terça-feira, janeiro 31, 2017

Eu Li: A Rebelde do Deserto - #1 - Alwyn Hamilton

Título: 
A Rebelde do Deserto
Autor: 
Alwyn Hamilton
Editora: 
Seguinte
Série: 
A Rebelde do Deserto

Adicione ao Skoob

O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher.

Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele.

Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por lhe revelar o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.

“A Rebelde do Deserto” traz uma história cheia de aventura, mística e com aquela dose de romance que todo mundo adora. Alwyn Hamilton cria um ambiente diferente, personagens cheios de coragem e habilidades interessantes, além de um mundo de fantasia muito próprio, onde a vida no deserto se entrelaça com revoltas políticas e magia. 

A Vila da Poeira é uma cidade feita para homens, e homens que sejam fortes e saibam controlar as mulheres. Amani Al’Hiza sabe que o destino dela é casar ou morrer e vai fazer de tudo para mudar a trajetória de sua vida e escapar do lugar maldito onde mora. 

Tendo em vista apenas o dinheiro para ir para Izman, a cidade das histórias de sua mãe, e possuindo uma perfeita mira para tiro, ela resolve entrar em uma competição vestida de garoto, cobrindo todo seu corpo e rosto e mostrando apenas seus olhos azuis e surreais. 

É nessa competição que ela conhece Jin, um cara misterioso e estrangeiro, que possui também uma boa mira e deseja sair da Vila da Poeira tanto quanto ela. Amani acredita então que Jim é sua chance de se livrar do inferno em que se encontra e faz de tudo para que o menino seja obrigado a leva-la com ele. Amani só não sabia onde estava se metendo. 

Amani é meio que uma cinderela do deserto, mas ela está bem longe de ser uma princesa. Sua mãe morreu e ela vive agora com seus tios, que são horríveis, ela precisa então fugir da Vila da Poeira o mais rápido possível, antes que seu tio encontre alguém com quem ele deseja que ela case e sua vida fique ainda mais miserável. 

O sonho de Amani é ser a dona do próprio nariz, fazer escolhas próprias, mesmo que essas sejam horríveis e ela é durona o suficiente a ponto de trair, mentir, roubar e enganar. Não parece lá uma personagem muito louvável não é mesmo? Mas o deserto ensinou ela que a vida é dura e que não é só através de seu desempenho com uma arma que ela vai conseguir o que quer. 

Jin é um cara com um propósito, você só não sabe que propósito é esse. Até onde os olhos alcançam, ele é apenas um criminoso fugindo da lei e isso não poderia ser mais perfeito. Ele e Amani formam uma ótima dupla, mesmo que a confiança entre ambos esteja longe de acontecer. Mas a conexão está ali, inabalável. Aquele fogo que a gente vê apenas em alguns personagens é bem claro entre os dois. Com quatro capítulos eu acho que já dá pra shippar bastante heim? 

Jim é sarcástico, engraçado e está ali, uma força a mais para ajudar Amani na busca pela liberdade. Em meio ao deserto, segredos são revelados, bestas místicas são encontradas e o que eram apenas histórias fantásticas como os Djinni podem ser mais reais do que se pensa. 

A Rebelde do deserto foi uma ótima leitura com diversos pontos fortes. Acredito que apenas o ritmo rápido demais da narrativa causou um problema. Em alguns momentos eu queria apenas mergulhar mais naquele mundo e ficar cativa nele, infelizmente não foi dessa vez e a história é tão incrível e nova que merece mesmo uma maior explicação. Espero ansiosa o segundo livro da série, que eu acredito que será ainda melhor. 



  

sexta-feira, janeiro 27, 2017

Doramaniacos

Olá pessoassssss...vamos começar o ano com novidades?

No ano passado alguns amigos leitores descobriram que além de uma bookaholic blogueira apaixonada, também sou uma dorameira, que vem a ser uma pessoa (super viciada = meu caso) que gosta de doramas. Não sabe o que são doramas? Por isso não! Basta clicar aqui, e você será encaminhado a um post antigo, de abril de 2015, meu da coluna #PENSANDOBEM onde eu explico genericamente o que são doramas.

E esses leitores que descobriram isso (seus lindos) acabaram se revelando dorameiros vorazes e as vezes me perguntam sobre dicas e conversam comigo sobre alguns que ainda não vi... me marcam no instagram com imagens, e por aí vai...e tudo ia bem...até o dia que eles passaram a pedir eventos de doramas.

Aí já viu né...quando encontramos alguém que curte as mesmas coisas que a gente, ainda mais se tratando de doramas...aí reagimos como esse gif ao lado! Fiquei super empolgada em tentar fazer eventos sobre o tema, como o pessoal pediu e tals... mas fiquei um bom tempo pensando como fazer esses eventos com o apoio do blog?

Então no início desse ano quando reunimos os nossos colunistas para uma reunião de planejamento e estávamos a procura de novidades, eis que perguntei se não poderia ter uma coluna sobre Doramas, e sugestões minhas e dos leitores sobre alguns que poderiam ser apresentados no blog. E não é que descobri dentro do blog outras dorameiras? #MORRIDA  #VIVIANSUALINDA

Obrigada a todos que vem surtando comigo com doramas. E por continuarem alimentando esse vício...rsrsrs...e pedindo eventos!

Em especial obrigada por ouvirem os meus áudios e vídeos cheios de spoilers e gritos surtados ao grupo Sofrência Dorameira...Jubs, Luh e Everton... assistir doramas nunca mais foi o mesmo desde que encontrei/viciei vocês.

Agradecimentos a parte, precisamos esclarecer alguns detalhes dos posts sobre doramas. Vamos lá?

Quando vão acontecer as postagens?

Vou fazer um mega esforço para que sejam posts quinzenais.

Vão falar só de doramas?

Doramaniacos é o termo que estou usando de forma BEEEMMMM genérica para novelas e séries asiáticas no todo, então pode rolar K-dramas, C-dramas, J-dramas, TW-dramas, TH-dramas, sendo estes dois últimos Lakorns...mas ok!

Os leitores podem sugerir doramas?

CLARO QUE SIM...se eu já tiver visto...posso vir a fazer post tranquilamente. Vocês podem ir no instagram do blog (@garotapaidegua) e me mandar mensagens com sugestões, ou colocar nos comentários do post.

Vocês vão colocar os links aqui no blog para baixar ou assistir?

Infelizmente não, mas a maioria deles pode ser encontrada facilmente no google.

Observações particulares:

  1. Posso indicar doramas sem legendas - Porque as vezes estou tão alucinada em assistir logo o dorama que assisto sem legenda mesmo;
  2. Não vai ter spoillers berrantes...só os mínimos aceitáveis;
  3. Não vai ter só doramas atuais nessa coluna;
  4. Se preparem porque vou colocar vários gifs...kkkk
  5. Pretendo colocar as sinopses e dados principais dos doramas assim como comentários meus sobre.

Então espero que vocês tenham gostado dessa surpresa reservada para 2017!

Até o próximo post...bjus!

quarta-feira, janeiro 25, 2017

[Resultado] Promoções Sonata em Punk Rock e Luz: O Deus do horror

Olá pessoal, vamos ao resultado das nossas promoções?
Primeiramente temos a promoção de Luz: o Deus do horror de Andrei Simões que nós resenhamos bem AQUI 



Na postagem tivemos cinco comentários participantes da promoção que foram numerados conforme a seguir:

1 - Keila Ionara
2 - Erika Farias
3 - Carla Lobato
4 - Stéphannie Serique
5 - Thyago Santos

Fizemos o sorteio pelo Random e:


Ou seja, Carla Lobato, parabéns! Envie seu contato para o email garotapaidegua@hotmail.com ou entre em contato através do facebook até o próximo sábado as 23:59.

E agora a segunda promoção de Sonata em Punk Rock da Babi Dewet, que nós resenhamos AQUI


Esse sorteio foi realizado através do Sorteie.me no facebook. O resultado pode ser conferido AQUI . A ganhadora do livro autografado é Franciele Santos. Assim como na promoção anterior  Envie seu contato para o email garotapaidegua@hotmail.com ou entre em contato através do facebook até o próximo sábado as 23:59.

É isso, pessoal. Até a próxima. Não percam as postagens e resenhas porque temos várias promoções muito boas vindo por aí.

segunda-feira, janeiro 23, 2017

Eventos Literários em Belém


Oi pessoal...vamos começar os trabalhos em eventos literários deste ano? 2017 começou um dia desses e já começou muito bem para os fãs de eventos literários em Belém. Neste último fim de semana aconteceram 3 eventos literários. Você ficou sabendo? Não? Como assim amigo? Tem que ficar mais esperto junto ao instagram dos blogs de Belém.

Muita coisa legal rolou nesses eventos. Infelizmente não tive a oportunidade de ir a todos #CHORO mas não quer dizer que não estarão representados aqui, por meio de fotos. Vamos aos detalhes:

DIA 21: Café com livro: Empíreo
Foto: Francisco Neto (Sooda Blog)

Fernanda Karen representando o nosso amado blog na livraria Fox, esteve mediando o evento com a presença de autores paraenses que são publicados pela nossa parceira a Editora Empíreo, conversando um pouco sobre as novidades que podemos aguardar da editora, sobre os livros deles e respondendo perguntas dos fãs, assim como organizando os sorteios de livros e brindes enviados pela editora.

Como podemos ver, já começamos bem o ano...com direito a autores presentes e tudo! #UHUUU

DIA 22: Lançamento de ´´Crave a marca`` de Veronica Roth
Foto: Francisco Neto (Sooda Blog)

Os fãs de Veronica Roth também começaram o ano extasiados pela oportunidade de continuar embarcando em aventuras épicas através das palavras da autora. Neste último domingo na livraria Saraiva do Shopping Boulevard aconteceu o encontro de fãs da autora organizado pela editora Rocco e mediado pelo Lucas Ribeiro, para comemorarem juntos o tão aguardado lançamento do livro ´´ Crave a marca``.

DIA 22: Bate Papo: Livros para Jovens Adultos. Especial Globo Alt.
 
 Foto: Francisco Neto (Sooda Blog)

Ontem também aconteceu o primeiro evento literário do nosso amigo Sooda Blog na livraria Saraiva do shopping Boulevard, e em parceria com e editora Globo. Como sempre o pessoal do blog arrasou com o evento, com já se era esperado...rsrsrs... lotando a entrada da loja com vários fãs de livros Young Adult/New Adult/ Jovens Adultos.

O Blog Pausa Para um Capítulo, representado pela amiga Carol Lima, foi nos banquetear com alguns livros que já entraram para a minha lista de 2017 para ler. Porque né? Quem não ama livros cheios de clichês de vez em quando?

Também fui convidada para falar um pouco (mentira que falei horrores) dos livros da autora Leisa Rayven:
  1. Meu Romeu;
  2. Minha Julieta;
  3. Coração Perverso.
Espero que tenha conseguido viciar mais algumas pessoas nesses livros, porque definitivamente os livros merecem esse destaque.

Tivemos a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o selo Globo Alt da editora Globo, e tivemos acesso aos nomes de alguns livros a serem lançados este ano pela editora. Se você não foi, fico triste por isso. Os novos títulos são muito promissores.

Mas não fica triste não, que o Sooda Blog se comprometeu a divulgar depois essas informações no blog, então fica ligado! 


Espero que tenham gostado do resumo do fim de semana, e fiquem espertos sobre datas e horas dos eventos futuros, não quero saber de ninguém perdendo eventos porque não sabia da existência deles.

Beijos...e até o próximo post!

sexta-feira, janeiro 20, 2017

Eu Li: Sing - Vivi Greene

Título:
Sing
Autora:
Vivi Greene
Editora:
Harper Collins Brasil

Adicione o Skoob


A cantora premiada e ícone do pop Lily Ross apresenta seus maiores hits e piores foras (porque para ela são sinônimos):
1. Agonia (O que sentiu quando o ex partiu seu coração em pedacinhos e ela nem sabia o que estava acontecendo.)
2. Fantasmas (Porque até pessoas famosas sofrem com namorados que simplesmente desaparecem. E é horrível da mesma forma.)
3. Gato Escaldado (Do ditado: “tem medo de água fria”. Ou seja, ela nunca mais vai sair com um ator ou músico na vida.)
Mas este verão será diferente. Depois de ter seu coração partido mais uma vez, Lily precisa se afastar dos holofotes, e uma viagem com as melhores amigas parece perfeita. Três meses em uma ilhota perdida no litoral do Maine, com foco total em si mesma, sua música, seu novo disco... Tudo menos garotos. Isto é, até que Lily conhece Noel Bradley, um cara doce, simples e completamente diferente de todos os homens com quem ela já saiu. De repente, o “verão da Lily” dá um giro de cento e oitenta graus, e ela se vê envolvida em uma paixão de verão arrebatadora e inesquecível. O problema é que Noel não está interessado na vida de celebridade, e embora Lily o ame, ela também ama sua música, sua vida e seus fãs. Mais cedo ou mais tarde, ela vai ter que escolher...
Oi gente, como estamos? 

Bom, para você que começou o ano e já está pedindo sugestões de livros diferentes para ler, curar uma ressaca literária ou quer tentar um livro leve dentro do gênero romance? Então atenção a resenha de hoje, pois esse livro é o que você necessita!

Lily Ross é uma jovem mulher que desde cedo sabia que seu relacionamento com a música seria algo muito maior e significativo em sua vida. Em algumas partes do livro ela lembra como foi incentivada desde cedo a tocar instrumentos por seus pais, e como também neste período as letras das músicas começaram a rondar a sua cabeça, e ela tinha que colocar em seu diário músicas que eram parte do coração de Lily.

Nem preciso dizer que a Lily cresceu e conseguiu realizar seu sonho de fazer parte desse mundo glamoroso e pouco reservado da música. Atualmente como cantora pop premiada ela continua colocando partes de seu coração nas músicas e esse é um dos diferenciais dela nesse mundo competitivo, ela nunca canta sobre algo que não sente\vivi. Procurando sempre deixar os fãs felizes ela vivi em prol dessa vida.

Só tem um problema em viver essa vida atualmente... as músicas de Lily são sobre seus relacionamentos maravilhosos e sobre seus términos trágicos. O público já espera por isso nas músicas dela. E ela acredita que seu novo álbum ´´Para Sempre`` vai ser diferente, pois foi inspirado no relacionamento dela com Jed um outro cantor famoso, pois eles se completam, são o casal perfeito, ambos são músicos e entendem a vida e limitações do mundo do outro. E tudo ia bem, até que Jed chamou Lily para ir jantar...e de quebra termina com ela.  

Então Lily passa a refletir sobre o teor de suas músicas, também percebe que o termino com Jed nem doeu tanto assim, e que as músicas marcantes sobre termino, superação e Girls Powers não estão vindo a sua mente. Pensando nisso e juntamente com suas assistentes, e melhores amigas desde sempre Sam e Tess, na varanda de sua casa elas decidem fazer algo diferente no verão.

Tess declara que comprou a casa de seu avô em uma ilha afastada do continente e convida Lily e Sam para passarem os 3 meses de folga antes da maratona intensa de lançamento do álbum ´´Para Sempre`` lá, para recordar dos dias em que viviam no acampamento quando eram mais novas. Lily aceita pois em sua mente acredita que pode usar esse tempo para escrever outras músicas e fazer um novo álbum para não precisar lançar o que foi inspirado em Jed.

Nessa ilha elas descobrem o paraíso na terra. Um lugar pacato e tranquilo que parece não ligar muito por Lily Ross estar se escondendo lá dos holofotes e das matérias infames sobre o termino com Jed. Parecem não ligar...até o dia em que acidentalmente Lily bate na caminhonete de um lindo, rústico e charmoso jovem pescador/surfista. A princípio Lily pensou que ele não tinha reconhecido ela, o que não se revelou verdade posteriormente. Mas o que ela achou estranho é que por mais que ele soubesse quem ela era, ele tratou ela normalmente.

É possível ver que a Lily Ross faz o esforço imenso de não se apaixonar instantaneamente pelo Noel, o jovem pescador da caminhonete batida, mas como ela mesma diz em algumas partes do livro, as pessoas têm diversificados vícios, porem o vício dela é se apaixonar. Então já imaginamos onde essa história com Noel vai.

O livro todo te mostra algumas das facetas do amor versão Lily Ross, pois ela ama o que faz, ama sua equipe, sua família, seus fãs, suas letras...e por aí vai. Achei o livro muito bom para refletir o sentido do amor em várias partes da vida. E conviver nessa ilha mágica e com Noel está fazendo Lily perceber que o amor pode ser muito mais transcendental do que só o vivido por ela. 

Jamais poderia imaginar que não é preciso mudar drasticamente um personagem para fazer com que ele amadureça, e reafirmo aqui que o amadurecimento da Lily foi incrível e comovente!

Fiquei encantada com a leveza e a mensagem do livro. Há quem diga que o livro conta a história da Taylor S. mas depois que digeri o livro a história acabou se tornando uma reflexão linda, e acho que o Noel não ajudou só a Lily a ver o amor em outros lugares.

E te garanto que a música final desse show vai arrancar suspiros, pois você jamais imaginaria que o livro terminaria desse jeito! Então fica a dica, espero que vocês gostem do livro tanto quanto eu!

Obrigada mais uma vez a autora/blogueira/diva Frini Georgakopoulos e a Editora Harper Collins poer mais essa oportunidade de resenhar um livro que me surpreendeu do início ao fim. Eu simplesmente amo quando o livro consegue fazer isso! 

Beijos e até o próximo post!

quarta-feira, janeiro 18, 2017

Eu Li: Eldest - Ciclo da Herança #2 - Christopher Paolini


Título: aEldest
Autor:
Christopher Paolini

Editora:
Rocco

Série:
Ciclo da Herança

Adicione ao Skoob 
Eldest acompanha o amadurecimento do jovem guerreiro protagonista da história. A narrativa começa três dias após a cruel batalha travada por Eragon para libertar o Império das forças do mal. O Cavaleiro de Dragões se vê envolvido em novas e emocionantes aventuras. Em busca de um tal Togira Ikonoka, O Imperfeito que é Perfeito, que supostamente possui as respostas para todas as suas perguntas, Eragon parte, junto com Saphira, o dragão azul que o acompanha desde o início da aventura, para Ellesméra, a terra onde vivem os elfos. Lá, eles pretendem aprender os segredos da magia, da esgrima e aperfeiçoar o seu domínio da língua antiga.

Eldest é o segundo livro do Ciclo da Herança e essa resenha pode conter alguns spoilers do primeiro livro. Para entender melhor do livro que estamos falando, sugiro que você leia a resenha de Eragon, AQUI.

Para facilitar o entendimento, sempre vale a pena ter esse mapa
A trama de Eldest começa três dias após o final de Eragon. Após uma batalha ferrenha contra os Urgals, comandados pelo espectro Durza, na capital dos anões, dentro das montanhas Beor, Eragon conseguiu ajudar os anões e os Varden a defenderem a capital, Farthen Dûr. Eragon, no entanto, não está exatamente satisfeito com a vitória, pois percebeu que está muito fraco. Apesar de ser um Cavaleiro do Dragão, apenas conseguiu vencer Durza por pura sorte e, mesmo assim, foi gravemente ferido. Enquanto estava inconsciente, após a batalha, ele recebeu uma mensagem de um ser desconhecido que se denomina Togiro Ikonoka (o imperfeito que é perfeito). Esse ser lhe informa que ele deve ir a capital dos elfos, Ellesméra, para receber um treinamento completo como um Cavaleiro do Dragão.

Ao mesmo tempo, outra trama também é desenvolvida: Roran, o primo de Eragon que permaneceu em Carvahall, na Espinha, está passando por vários problemas por seu parentesco com o cavaleiro do dragão. Galbatorix enviou vários serviçais (os Ra'Zac) à Carvahall, para capturar o primo de Eragon e usá-lo como ferramenta de barganha. Entretanto, Roran consegue convencer os moradores do povoado a fugir dali e tentar encontrar o Varden, os único que conseguem fazer frente a Galbatorix. Porém, durante a fuga, os Ra'Zac conseguem capturar sua noiva, Katrina.

Com as duas tramas se alternando (a viagem de Eragon a Ellesméra e seu treinamento e a viagem de Roran com o povo de Carvahall para Surda) e mais algumas ótimas subtramas, Eldest prossegue maestralmente com a história da Alagaësia e dos cavaleiros do dragão.

Ninguém pensa em si próprio como vilão e poucos tomam decisões que julgam ser erradas. Uma pessoa pode não gostar de sua escolha, mas a defenderá o tempo todo porque acredita que é a melhor opção disponível no momento

Eldest tem um mérito muito grande, como o segundo livro de uma série: ele consegue manter o ritmo dos acontecimento que tínhamos no primeiro livro e ainda consegue aumentar a quantidade de subtramas, todas muito boas. Primeiro, temos as duas tramas principais, já destacadas; temos ainda, a paixão de Eragon e a elfa Arya, as tramas internas da política dos Varden, os conflitos entre clãs de anões, a rainha dos Elfos, Islanzadí e a melhor de todas as subtramas que é a história do Murtagh. 

Murtagh e Eragon se conhecem na viagem pelo deserto que ocorreu no primeiro livro. Ele é filho de um dos Renegados (os cavaleiros traidores que seguiam Galbatorix) e durante a batalha final do primeiro livro, ajuda os Varden até a vitória. Entretanto, logo no início de Eldest, Eragon descobre que o amigo desapareceu e essa subtrama é totalmente esquecida por um tempo. Mas, um dos maiores talentos de Christopher Paolini é trazer essas subtramas que aparentemente não tem tanta importância como algo importante do plot principal (que obviamente não direi o que é). 

Além disso, temos todo o treinamento de Eragon para se tornar um verdadeiro Cavaleiro do Dragão, aprendendo desde a luta com espada até a habilidade mágica com a língua antiga. Quando se revela o segredo sobre o seu mestre que está em Ellesméra (Togira Ikonoka) e se descobre exatamente que ele é, minha cabeça explodiu: é um baita de um plot twist. O autor também conseguiu manter o nível das batalhas, que se mantém num nível mais pé no chão, quando envolvem apenas Roran e os habitantes de Carvahall contra os servos de Galbatorix (claro, todos são apenas humanos), mas vai num crescente quando envolvem Eragon e Saphira.

Novamente temos um texto bem dinâmico de Christopher Paolini: Eldest tem 656 páginas, mas, assim como Eragon, é extremamente denso. As tramas se intercalam muito bem e em nenhum momento o livro fica chato. Até o problema que existia no livro anterior com a dificuldade de descrever as batalhas melhorou bastante aqui. Todas as lutas são muito boas e, algumas delas, épicas.

Enfim, Eldest consegue levar em diante a trama do Ciclo da Herança muito bem e consegue melhorar os pontos fracos do primeiro livro.

sexta-feira, janeiro 13, 2017

Eu Li: Sonata em Punk Rock - Babi Dewet

Título:
Sonata em Punk Rock
Autora:
Babi Dewet
Editora:
Gutenberg
Série:
Cidade da Música #1

Adicione ao Skoob

Por que alguém escolheria uma orquestra se pode ter uma banda de rock? Essa sempre foi a dúvida de Valentina Gontcharov. Entre o trabalho como gerente do mercado do bairro e as tarefas de casa, o sonho de viver de música estava, aos poucos, ficando em segundo plano. Até que, ao descobrir que tem ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, o conservatório de música mais famoso do país, a garota tem a chance de seguir uma nova vida na conhecida Cidade da Música, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos.No conservatório, Tim, como prefere ser chamada, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz, mesmo que isso signifique dominar o tão assustador piano e abraçar de vez o seu lado de musicista clássica. Só que, para dificultar ainda mais as coisas, o arrogante e talentoso Kim cruza seu caminho de uma forma que é impossível ignorar.
Em um universo completamente diferente do que estava acostumada, repleto de notas, arpejos, partituras, instrumentos e disciplina, Valentina irá mostrar ao certinho Kim que não é só ele que está precisando de um pouco de rock’n’roll, mas sim toda a Cidade da Música.
Olá gente bonita, vamos de livro nacional?

Quem aí já ouviu falar da linda e diva Babi Dewet? Quem acompanha o instagram do blog viu que ela esteve em Belém esse semestre e deixou um vídeozinho muito fofo para os fãs paraenses dela. Se você ainda não viu, corre no nosso insta! Bem, esse ano ela lançou o tão esperado livro Sonata em Punk Rock, e estou aqui hoje para compartilhar a minha experiência lendo meu primeiro livro dela!

Bom vamos direto ao ponto...o livro conta a história da Valentina, ou Tim, pois é como ela gosta de ser chamada, uma garota que ama punk rock, tem muito estilo e personalidade, assim como ela tem uma mãe que batalha diariamente para que elas possam ter uma vida confortável e de quebra tem um pai que é mundialmente famoso no meio da música clássica e que nunca foi um pai de verdade para Tim pois ele nunca reconheceu ela como filha fora da certidão de nascimento.

Infelizmente para o pai dela, e felizmente para Tim ela nasceu como que chamam no meio da música como 'ouvido absoluto'...que é a capacidade de escutar uma música ou melodia e identificar notas e reproduzir a música no instrumento, e foi assim que ela aprendeu a tocar violão e guitarra. Acredito eu que todo o músico clássico gostaria de ter nascido (ou não) com essa habilidade.

Valentina podia muito bem, com essa habilidade, montar sua própria banda de punk rock, e olha que ela tentou...até os ouvidos dela sangrarem de tanto que ela ouvia suas colegas em desarmonia na banda. Em off, não contou nem para a mãe nem para a melhor amiga, que ela acabou se inscrevendo para tentar uma vaga na cidade da música, como é chamada a escola de música mais famosa do Brasil, e reconhecida no mundo todo. Essa escola é tão grande e famosa que acabou virando uma cidade universitária onde vários estilos de música, instrumentos e dança se encontram.

A mente da Valentina começa a entrar em crise um dia quando ela recebe uma carta de felicitação da escola dizendo que ela foi aceita, e não muito tempo depois recebe a visita de seu 'pai' dizendo que recebeu uma ligação da escola para saber se ele tinha alguma relação com a Valentina pois ambos possuíam o sobrenome Gontcharov, e ele disse que ela era filha dele. Ele também ficou muito surpreso em saber que possuía uma filha com o ouvido absoluto e tanto talento, pois que o filho de seu relacionamento atual, por mais que ele insistisse em práticas musicais constantes, não possuía aptidão para a música como o pai e a meia irmã.

Tim repudia o pai, mas não pôde deixar a oportunidade de seguir o seu sonho por orgulho e capricho. Desta forma ela parte para acidade da música disposta a mostrar qual o valor do rock'n'roll. Logo de cara ela se destaca pelo perfil e estilo...mas também conhece algumas pessoas que são promissoras para se tornarem amigos dela, assim como conhece um roll inesgotável de pessoas ainda mais babacas...

E tudo ia bem até que ela teve a 'infelicidade' de esbarrar em um asiático (ele é Coreano...ai meu coração) muito gostoso e bêbado nos corredores da escola, e teve que socorrer ele porque é o que uma pessoal legal faria, mesmo ele sendo um idiota algumas vezes durante esse momento. E assim Tim conheceu o Kim, o maior astro da escola, um pianista clássico perfeito em tudo, e filho adotivo da diretora, e essa mulher mais parece a Cruela Devil!

Kim é um jovem adulto acostumado a ser o príncipe sempre por sua grande habilidade junto ao piano. Em grande parte do tempo ele parece esnobar a maioria das pessoas exceto os dois parasitas que sempre estão ao seu redor e são de duas famílias muito distintas, e que ele precisa socializar a pedido da mãe. Mas na verdade Kim tem sérios problemas para se concentrar e recordar as notas e partituras. Ele constantemente precisa tomar remédios para dormir que ele insiste em tomar misturado com álcool. E foi em um desses dias difíceis para ele que a Tim resgata ele no corredor.

Tim e Kim são totalmente opostos um do outro...ele é clássico, ela é rock...ele tem dificuldade em se concentrar, ela tem ouvido absoluto...ele toca piano desde que se entendo por gente, ela escolheu o piano agora e precisa da ajuda dele para dominar o instrumento e mostrar ao mundo do que ela é capaz. E em meio a muito barulho Kim acaba aceitando dar aulas a Tim sobre o piano.

Valentina era diferente, Kim não sabia como ela conseguia, mas toda vez que ela estava próxima dele a mente dele se acalmava...e daí temos um Coreano muito gato lutando contra sua aparente dependência física e mental da presença da Valentina. Nem preciso dizer que no decorrer da história eles acabam engatando um romance, porque né gente? Tá na cara...mas para meu primeiro livro da Babi, eu achei ele surpreendente.

Ele realmente me deixou surpresa com a maturidade da Valentina em decisões tão adultas, por vezes eu ví no livro a Valentina aplicando o conceito de Sororidade, que é a empatia e companheirismo entre as mulheres por objetivos em comum, como quando a Tim conhece a ex do Kim...e mesmo essa ex sendo um pouco vaca, a Tim foi muito madura para olhar também o lado dessa ex e aconselhar ela a sair dessa e se valorizar. E nem preciso dizer que para mim, uma viciada em doramas e lakorns, ter um personagem principal Coreano (oppa) foi perfeito! Eu ainda não tinha lido um livro onde pudesse encontrar um oppa tão parecido com os do doramas que vejo...obrigada Babi...

E para compartilhar com vocês minha experiência lendo esse livro, que tal participar de um sorteio? Para participar basta clicar aqui na palavra Sorteio e você será direcionado para a página onde poderá se inscrever e participar!

Enfim...espero que vocês tenham gostado do livro e da resenha, boa sorte aos participantes do sorteio... e até o próximo post!

Beijos!


quinta-feira, janeiro 12, 2017

Eu Li: Simon vs. a Agenda Homo Sapiens - Becky Albertalli


Título:Simon vs. a Agenda Homo Sapiens
Autora:
Becky Albertalli

Editora:
Intrínseca

Adicione ao Skoob

Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte. 
Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar. 
Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu.
Uma história que trata com naturalidade e bom humor de questões delicadas, explorando a difícil tarefa que é amadurecer e as mudanças e os dilemas pelos quais todos nós, adolescentes ou não, precisamos enfrentar para nos encontrarmos.

E vamos mais uma vez de Young Adult? E esse tem a temática GLBTQ+.

Simon é um adolescente como qualquer outro. Ele tem plena consciência de que é gay, mas ainda não revelou isso para ninguém. Quer dizer... Ninguém que ele conheça pessoalmente, porque Blue (seu grande e desconhecido amigo, com o qual troca emails) sabe de tudo e um pouco mais. A relação dos dois é tão próxima e Blue sabe tanto da vida de Simon, que algumas vezes seu coração bate até mais forte pelo amigo virtual.

Entretanto tudo pode ser posto a perder quando Martin (um colega de escola) lê alguns emails trocados com Blue e resolve chantagear Simon, ameaçando revelar seu segredo. A chantagem cínica (Martin fala como se estivesse pedindo um favor e não ameaçando) consiste em que Simon faça com que Abby (uma de suas melhores amigas) se aproxime mais e tenha interesse em Martin. Com seu segredo em risco, tentando descobrir a verdadeira identidade de Blue e tendo que lidar com toda a chantagem do colega de escola, Simon está totalmente fora de sua zona de conforto e vai ter que descobrir uma forma de sair dessa bagunça.

Você não acha que todo mundo deveria ter que sair do armário? Por que o comum é ser hétero? Todo mundo deveria ter que declarar o que é.

Simon vs a Agenda Homo Sapiens é aquele livro que sabe bem abordar um tema sensível (homossexualidade e descoberta adolescente) de uma forma bem leve e com personagens bem cativantes. O Simon é aquele adolescente padrão: alguns dramas diários, um crush virtual (no caso o Blue), vários altos e baixos na vida escolar e o problema de ter que lidar com o chantageador chato do Martin. A questão toda de revelar ou não para todos se é gay, não chega a ser tratada por ele como um problema. O problema mesmo é por que ele tem que "sair do armário"? Por que isso tem que ser uma "agenda homossexual" e todos os que não se encaixam no padrão hétero tem que passar por essa experiência? Tudo isso culmina num diálogo genial que ele e Blue tem por email:

(...)
É mesmo muito irritante que hétero (e branco, diga-se de passagem) seja normal e que as pessoas que precisam pensar sobre sua identidade sejam só aquelas que não se encaixam nesse molde. Os héteros deviam mesmo ter que sair do armário, e quando mais constrangedor fosse, melhor. O constrangimento devia ser obrigatório. Seria essa a nossa versão da Agenda Homossexual?
(...)
Agenda Homossexual? Não sei.
Acho que está mais para Agenda Homo Sapiens.

A ideia por trás de toda a trama é genial. Por outro lado, a execução em si tem seus altos e baixos. Alguns trechos são um tanto arrastados. As vezes a autora mergulha tanto no drama adolescente de Simon que acaba ficando um tanto repetitivo. Mas isso é sempre compensado com os capítulos em que ele está trocando emails com Blue (todos são bem engraçados e/ou interessantes). A resolução da trama é um tanto previsível também e acaba caindo em alguns clichês, mas nada que prejudique demais. 

Os personagens que estão em volta da vida do Simon também são bem interessantes e trazem um extra pra história. Toda a parte da trama em que ele tem que lidar com seus amigos e refletir sobre se revelar para eles e para quais deles é um dos pontos altos do livro. Os personagens da família dele também são ótimos. A melhor de todas é sua irmã, Nora: todos os diálogos entre eles são impagáveis.

No final das contas, descobrir quem é o Blue acaba sendo uma história secundária (pelo menos pra mim foi) e acaba não fazendo tanta diferença na reflexão principal. É um livro bem interessante e engraçadinho, mas fiquei com a sensação de que a sinopse prometia mais do que foi entregue. Mas, recomendo a leitura a todos.

segunda-feira, janeiro 02, 2017

Eu Li: Ligeiramente Pecaminosos - Mary Balogh

Título:
Ligeiramente Pecaminosos
Autora:
Mary Balogh
Editora:
Arqueiro
Série:
Os Bedwyns #5

Adicione ao Skoob

Em meio à Batalha de Waterloo, lorde Alleyne Bedwyn é ferido e dado como morto pela família. Ao acordar, ele se vê no quarto de um bordel sem lembrar quem é ou como foi parar ali. Sua única certeza é que deseja conquistar o coração do anjo que cuida dele todo dia. Contudo, assim como ele, Rachel York não é quem parece. Depois de enfrentar uma situação difícil, que a levou a viver numa casa de pecados, agora a bela e inteligente jovem precisa recuperar seu dinheiro e as economias das amigas prostitutas, roubados por um falso clérigo. E o belo soldado de quem vem cuidando parece perfeito para se passar por seu marido e ajudá-la em seus planos. Porém, apesar de ter perdido a memória, Alleyne não perdeu nada de sua sedução. De volta a Londres, os dois se envolvem em um escândalo pecaminoso e, a cada beijo, esquecem que seu relacionamento é apenas uma farsa e ficam mais perto de se entregar à paixão.
Vamos começar os trabalhos do ano com um romance de época desses que adoramos? #Claro ou #VamosLogoComIssoAnne

Então, para quem ainda não conhece Os Bedwyns vamos nos situar um pouquinho pois a resenha de hoje se trata do penúltimo livro de uma série engraçada, divertida, pouco convencional, e com um nariz aristocrático. Esses livros contam as histórias de como cada um dos membros da família Bedwyn acabou tendo seus corações fisgados das formas mais diferentes e inesperadas possíveis. Os livros anteriores contam nessa ordem as histórias de: Coronel Lorde Aidan Bedwyn, o Cavaleiro Ranulf  (Ralf) Bedwyn, a intrépida Lady Freyja Bedwyn e Morgan Bedwyn. Mas, calma aí que apesar do ideal ser você ler eles em ordem, e é rapidinho pois até agora são 5 livros, eles são bem curtinhos, tipo 200 e poucas páginas. Você pode ler eles isoladamente, não me batam, não acredito que você vá ter um grande prejuízo na leitura, só não recomendo muito fazer isso de ler aleatoriamente os livros de Morgam e Alleyne pois são muito interligados.

Essa família, apesar de ser uma das, senão A mais poderosa, da sociedade aristocrática em Londres é também conhecida como uma família cercada de mistérios e com certas características únicas. O irmão mais velho deles Wulfric Bewcastle, que é o detentor do título, é uma figura bem magnânima e impõe aos irmãos certos ditames, como por exemplo: se eles casarem será uma viagem única, pois ele não aceita divórcios. Ele sempre consegue o que quer independente da escolha dos irmãos, ele é muito na dele, e consegue passar sua mensagem somente com uma olhada torta, ou seja, ele é assustador. Mas, o livro de hoje não é o de Wulfric, o dele é o próximo, chamado Ligeiramente Perigosos!

ALERTA DE SPOILER LEVE: No livro de Morgan, o Ligeiramente Seduzidos, ela e Alleyne estão em uma cidade próxima de onde está ocorrendo a batalha de Waterloo, e as repercussões da batalha estão cada vez mais próximas, e acontece uma coisa que acaba separando os irmãos e deixando Alleyne desaparecido, e depois de muito procurar, Morgan e sua família acabam dando por morto o irmão.

No livro Ligeiramente Pecaminosos, temos como ambiente inicial do livro o fim da batalha de Waterloo, quando eis que surge milagrosamente, mesmo que pelos motivos errados, a linda e correta Srta Rachel York em uma missão em meio aos corpos dos soldados na floresta que margeia os campos. O que ela jamais poderia imaginar é que o primeiro corpo que ela achou na floresta, não era bem um corpo morto...estava mais para um corpo lindo e nú...mas ainda sim vivo!

Ela faz um escândalo as margens da floresta para as pessoas que estão passando possam ajudar ela a socorrer aquele homem, mas ninguém dá ouvidos a ela...então como medida desesperada ela começa a gritar que ela achou o marido dela e ele só está desacordado e baleado. Assim as pessoas pararam e ajudam ela. Desta forma vamos descobrindo quem é Rachael York de verdade e quão sofrida tem sido a vida dela. E também descobrimos com uma moça ´´pura`` foi parar vivendo em um bordel com suas melhores amigas que são Ladys da noite!

Rachael fica de prontidão durante todo o tempo ao lado do mistérios o homem desacordado, até o dia que ele acorda e as senhoras descobrem que ele perdeu a memória. Elas passam a chamar ele de Jonathan Smith e durante a sua recuperação ele permanece com elas. No passar dos dias elas passam a desconfiar que Jonathan é algum filho aristocrático perdido na batalha e que o filho da mãe é muito sedutor, atraente e lindo. E por mais casta que ela seja, até Rachael percebe isso.

Jonathan e Rachael vão instintivamente se envolvendo até o dia em que algo novo acontece entre eles e tudo vem abaixo, distanciando eles de uma forma muito fria. Depois disso Jonathan, apesar de ainda muito machucado na perna devido ao tiro que levou, passa a se exercitar pela casa e começa a descobrir que mistérios rondam a senhorita Rachael.

ALERTA DE SPOILER LEVE: Na verdade ela é filha de uma aristocrata com um plebeu, que se casaram por amor. Mas no decorrer do tempo esse amor se provou não verdadeiro e após a morte prematura da mãe dela, o pai de Rachael passa a não ligar para a filha até a morte dele. Ela acaba descobrindo que a mãe deixou para ela algumas jóias valiosíssimas e ela precisa dessas peças para poder ajudar as suas amigas e criar uma vida para ela, sem depender de ninguém.

Para Rachel pegar as jóias ela tem que ter 25 anos ou estar casada com um homem que seu tio nobre aprove. Desta forma eis que surge a ideia de Jonathan de se passar pelo marido dela perante o tio para que ela possa pegar as jóias. Só que o tiro saiu pela culatra pois o tio, suspeitando que se tratava de uma farsa pediu que eles passassem o mês com ele para que o tio pudesse aprovar ou não Jonathan. 

Rachael e Jonathan passam a viver quase como um casal normal da época...quase! E as vezes eles acabam meio que se esquecendo que não são um casal de verdade e coisas começam a acontecer. Rachael começa a ficar cada vez mais próxima do tio também, e a mentira começa a ficar pesada demais para suportar.

O livro é cheio de altos e baixos, e a caçada a um certo vigarista é hilária. De todos os livros dessa série, esse é o que tem menos cenas hots e o que mostra mais a construção do novo casal. Percebi que a autora tentou segurar as pontas para não deixar o romance correr solto durante boa parte do livro, pois o Alleyne não tinha memória então ficava muito incerto ele se jogar em uma relação com Rachael, e foi lindo de ver quando ele recorda de tudo e literalmente se jogo em um relacionamento de verdade com Racahel. 

O livro teve um dos finais mais lindos que lí em muito tempo em um livro de época...desculpem o clichê mais o final foi muito épico!

Então, espero que tenham gostado da história e da resenha e até a próxima!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo