sexta-feira, janeiro 13, 2017

Eu Li: Sonata em Punk Rock - Babi Dewet

Título:
Sonata em Punk Rock
Autora:
Babi Dewet
Editora:
Gutenberg
Série:
Cidade da Música #1

Adicione ao Skoob

Por que alguém escolheria uma orquestra se pode ter uma banda de rock? Essa sempre foi a dúvida de Valentina Gontcharov. Entre o trabalho como gerente do mercado do bairro e as tarefas de casa, o sonho de viver de música estava, aos poucos, ficando em segundo plano. Até que, ao descobrir que tem ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, o conservatório de música mais famoso do país, a garota tem a chance de seguir uma nova vida na conhecida Cidade da Música, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos.No conservatório, Tim, como prefere ser chamada, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz, mesmo que isso signifique dominar o tão assustador piano e abraçar de vez o seu lado de musicista clássica. Só que, para dificultar ainda mais as coisas, o arrogante e talentoso Kim cruza seu caminho de uma forma que é impossível ignorar.
Em um universo completamente diferente do que estava acostumada, repleto de notas, arpejos, partituras, instrumentos e disciplina, Valentina irá mostrar ao certinho Kim que não é só ele que está precisando de um pouco de rock’n’roll, mas sim toda a Cidade da Música.

Olá, gente bonita! Vamos de livro nacional?

Quem aí já ouviu falar da linda e diva Babi Dewet? Para os que acompanham o instagram do blog viu que a autora esteve em Belém nesse semestre e deixou um vídeozinho muito fofo para os fãs paraenses. (Se você ainda não viu, corre no nosso insta!)
Esse ano Babi Dewet lançou o tão esperado "Sonata em Punk Rock" e estou aqui para compartilhar a minha primeira experiência com sua escrita!

O livro conta a história da Valentina, ou Tim - pois é como gosta de ser chamada -, uma garota que ama punk rock. A nossa protagonista tem muito estilo e personalidade, assim como tem uma mãe que batalha diariamente para que elas possam ter uma vida confortável. Ela também tem um pai que é mundialmente famoso no meio da música clássica; mas que nunca foi um pai de verdade para Tim pois ele nunca a reconheceu como filha, apenas na certidão de nascimento.

Infelizmente para o seu pai - e felizmente para Tim -, ela nasceu com o que chamam no meio da música como "ouvido absoluto", que é a capacidade de escutar uma música ou melodia, identificar as notas e reproduzir a música no instrumento. Foi assim que ela aprendeu a tocar violão e guitarra. Acredito eu que todo o músico clássico gostaria de ter nascido com essa habilidade, rs.

Valentina poderia muito bem, gravas a essa habilidade, montar sua própria banda de punk rock e olha que ela tentou... até seus ouvidos sangrarem de tanto que ouvia suas colegas em desarmonia. Em off, não contou para a mãe e nem para a melhor amiga, que acabou se inscrevendo para tentar uma vaga na Cidade da música, como é conhecida a escola de música mais famosa do Brasil e reconhecida no mundo todo. Essa escola é tão grande e famosa que acabou virando uma cidade universitária onde vários estilos de música, instrumentos e dança se encontram.

A mente da Valentina começa a entrar em crise no dia em que recebe uma carta de felicitação da escola anunciando que foi aceita. E mais! Algum tempo depois teve a visitinha de seu "pai" dizendo que recebeu uma ligação da escola para saber se ele tinha alguma relação com Valentina pois ambos possuíam o sobrenome Gontcharov, e ele disse que ela era filha dele. Seu pai também ficou muito surpreso em saber que possuía uma filha com o ouvido absoluto e tanto talento, pois o filho de seu relacionamento atual, por mais que ele insistisse em práticas musicais constantes, não possuía aptidão para a música como o pai e a meia irmã.

Tim repudia o pai, mas não pôde deixar a oportunidade de seguir seu sonho por orgulho e capricho. Desta forma, ela parte para a Cidade da música disposta a mostrar qual o valor do rock'n'roll. Logo de cara ela se destaca pelo perfil e estilo mas também conhece algumas pessoas que são promissoras para se tornarem amigos, assim como conhece um roll inesgotável de pessoas mais babacas ainda.

E tudo ia bem até que ela teve a "infelicidade" de esbarrar em um asiático (ele é Coreano, ai meu coração!) muito gostoso e bêbado nos corredores da escola, e ainda teve que socorrê-lo pois é o que uma pessoal legal faria, mesmo ele sendo um idiota, algumas vezes, durante esse momento. E assim Tim conhece Kim, o maior astro da escola, um pianista clássico perfeito em tudo e filho adotivo da diretora; e essa mulher mais parece a Cruela Devil!

Kim é um jovem adulto acostumado a ser sempre o príncipe por conta de sua grande habilidade junto ao piano. Na maior parte do tempo, parece esnobar todas as pessoas, exceto os dois parasitas que sempre estão ao seu redor e são de duas famílias muito distintas (e que ele precisa socializar a pedido da mãe). Mas, na verdade, Kim tem sérios problemas para se concentrar e recordar as notas e partituras. Ele constantemente precisa tomar remédios para dormir e insiste em misturá-los com álcool. Foi em um desses dias difíceis para ele que a Tim o resgata no corredor.

Tim e Kim são totalmente opostos. Ele é clássico, ela é rock; ele tem dificuldade em se concentrar, ela tem ouvido absoluto; ele toca piano desde que se entende por gente, ela escolheu o piano só agora e precisa da ajuda dele para dominar o instrumento e mostrar ao mundo o que é capaz. E em meio a muito barulho, Kim acaba aceitando dar aulas a Tim sobre o piano.

Valentina era diferente e Kim não sabia como ela conseguia, mas toda vez em que estava próxima dele, a sua mente se acalmava; e assim temos um coreano muito gato lutando contra sua aparente dependência física e mental da presença de Valentina. Nem preciso dizer que no decorrer da história eles acabam engatando um romance, porque, né?! Está na cara! Mas para minha primeira experiência com um livro de Babi Dewet, eu achei surpreendente.

A história realmente me deixou surpresa com a maturidade de Valentina em decisões tão adultas e por vezes eu vi no livro a Valentina aplicando o conceito de sororidade, que é a empatia e companheirismo entre as mulheres por objetivos em comum, como quando a Tim conhece a ex do Kim e mesmo a moça sendo um pouco vaca, Tim foi muito madura para olhar também o lado dela e aconselhá-la a sair dessa e se valorizar. Nem preciso dizer que para mim, uma viciada em doramas e lakorns, ter um personagem principal coreano (oppa) foi perfeito! Ainda não tinha lido um livro onde pudesse encontrar um oppa tão parecido com os do doramas que vejo. Obrigada, Babi!


E para compartilhar efetivamente a minha experiência, que tal uma promoção?! Para participar basta clicar aqui na palavra Sorteio e você será direcionado para a página onde poderá se inscrever!

Enfim, espero que vocês tenham gostado da dica e, claro, boa sorte aos participantes do sorteio! Até o próximo post!

Beijos!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo