sexta-feira, novembro 01, 2013

Eu Li: A Ilha dos Dissidentes - Bárbara Morais


Título:
A Ilha dos Dissidentes
Autora:
Bárbara Norais
Editora:
Gutenberg
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC

SER LEVADA PARA uma cidade especial não estava nos planos de Sybil. Tudo o que ela mais queria era sair de Kali, zona paupérrima da guerra entre a União e o Império do Sol, e não precisar entrar para o exército. Mas ela nunca imaginou que pudesse ser um dos anômalos, um grupo especial de pessoas com mutações genéticas que os fazia ter habilidades sobre-humanas inacreditáveis. Como única sobrevivente de um naufrágio, ela agora irá se juntar a uma família adotiva na maior cidade de mutantes do continente e precisará se adaptar a uma nova realidade. E logo aprenderá que ser diferente pode ser ainda mais difícil que viver em um mundo em guerra.


 “A ilha dos dissidentes” é o livro 1 da trilogia “Anômalos”, da autora nacional Bárbara Morais – ou Bell (ex @Mecutuca) – e foi lançando recentemente pela editora Gutenberg. O livro é uma incrível mistura de clichê e inovador. E sim, é um elogio!

Sybil é uma anômala, e ela descobriu da forma mais trágica possível. O navio que a levaria para trabalhar em um campo de refugiados – Titanic III, só para constar – afunda e dentre três mil e quinhentos mortos, ela é a única sobrevivente.Sua mutação se revelou em momentos críticos para sua sobrevivência na água, mas Sybil é experiente em ser sobrevivente. Kali é uma zona de guerra entre a União e o Império do Sol e normalmente as pessoas são mandadas para o exercito. Sybil não queria esse destino. A personagem me chama a atenção de cara se mostrando forte e esperta desde o primeiro capítulo.

“Não desvio o olhar. Em Kali, aprendemos desde pequenos que pessoas com poder – militares, políticos, ricos – gostam de intimidar. Se eu piscar uma vez, ele achará que pode me dominar. Não sustentar seu olhar seria dar permissão para que o abuso continue.”

Quando ela escolheu ir para o campo de refugiados, Sybil não sabia de sua condição. Portanto, jamais imaginaria que iria parar em Pandora, uma grande cidade anômala da União. Diferente de Kali, é fácil se adaptar em Pandora. Sua nova rotina é tranquila com Rubi e Tomás, sua mãe e irmão adotivos e Dimitri, seu tio e cozinheiro.

Tudo em Pandora é especialmente adaptado para as necessidades dos anômalos. Em sua nova escola, ela aprende mais sobre sua habilidade e seus novos amigos são divertidos (principalmente Andrei, que tem um quê de tratante encantador). No entanto, essa rotina tranquila vai se alterar e Sybil perceberá que também existem horrores fora das zonas de guerra.  

“Essa guerra existe desde antes do seu pai ter nascido. Você realmente acha que vai acabar um dia?”

Bárbara Morais criou uma distopia interessante e nos apresenta um novo mundo dividido entre humanos e anômalos. Os dissidentes não aceitam as diferenças das mutações e eles planejam algo. Guerras, conflitos políticos e sociais, preconceitos, direitos violados... o pano de fundo é um espelho de nossa sociedade, só que sem os super-poderes. E, claro, nem sempre a auto-aceitação é fácil para alguns.

 “A impressão que elas têm de você não é a verdade. Não é o respeito delas que vai fazer você melhor ou pior! O que os outros acham de você não a define, e sim como você se vê, a forma como pensa de si mesma."

“A ilha dos dissidentes” é um livro com boas sacadas e críticas inteligentes. O livro 1 é apenas uma introdução para algo maior e, sim, muitas perguntas ficaram sem respostas, no entanto, ele sugere muitas coisas e a construção da história tem grande potencial. Alguns personagens são muito bem construídos. Me apeguei de verdade a alguns e a tensão deles refletiu diretamente em mim. Andrei e Leon são incríveis (e me refiro a personalidades, não apenas as mutações)! Certos personagens foram poucos explorados, como os próprios pais adotivos de Sybil e outros amigos que pareciam que seriam importantes no livro 1, mas não foi o caso.

A narrativa é em primeira pessoa, e Sybil é legal o suficiente para nos dar bons momentos de risos (em diálogos com Andrei, normalmente) e epifanias que nos faz perceber que, droga, a vida não é muito justa! Em certo momento da narrativa a ação dos acontecimentos deixa as tensões à flor da pele e a leitura torna-se dinâmica. Termina rápido demais e OMG KD O LIVRO 2, BELL?!

“A ilha dos dissidentes” é um ótimo começo para essa trilogia que promete (me fazer arrancar os cabelos)! A autora foi meio malvada por terminar bem no meio da construção da história, mas ok.
Mentira, estou ansiosíssima pela continuação!



Fernanda Karen Estudante de Serviço Social com o coração no curso de Letras. Apaixonada por séries, dramas e café. Bookaholic irrecuperável e promiscua literária. Eventualmente estou trocando um de meus rins por livros muito desejados. (Qualquer coisa é só entrar em contato). Amo YA, ficção-fantasia, clássicos (brasileiros, portugueses, ingleses, latinos etc), chick-lits... Perceberam que meu preconceito literário é zero? Ops, quase zero; não leio auto-ajuda.

10 comentários:

  1. Yeeeeeey! Muito feliz que você gostou!!!
    Esse lance dos pais da Sybil mal aparecerem ou de outros personagens não mostrarem importância é porque a narrativa é em primeira pessoa, a gente vê a história através da Sybil mesmo, o que ela pensa e percebe. E ela é refugiada de guerra, ela não é de se apegar ou preocupar muito com o que os outros estão fazendo. Tem toda uma análise comportamental aí e tal!
    hahahaa

    <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AGENTE E ADVOGADA! Mas é muito linda mesmo!
      Senti falta da interação com os demais personagens, MAS ELA É MANDADA PRA MISSÃO MUITO RÁPIDO E MEIO QUE NEM DÁ TEMPO, NÉ.
      Estou MUITO ansiosa pelo livro 2! Bota quente na Bell, Sauron! HAHH <3
      Obrigada por comentar!

      Excluir
  2. Sabe, estou mais que ansiosa por este livro. A história me conquistou por completo. Principalmente depois dessa resenha fiquei mais curiosa a respeito dos personagens e essa história de dissidentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é muito bom, Beth!
      Tu precisa conhecer!
      Nossa, se eu elogiar o que merece vou fazer outra resenha, então só anota: LÊ URGENTE! <3

      Excluir
  3. É por isso que eu nunca leio trilogias que não estejam completas, não é nem por eles serem belíssimos mas tenho muito amor aos meu cabelos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, Cris, esse caso é sério, mas esperar demais também é complicado, né?
      Esse gostinho de ficar anseio até que é bom! Sempre fui muito curiosa e, bem, livros costumam demorar pelo menos 1 ano pra sair, e se tu esperar 3 anos para completar a trilogia CÊ VAI PERDER A EMOÇÃO!
      Corre pro livro e deixa teus cabelos na berlinda! HAHHA <3

      Excluir
  4. É um livro interessante e diferente. Essa junção de guerra e poderes sobrenaturais caiu bem para ele, eu gostaria muito de ler. Agora só me resta saber se a historia será boa mesmo, pois tem tudo para ser, mas me pareceu meio parada no mesmo lugar. Bom, só lendo para saber.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu completamente amo clichês e se ele é inovador ai sim eu amo! Quem não ama originalidade? Coisas novas? Momentos novo? Eu amo livros desse estilo, estou apaixonada por distopias, eu tinha um pouco de preconceito, mas depois que comecei a ler simplesmente me apaixonei por esses novos mundos, novo tipo de governo. Mas uma coisa que você não deixou claro na sua resenhas era se teria algum romance. Vai ter?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela apenas sugeriu.....................
      MAS EU JÁ TENHO SHIP PRONTO <3
      SYDREI <3
      Espero que ela trabalhe neles!

      Excluir
  6. No nesse período você estava imersa em distopias até o último cachinho de seu cabelo né?
    kkkk...

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo