo o tipo de pessoa (e dificuldade). "Agora" narra uma Lena mais madura, agora inserida novamente na sociedade repressora do amor e, aparentemente, armando uma grande conspiração.

Além disso, se no primeiro livro tínhamos apenas a Hana (melhor amiga de Lena) como coadjuvante, agora temos vários personagens interessantes ao desenvolvimento da distopia:  Graúna, que é a líder do grupo com o qual Lena se encontra; Julian, filho de um dos maiores líderes da sociedade repressora, mas que está em conflito; Prego, um dos guerreiros da resistência. 
Na Zumbilândia, sempre há alguém observando. As pessoas não têm nada mais para fazer. Elas não pensam. Não sentem paixão, nem ódio, nem tristeza; não sentem nada além de medo e desejo de controle. Assim, elas observam, se intrometem, xeretam.
Analisando rapidamente Pandemônio, fiquei refletindo se não teria sido válido a autora tê-lo separado em dois livros distintos. A trama da sobrevivência da Lena e a trama da conspiração simplesmente não se conversam bem. A leitura ficou bem prejudicada com essa organização e em certos pontos acabou sendo até anti climática: vários capítulos terminam em momentos cruciais e trocar para a outra trama acaba sendo decepcionante.

Fora que a personagem da Lena (que em teoria é a protagonista) acabou ficando meio apagada. Ela aparece pouco e toda a preparação do primeiro livro para torná-la uma personagem mais forte não surte tanto efeito. Ela até está mais cinica e dura e menos indefesa, mas isso não aparece tanto e, às vezes, não convence. Por outro lado temos ótimos coadjuvantes: todos adicionam um pouco a trama da trilogia e, de certa forma compensam a falta de protagonismo e a confusão de histórias. Em específico o personagem do Julian (que em dado momento acaba virando um interesse amoroso de Lena) é um dos pontos altos do livro.

Um ponto que eu achei extremamente interessante é a manutenção da sociedade como um vilão. No primeiro livro temos vários trechos de livros e músicas que foram adaptados para reprimir qualquer sentimento (até a Bíblia é alterada) e isso segue sendo desenvolvido no segundo livro. E vai além: o pai de Julian, que surge como um dos principais vilões da trilogia inteira, dá uma cara para essa sociedade. Ele representa muito bem aquele estereótipo apresentado no primeiro livro como um cidadão ideal: duro, rígido, totalmente desprovido de emoções e odiando qualquer demonstração afetiva. 

No final das contas Pandemônio traz muito do que me interessou no primeiro livro, mas alguns detalhes e algumas partes meio arrastadas, me deixaram com uma sensação de não ter sido um livro tão bom quanto o primeiro.


quarta-feira, maio 10, 2017

Doramaniacos #4 - Healer

Título: Healer
Ano: 2014
Total de episódios: 20
Gênero: Ação, Comédia, Romance
Série: -------
País de Origem: Coréia do Sul

Como um evento ocorrido há décadas se relaciona com três pessoas que aparentemente não possuem nada em comum? Kim Moon Ho (Yoo Ji Tae) é um popular âncora televisivo de um grande jornal. Chae Young Shin (Park Min Young) é uma repórter para um tabloide online de segunda qualidade. Seo Jung Hoo (Ji Chang Wook) é um garoto de recados (mensageiro) misterioso conhecido pelo codinome "Healer". Quando essas três pessoas se encontram, passam por uma jornada incomum para descobrir o que aconteceu há tantos anos, quando um grupo de amigos operavam uma radiodifusão ilegal e tentam ajudar as pessoas afetadas pelo evento. A jornada que os levou a descobrir o passado poderá ajudá-los a desvendar seus destinos futuros? "Healer" é um drama sul coreano dirigido por Lee Jung Sup. (Viki)

Annyonghaseyo (olá)... pensaram que eu tinha desistido da coluna? Só que não... é que tive de conciliar muita coisa ao mesmo tempo... ai teve conflito de posts e suas conclusões! Fiquei meio perdida sobre que dorama escolher para postar para vocês... Então o pessoal do meu grupo ´´Sofrência Dorameira`` começou a surtar com Healer... desta forma resolvi escrever sobre o dorama que tem arrancado suspiros dos meus amigos...kkk

Apesar desse poster ter a maior cara de série policial e tals... Healer poderia ser descrito como uma treta mirabolante e muito amorzinho. Mas vamos com calma aqui... primeiro vamos ao cast:

PERSONAGENS PRINCIPAIS:














          Ator: Ji Chang-Wook                    Atriz: Park Min-Young                         Ator: Yoo Ji-Tae
           Personagem: Healer             Personagem: Chae Young-Shin       Personagem: Kim Moon-Ho
             O Mensageiro                         Reporte de tabloide on-line            Reporte respeitado e âncora

PLOT DA HISTÓRIA:

Era uma vez, há alguns anos atrás... um jovem grupo de amigos que eram super engajados em jornalismo. Mas, não qualquer jornalismo! Eles queriam que as pessoas tivessem acesso as notícias reais sem censura. Mas o governo e a polícia estavam impondo certa censura nas reportagens na tv e rádio, então eles, em um caminhão velho rodando por Seul, começaram a realizar transmissões de uma rádio pirata. E correndo da polícia eles conseguiam realizar seus sonhos. O grupo era composto por 4 rapazes e uma moça. Infelizmente o grupo acabou se desmantelando de forma trágica... e nem todos eles sobreviveram para contar o que de fato aconteceu com o grupo. 

Muitos anos depois somos apresentados a três personagens caricatos que aparentemente não tem nada haver um com o outro, ou pelo menos era isso o que dava para imaginar no início do dorama. 

O primeiro deles é o famoso mensageiro Healer. Ninguém conhece de fato o seu nome e rosto, e ele é super conhecido por nunca falhar em suas entregas e aceitar todo o tipo de trabalho, com exceção a matar pessoas. O segundo personagem é o mundialmente famoso jornalista e ancora do principal jornal de Seul, seu nome é Kim Moon-Ho. Um homem respeitado por todos, inteligente, elegante e muito atormentado pelo passado. Ele se utiliza de sua posição para cumprir seu sonho obscuro para enfim ter paz. E a terceira peça fundamental da história é a freelancer de um tabloide on-line voltado para escândalos de celebridades, a jornalista Chae Young-Shin.

Eles, em teoria, não deveriam nem se conhecer ou serem relacionados... aparentemente a única coisa que eles tinham em comum era um passado trágico, mas o que eles vão descobrir depois é que esses passados são peças de um quebra-cabeças muito maior e que a existência deles pode colocar em risco uma organização mais velha e poderosa que eles três juntos.

Obs: Atenção que esse plot é a minha versão curta e sem spoilers da história.

OBSERVAÇÕES:


  • O Dorama é muito atencioso aos detalhes que fazem da treta uma trama geral que envolva eles três. O que é bom, pois poderiam ter dado só um motivo nada haver para eles serem relacionados!
  • A forma como cada um dos personagens é caricato e bem construído é bem legal.
  • O Chang Wook é muito lindo e ele consegue fazer vários disfarces na trama e ficar ótimo.
  • Ele disfarçado de nerd tímido é o meu favorito.
  • A forma como surge o romance no dorama é muito apaixonante.
  • O personagen Healer consegue ser um personagem forte e demostrar fragilidade de forma espetacular.
  • Achei o final do repórter Ji Tae meio forçadinho.
  • Tem várias cenas do Chang Wook sem camisa....rsrsrs
  • O drama consegue ser ação, mistério e romance sem perder essência.
  • Episodio 15: Melhor episodio de dorama ever!!!

Ufa...consegui terminar o post que levei uns 15 dias para fazer... porque falar de Healer sem dar spoilers é complicado...

Espero que vocês tenham gostado do post... até o próximo!

terça-feira, maio 09, 2017

[Lista] 4 séries baseadas em livros que você não pode perder

Game of Thrones: De longe a série adaptada de livros que mais fez sucesso até hoje
Ok, eu sei que nós já estamos todos atrasados com os capítulos de série que vemos. Eu sei também que tem mais um milhão de série que queremos ver e nem começamos ainda. Maaaaas, se você curte adaptações (bem feitas) de livros, talvez fosse o caso de você dar uma chance a algumas dessas séries que eu vou destacar a seguir, das mais mainstreams a algumas menos conhecidas. 

1 - Game of Thrones (HBO)


Não! Sério! Por que você ainda não viu GoT? Sério, se você não viu mesmo, para por aqui, vai lá, assiste as 6 temporadas e depois volta pra ler o resto (ok.. é brincadeira). Game of Thrones é, sem dúvidas, a série de maior sucesso que temos hoje e se você ainda não assistiu nenhum episódio, vou tentar convencer você a dar uma chance.
Baseada na série de livros de George R. R. Martin (sim, esse pseudônimo foi meio kibado do Tolkien) As Crônicas de Gelo e Fogo, a série apresenta uma visão fantástica de um mundo que lembra muito a Era Medieval, apresentando muita intriga política, guerras, sexo (muito, as vezes mais que o resto) e personagens bem marcantes. A propósito, não torça por ninguém: a série tem um fator imprevisibilidade extremamente traumatizante e, as vezes, aquele personagem que você ama morre do nada e da pior forma possível. Fora isso, sendo da HBO (que adora uma p#%$aria) e com classificação indicativa para maiores de 18 anos, não recomendamos assistir com a sua família do lado, talvez seja meio chocante e constrangedor. 



2 - Deuses Americanos (Starz/Amazon Prime Video)


Série fresquinha, acabou de iniciar a exibição. Adaptada do livro homônimo de Neil Gaiman, está saindo no Brasil através do Amazon Prime Video (vulgo Netflix da Amazon). Tudo começa quando Shadow Moon, um homem que está cumprindo sentença de 3 anos de prisão é liberado um pouco antes do tempo, logo após sua esposa morrer atropelada. Um homem um tanto estranho chamado Wednesday, que aparentemente é apenas mais um trambiqueiro, lhe oferece um emprego. O que ele não sabe é que Wednesday está viajando pelos Estados Unidos e reunindo vários deuses antigos para começar um guerra sem precedentes.
A série teve seu lançamento em 01/05, já conta com dois episódios (novos episódios toda segunda) e muito sangue. Ah, classificação também é 18 anos.



3 - The Last Kingdom (BBC/Netflix)



Baseada na série de livros de Bernard Cornwell, As Crônicas Saxonicas, a série conta a história de Uhtred um nobre cujos pais foram assassinados quando ainda novo. Levado por Vinkings, acaba se tornando um grande guerreiro. Como é bem comum nos livros do Cornwell, Uhtred é um personagem fictício que tem a função de narrar os acontecimentos reais de algum período histórico, no caso, parte da Era Medieval Inglesa (a primeira temporada se passa no ano de 872. Assim como Game of Thrones, apresenta bastante conspiração e guerra, mas é bem mais leve (afinal a BBC tem uma tendência consideravelmente mais contida que a HBO). A primeira temporada já está disponível no Netflix e a segunda está em exibição.



4 - O Homem do Castelo Alto (Amazon Prime Video)

Baseada no livro de mesmo nome, de autoria de Philip K. Dick, a série da Amazon imagina o que teria acontecido se os países do Eixo tivessem ganho a Segunda Guerra Mundial. O cenário aqui é um Estados Unidos derrotado e com seu território dividido em três partes: a costa leste pertencendo à Alemanha Nazista (o Grande Reich Nazista), a costa oeste pertencendo ao Japão (os Estados Japoneses do Pacífico) e uma área neutra separando as duas. Existe uma grande conspiração política e tensão que pode levar a um guerra nuclear entre Japão e Alemanha, ao mesmo tempo em que uma resistência americana trabalha contra ambos regimes e está juntando vários filmes que mostram uma realidade onde os EUA haviam ganhado a guerra.
A dinâmica da série é um tanto lenta nos primeiros episódios, mas o final da primeira temporada é de explodir a cabeça de qualquer um. Já estão disponíveis duas temporadas e a terceira está confirmada.


É isso, pessoal. Espero que vocês possam dar chances a pelo menos uma dessas séries.
E aí, curtiram? Querem mais listas? Comentem!

segunda-feira, maio 08, 2017

Na Tela #16 - 50 Tons Mais Escuros


Oi Gente...rsrsrs...sei que já faz um tempinho que o filme lançou e tals...mas acho que tive que ver mais uma vez e digerir melhor a história do filme para enfim escrever o post...Valeu Victor!

Bom, quem lembra quando escrevi o Na Tela sobre 50 tons de cinza? Vocês devem lembrar de uma blogueira meio revoltada (ou não) com a adaptação...e admito que sai do cinema muito p&*$ da vida no primeiro filme pois fui com uma expectativa muito alta, quem nunca não é mesmo?

Dessa vez já fui com a mente e o coração mais abertos a ADAPTAÇÃO de fato, o que foi a melhor coisa que fiz, pois gostei mais do filme desta forma. Táaaa... o filme não é uma obra prima da 7º arte e tals...mas admitamos que foi melhor dessa vez que já estávamos preparados para uma adaptação com liberdade de criação também!

Primeira coisa que reparei no filme e que de certa forma já gostei:

A Anatasia Steele está mais emponderadinha!

No primeiro filme vi uma personagem muito apática. Tá que no livro ela também é assim... mas sei lá gente... nesse segundo filme é possível ver essa mudança no personagem e isso foi de certa forma legal. Ponto para ela!

De forma meio tímida no início e depois surpreendentemente com firmeza então ela passa a conseguir dizer ao Christian o que ela gosta, o que não gosta e consegue dar alguns limites ao comportamento dele. Também podemos ver uma personagem mais de boas com a sua sexualidade.

Segundo ponto legal no filme

As máscaras vão caindo, não é mesmo?

Uma das coisas que sempre ouço das pessoas que não gostam da série, ou que nunca leram e mesmo assim não gostam da série é o discurso pronto de: ´´Ele é um lunático abusivo``.

Cada um com a sua opinião, mas uma das coisas que sempre disse para um amigo meu que me falou algo similar, é: O personagem tem uma historicidade que vai um dia revelar o porquê do comportamento dele ser desta forma. Nesse filme os segredos do passado de Christian vão sendo revelados um a um para a Anastasia, e ela vai aprendendo como amar uma pessoa com tantos gatilhos quanto ele. E da forma deles eles vão seguindo e aprendendo.. Juntos.

Terceiro pontinho legal e gritante:

SÓ EU REPAREI QUE A QUÍMICA ENTRE OS ATORES É VISIVELMENTE MUITO MELHOR DO QUE NO PRIMEIRO FILME?

Acho que não...né?

De fato acredito que com a mudança de diretor o filme tomou uma atitude um pouco diferente, e os atores do filme parecem se conhecer melhor nesse segundo momento.

Quarto pontinho:

O cast aumentou um pouco e mudou também! Temos a Kim Basinger com a tão odiada e vaca Mrs. Robinson que  apresentou o mundo de submissão ao Christian na adolescencia.

Ela é uma grande amiga da mãe dele, e admito que adorei a cena que ela é convidada a se retirar nada gentilmente da casa dos Grey´s quando o que ela fez a ele é descoberto pela mãe dele. Valeu Senhora Grey!

Mas admito que um ponto negativo do filme, apesar dela ser uma personagem segundaria e tals...mas mudar a atriz que dá vida ao personagem Mia foi meio forçadinho, não? Apesar disso curti o trocadilho do nome do chefe abusivo da Anastasia: Jack Hyde me fez lembrar do médico e do monstro o que casou muito bem com o personagem mesmo do filme mesmo!

Por fim, mas não menos importante: 

Nunca vamos esquecer da diva Beyonce cantando Crazy In Love de forma tão tentadora e sedutora como vimos no primeiro filme. JAMAIS!

Mas o que também amadureceu de um filme para o outro foi a trilha sonora, que no primeiro ganhou nossos corações, e nesse segundo filme, na minha humilde opinião, me fez querer sair do cinema e correr na livraria e comprar o cd com a trilha sonora original do segundo filme.

Não coloquei muita fé na dupla Zayn e Swift mas acho que a equipe de produção do filme conseguiu colocar a música em uma cena tão linda e casadas, música e cena, provocou um efeito deslumbrante ao momento. Fiquei muito viciadinha na música depois disso. Inclusive estou ouvindo ela agora durante a produção desse post...kkk...sou dessas!

Aí você me pergunta: Mas afinal, Anne você gostou ou não do filme? A resposta é sim! Pois como eu falei antes, já fui ver o filme sem a expectativa de ser muito fidedigno ao livro.


Bom, desculpa a demora em postar esse Na Tela, mas espero que vocês tenham curtido...beijos e até o próximo post!

sexta-feira, maio 05, 2017

#PENSANDOBEM O que é Manga Rock?


Olá bookaholics de plantão!

Estão sabendo que o Pa Book Club desse mês de maio é temático? E adivinha... todos nós que participamos do clube do livro vamos ter que ler Mangás. E pensando em ajudar aqueles amigos que ainda não foram apresentados a arte de ler mangás resolvi fazer esse post.

Bom, eis que em uma das pré estreias de filmes da minha vida um dos amigos do meu irmão me apresentou ao Manga Rock. Sou eternamente grata ao Mayron Pantoja por ter me apresentado ao meu mais novo vício. #VALEUMESMO

Então vamos as apresentações?

1 - O que é o Manga Rock?
Segundo o facebook do aplicativo:
Manga Rock é um aplicativo de leitor de mangá feito com uma missão singular: entregar a melhor experiência de leitura de mangá no celular.
2 -  O aplicativo existe desde quando?
Aparentemente desde 2010, e começou a ganhar maiores proporções em 2013.

3 - Tem mangá em português?
Tem sim! Assim como em outros 7 idiomas.

4- E o acervo deles, é diversificado?
Sim, é. Segundo a informação dos organizadores do aplicativos, há cerca de 50 mil títulos disponíveis para leitura. 

5 - Está disponível para quais tipos de aparelhos?
Para IOS e androide.

6 - tem que estar on-line para ler?
Infelizmente tem... mas o aplicativo também disponibiliza a opção de download de mangás.

7 - Tem que pagar algo para usar?
Bom...até agora não precisei não...rsrsrsrs

8 - Os mangás ficam todos misturados por gênero?
Na abertura do aplicativo sim. Mas você pode escolher filtros para ter mais acesso ao seu tipo de mangá favorito. Por exemplo o meu está cheio de shoujos..rsrsrs

Assim como você pode usar o mecanismo de procura por um mangá que você já conhece e quer ler novamente ou retomar a leitura.

9 - Como baixar o palicativo?
Tem que entrar no site www.mangarock.com selecionar IOS ou Androide e baixar diretamente do site. Depois é só continuar com o seu cadastro e depois passar a selecionar os tipos de mangás que mais lhe agradam. É bem simples de usar.























       Página inicial do app                      Aba de opções                          Minha página inicial

Como eu disse anteriormente, na Página inicial do app somos turbinados de opções que as vezes não são de nossa preferência. Mas você pode ir baixando a página e de repente achar um ou outro que goste e não conhecia.

No aplicativo você pode logar com sua conta do Facebook ai aparece na Aba de opções sua foto e nome como consta na rede social. Claro que você pode mudar isso depois!

Minha página inicial vai ficando recheada de mangás que você vai selecionando e achando, de forma a ficar organizada a parte da página inicial. Basta clicar na Aba de opções e selecionar os seus favoritos.























       Mangá selecionado                    Capítulos do mangá                Notificações de novos capítulos

Quando você já tem o Mangá selecionado é só partir para a leitura ou download se o seu caso é deixar estocados para poder ler off line por aí no decorrer do seu dia.

Em Capítulos do mangá você pode saber como está sua leitura pois os capítulos que você já leu ficam meio que cinza e os que você ainda não leu ficam destacados na cor branca.

Quando você seleciona um mangá com a estrelinha de favoritos, e este manga ainda está em andamento, o aplicativo te avisa quando os capítulos estão sendo ´´upados``.

Enfim...espero que vocês tenham gostado do post...e não esqueçam que a primeira reunião do Pa Book Club é dia 6 de maio na Fox Vídeo da Dr. Moraes. Nossos encontros são gratuitos e abertos ao público...então reserve um dia para ir nos conhecer!

beijos e até o próximo post...

quinta-feira, maio 04, 2017

[May the fourth be with you] 5 Livros para ler no Star Wars Day


Sim, pessoal! Hoje é 4 de maio, mais conhecido mundialmente como o Star Wars Day. Além do trocadilho (may the 4th) maio é um mês muito especial para a franquia pois foi nesse mês em 1977 que ocorreu a estreia do primeiro filme da série: Uma Nova Esperança (que aliás comemorará 40 anos esse ano). Vale lembrar também que em maio ocorrem mundialmente as comemorações dos dias do Orgulho Nerd e da Toalha (não é a mesma coisa).

Enfim, e para comemorar um dia tão especial, nada melhor que escolher um novo livro da saga para ler. Escolhi 5 livros que serão bem interessantes de ler nessa data:

1 - Estrelas Perdidas - Claudia Gray



Ciena Ree e Thane Kyrell se conheceram na infância e cresceram com o mesmo sonho: pilotar as naves do Império. Durante a adolescência, sua amizade aos poucos se transforma em algo mais, porém diferenças políticas afastam seus caminhos: Thane se junta à Aliança Rebelde e Ciena permanece leal ao imperador. Agora em lados opostos da guerra, será que eles vão conseguir ficar juntos?
Através dos pontos de vista de Ciena e Thane, você acompanhará os principais acontecimentos desde o surgimento da Rebelião até a queda do Império de um jeito absolutamente original e envolvente. O livro relata, ainda, eventos inéditos que se passam depois do episódio VI, O retorno de Jedi, e traz pistas sobre o episódio VII, O despertar da Força!
Pra quem é fã e quer revisitar a saga ou para quem quer conhecer a série e ter uma visão geral dos filmes IV, V e VI. O livro faz parte do atual canone da Disney e conta com o ponto de vista de dois personagens Ciena (piloto do Império) e Thane (traidor e piloto da Aliança Rebelde). Ao longo da trama revisitamos várias batalhas e temos um vislumbre ainda bem básico sobre o tempo passado entre O Retorno de Jedi e o Despertar da Força, que ainda traz alguns mistérios.

2 - Herdeiro do Império - Timothy Zahn


O Primeiro Volume Da Consagrada Trilogia Thrawn.Luke, Han e Leia enfrentam uma nova ameaça. Cinco anos após a destruição da Estrela da Morte, a ainda frágil República luta para restabelecer o controle político e curar as feridas deixadas pela guerra que assolou a galáxia. O Império, porém, parece não ter morrido com Darth Vader e o imperador. Habitando os confins da galáxia, o grão-almirante Thrawn, gênio militar por trás de diversas ações imperiais, ainda luta para reconquistar o poder perdido. A bordo do destroier estelar Quimera, ele descobre segredos que lhe darão a chance de destruir definitivamente o que restou da Aliança Rebelde, para assim retomar o domínio da galáxia e controlar os últimos dos Jedis. Herdeiro do Império é considerado um dos mais importantes marcos do universo expandido de STAR WARS. Desde seu lançamento, tem sido aceito pelos fãs da franquia como a verdadeira continuação da trilogia original. Além disso, a obra foi usada como base criativa para vários outros produtos da série, incluindo elementos de jogos, filmes e animações.

Já não faz parte do cânone da série, mas ainda vale muito a pena. Por muito tempo, passou-se sem existir conteúdos novos de Star Wars. Após a conclusão da saga no Episódio VI (em 1983) até o lançamento do Episódio I (em 1999) os fãs ficaram órfãos de novas histórias. Eis que, em 1991 Timothy Zahn lançou Herdeiro do Império, primeiro livro da trilogia Thrawn e, que por muito tempo, foi considerado o Episódio VII de Star Wars. Nesse livro é apresentado um dos melhores e mais consagrados vilões da saga, o almirante Thrawn. Ele é um personagem tão famoso que a Disney decidiu trazê-lo oficialmente para o cânone, inserindo-o na série Rebels e em um livro próprio.

3 - O Caminho Jedi - Daniel Wallace



Que a saga Star Wars é um dos maiores fenômenos de todos os tempos não é novidade. Que os personagens são mania mundial, também não. Para apimentar mais essa febre e satisfazer um desejo antigo dos fãs, chega às livrarias O Caminho Jedi, manual de treinamento da Ordem. O livro funciona como um almanaque dos guadiões da paz nas galáxias. Nele são apresentados os maiores mestres, a história dos clãs, os armamentos, o vestuário, os golpes de lutas, entre outros. Em O Caminho Jedi, o leitor vai desvendar os segredos e partilhar do conhecimento passado de geração para geração – aprendendo, inclusive, as nuances do combate de sabre de luz e a hierarquia Jedi. Além disso, conhecerá novos personagens, novas criaturas e novas naves. Passado de mão em mão de Mestre para Padawan, de Yoda e Obi-Wan Kenobi para Anakin e Luke Skywalker, este exemplar recebeu as anotações de cada Jedi que tocou e estudou suas páginas — adicionando suas experiências pessoais e as lições aprendidas.

Esse livro é lindo! Não é brincadeira: essa edição é espetacular. O Caminho Jedi é o guia que todo Padawan deve ler para seguir seu caminho da luz (ou não). Na prática ele é um manual bem antigo que passou pela mão de vários jedis e siths ao longo da história. O último dono foi Luke Skywalker e ele explica no início que cada um dos donos deixou comentários anotados por todas as páginas. Os melhores comentários, sem dúvida, são os do Darth Sidous.

4 - O Livro dos Sith - Daniel Wallace








Manual de treinamento do lado negro da Força, em que são apresentados os maiores mestres, o surgimento do clã, os armamentos, o vestuário, os segredos obscuros, entre outros. O livro funciona também como um almanaque. Capa dura e ilustrado. 










Assim como o Caminho Jedi, O Livro dos Sith funciona muito bem como um manual, mas para o Lado Negro da Força. Entretanto, ele não é um livro único, mas sim, vários trechos de outros livros escritos por vários Sith, reunidos por Luke Skywalker. Como ele mesmo fala no início, "Nunca saberemos como os livros completos eram de fato - Essas páginas são tudo o que restou."

5 - Como Star Wars conquistou o universo - Chris Taylor



Por várias gerações, Star Wars tem arrastado fãs de todas as idades aos cinemas, às lojas de brinquedos, às livrarias — praticamente a todo lugar que se vai, Star Wars está presente como uma entidade maior do que os filmes da saga. É indiscutivelmente o maior fenômeno da cultura pop, tão abrangente em todos os sentidos que mesmo aqueles que não assistiram ao filme conhecem a figura de Darth Vader e a maior revelação da história criada pelo cineasta George Lucas. 


Em um trabalho jornalístico surpreendente, Chris Taylor revela segredos que até o fã mais radical desconhecia, derruba e confirma antigos mitos e rumores sobre sua produção, e dá voz a todo mundo que foi relevante na criação de Star Wars como um todo, de aliados a desafetos de George Lucas. Porém, apesar de falar sobre Star Wars, o livro vai muito além: fala sobre cinema em geral, administração, gerenciamento de marca e até determinação pessoal.




Chris Taylor escreveu esse livro (que é bem grande) e encheu com as mais diversas curiosidades sobre a criação do universo Star Wars, bastidores das produções, a mente de George Lucas e muita coisa coisa que todo o fã adoraria saber. Na prática o livro funciona como um documentário gigante explicando toda a verdade por trás das produções (e tem umas coisas que são bem surpreendentes).

E Então, curtiram? Obviamente existe mais uma infinidade absurda de livros de Star Wars disponíveis, mas acho esses 5 bem interessantes para dar um destaque. Se quiserem mais, ano passado escrevi uma matéria em 7 partes sobre o novo cânone de Star Wars que, apesar de já estar obsoleta (já saíram mais um milhão de livros) ainda vale muito a pena. Links a seguir:

Quinta em outra língua #51 - Confess - Collen Hoover

Título:
Confess
Autora:
Collen Hoover
Ano: 
2015

Adicione ao Skoob

Nesse novo livro a autora Best Seller Collen Hoover nos apresenta um novo romance sobre encontrar seu coração ou amor em uma situação entre a verdade e a mentira. Auburn Reed tem sua vida inteira traçada e não há espaço para erros. Mas quando ela entra em um estúdio de artes em Dallas em busca de um emprego, ela não espera desenvolver uma atração profunda pelo artista enigmático que trabalha lá, Owen Gentry. Então Auburn assume o risco de colocar seu coração no comando, apenas para descobrir que Owen tem segredos, o passado dele pode colocar em risco e destruir tudo que é importante para Aurbun, então ela precisa cortar ele de sua vida. Porém a última coisa que Owen quer é perder Auburn de sua vida, mas ele não consegue convencer ela de que as vezes a verdade é tão subjetiva quanto a arte. Tudo que ele tem que fazer para preservar seu relacionamento com ela é confessar. Mas neste caso a confissão poderia ser muito pior que o pecado real.
Oi gente... hoje eu meio que invadi a coluna alheia para compartilhar com vocês um pouco do processo que foi a minha primeira leitura coletiva e para melhorar mais a situação ainda comecei com um livro da Collen...

Se é a sua primeira vez lendo um livro da Collen Hoover seja bem-vindo a um mundo novo em que dor, drama e lágrimas vão te deixar meio que viciado e apaixonado. Não estou dizendo que os livros dela são só isso... JAMAIS... mas essa autora consegue a cada novo livro te trazer uma situação difícil que poderia acontecer com qualquer um de nós e consegue transformar a forma de abordagem em algo poético. Descrevo assim a experiência que é ler ela pois foi isso que aconteceu comigo, e quando ouço alguém descrevendo como se sentiu ao ler Collen sempre vejo as pessoas se jogando de coração na leitura.

O livro Confess começa contando a história de uma adolescente chamada Auburn Reed que se encontra em um quarto de hospital se despedindo de alguém que ela ama muito e que está morrendo, mas que as pessoas ao seu redor, em particular a família dessa pessoa, insistem em minimizar os sentimentos deles, dizendo que é um amor juvenil, e que logo vai passar. MAS NÃO VAI PASSAR! O livro já começa com aquela angustia instigada ao leitor que está lendo uma cena marcante de separação e lagrimas, e que não há nada que possa ser feito para esticar o tempo.

Mas o tempo passa assim mesmo, mesmo contra a vontade de Auburn, e ela cresce. Se torna uma jovem adulta que não teve opção de escolher ou conhecer o que gostaria de fazer em sua vida adulta. Ela está em uma condição meio que refém da família da pessoa que ela teve que deixar para trás de forma irremediável.

Depois de muito tempo em estado de torpor pelo que a sua vida tinha se tornado, Auburn toma uma decisão, para conseguir se libertar das guaras manipulativas de outras pessoas. E para concretizar isso ela precisa em primeiro lugar se mudar para Seatle, e em seguida conseguir dinheiro para pagar um bom advogado para pegar de volta a coisa mais importante de sua vida. Ela começa a trabalhar em um salão de beleza, mas ainda assim precisa de outros empregos para pagar o advogado.

Um dia voltando para casa ela repara que em seu caminho se encontra uma porta simples, mas que possui uma placa escrita Confess. Ela começa a reparar em tudo sobre o lugar, e descobre uma fenda por onde as pessoas colocam papeis. Para surpresa e espanto de Auburn a porta é subitamente aberta e ela dá de cara com um homem lindo e a primeira coisa que ele diz para ela é ´´você está aqui para me salvar?`` e se apresenta sendo Owen Gentry o dono do estúdio e artista plástico em crise pois neste dia ele tem uma exposição e não tem uma ajudante para auxiliar ele na venda dos quadros.

Auburn e Owen tem uma química incrível logo de cara, e ela consegue intender a arte dele como ninguém mais conseguiu até o momento. O que Auburn não sabe é que Owen já havia a encontrado muitos anos atrás, só não sonhava em ver ela novamente no mundo real, Owen percebe que precisa se agarrar a essa oportunidade, pois quantas vezes isso poderia acontecer novamente?

Mas o que ambos vão descobrir da forma mais dolorida possível é que por mais que tentemos fugir do passado,ele tem formas bem bizarras de se fazer presente em nossas vidas. Ambos possuem muitos segredos, e não sabem se estes vão permitir que vivam os sentimentos que despertam no presente um no outro. 

Podem me chamar de insensível, mas eu não chorei! Só fiquei por muito tempo meio que na bad com a história e apesar do livro ter um final satisfatório, ele não te dá a reposta para alguns mistérios importantíssimos. E senti que a Auburn teve que descer a um nível perigoso para conseguir se desvencilhar de seu passado e permitir que Owen estivesse ao seu lado sem recriminações. Para quem não sabe o livro Confess virou um boom na mídia, mesmo antes de ser lançado no Brasil, pois ele virou uma série de Tv com o mesmo nome:




















Admito que ainda não estive bem o suficiente para assistir essa série... ela deve ser tão linda e tocante como o livro, mas ainda não consegui ver com minhas amigas bookaholics e não quero ver só..rsrsrsr então tô aguardando!

Espero que vocês tenham gostado do post e até o próximo.


quarta-feira, maio 03, 2017

Especial CCXP Tour 2017: Paineis + Promoção


A CCXP Tour acabou, mas agora você vai poder conferir algumas coisas bem legais que aconteceram em todos os painéis aos longo dos quatro dias. Como assim? Você não acompanhou a nossa cobertura no Instagram? Para com isso! Segue a gente lá (Link Aqui) e não perca nossas próximas novidades!

Auditório Twitch: o maior dos dois disponíveis na CCXP Tour e onde aconteceram os painéis principais.
A CCXP Tour contou com dois auditórios: o Twitch (onde aconteceram os painéis maiores como o da Netflix, Warner, Marvel e o concurso de cosplays) e o auditório Ultra (que era um pouco mais unpplugged e onde aconteceram os painéis menores e bate-papos). Consegui assistir painéis em todos os 3 dias que estive lá e todos foram bem legais de formas diferentes. Vou falar um pouco de cada um deles:

14 de Abril 
1 - Carlos Villagrán: um tesouro em Recife (Auditório Twitch)

Carlos Villagrán, o eterno Kiko de Chaves, esteve na CCXP Tour e participou de vários painéis. Ele tem vindo ao Brasil desde o ano passado para divulgar o filme "Como se tornar o pior aluno da escola", adaptação do livro homônimo de autoria do Danilo Gentili. Na sexta feira em específico, ele foi caracterizado como Kiko e falou bastante sobre a época da gravação do Chaves, sobre como ele sente falta dos atores que já morreram e algumas curiosidades da época. Além disso ele performou bastante para a plateia. O que dizer do momento em que ele recitou "Mamãe Querida" para o publico?

Uma publicação compartilhada por blog Garota Pai D'égua (@garotapaidegua) em


E ainda tiveram outros momentos impagáveis como ele demonstrando como seria uma versão Zumbi do Kiko ou, em um momento em que seria exibido um compilado de cenas da série e o áudio falhou, o próprio Carlos dublou as cenas ao vivo.

No final ainda foi exibido o trailer do filme "Como se tornar o pior aluno da escola", em que ele interpreta o diretor da escola e finalizou com uma fala que foi muito aplaudida: "Quando eu morrer..."(lamentos) "sejam bons com seus filhos, seus pais e as pessoas próximas. Que ninguém seja parecido com Donald Trump, que mostrou como se tornar o pior presidente do mundo".

Teaser do filme


15 de abril 
1 - Graphic MSP: A reinvenção da Turma da Mônica (Auditório Ultra)



O painel da Graphic MSP foi um bate papo com vários artistas que estão envolvidos no projeto, mediado pelo responsável pelo planejamento editorial, Sidney Gusman. Cada um dos artistas falaram um pouco sobre o desenvolvimento de cada quadrinho, dificuldades sobre a adaptação de personagens tão clássicos como os da Turma da Mônica e falaram sobre outros trabalhos já publicados. Várias curiosidades interessante foram destacadas:
- A terceira HQ da Turma da Mônica, também de autoria do Vitor Cafaggi e da sua irmã Lu Cafaggi, será lançada durante a Bienal do Livro 2017, que ocorrerá no Rio de Janeiro.
- Penadinho: Vida e Bidu: Caminhos são as primeira HQ's da Graphic MSP a serem publicadas fora do Brasil, na França;
- Mônica: Força foi uma das HQ's mais vendidas do ano passado, mesmo levando em conta os quadrinhos de Super Heróis;
- O filme live-action que adaptará a HQ Turma da Mônica: Laços está confirmado para julho 2018. O roteiro já está pronto e aprovado, a direção será de Daniel Rezende e já foi iniciado o processo de escolha do casting.

2 - Recriando universos no Omelete Box (Auditório Ultra)



O outro painel que eu participei no mesmo dia foi mediado pelo Erico Borgo do Omelete e discutiu com o designer Rodrigo Didier a evolução das produções e adaptações de licenças para o Omelete Box. Para quem não sabe o Omelete Box é uma dessas mistery box (produto onde você paga uma taxa mensal e recebe um caixa com produtos surpresa ao final de cada mês). Como o Omelete conseguiu diversas licenças oficiais (Warner/DC e mais recentemente Marvel), eles demonstraram todo o processo de criação de produtos originais a partir dessas licenças e vários problemas que eles tiveram para levar esses produtos até o publico.

Os produtos da caixa do Omelete Box temática de Batman V Superman
16 de Abril
1 - Warner Bros. Apresenta Bingo: O rei das manhãs. (Auditório Twitch)


Bingo: O rei das manhãs é um filme nacional que será lançado em agosto desse ano. Ele adapta a história de um dos atores que interpretou o palhaço Bozo nos anos 80, o Arlindo Barreto. Uma figura controversa: apesar de apresentar um programa infantil de sucesso, era viciado em várias drogas e teve um vida extremamente desregrada. O painel mediado pelo Erico Borgo do Omelete tratou de falar sobre a concepção do filme, sobre a direção de Daniel Rezende e entrevistou o ator Vladimir Brichta, que será o palhaço nos cinemas.
Foi exibido ainda um novo trailer e devo dizer que fiquei ansioso pra ver esse filme.

Trailer do filme.

2 - De volta para o passado com Cláudia Wells. (Auditório Twitch)


Cláudia Wells foi a atriz que interpretou a Jennifer (namorada do Marty McFly) no primeiro De Volta para o Futuro. Durante o painel ela falou bastante sobre como foi a produção do primeiro filme, como era atuar com Michael J. Fox e Christopher Lloyd e explicou como a doença da sua mãe a impediu de participar das continuações. Esse momento foi bem legal porque ela se demonstrou bem emocionada com a história e toda a plateia do auditório levantou para aplaudi-la.

3 - Kevin Sussman: Como The Big Bang Theory conquistou o mundo. (Auditório Twitch)


Kevin Sussman é o Stuart (dono da loja de quadrinhos) de The Big Bang Theory. No painel com ele, discutiu-se sobre como The Big Bang Theory foi (e ainda é) importante para a popularização da cultura nerd. O ator falou ainda como é participar da série, da dificuldade de interpretar todas aqueles piadas com cunho nerd e elogiou todo elenco com quem trabalha.

4 - Marvel Studios (Auditório Twitch)


O painel mais esperado do domingo. Foi interessante que, a partir da hora em que se anunciou que iria começar, o auditório encheu de seguranças. Era proibido filmar ou fotografar qualquer coisa do painel e, só colocar a mão no bolso para tirar o celular, já poderia garantir uma expulsão para você. Foi apresentado pelo Erico Borgo e pelo Marcelo Hessel do Omelete e inicialmente foram mostrados os trailers de Thor: Ragnarok e Guardiões da Galáxia Vol. 2. Após isso, finalmente vimos o conteúdo exclusivo: três cenas inéditas de Guardiões da Galáxia: 
- A primeira delas foi uma extensão da cena onde os heróis encontram com Ayesha, a líder dos soberanos;
- A segunda cena foi uma onde os Guardiões estão indo embora do planeta do Soberanos e percebem que vão ser atacados por um frota de naves;
- E a terceira foi uma cena de ação envolvendo o Rocket Racoon, o Baby Groot e o Yondu.

5 - Porradaria Geek - Matando Robôs Gigantes. (Auditorio Ultra).


O último painel que eu assisti foi no outro auditório e contou com a presença dos hosts do Matando Robôs Gigante: Didi Braguinha, Affonso Solano e Roberto Estrada e era, basicamente, uma batalha de argumentos para decidir quem venceria em vários crossovers escolhidos pelo público. Agora imagine como seria pensar um luta entre a She-ra e o Cthulhu? Ou que tal Deadpool contra Maximus de Gladiador? Quem você acha que vence numa batalha entre a Sarah Connor e a Imperatriz Furiosa? Para aqueles que davam as melhores ideia de batalhas ou os melhores argumentos, eram entregues alguns prêmios (em geral quadrinhos ou cortesias de cinema. Ganhei uma!!!!!).

Ufa... Foi muita coisa, não? Mas pera que ainda tem mais... Temos uma nova promoção e o prêmio vem direto do Artist's Alley da CCXP Tour.


O que acontece quando a força da Mônica não tem muita utilidade para resolver uma situação? Sempre que é preciso, a Mônica usa sua força para resolver os problemas. Agora, terá que enfrentar o maior deles. E não poderá ser na base da coelhada. Em Força, Bianca Pinheiro faz a principal personagem de Mauricio de Sousa (e do quadrinho brasileiro) encarar o grande desafio de sua vida, numa história tão dolorida quanto emocionante.
Concorra a HQ Mônica: Força autografada.

Regras
1. Residir ou ter endereço de entrega no Brasil;

2. Curtir a página do blog Garota Pai D'égua;

3. Seguir o Instagram do blog (https://www.instagram.com/garotapaidegua/)


3. Compartilhar a imagem da promoção (publicamente) (https://goo.gl/1p7Nb0)

4. Marcar dois amigos nos comentários da imagem da promoção (https://goo.gl/1p7Nb0)

5. Clicar no link https://www.sorteiefb.com.br/tab/promocao/636907 e depois em quero participar.

Observações: 
1. Apenas um vencedor
2. Caso o vencedore não tenham cumprido alguma regra, será escolhido um novo;
3. O blog tem até 30 dias para o envio dos prêmios;

Não Percam!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo