sexta-feira, dezembro 26, 2014

Eu Li: Felizes Para Sempre - Quarteto de Noivas #4 - Nora Roberts


Título:
Felizes Para Sempre
Autora:
Nora Roberts
Editora:
Arqueiro
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC

Em Felizes para sempre, último livro da série Quarteto de Noivas, você vai
descobrir que o amor não avisa que está a caminho e, quando chega, vira
seu mundo de cabeça para baixo.
Parker Brown sabe que subir ao altar é um dos momentos mais extraordinários na vida de um casal. Por isso ela administra a Votos a bem-sucedida empresa de organização de casamentos que fundou com suas três melhores amigas com pulso firme e muita dedicação.
Seu dia de trabalho começa cedo às vezes de madrugada, quando alguma noiva ansiosa lhe telefona aos prantos. Mas ela não se importa. Cada vez que ajuda uma mulher a escolher o vestido perfeito para o grande dia ou vê o sorriso nervoso e feliz de um noivo no altar, ela sente que está dando sua contribuição para uma história igual à de seus pais.
Porém a rica, linda e inteligente Parker também quer ser feliz no amor. Só que, em vez do intelectual sensível que sempre esteve em seus planos, parece que o destino lhe reservou uma surpresa.
Malcolm Kavanaugh é um mecânico de automóveis e ex-dublê de filmes de ação. Amigo do irmão de Parker, ele não tem vergonha de elogiar as belas pernas da moça e, com suas mãos ásperas, faz com que a empresária certinha e controladora simplesmente perca o chão.
Agora eles vão descobrir que, mesmo com suas diferenças, podem completar um ao outro. E quem disse que o príncipe encantado não pode chegar numa Harley-Davidson?

Último livro de série. Que dor no peito, amigos. Nora Roberts, a rainha do romance (é o que dizem e estou fortemente inclinada a acreditar), fecha a série “Quarteto de Noivas” (tem resenha de “Álbum de casamento”, “Mar de Rosas” e “Bem Casados” aqui no blog também) de forma maravilhosa, feliz e satisfatória. 
E agora quero casar também!

Mac, Emma e Laurel estão encaminhadas para seus respectivos casamentos e os preparativos estão em pleno vapor. Afinal, elas são sócias da Votos, a empresa de realizações dos casamentos mais badalados do condado, e suas festas terão um toque mais especial por causa dos laços emocionais que a cercam.

Parker Brown cuida de todos os detalhes dos casamentos de suas amigas e ainda dá conta das clientes regulares. Parker é a pessoa mais organizada que já se teve notícias e sempre tem tudo sob controle. Resolver problemas é sua especialidade e é isso que a faz tão bem sucedida como organizadora dos casamentos da Votos. Por conta disso, ela não sabe lidar com a confusão que Malcolm Kavanaugh causa em sua vida e em seu coração.

Mal é amigo de Del, seu irmão e noivo de Laurel, por isso Parker não pode simplesmente ignorá-lo. Não que seja fácil não perceber sua presença. Mal exala testosterona com seu ar perigoso e selvagem, sua motocicleta e jeans rasgado. (Já comentei que ele é mecânico?! UM MECÂNICO GATO E SEXY! Isso configura fantasia literária realizada!)

E o mais incomodo: ele tem mania de agarrá-la em qualquer lugar e dar uns beijos de arrancar o fôlego até de quem está lendo e não tem nada a ver com isso (eu mesma, oi). A princípio, a relação deles é bem engraçada porque Mal é abusado e Parker não costuma tolerar esse tipo de comportamento, porém ela não consegue controlá-lo. E isso faz dele um espécime único.

Logo que os encontros começam a ficar mais frequentes e que o sexo (frequentemente selvagem) entra na conta, Parker e Mal não conseguem nomear o que está acontecendo entre eles. E, claro, suas amigas que estão com “síndrome de noivas” (que consiste em ver tudo do prisma do amor) não a deixam escapar.

"- Isso é pegação mútua, um affair ou um relacionamento para valer?
- Por que não podem ser as três coisas?
- Ora, pegação mútua é só para se divertir e se satisfazer. Um affair já é mais profundo, é um tipo de relação que pode ou não resultar em algo mais. Mas em geral é o que se tem até o tesão acabar e cada um ir para o seu lado... Já um relacionamento para valer é algo em que você se empenha, tem a ver com criar laços e mantê-los. Pode haver elementos tanto da pegação quanto de affair em um relacionamento para valer, mas ele é bem maior que a soma das partes."

A verdade é que Mal teve alguns problemas na juventude e não gosta de falar sobre o assunto e Parker quer ter um relacionamento totalmente honesto e aberto. Se Mal não conseguir se abrir, não conseguir se mostrar inteiro, o relacionamento com Parker corre sério risco de esmorecer. Mas amar é ter confiança e Mal e Parker vão aprender sobre isso no decorrer da história.

“Felizes para sempre” é a conclusão perfeita de uma série perfeita. Quero que vocês compreendam que Nora Roberts escreve de uma forma maravilhosa. É um texto corrido, onde tudo na história se encaixa e não tem nada desnecessário. São diálogos inteligentes e espirituosos, personagens marcantes e incríveis e um enredo completo.

Ela aborda amor, amizade e dificuldades de uma forma realista (para o que ela se propõe. Os personagens são ricos e bem-resolvidos e vocês vão perceber como faz todo o sentido) e divertida e é uma experiência maravilhosa ler esses livros.

Meu quarteto favorito, e seus respectivos amores lindos, vão me deixar morrendo de saudades e espero de coração que vocês, leitores, tenham a experiência de conhecê-los e amá-los, como eu. Agora que a série está completa, podem ir sem medo. Se bem que acho de boa ler qualquer livro, mesmo que fora de ordem. Cada livro fecha bem sua história e a visão do todo só a deixa mais incrível.

Meu homem favorito continua sendo Carter, de “Álbum de Casamento”, porém Jack, Del e Mal não ficam atrás no quesito: VAM CASAR!

Leiam, leiam e venham surtar comigo nos comentários! 



Fernanda Karen Estudante de Serviço Social com o coração no curso de Letras. Apaixonada por séries, dramas e café. Bookaholic  irrecuperável e promíscua literária. Eventualmente estou trocando um de meus rins por livros muito desejados. (Qualquer coisa é só entrar em contato). Amo YA, ficção-fantasia, clássicos (brasileiros, portugueses, ingleses, latinos etc), chick-lits... Perceberam que meu preconceito literário é zero? Ops, quase zero; não leio auto-ajuda.

segunda-feira, dezembro 15, 2014

Eu Li: Twittando o amor - Teresa Medeiros


Título:
Twittando o amor
Autora:
Teresa Madeiros
Editora:
Novo Conceito
Onde comprar:
FNAC | Submarino | Saraiva

O Twitter é uma festa que nunca termina onde todo mundo fala ao mesmo tempo e ninguém diz nada...
Abigail Donovan é uma escritora de sucesso. Ela quase ganhou o prêmio Pulitzer e até foi elogiada no programa da Oprah. Então, por que ela passa os dias e noites escondida no chiquérrimo condomínio onde mora, na companhia de seus dois gatos, sem conseguir escrever?
Quando o seu editor a obriga a entrar no mundo das redes sociais para expandir seus horizontes, Abby imagina que vai ser obrigada a conversar com adolescentes que teclam escondido do porão de casa. Mas ela acaba conhecendo Mark Baynard, um professor britânico sexy, bem-humorado e inteligente que está viajando pelo mundo em busca de aventura. Abby tenta resistir ao seu charme, enquanto Mark começa a quebrar a resistência dela aos pouquinhos... Inclusive a resistência a se comunicar por meio de mensagens curtas.
Agora que Abby voltou a escrever e a viver , ela descobre que Mark guarda um segredo que poderá mudar para sempre a vida dos dois.
Oi gente, voltei! Como andam as leituras? Já fizeram a listinha básica dos livros que vocês compraram e ainda não leram em 2014? Já passou de 10 livros? Palma, palma, palma não criemos pânico! Se você for ponderar, no fim do ano passado aconteceu a mesma coisa, e provavelmente você sobreviveu ao ano seguinte e assim sucessivamente. Não fique chateado! Ok? Passemos a resenha de hoje para dar um Up nos ânimos! #LETSDOIT

O livro de hoje é tudo menos um romance, claro que o gênero dele esta dividido em: Romance, drama e humor. Mas, ele não é um romance romântico, se é que deu para entender. Não? Então passemos a explicação. TT.TT...por que se não fosse ela, não teria resenha..kkk

Bom o livro, para mim foi uma série de enganos, meu engano começou com o nome da autora, Teresa Medeiros, com esse nome, me fez acreditar que se tratava de uma autora nacional, e não de uma best-seller americana. Meu próximo engano foi julgar a Abby (personagem principal) logo nos dois primeiros capítulos. E o último, foi esperar um final de cinema!

Quando comecei a ler esse livro, estava encantada com a possibilidade de ler um livro contado em sua maioria através de mensagens rápidas com menos de 140 caracteres, como mensagens de Twitter. Mas logo no início comecei a desanimar, quando vi a personagem principal, Abby, se comportar como a Brigdet Jones, com direito a calcinha modeladora e tudo (só faltou um chefe daqueles...kkk) e até o personagem masculino principal se chama Mark (que não é o Darcy).

Começou a tecer um pano deprimente na história, quando me vi de fronte a uma personagem/escritora (sim, a Abby é escritora) decadente que se segura ao seu primeiro (e único) livro como se fosse o último bote salva vidas de um barco preste a vir a pique. Se submetendo a uma vida muito mesquinha e se escondendo do futuro. Até o dia D.

O dia D foi o dia que sua empresária (como pode uma pessoa que só escreveu um livro há muito tempo atrás ter, ainda, uma empresária?) lhe mandou um e-mail com instruções específicas de como acessar a conta do Twitter que a mesma criou para a Abby, com fins de expandir o acesso dos fãs (sim ela ainda tinha fãs) a autora.

Outra pergunta que me fiz ao ler o livro, foi: como ela conseguia centenas de seguidores, quando ela praticamente não escrevia nada que não fosse direto para o Mark, com exceção dos que ela ACIDENTALMENTE colocou para todos verem, como a vez que ela disse que estava vestida como uma freira de meia calça arrastão.

Por que estou descrevendo assim o livro dela (Abby)? Por que a meu ver, ela escreveu um livro com pouco potencial, e ela se valeu do que estava acontecendo a uma pessoa próxima a ela, e não teve a criatividade genuína de escrever um livro completamente autentico. E passou a se sentir o último biscoito do pacote quando foi convidada a ir no programa da Oprah para falar sobre ele, e ele ganhou o selo ´´Oprah`` de qualidade instantânea. Ufa...falei mesmo. De cara eu não gostei da Abby.

Mas o livro todo não foi assim. Quando ela começou a usar essa rede social, que particularmente eu adoro, ela começou a se tornar uma personagem muuuuuiiitooo mais ´´legal``.

Descobri que a Abby é quase um personagem bipolar. Porque quando ela tá fora da rede, ela é meio apática, e quando ela tá na rede, ela tem uma língua/dedos afiadíssimosssssssssss. Nesses momentos afiados me lembrei muito da miss fofinha (vulgo: Fernanda Karen) que sempre tem uns comentários hilários e afiados sobre coisas da vida, no Twitter e fora dele também #ADORO.

E nessa brincadeirinha o primeiro tuíte direcionado que a Abby recebeu foi:
MarkBaynard: Você é virgem?
E agora? Pensem no susto que a Abby tomou. Ela pensou logo que se tratava de um tarado  de meia idade na internet, e deu a devida resposta, e foi assim que ela conheceu o Mark, e a história REALMENTE começa a decolar.

Só que a história deles não é um romance (#SORRY) é um drama, e tudo o que eu digitar a seguir pode, ou não ser spoiler...kkk...só digamos que eles perceberam que o virtual pode se tornar real, e que a realidade não é tão bonita, e também não pode ser contada em 140 caracteres.

O livro também aborda sobre como podemos ser pessoas totalmente montadas nessas redes sociais. No caso da Abby e do Mark foi do bem e tal, mas e quantas pessoas na vida real que não tiveram a mesma sorte que o Mark e a Abby? Além de contar uma história a autora Teresa Medeiros, acaba por fazer também um alerta sobre pessoas nada bem-intencionadas na rede e como podemos ficar em alerta sobre isso.

Eu achei o livro diferente, só não decidi se para bom ou para não tão bom assim.

#fica a dica.


sexta-feira, dezembro 12, 2014

Eu Li: Amaldiçoadas - As Crônicas das Irmãs Bruxas #2 - Jessica Spotswood


Título:
Amaldiçoadas
Autora:
Jessica Spotswood
Editora:
Arqueiro
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC

Cate Cahill tomou a decisão mais difícil de sua vida e resolveu largar tudo para proteger aqueles a quem amava, mas não poderia imaginar os obstáculos que ainda teria pela frente.

Agora, vivendo disfarçada entre as outras moças da Irmandade, ela precisa se manter a salvo dos implacáveis caçadores de bruxas e lidar com grandes dilemas pessoais, como a distância de seu grande amor e os conflitos que envolvem suas irmãs Tess, uma menina doce e ingênua que guarda um grande segredo, e Maura, a jovem bela e ambiciosa que pretende fazer de tudo para se tornar o centro das atenções.

Será que Cate está pronta para liderar as bruxas de sua geração e ganhar o respeito de uma sociedade que condena a feitiçaria? E seria ela a bruxa da profecia, a mulher mais poderosa já nascida em muitos séculos e capaz de revolucionar a história do mundo?

Envolva-se ainda mais na história de Cate e de todas as mulheres fortes que a cercam e segure seu coração para torcer pelo amor de Cate e Finn neste volume que traz revelações imperdíveis antes da conclusão da saga das irmãs Cahill.

Muito melhor que o primeiro, e olha que isso diz muito, porque o primeiro foi muito bom! Eu adorei e me surpreendi muito com o desenrolar da história do primeiro livro e seu desfecho, e fiquei me roendo de vontade de ler o segundo livro logo em seguida, mas me segurei. E agora eu me pergunto porque mesmo eu não li antes. Cara, muito frenético!

É um livro de bruxas com uma atmosfera bem diferente do que eu já tinha lido antes sobre o tema. Primeiro que tem muita aproximação com o real, no sentido de lutar contra a opressão dos homens sobre as mulheres, uma situação que vivemos até hoje, com as devidas proporções, então apesar de ser sobrenatural ainda sim aborda uma situação próxima da realidade.

Toda atmosfera desse livro, da série como um todo, é muito diferente. É uma sociedade muito peculiar e preconceituosa, e a história toda se passa em Nova Inglaterra no finalzinho do século XIX, onde bruxas existem aos montes mas precisam viver escondidas para não serem presas e queimadas, um verdadeira inquisição. Então tem todo um clima sombrio e suspeito,  mas que não te deixa largar o livro por um momento sequer.

É daqueles livros cujos personagens parecem bem reais, independente da situação em que estão, e você tem vontade de aconselhá-los, confortá-los, enfim, você se importa de verdade. E eu me importei muito com eles.

Ah, tive muita vontade de matar Maura. Para mim, por mais que ela seja irmã de Cate e Tess e ambas a amem, Maura não merece perdão por tudo o que fez até agora. Entendam, eu acompanhei as irmãs por dois livros a gora e já me familiarizei com elas, com suas características, vi sua luta por um mundo melhor sem preconceito e mulheres subjugadas, mas Maura, em sua ânsia por ser melhor, mais poderosa e aparecer mais que todas, só faz B-E-S-T-E-I-R-A! E é cruel e mesquinha com quem devia mais se importar. Nunca vou perdoá-la! E achei muito digno o surto de raiva que Cate teve no final do livro. Acho que será um divisor de águas na vida dela e estou muito ansiosa para saber o que isso vai significar no desfecho da série!

Se você já está cansado de sobrenatural e principalmente de histórias de bruxos, acho que devia dar mais uma chance para o tema, principalmente para essa série. Acreditem quando eu digo que é diferente de um jeito muito bom, e a autora escreve muito bem, criou personalidades bem definidas e personagens a quem se ama ou se odeia com grande intensidade, alguns nobres e altruístas, outros cruéis e egoístas. Vale muito a leitura!


quarta-feira, dezembro 10, 2014

Eu Li: Beemote + Golias - Leviatã #2 e #3 - Scott Westerfeld




Título:
Beemote - A Revolução
Golias - A Revelação
Autor:
Scott Westerfeld
Editora:
Galera
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC






Scott Westerfeld, autor da série Feios, reinventa aqui a Primeira Guerra Mundial em uma narrativa steampunk. Em lados opostos, mekanistas lutam com aparatos mecânicos movidos à vapor e darwinistas usam imensos animais geneticamente modificados, e adaptados para a batalha. Beemote é um kraken, a besta mais feroz da Marinha britânica. Os darwinistas precisam dele mais do que nunca, agora que estão em guerra declarada com os mekanistas. Alek e Deryn estão juntos a bordo do Leviatã, e esperam conseguir parar a guerra. Mas, quando sua missão de paz falha, percebem que estão sós em território inimigo... e que estão sendo perseguidos!

Steampunk é um gênero único, onde máquinas maravilhosas são movidas a vapor, aviões de madeiras cortam os ares, as mais diversas invenções tomam forma com os materiais mais peculiares e rústicos, entre tantas outras características. Agora imaginem a Primeira Guerra Mundial recontada por Scott Westerfeld em um universo Steampunk ?!?!? I-M-P-E-R-D-Í-V-E-L!

Primeiro, para quem acha o Steampunk esquisito ou não conhece o gênero ainda, essa é uma ótima forma de começar. O autor é muito criativo, e em sua recontagem da I GM ele criou engenhocas que não parecem impossíveis, pelo contrário, você se acostuma bem rápido com eles e aceita aquele universo como real. O autor é muito criativo e habilidoso, e isso é visível durante a história.

Só para relembrar, essa série conta a história de Alek e Dylan (que na verdade é Deryn, uma garota que se finge de garoto para poder ser uma aeronauta da força aérea britânica). Mekanistas e Darwinistas estão em guerra. O objetivo de Alek, mekanista, é acabar com a guerra ao reclamar o trono do império Austro-húngaro, um dos participantes da guerra. Ele pretende acabar com a guerra assim que assumir o trono, mas para isso precisa contar com a ajuda dos aeronautas do Leviatã, uma nave darwinista, onde Deryn trabalha. Ambos acabam desenvolvendo uma grande amizade e se ajudando, apesar de serem teoricamente inimigos. 

Em Beemote eles estão a caminho de Constantinopla quando são atacados por naves mekanistas alemãs. Depois de descobrirem que os alemães estão de posse de um máquina capaz de criar raios e direcioná-los para onde quiserem, eles finalmente chegam a seu destino, mas em uma tentativa de fuga acabam sendo envolvidos em um revolução que mostrará a Alek que ele é capaz de ajudar na guerra sendo muito mais que apenas um príncipe, sendo um guerreiro também.

Já em Golias - vou me segurar para não dar spoilers -  Alek está cada vez mais perto de seu destino (mesmo que não seja o que ele sempre pensou que fosse) e também está cada vez mais perto de descobrir o segredo de Deryn ♥ (que além de ser menina, está apaixonada por ele, aquele dumbkopf). Eles se envolverão com um inventor maluco que jura ser capaz de acabar com a guerra com seu invento, o Golias. 

Essa série é muito, muito boa, em seu gênero, com seus personagens, com a criatividade do autor, com os ganchos de um livro para o outro, com suas criaturas fantásticas e máquinas engenhosas. É uma série muito cativante, muito fácil de se envolver. É toda uma aventura empolgante sabe, no mundo do começo do século 20, que nós sabemos que não era tão desenvolvido como é agora, então tem toda aquela aura de fantasia por causa do steampunk que foi inserido no contexto. E as ilustrações presentes no livro são linda e muito úteis, nos ajudando a ter uma ideia melhor das máquinas e etc. Confiram algumas que eu peguei.

Andador

Canhão Tesla

Alek e Deryn


Eu adoro a Deryn, tão corajosa em seu disfarce, fazendo coisas que a criação almofadinha do Alek não o deixaria fazer antes de conhecê-la. Deryn é muito esperta, muito viva, muito f***!! Alek também é ótimo, mas é um príncipe almofadinha, mesmo que nobre e de boas intenções. ele é muito esperto também, mas ainda precisa ser salvo por Deryn de vez em quando. Adoro essa inversão de papeis, o príncipe sendo salvo pela plebeia. E no final ele me deixou bem orgulhosa ♥.



Super recomendo essa série, tanto para quem já conhece o gênero e a escrita do autor, quanto para quem vai se aventurar em aos pela primeira vez. Não vão se arrepender!

segunda-feira, dezembro 08, 2014

Eu Li: Inquebrável - Legião #1 - Kami Garcia



Título:
Inquebrável
Autora:
Kami Garcia
Editora:
Galera Record
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC


Kennedy Waters sempre achou que espíritos vingativos fossem coisa de cinema, até a morte de sua mãe. É quando os gêmeos Lockhart invadem sua casa para lhe livrar de um destino igual que descobre que o véu entre o mundo dos vivos e dos mortos é frágil. Ele deve ser protegido pelos caçadores de fantasmas da Legião da Pomba Negra, que atualmente só tem uma geração de jovens para lidar com seus inimigos, e da qual a mãe de Kennedy outrora fez parte. E agora os gêmeos devem convencê-la de que herdou o seu poder...


A Legião da Pomba Negra é um grupo de cinco membros criado pela Igreja há mais de 200 anos para combater os Iluminatti, e todas as forças sobrenaturais negativas, como Poltergeists e demônios. Desde então, cada membro sempre escolhe um sucessor para tomar seu lugar no grupo no futuro. O problema de Kennedy Waters é que ela nem sabia que sua mãe era um membro da Legião, quanto mais que era sua sucessora.

Depois da morte de sua mãe, na noite antes de ir embora para um internato, ela é atacada por um poltergeist e salva pelos irmão Lockhart, gêmeos idênticos e lindos, obviamente. São eles que contam para ela a história da criação da Legião da Pomba Negra. Kennedy não acredita nenhum pouco que sua mãe tenha sido parte da legião e nem que ela deve assumir essa posição agora, pois enquanto todos os outros membros foram claramente preparados e treinados para isso, ela nunca nem tinha ouvido falar deles. Porém, diante da possibilidade de ser atacada novamente ela acaba seguindo com o grupo. 

Esse grupo é bem clichê, mas não deixa de ser interessante: um nerd que entende tudo de mecânica, física e armamentos (contra fantasmas e etc.); uma garota durona, e mal encarada a princípio; um garoto simpático, bonito e gente boa; um garoto sério, fechado, com um gênio difícil e segredos escondidos; e Kennedy, a "perdida" do grupo, talentosa de um jeito ainda não descoberto, e motivo de conflito entre os dois irmãos. Sim, um pseudo triângulo amoroso que me irritou de cara, apesar de isso não ter me impedido de seguir com a leitura de modo satisfatório.

Eu gosto muito da proposta do livro. Essa mistura de Supernatural com Os Caça-fantasmas, só que tendo jovens como protagonistas, é muito legal. Eu gosto bastante de imaginar algo assim acontecendo de verdade, ia ser super legal e eu ia querer participar hahahaha, então ler sobre algo assim é interessante. Como eu falei o grupo assim tem características bem clichês, mas eles interagem bem, e tirando o triângulo amoroso (não gosto de triângulos amorosos) eu gostei bastante de tudo.

Quero muito ler a continuação, já que meu ship passou por uma situação difícil e deixou o final em aberto, e agora eu quero saber o que vai acontecer com eles, com o resto do grupo, com todos. 

Quem gosta de livros que mexem com o sobrenatural (fantasmas, demônios, etc) inseridos no contexto real, como algo que poderia estar acontecendo fora da vista do mundo, e que não se importe com triângulos amorosos, vai gostar bastante do livro.



[Resultado] Top Comentarista - Novembro/14

Opa, hora de fazer mais alguém feliz rsrsrs

Está na hora de conhecer a ganhadora do Top Comentarista de Novembro, cujo prêmio é um livro de até R$30,00 a escolha do ganhador!

E dessa vez a sortuda é a Geórgia Germer! Parabéns!



Você tem 48h para enviar seus dados para o e-mail garotapaidegua@hotmail.com. Se isso não acontecer, outra pessoa será sorteada.

Muito obrigada pelos comentários e interação pessoal! Esse mês também teremos Top Comentarista, estou só preparando o banner e o post, mas já podem ir comentando :)

Até!

[Resultado] Promoção A Viajante do Tempo + A Libélula no Âmbar

Oi gente!

Depois de uma semana sabática (foram duas semanas especiais uma em seguida da outra no blog, imaginem nosso cansaço) e outra sem internet, finalmente voltaremos com as postagens regulares! YAY

Para começar o dia bem, que tal deixar alguém mais feliz? Pois é, hoje vamos conhecer a(o) sortuda(o) que vai levar os dois primeiros volumes da série Outlander para casa! 

Parabéns Larissa Santos



Você tem até 48h para enviar seus dados para o e-mail garotapaidegua@hotmail.com.

Tenho certeza que você vai adorar os livros, se encantar pelos personagens e se tornar mais uma viciada como eu!

Obrigada pelo grande número de participações e divulgação da promoção. Vocês são 10! E obrigada Saída de Emergência Brasil pelo apoio! 

P.S. Em breve teremos mais promoções pessoal, aguardem :)

quarta-feira, dezembro 03, 2014

Eu Li: Santuário - Desaparecidos #4 - Meg Cabot


Título:
Santuário
Autora:
Meg Cabot
Editora:
Galera
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC


Jess Mastriani, conhecida como a Garota Relâmpago, é capaz de encontrar pessoas desaparecidas. Quando atos de vandalismo começam a ocorrer e seu vizinho é encontrado morto em circunstâncias muito violentas em um milharal, ela se vê no meio de um plano muito perigoso. Jess terá que engolir o orgulho e juntar forças com o FBI para entrar no santuário de arruaceiros capazes de cometer as maiores atrocidades em nome de seus preconceitos.

Esse quarto volume da série é o mais tenso de todos. Apesar de ser uma série juvenil e ter se mostrado bem fiel a esse principio durante os três primeiros volumes, nesse livro a autora aborda um tema mais pesado: assassinatos movidos pelo preconceito.

Claro, não é uma história voltada para o debate sobre o assunto, mas a inclusão desse assunto na série foi bem vinda. Ela não criou todo um discurso moral em cima da historia, mas conseguiu mostrar um pouco do que o preconceito é capaz de fazer, como machucar pessoas inocentes e destruir família.

Nesse penúltimo livro um vizinho de Jess é encontrado morto em um milharal e tem um estranho símbolo pichado em seu peito. Jess não reconhece o símbolo, mas fica com ele na cabeça até reconhecê-lo pichado nas lápides destruídas de um cemitério judeu, e aí começa a fazer ligações entre os dois crimes. Porém, para fazer justiça, ela terá ajuda do FBI, o que pode fazê-la dever favores para pessoas que têm interesses muito particulares por ela. Mas Jess quer sempre salvar todo mundo, não importa o que. 

Com um desenvolvimento de roer as unhas, esse é o mais alucinante de todos. Jess realmente fica em perigo e ainda coloca outras pessoas em perigo, como Rob. Cara, eles resolvem invadir o quartel general da gangue. Tipo, suicídio!

Esse é um livro divisor de águas para a personagem de Jess. Muitas coisas que acontecem influenciam grandemente o quinto e último livro, Missing You. Sua relação com a mãe, com sua habilidade, com o FBI, com seus amigos e principalmente com Rob. Ah, Rob, sempre catapultado para as aventuras de Jess, simplesmente por não poder correr o risco de ela se machucar sem ele por perto para ajudar. Seria muito bom se ele admitisse seus sentimentos por ela, mas aí é exigir muito do pobre, e todos podem perceber, de qualquer maneira rsrs.

Como sempre fiquei presa à história como se ela fosse fugir caso eu não terminasse de ler logo. Adoro os personagens e Rob é mais um amorzinho literário. Muitas aventuras te esperam em mais essa série da Meg. 

4,5
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo