sábado, setembro 27, 2014

[Resenha Dupla] Transmutados - Vanessa Tourinho



Título:
Transmutados - O Desconhecido
Autora:
Vanessa Tourinho
Editora:
Modo
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC

Quando Luisa Lima descobre que existe alguém que nasceu para pertencer a ela, não pensa duas vezes em fazer as malas e ir atrás do que parece ser o amor perfeito. Quando completa dezoito anos recebe um presente: o dom de ouvir os pensamentos alheios. Como se isso já não fosse o suficiente complicado, ainda descobre possuir a habilidade de se “desprender” do próprio corpo e mover-se a qualquer lugar, na velocidade da luz, apenas como energia, como espírito. Confusa com seus poderes, Luisa, tem a sorte de conhecer quatro jovens dispostos a explicar e a levá-la ao complicado mundo dos Transmutados. É quando descobre que todo Transmutado nasce predestinado a um parceiro ideal, e, quando isso acontece com Luisa, ela segue em busca de sua “alma-gêmea”, fechando os olhos e ignorando todos os perigos que esse relacionamento pode causar.



F: Transmutados – O Desconhecido é o livro de lançamento da autora Vanessa Tourinho e ela vem com uma proposta super curiosa: e se você fosse predestinado a apenas uma pessoa no mundo?
A narrativa é de Luisa, uma jovem órfã que se descobriu especial. Ela ouve os pensamentos das pessoas que são próximas a ela e também pode sair do seu corpo e vagar no desconhecido. Tudo foi surreal e brusco para Luisa, mas ela precisa se adaptar. Seu primeiro baque foi quando seus amigos descobriram sua condição e a julgaram como monstro e se afastaram. No entanto, tudo muda quando Antônio se aproxima e se revela igual à Luisa, um Transmutado. Os Transmutados são uma evolução genética e eles possuem poderes especiais, tipo x-men. O que, claro, já me pegou pelo pé. Antônio é líder de um clã que veio ao Brasil por Luisa, e ela já fazia parte da família mesmo antes de conhecê-los.

B: X-Men! Amo X-men! Amo essa história de acordar um dia e descobrir que você tem poderes, que faz alguma coisa diferente. Amo mesmo! É daqueles sonhos de criança sabe? Acordar um dia e descobrir que pode se teletransportar, voar, mover objetos com a mente....hahaha. Me deixem. Humpf.
Luisa passa por momentos difíceis no Brasil, onde sempre viveu, antes de ser encontrada por Antonio e sua família de Transmutados. Não é uma família ligada por laços sanguíneos, e sim pela amizade e necessidade de estar entre seus iguais em um mundo onde os próprios transmutados estão divididos entre o lado do bem, os Goodpowers, e o lado do mal, os Badpowers. 

F: A história da predestinação é bem instigante porque é comum um Transmutado ter a “visão e a atração”. No entanto, Luisa tem sua visão com um humano comum. Ou seja, ele não sente a necessidade dela, como a atração se dá com os Transmutados, mas com certeza ele fica muito atraído por Luisa quando a encontra pela primeira vez. Christian a conhece em um pub, em Londres, onde ele toca (já comentei que ele é inglês?) e fica fascinado por Luisa à primeira vista. E ela, coitada, já tem necessidade de viver perto dele. Porém, como abrir seu mundo complexo de humanos com superpoderes para seu grande amor sem ser julgada (como aconteceu com seus amigos)?

B: Quem gosta de romance ai levanta a mão! \o/ \o/  Realmente, a sacada da predestinação é ótima, e pelo fato de ter sido com um humano ao invés de um transmutado gera problemas que não deveriam acontecer se ele tivesse predestinada a alguém como ela. E aí, Luisa já tornada incoerente pelo amor, resolve ignorar todas as advertências e investir em um relacionamento perigoso com alguém que não a conhece de verdade. Em alguns momentos eu revirei os olhos para ela. Tipo, calma lá guria!

F: Paralelo a isso, há MUITA história! Vanessa Tourinho não brincou em serviço no quesito: ação. As coisas vão acontecendo e acontecendo e no final, percebes que ainda tem MUITO mais.
Isso, sem dúvida, pode ser um ponto negativo, porque não senti que o livro teve uma continuidade coerente. Os conflitos vão se atropelando e ficando meio desconexos em alguns momentos. Porém, a proposta do livro é tão legal que li tudo em 48 horas.

B: Tipo, tem realmente muita coisa acontecendo e ai mais coisas acontecem, descobrem-se ligações passadas, etc, etc. Você passa poucas páginas e nesse intervalo há mais intrigas, mais mistérios, mais ação, mais descobertas. É bem corrido, mas eu não vejo isso como um problema, pois alguns autores usam o primeiro livro de uma série para apresentar todo o contexto e conflitos que serão melhor desenvolvidos depois, nos próximos livros. Gostei bastante do livro, tirando as minhas reviradas de olhos pelo desespero da Luisa, e se a autora desenvolver bem o enredo do segundo livro, aproveitando todas as informações do primeiro, acho que tem tudo para ser melhor ainda.

F: Para um livro de estreia, Vanessa Tourinho se saiu bem. Sua narrativa é muito fluida e fácil, e mesmo com seu enredo corrido demais, o livro é divertido e atraente. Transmutados – O Desconhecido é uma série de livros (porque o final exige uma continuação!) e estarei no aguado do livro 2 para sanar as agonias que a autora me deixou. Trabalhando na continuidade do livro, tenho certeza que o segundo volume será sensacional!
 
Vanessa Tourinho pode ser encontrada no Twitter @VanTourinho e no Facebook da Série Transmutados. Para adquirir o exemplar do livro, é só entrar em contato com a autora (que é uma fofa, diga-se de passagem) pelo e-mail: contatovantourinho@hotmail.com

 
 

[Resenha Dupla] O Artífice - Tony Ferraz


Título:
O Artífice
Autor:
Tony Ferraz
Editora:
Universo dos Livros
Onde Comprar:
Saraiva | Submarino | FNAC


Em dias de tempestade, um assassino que mata através de armadilhas extremamente elaboradas vem enganando a polícia londrina numa série de crimes inusitados. Haryel Kitten é um detetive inteligente, prático e muito dedicado ao seu trabalho, que agora tem o desafio de desvendar o que há por trás desse mistério.
Mas será que há forças sobrenaturais agindo? Detalhes dos crimes permanecem obscuros, o serial killer, apelidado pela mídia de Artífice, faz com que Haryel trilhe um caminho sem volta. Quanto mais ele se aprofunda na investigação, menos compreende o que está acontecendo. O detetive fará tudo que estiver ao seu alcance para montar esse quebra-cabeça. Mesmo que sua própria vida corra perigo...

A: A capa chamou muito a minha atenção em uma das minhas andanças na bienal deste ano em São Paulo. Li a sinopse na capa do livro, e achei interessante, apesar de não curtir muito romances policiais. O que me convenceu definitivamente a ler o livro, foi o autor falando sobre o mesmo para mim.

B: A polícia londrina está tendo que lidar com um serial killer que mata através de armadilhas muito bem elaboradas, usando materiais de fabricação própria, que não podem ser rastreados. Diante do mistério envolvendo os crimes, Haryel Kitten, um detetive habilidoso, é convocado para se unir ao time que investiga os motivos dos crimes e o assassino.

A: No inicio da leitura admito que alguns parágrafos foram um desafio, pois eles eram descrições de ensinamentos e dizeres Budistas e Taoistas. Mas eu resolvi seguir o conselho do mestre budista logo no inicio do livro, não parei para tentar decifrar, só deixei as palavras vagarem em minha mente, nesses parágrafos.

B: Eu não consegui fazer isso! É contra minha natureza não tentar decifrar, o que geralmente é bom, mas que nesse caso me deixou totalmente perdida. Eu lia e relia os trechos, mas não conseguia entender. Frustração define!

A: Com o decorrer dos assassinato e das investigações, eu comecei a ficar ainda mais curiosa, acredito que isso é um ponto positivo do livro, pelo menos para mim, que as vezes preciso ser provocada pelo livro para continuar a leitura.

B: A investigação é realmente muito boa. O modo como o assassino mata é intrigante, e não conseguimos achar nenhum ligação aparente entre as vítimas. Num primeiro momento só acompanhamos a descoberta dos corpos, as impressões inicias, a surpresa pelo fato de todas as armas usadas terem fabricação artesanal. Depois começamos a acompanhar os assassinatos do ponto de vista do assassino e o modo como ele age, como ele amedronta as vítimas, começa a nos levar a tentar fazer ligações como os ensinamentos taoistas e budistas do mestre que "ajuda" Haryel durante a investigação. E nesse ponto minha mente não me deixava continuar lendo sem tentar decifrar alguma coisa.

A: Um dos pontos negativos, é que algumas pessoas podem ficar meio confusas, ou desmotivadas a continuar a leitura devido aos embates psicológicos e filosóficos entre mestre budista e o detetive ou ele com o o artífice. O leitor pode ficar meio tipo, oi? Que aconteceu aqui?

B: Que foi exatamente o que aconteceu comigo em algumas partes do livro. Eu ficava pensando "Meu Deus, quando é que eu vou entender o que está acontecendo?" hahaha. Foi um exercício e tanto para o cérebro!

A: Para mim foi uma leitura rápida, em um dia eu devorei o livro. E ainda fiquei quase uns 40 minutos para assimilar as possibilidades do final. Você meio que sente que foi um final na velocidade de um tiro. E inteligente, deixa a sua mente escolher a possibilidade. Não segui a indicação do autor, ele sugere que o livro seja lido a noite, comecei numa tarde, e finalizei durante a madrugada, e realmente acho que ter lido o final nesse horário foi mais tenso ainda. Fiquei muito impactada com o final do livro, ate estava teclando com a Bianne nesse momento, e joguei em cima dela todo o meu choque, e frustrações.

B: Eu fiquei de queixo caído com o final. Tipo, muito legal, muito engenhoso! Um assassino muito inteligente, planejou tudo direitinho, fez e aconteceu, cara, muito inteligente mesmo. E é como a Anne falou, o final te deixa com duas possibilidades, que eu não posso explorar melhor porque seria um baita spoiler. A possibilidade mais provável é assustadora, porque só de imaginar eu morri de pena do Haryel! Ah, o autor é tão assassino quanto o serial killer! hahaha

A: Não tem como se apegar a um personagem, a todos você uma hora vai entender, e na outra vai querer soca-los. Faz parte!

B: É uma leitura muito boa, bem rápida (também li o livro em apenas um dia) e para quem gosta de livros policiais com ingredientes adicionais, tipo filosofia, vai adorar tentar desvendar o mistério e "bater cabeça" junto ao Haryel.


sexta-feira, setembro 26, 2014

Eu Li: Nada Dramática - Dayse Dantas


Título:
Nada Dramática
Autora:
Dayse Dantas
Editora:
Gutenberg
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC



Camilla Pinheiro conseguiu passar sua vida escolar praticamente ilesa, sem se envolver em dramas adolescentes. Isso é uma grande vitória para ela, que sempre foi muito aplicada nas aulas. E pretende continuar assim, agora que está no terceiro ano do ensino médio do colégio Coliseu, um dos mais puxados e concorridos de Goiânia. Sempre organizada, seus planos para o último semestre se resumem a um só objetivo: passar no vestibular com as melhores notas. Porém, graças a uma confusão amorosa envolvendo seu melhor amigo, Camilla vê seus dias calmos de estudos se transformarem, em meio a revoluções escolares, brigas familiares, intrigas na turma, dúvidas sobre o futuro e até uma inesperada paixão, que ela insiste em negar para si mesma. Para se abstrair do mundo real, agora virado de cabeça para baixo, ela posta em seu blog as aventuras da “Agente C”, sua identidade nada secreta para quem a conhece e sabe o que é viver um dos períodos mais intensos da vida.

“Depois de anos apenas observando o esforço exorbitante exigido pelos grandes colégios de ensino médio de Goiânia e de como ele acaba afetando extensamente o intelecto de jovens (e quando digo intelecto, não estou me referindo às matérias novas que aprendemos – a não ser que você esteja pensando em uma matéria chamada VIDA), sem estar envolvida de alguma forma, hoje de manhã, me meteram em uma história que é ridícula, engraçada e deprimente, tudo ao mesmo tempo. (...)”


Aí você começa a ler e não consegue parar.
Fim.
(Baseado em fatos reais.)

Ok, vou tentar formular: “Nada Dramática” é extremamente viciante e divertidíssimo! E é o livro de estreia de Dayse Dantas, lançado pela Editora Gutenberg.

O livro vai nos apresentar a história de Camilla Pinheiro, uma estudante do 3º ano do ensino médio que quase conseguiu escapar da cota de dramas, aparentemente exigida, por todo adolescente nesse período escolar.

Pois é. Quase.

Após um mal entendido que envolveu duas loucas e seu melhor amigo, Camilla se vê enredada por todo tipo de confusão que se pode ter em um colégio. Como se já não bastasse o ano de vestibular e algumas crises familiares, apareceram em cena as famosas intrigas escolares e uma inesperada paixão; seu coração anda batendo mais forte por seu (adorável) amigo de classe, João. 

Dayse monta um enredo super legal e bem realista do cotidiano de uma estudante de ensino médio. Nada de coisas impossíveis como estamos acostumados em ver em filmes dos anos 90 (que adoro, inclusive), apenas a velha e boa (?) rotina do colégio.O diferencial é a forma que a história é contada. A narrativa é em 1ª pessoa e Camilla tem uma cabeça fervilhante! Ela é muito inteligente, tem um humor ácido e sempre tem os questionamentos mais aleatórios (e que são incríveis!).Estar na cabeça de Camilla é como correr acelerado por caminhos inesperados que só vão se mostrar na próxima curva. 

Para exemplificar essa personalidade de Camilla temos a figura da Agente C, a agente secreta que é protagonista dos contos postados em seu blog. “As aventuras da Agente C” faz sucesso entre seus amigos (reais e virtuais) e vem como um bônus para o leitor, já que há alguns contos muito elaborados incluídos na história. Sério, tem um conto que envolve Sidney Magal que é sensacional! HAHAHAHAHAH

A Editora Gutenberg caprichou no visual do livro. Sua estética é bem constituída com a narrativa padrão, posts da Agente C, e-mails, trocas de bilhetes no meio da aula e SMSs trocados entre Camilla e seus amigos. Sem falar no calendário que vem para assolar Camilla (e o leitor) com a aproximação do vestibular. 

“Nada Dramática” é diferente dos livros de modelo adolescente que estou acostumada (cujo tema é basicamente: amor, me beija, quero teu corpo nu) (e que fique claro: EU AMO!) e recebi essa mudança de forma muito satisfatória. O livro tem tudo para estar na categoria adorável/ divertido/indicações para amigos.

E vocês, do blog, são meus amigos!
Podem me agradecer depois.

A autora, Dayse Dantas, é uma das pessoas favoritas da minha timeline com seus caps-locks! Se você gosta de temas polêmicos sobre... tudo, pode acompanhar o seu Twitter: @daysed. Ela também está no Facebook e no blog Nem Um Pouco Épico .

Enquanto Dayse não nos agracia com mais livros divertidos, vamos conversar sobre “Nada Dramática”! Já leram? Querem ler? Comentem!





Fernanda Karen Estudante de Serviço Social com o coração no curso de Letras. Apaixonada por séries, dramas e café. Bookaholic  irrecuperável e promíscua literária. Eventualmente estou trocando um de meus rins por livros muito desejados. (Qualquer coisa é só entrar em contato). Amo YA, ficção-fantasia, clássicos (brasileiros, portugueses, ingleses, latinos etc), chick-lits... Perceberam que meu preconceito literário é zero? Ops, quase zero; não leio auto-ajuda.

quinta-feira, setembro 25, 2014

Livros Nacionais Na Minha Estante...Por Anne Magno.

Oi gente, voltei para participar da nossa I Semana Nacional Pai D'egua, ando meio enrolada entre pré-projetos, resenhas e estudos, então não estou tão presente nesse nosso evento, mas, resolvi vir ate vocês brevemente apresentar os nossos nacionais que estão abrilhantando as minhas estantes, descrever uma frase que os resuma, e fazer uma rápida avaliação de livros (de 1 a 5). Para quem já me conhece sabe que dois tipos de livros que sempre estão presentes na minha estante são os de vampiros e os romances. Então, lá vamos nós:


Livro: Híbrida
Autora: Mari Scotti
Nota: 3 (bom)

É um livro envolvente, a história da Ellene procurando os pais biológicos, e do Milosh tentando entender onde a rainha foi parar! Bem construído, mas não ouvi nem noticias dos outros livros da série..TT.TT


Livro: Anjos Das Trevas
Autora: Fernanda Vernon
Nota: 3 (bom)

Só o fato de envolver vampiros, o livro já me cativou na compra, mas quando você encontra um livro onde os vampiros, são a moda antiga, sedutores, românticos, e o livro ainda vem cheio de intrigas, é um livro que se tem que ler.


Livro: Lázarus
Autora: Georgette Silen
Nota: 4 (Ótimo)

Outro livro de vampiros em série! Lembro que quando o comprei, o que mais se ouvia entre os bookaholics era uma queixa incessante sobre os lançamentos de romances de vampiro em que os vampiros pouco pareciam vampiros. Paro os que sentem falta de vampiros alá Anne Rice. Fica a dica.


Livro: Perdida
Autora: Carina Rissi
Nota: 5 (Tem que ler URGENTE!)

Primeiro romance de época que li, que foi escrito por uma autora fofíssima e brasileira, o livro pelo qual a Carina Rissi ganhou todo o meu respeito.


Livro: Louca Por Você
Autora: A. C. Meyer
Nota: 5 (Tem que ler URGENTE!)

Uma série de livros rápidos, envolventes, bem construídos e engraçados. Livro lançado esse ano, e já espero ardentemente pelos próximos. Me ganhou pela história e pela playlist.



Livro: O Artífice
Autora: Tony Ferraz
Nota: 3 (bom)

Um livro que li em preto e branco, kkk, em minha mente ele todo era tipo aqueles filmes em preto e branco de suspense. Gostei do livro, e só tenho uma coisa para recomendar. Se preparem emocionalmente e psicologicamente para o final do livro!!!!

Livro: Os Sete Selos
Autora: Luiza Salazar
Nota: 3 (bom)

Para quem curte batalhas entre anjos, demônios e nefilins. Um livro que fala sobre um tentativa da ´´Agência`` em conter atividades paranormais de todos os gêneros, utilizando todas as armas possíveis, mesmo que tenham que arcar com consequências desastrosas para a humanidade.

Livro: Simplesmente Ana
Autora: Marina Carvalho
Nota: 5 (Tem que ler URGENTE!)

Me fez lembrar muito do tempo que li a série diário de uma princesa, só que a história da Ana é para um publico um pouco mais maduro. E a playlist também é muito boa, gente, tem Bon Jov!


Livro: Contos De Meigan
Autora: Roberta Spindler e Oriana Comesanha 
Nota: 5 (Tem que ler URGENTE!)

Só tem uma palavra, boa o suficiente para descrever o porque você tem que ler ele Já, e essa palavra é: Seth! E tenho dito!

Livro: A torre Acima Do Véu
Autora: Roberta Spindler
Nota: 5 (Tem que ler URGENTE!)

Esse também é um livro da escrito mais assediada do nosso club do Livro, mãe do meu amado guardião Seth, e nesse livro ela dá vida a polemica e problemática vida nas alturas, atualmente governados por Emir, o incompreendido e obscuro...kkk...na minha humilde opinião de fã.

Espero que vocês tenham gostado da minha booklist...

Abraços de urso!

Eu Li: Enquanto a Chuva Caía - Christine M.


Título:
Enquanto a Chuva Caía
Autora:
Christine M.
Editora:
Novas Páginas
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC


Erik não procura mais a garota dos seus sonhos. Vive em busca de adrenalina e de uma razão para continuar cumprindo tarefas obscuras. Ele sabe que é muito bom no que faz e não vê nada que possa ser melhor do que os seus dias repletos de perigo. O que Erik não esperava é que sua paixão por correr riscos seria a sua ruína. Ameaçado, ele precisa fugir para o exterior e viver disfarçado de cidadão comum, trabalhando como advogado em uma grande empresa. Marina comanda o império da família depois de seu pai ter sucumbido ao mal de Alzheimer. Precisa suportar ver os pais tombarem diante da ação implacável do tempo, enquanto ainda carrega a ferida provocada pela morte do jovem marido. Com o comando das empresas nas mãos, ela percebe que nem todas as atividades da corporação obedecem aos manuais de boa conduta. Quando ambos se encontram, presente e passado se misturam, dando início a um mistério arrebatador que os atrai a uma paixão incontrolável. No entanto, os segredos, cedo ou tarde, virão à tona e os colocarão em lados opostos da balança. Nenhum dos dois é inocente, mas será que eles aceitarão as verdades que tanto se empenham em esconder? É possível construir um futuro mesmo depois de descobrir que nesta história não há mocinha nem herói? 

Marina tem apenas 26 anos, mas já teve sua cota desafios e perdas. Ficou viúva há dois anos, quando seu jovem marido, médico e soldado, faleceu no Iraque. Precisou assumir o posto de CEO da empresa de consultoria de seu pai quando este sucumbiu ao mal de Alzheimer, e precisou lidar com a pressão de milhares de colaboradores achando que ela levaria a empresa à falência em pouco tempo. Ainda está de luto por seu marido, cuja "tumba" visita todas os dias, impreterivelmente, se não se sente sufocada e angustiada. Essa é Marina, lutando todos os dias para seguir em frente.

Erik tem 27 anos, mas desde cedo leva uma vida perigosa, e quando digo isso me refiro a receber envelopes com missões, assustar ou matar pessoas, e receber dinheiro por isso. Se escondendo atrás de uma fachada de jovem advogado consultor, ele ama a adrenalina e o perigo, e ainda não encontrou nada na vida capaz de fazê-lo superar esse amor por seu lado obscuro. 

Quando eles se conhecem, em meio a admissão de Erik na empresa de Marina como consultor, e ao escândalo provocado por uma denúncia de assédio sexual contra o pai dela, eles se vêem irremediavelmente atraídos, e acabam se envolvendo em uma relação que vai se mostrar de muitas formas arrebatadora, mas também cheia de mistérios e intrigas que podem acabar com eles.

A autora nos apresenta a um casal improvável e sofrido, cujas perdas marcaram suas vidas e de certa forma moldaram suas personalidades. É possível perceber isso e impossível não levar em consideração ao fazer o julgamento sobre os personagens. Convenhamos, Erik, apesar da beleza, não parece muito confiável e seu passado obscuro me dá calafrios. 

A partir do momento em que eles começam a se relacionar e as intrigas e mistérios começam a se apresentar, fica impossível largar o livro. Por ser contado em primeira pessoa, alternando entre os pontos de vista dos dois protagonistas, fica melhor entender o que se passa na cabeça deles e as razões deles para determinadas atitudes. 

É um livro ótimo, com um enredo super interessante e um romance atraente, cheio de mistérios e intrigas, passados relacionados e segredos obscuros. Apesar de Erik e Marina serem os protagonistas, meu personagem favorito é James, o melhor amigo dela, com seu jeito protetor e engraçadinho, charmoso e irônico. Eu li esse livro de uma sentada só, no final da noite e começo da madrugada, o que me rendeu olheiras maravilhosas no dia seguinte. Valeu!

Minhas ressalvas se relacionam ao fato de eu ter achado alguns acontecimento um pouco forçados ou rápidos demais. O próprio início de relacionamento deles para mim pareceu corrido. Sim, são duas almas machucadas que encontram consolo em uma relação amorosa, mas mesmo assim. Também senti falta de algumas cenas hot, afinal eles são adultos e a autora poderia ter explorado isso de uma forma legal, para aproveitar a tensão sexual entre eles, mas enfim, tirando isso, é perfeito para o que se propõe: momentos de tensão, suspiros e recomeço.

A escrita da Christine é ótima, muito fácil de entender, muito fluida, o que faz ser possível ler o livro bem rapidinho, apesar do assunto um pouco denso. Amo a escrita dela, uma das coisas me que fez ficar toda empolgada quando soube desse lançamento, e provavelmente é o que sempre me fará ficar empolgada pelos futuros lançamentos. Posso nem saber a sinopse, mas vou ler de qualquer jeito. Já sabem que eu amo romances, não é? Eles tem um cantinho especial no me coração .

A autora pode ser encontrada no Twitter e através de sua página no Facebook.


quarta-feira, setembro 24, 2014

Eu Li: A Ameaça Invisivel - Anômalos #2 - Bárbara Morais


Título:
A Ameaça Invísivel
Autora:
Bárbara Morais
Editora:
Gutenberg
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC


O cerco se fecha contra os anômalos e o cotidiano nas Cidades Especiais começa a mudar. De início, o direito de ir e vir é privado, e a isso se seguem outras medidas restritivas, o que inspira uma rebelião e deixa a situação a um passo de uma guerra civil. Em meio a diversas facções, que defendem ideologias e métodos diferentes de fazer justiça, cada vez é mais difícil enxergar a situação com clareza, e Sybil tem pela frente novos desafios, que põem à prova suas convicções. Em situações desgastantes e por vezes desesperadoras, ela e seus amigos sentem na pele uma grande ameaça, mas não conseguem perceber quem é e onde está o verdadeiro inimigo.



“A Ameaça Invisível” é o livro 2 da trilogia Anômalos, de Bárbara Moraes e minha conclusão para esse livro é: WOW! A autora apresenta ao leitor uma nova forma de conflito. Algo mais sutil, porém não menos perigoso.

Após 3 meses dos eventos ocorridos em “A Ilha dos Dissidentes”, Sybil e seus amigos estão tentando esquecer o caos de sua missão, mas não é fácil superar. Pesadelos ainda assolam a cabeça de Sybil e ela percebe que não está só com as noites mal dormidas. Leon e Andrei também guardam sua própria cota de cicatrizes. Porém, não há mais tempo para remoer seus erros. Fenrir enfim aparece para lhe cobrar o ~favor~ e Sybil não tem outra alternativa senão cooperar.

Seria preciso uma longa conversa sobre o universo complexo que a autora criou para apontar todos os conflitos que o livro aborda, então vou tentar resumir bem superficialmente: Os anômalos vivem em cidades especiais porque não são bem-vindos pelos humanos. A sociedade que a autora criou é muito preconceituosa com o que é diferente e teremos um grande problema motivado por essa falta de aceitação. E, atentem vocês, temos a perspectiva de uma anômala recém-descoberta; Para Sybil, a questão racial me parece quase irrelevante, mas para o cônsul humano, obviamente, não é.

Há um ano Sybil não sabia de sua condição e vivia como humana em uma zona de guerra. Ou seja, ela tinha mais com que se preocupar, como tipo: sobreviver. Ao sair de Kali para Pandora tudo parece ter mudado positivamente, mas a garota vai perceber que era apenas uma doce ilusão. Imaginem a dificuldade que é absorver todas as coisas ruins de novo?

Os humanos são muito agressivos, sim, mas a lógica inversa também é trabalhada: O que aconteceria se os anômalos se revoltassem e tentassem assumir o controle? Muitas opções viáveis são abordadas para as questões predominantemente trabalhadas - preconceito racial e o conflito político – e achei de ótimo tom Bárbara ter levantado várias perspectivas. Mas, obviamente, teremos uma visão mais privilegiada do ponto de vista dos anômalos.

“Você não fica indignada quando sai de Pandora e vai para Prometeu e não pode entrar em uma loja? Não se sente humilhada quando trocam de rua porque você é algo que nem pode escolher? Você não acha absurdo tudo isso, de estarem nos prendendo dentro do único santuário que temos, de estarem cortando nossa comida...? Você não se sente impotente? (...)”

Gostei muito da forma que o enredo foi nos oferecendo informações gradativas sobre como os problemas vão surgindo. Observando de uma forma crítica, o título do livro é muito adequado. A perspectiva de Sybil é bastante apurada e fica fácil entender as reais dificuldades que a sociedade anômala está passando. As singularidades que se dão entre eles também são apontadas como um meio de conflito, portanto não é apenas com os humanos que eles devem se preocupar.

“A Ameaça Invisível” é um livro inteligente e interessante, e mesmo não tendo tanta ação como em “A Ilha dos Dissidentes” é ágil, tenso e emocionante. Os personagens são marcantes e muito carismáticos (estou me referindo a Andrei, sim). Vários personagens que tivemos um simples vislumbre no livro 1, terão mais destaque nessa continuação e conheceremos outros interessantes. Algumas surpresas farão parte da leitura e, aviso logo, senti uma pontada de traição por ter sido ludibriada por tanto tempo. Mas acontece, é o que dizem.

Paralelo a todos os problemas, Sybil também está com sérias dúvidas com relação a sua amizade com Andrei. Ele anda esquisito (mais do que o normal) e parece meio nervoso em sua presença. Será que a relação deles vai evoluir para algo mais?

Quero constar aqui e agora que shippo MUITO Sydrei e espero que eles casem e tenham vários filhos que nadem como tubarões. É necessário frisar que Sybil tem 16 anos e que esses sentimentos amorosos são absolutamente normais para seu contexto etário e não empobrece em nada a distopia. (E para quem é shipper, como eu, não é necessário mais do que uma faísca.)

Bárbara Morais me surpreendeu de forma muito positiva e “A Ameaça Invisível” é uma ótima mediação para a conclusão. Obviamente que algumas perguntas ficaram sem resposta, mas, não tem jeito, teremos que esperar pelo livro 3. Já a Editora Gutenberg merece uns abraços muito bem dados pelo trabalho maravilhoso. A diagramação do livro é ótima, as páginas são amareladas e grossas e a capa do livro, que é muito bonita, condiz bastante com a história.

Bárbara Moraes é super tuitera e sempre interage com os leitores sobre a história no seu Twitter. Também podemos encontrar a autora em sua página no Facebook, e não podemos esquecer a fanpage do grupo Trilogia Anômalos onde podemos teorizar sobre os acontecimentos, ameaçar a autora e compartilhar a empolgação pela história.

E vocês, conhecem os livros? Se não, corrijam essa falha de vida. Se sim, vem surtar comigo!






Fernanda Karen Estudante de Serviço Social com o coração no curso de Letras. Apaixonada por séries, dramas e café. Bookaholic  irrecuperável e promíscua literária. Eventualmente estou trocando um de meus rins por livros muito desejados. (Qualquer coisa é só entrar em contato). Amo YA, ficção-fantasia, clássicos (brasileiros, portugueses, ingleses, latinos etc), chick-lits... Perceberam que meu preconceito literário é zero? Ops, quase zero; não leio auto-ajuda.


Sorteio de Marcadores

- O formulário abaixo é válido somente para os comentários feitos nas postagens do dia 24/09/2014.
- Todos os dias as postagens virão acompanhadas de seus próprios formulários.
- No domingo, dia 28/09/2014, serão sorteados dois ganhadores para cada formulário, e cada ganhador receberá como prêmio um kit de marcadores;
- O comentário precisa ter conteúdo e relação aos posts do dia;
- O prêmio é intransferível e não pode ser convertido em dinheiro;
- O prêmio será enviado em até 30 dias úteis;
- O ganhador precisa ter um endereço de entrega nacional;

a Rafflecopter giveaway

Eu Li: Por que Indiana, João? - Danilo Leonardi


Título:
Por que Indiana, João?
Autor:
Danilo Leonardi
Editora:
Giz
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC


Você pode pensar que, aos quinze anos, João já deveria estar acostumado com provocações, apelidos e humilhações. Afinal, ele é um típico adolescente deslocado e tímido. Alvo perfeito para a ira dos valentões e para o desprezo das garotas. Mas sua vida muda completamente quando reage a um ataque de seu maior algoz. O golpe de sorte que derruba o valentão é gravado e vira hit na internet. João se vê finalmente admirado, respeitado e seguro. Mas tudo tem seu preço e João vai aprender qual o peso que suas escolhas podem ter não só sobre sua vida, mas sobre as vidas de todos ao seu redor. “Por que Indiana, João?” é o livro de estreia de Danilo Leonardi, editor do canal “Cabine Literária” e parte de uma história quase comum para falar sobre algo que não deveria ser tão comum assim e que faz parte da vida de muitos adolescentes, jovens e até de adultos: o bullying.


A estreia de Danilo Leonardi com “Por que Indiana, João?” precisa de um lugar ao sol em nossa Semana Nacional Pai D’Égua. Li o livro em pouco menos de 4 horas de tão fluída que a narrativa é, e de tão interessante que é o tema. Vamos por as cartas na mesa: “Por que Indiana, João?” fala sobre o bullying.

É deprimente ter a perspectiva de um adolescente legal que precisa passar por situações terríveis na escola. João Vitor é um cara tímido que só quer levar uma vida normal, mas que é agredido de diversas formas em seu meio escolar. O professor e os colegas acham engraçado mas, sabe como é, pimenta no olho do outro é refresco. Mas um dia, João reage e tudo muda.

Seu amigo grava a ~investida~ contra seu agressor e o vídeo vira febre na interwebs. A partir daí, João vai lidar com questões interessantes sobre o tema bullying. Claro que sua popularidade vai crescer e ele vai deixar de ser um alvo fácil, porém há outros alvos em sua escola e nada pode mudar esse fato. O bullying é tratado nesta obra do ponto de vista da vítima e achei muito sóbrio da parte do autor a perspectiva que ele nos dá. Não há nada fantasioso ou fora do lugar.

Sempre tive uma opinião formada a respeito de bullying, que é: se impor é preciso. Mas, através da leitura de “Por que Indiana, João?” percebi que não é fácil reagir (mesmo sendo lógico) quando o mundo parece estar contra você.O ponto de vista de João Victor é triste, porém esclarecedor. São levantadas diversas abordagens de como combater o problema do bullying na escola, ou até mesmo em casa, no contexto da narrativa e, claro, há os agredidos que não concordam com uma solução pacífica.

É interessante ter esse olhar de dentro ao mesmo tempo que vemos o panorama completo. O livro não traz uma mensagem de paz e amor, nem tão pouco de ódio ou intolerância, mas traz numa história fictícia uma perspectiva realista sobre um problema muito real. Com todo o sucesso que João Vitor faz na internet, ele acaba se tornando uma referência para os que sofrem bullying e estar em evidência implica em várias mudanças de atitude. Como será estar do outro lado agora?

Mesmo depois de tudo que aconteceu, continuo com um forte sentimento de inferioridade, porque eu sinto que todos querem que eu seja algo diferente de mim mesmo.
Ser uma pessoa calma e tímida não é bom o suficiente, eu preciso ser agressivo pra ser respeitado pela matilha. Lendo uns versos de Augusto dos Anjos no livro de literatura da escola, me identifiquei bastante: ‘O homem, que, nesta terra miserável, mora, entre feras, sente inevitável necessidade de também ser fera.’

A narrativa é em 1ª pessoa e, como supracitado, super fluída. É um livro simples e fácil com uma capa chamativa bem legal que tem muito a oferecer no conteúdo ao leitor. Os personagens são adolescentes sem nada mais fora do normal do que de costume e, como jovens da atualidade, trocam mensagens com palavras encurtadas. Preciso constar que detesto isso, mas é uma opinião totalmente particular, visto que é normal, sim, fazer o quê?

O trabalho da editora Giz é minucioso. O livro tem uma ótima diagramação e não encontrei nenhum erro na edição. Eu já conhecia o autor, Danilo Leornardi, do blog Cabine Literária. Adoro os vídeos deles, inclusive. E também podemos encontrá-lo no Twitter.

“Por que Indina, João?” é um livro muito bem trabalhado e uma ótima pedida nacional para os leitores. Ah, vou deixar o mistério do título a cargo dos bookaholics.

Leiam e me contem o que acharam!





Fernanda Karen Estudante de Serviço Social com o coração no curso de Letras. Apaixonada por séries, dramas e café. Bookaholic  irrecuperável e promíscua literária. Eventualmente estou trocando um de meus rins por livros muito desejados. (Qualquer coisa é só entrar em contato). Amo YA, ficção-fantasia, clássicos (brasileiros, portugueses, ingleses, latinos etc), chick-lits... Perceberam que meu preconceito literário é zero? Ops, quase zero; não leio auto-ajuda.


Sorteio de Marcadores

- O formulário abaixo é válido somente para os comentários feitos nas postagens do dia 24/09/2014.
- Todos os dias as postagens virão acompanhadas de seus próprios formulários.
- No domingo, dia 28/09/2014, serão sorteados dois ganhadores para cada formulário, e cada ganhador receberá como prêmio um kit de marcadores;
- O comentário precisa ter conteúdo e relação aos posts do dia;
- O prêmio é intransferível e não pode ser convertido em dinheiro;
- O prêmio será enviado em até 30 dias úteis;
- O ganhador precisa ter um endereço de entrega nacional;

a Rafflecopter giveaway

terça-feira, setembro 23, 2014

[Promoção] Concorra a um exemplar de Imgine Zumbis na Copa, de Felipe Castilho e Tainan Rocha


Como a Fernanda falou na resenha dela de Imagine Zumbis na Copa, recebemos a doação de um exemplar do livro para sortear para vocês! Muito obrigada Roberta Spindler!

Para participar é fácil. No formulário do Rafflecopter abaixo há as entradas obrigatórias, ou seja, coisas que você realmente precisa fazer para ganhar números para o sorteio, e também há chances extras, não obrigatórias, e que depende de você querer fazer ou não. Preencham o formulário e já estão concorrendo!

Quem será que vai ter a chance de ler esse super HQ hein?
a Rafflecopter giveaway

Qualquer dúvida, é só gritar! Boa sorte pessoal!

Eu Li: Imagine Zumbis na Copa - Felipe Castilho e Tainan Rocha



Título:
Imagine Zumbis na Copa
Autor:
Felipe Castilho e Tainan Rocha (ilustrações)
Editora:
Gibiz
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC


A Copa do Mundo chega à sua Grande Final. E é justamente durante este jogo decisivo que o fim da humanidade pode ter se iniciado. Por trás das câmeras e sobre o gramado, três pessoas enfrentam suas próprias batalhas, antes de perceberem que o maior pesadelo de uma nação pode não ser uma derrota em casa... e que nenhuma tragédia esportiva na história chegou ao nível do que está para acontecer dentro dos portões do Maracanã.


Ano de copa. Final de jogo. Um juiz comprado. Um ex-jogador famoso caído no esquecimento. E zumbis.

A HQ “Imagine Zumbis na Copa”, lançado pela editora Giz, veio nos dar uma outra possibilidade para nosso ano de copa. Com uma história diferente e interessante, Felipe Castilho nos convida a imaginar o improvável. O incrível: E se na final da Copa do Mundo de futebol surgisse uma epidemia que transmite algum tipo de vírus que transforma os humanos em criaturas que reagem a apenas impulsos primitivos?
Tipo: comer.
No meio da transmissão da partida final da Copa, a arquibancada está fora de controle. A rede de televisão não pode mostrar a realidade ou algo pior pode acontecer.

Paralelo ao conflito no ambiente da história, nos deparamos com histórias de vidas dramáticas e bem construídas: O astro da seleção que é visto como o imprescindível no time (familiar? Hm);O juiz haitiano que teve uma infância extremamente difícil, mas que conseguiu chegar ao ápice para apitar a partida mais importante da copa. Porém, a que preço?;O ex-jogador que foi uma estrela no passado, mas hoje tem seu nome apenas como chacota na imprensa. 

Felipe Castilho trabalhou pontos relevantes que deram consistência ao enredo, mesmo sendo uma leitura rápida. (Quase tão rápida quanto a Alemanha nos 4 primeiros gols da nossa ilustre surra nesta copa. Sdds, copa, inclusive.)

A arte é de Tainan Rocha. Não sou perita em arte gráfica, porém fiquei impressionada com os traços da HQ. As imagens inspiram a tensão que a história oferece de forma meio. O traço é meio irregular e achei conveniente como casou bem com o enredo.“Imagine Zumbis na Copa” é uma história interessante sobre uma realidade alternativa. Quem sabe aconteceu em algum universo paralelo? Rs.
Essa não é a primeira obra de Felipe Castilho. O autor já lançou “Ouro, Fogo & Megabytes” e “Prata, Terra & Lua Cheia”, livros da série O Legado Folclórico (que lerei muito em breve). O Felipe pode ser encontrado no Twitter e no Facebook. Quanto ao artista Tainan Rocha, suas artes podem ser encontradas no Tumblr e no Facebook.

E como agrado para os queridos leitores, o blog vai sortear um exemplar de “Imagine Zumbis na Copa” para vocês! (Agradeçam à nossa doadora Roberta Spindler!) Daqui a pouco tem post com a promoção!






  Fernanda Karen Estudante de Serviço Social com o coração no curso de Letras. Apaixonada por séries, dramas e café. Bookaholic  irrecuperável e promíscua literária. Eventualmente estou trocando um de meus rins por livros muito desejados. (Qualquer coisa é só entrar em contato). Amo YA, ficção-fantasia, clássicos (brasileiros, portugueses, ingleses, latinos etc), chick-lits... Perceberam que meu preconceito literário é zero? Ops, quase zero; não leio auto-ajuda.


Sorteio de Marcadores


- O formulário abaixo é válido somente para os comentários feitos nas postagens do dia 23/09/2014.
- Todos os dias as postagens virão acompanhadas de seus próprios formulários.
- No domingo, dia 28/09/2014, serão sorteados dois ganhadores para cada formulário, e cada ganhador receberá como prêmio um kit de marcadores;
- O comentário precisa ter conteúdo e relação aos posts do dia;
- O prêmio é intransferível e não pode ser convertido em dinheiro;
- O prêmio será enviado em até 30 dias úteis;
- O ganhador precisa ter um endereço de entrega nacional;

a Rafflecopter giveaway


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo