quarta-feira, agosto 26, 2015

Eu Li: Prometo Falhar - Pedro Chagas Freitas

 Título:
Prometo Falhar
Autor:
Pedro Chagas Freitas
Editora:
Novo Conceito
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC
Prometo Falhar é um livro que fala de amor. O amor dos amantes, o amor dos amigos, o amor da mãe pelo filho, do filho pela mãe, pelo pai, o amor que abala, que toca, que arrebata, que emociona, que descobre e encobre, que fere e cura, que prende e liberta. Em crônicas desconcertantes, Pedro convida o leitor a revisitar suas próprias impressões sobre os relacionamentos humanos.
A linguagem fluida, livre, sem amarras, faz querer ler tudo de uma vez e depois ligar para o autor para terminar a conversa . Medo, frustração, inveja, ciúme e todos os sentimentos que nos ensinaram a sufocar são expostos sem pudores. Mergulhe de cabeça numa obra que mostra que é possível sair ileso de tudo, menos do amor. Você escolhe a ordem em que vai ler as crônicas do jovem escritor que tem 21 obras publicadas e é sucesso de vendas em Portugal.
Prometo Falhar foi o livro mais vendido de Portugal em 2014 e chega ao Brasil com mais de 100 mil cópias vendidas na edição portuguesa. 
Eu não conhecia Pedro Chagas Freitas e nem uma de suas obras, mas algo em mim diz que isso era um erro terrível que o destino corrigiu recentemente com “Prometo falhar”, lançado pela Editora Novo Conceito nesse mês.

Sempre amei crônicas. Esses textos ricos que acontecem no dia-a-dia sempre me inspiraram. Martha Medeiros é uma de minhas queridinhas, mas Pedro Chagas Freitas entrou por uma porta nova. O autor português escreve sobre amor em suas diversas fases: da paixão que incendeia; das revoltas e delicias que, eventualmente, a rotina nos dá; do amor desmedido, exagerado e louco. Também tem espaço para desamores, porque o fato de deixar de ser amor não significa que nunca foi amor. Sempre achei um erro essa história de que “só se ama uma vez e se acabou, não era amor”; que mania ridícula que temos que catalogar sentimentos. Amores vão e vem ou são eternos.. depende da sorte/personalidade das pessoas.

"gosto é de pessoas e de sentir que existo quando olho para alguém.."
E Pedro Gabriel Chagas vem derramar palavras em formas de sentimentos transformando poesia em prosa. É incrível o poder que alguns autores tem de alterar ambientes para se fazer presente. Juro pra vocês que sempre leio as crônicas desse homem numa cama desarrumada de lenções brancos, mesmo que eu esteja no ônibus indo para o trabalho ou esteja em casa, deitada em minha própria cama de lenções estampados. E amo essa sensação. Queria sentir isso todos os dias.

"e nos protege mesmo."
Pedro Chagas Freitas não escreve palavras, ele escreve sensações e sentimentos. É muito palpável e apaixonante ter uma obra que nos toca dessa maneira.
E aos que pensam que para falar de amor tem que falar bonito, engana-se. A escrita do livro é super fácil, fluída e direta. A tradução para o português brasileiro ficou um pouco a desejar com alguns errinhos de coerência, mas nada que incomode demais.
Tenho o costume de marcar meus livros a lápis e, acreditem, meu exemplar de "Prometo Falhar" está mergulhado em grafite! ♥

O autor estará na Bienal do Livro no RJ deste ano, no dia 05 de setembro. Nem acredito que terei a oportunidade de conhecê-lo, abraçá-lo e suspirar. Gente, vou suspirar muito nesse homem! 
"Prometo falhar" é, sem dúvida, apenas o primeiro de muitos livros do autor que namorarei. Em breve mais amor para vocês. 

Leiam e dividam comigo esses sentimentos adoráveis. 

"Tento te provar que os poemas são de carne, nunca de versos..."

segunda-feira, agosto 24, 2015

Eu Li: Kaori e o Samurai Sem Braço - Giulia Moon

Título:
Kaori e o Samurai Sem Braço
Autora:
Giulia Moon
Editora:
Giz
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC
Março de 2011, Brasil. Uma bela vampira, Kaori, procura confortar seu amigo Takezo, que sofre com as notícias alarmantes sobre o tsunami que devastou o Japão, sua terra natal. As lembranças de outra catástrofe semelhante do passado levam Kaori a recordar o ano de 1782, quando conheceu um certo samurai sem braço: Migitê-no-Kitarô, um exterminador de monstros. Kaori narra ao amigo as aventuras eletrizantes que viveu junto com Migite-no-Kitarô e a sua fiel companheira Omitsu, a mulher-raposa, enfrentando demônios e espectros do folclore japonês. O objetivo do trio é exterminar um terrível monstro devorador de almas, mas essa missão os levará ao mais arriscado dos confrontos: o desafio de enfrentar a si mesmo, às próprias fraquezas e arrependimentos, numa luta de vida ou morte!

Quem é leitor assíduo de fantasia sabe que elas podem ser bem cruéis, às sempre. Eu sei disso porque sofro por várias. Mas “Kaori e o samurai sem braço” é diferente. O livro me remeteu aquelas histórias informativas e gostosas de outros costumes que, no caso aqui abordado, é sobre a cultura asiática. 

“Kaori e o samurai sem braço” é o primeiro livro que leio sobre a vampira Kaori, mas é importante ressaltar que este livro é um spin-off dos livros centrais sobre ela. 
Giulia Moon já lançou “Kaori: Perfume de Vampira” e “Kaori 2: Coração de Vampira”, também pela Giz Editorial, e o que ouço sobre esses livros são de correr para o abraço. E depois desse spin off, é obviamente o que farei. 

"Seu corpo exalava uma fragrância natural única, deliciosa, que despertava nos homens, e em algumas mulheres, desejos ardentes inconfessáveis.
Não era estranho, portanto, que o seu nome, composto por um único ideograma, significasse perfume, em japonês. Sim. Kaori era um nome simples, que simbolizava tudo o que ela era: uma menina com perfume de mulher."

“Kaori e o samurai sem braço” é um livro curtinho sobre as lembranças de um acontecimento especial das primeiras décadas da vampira Kaori. Nós, que somos best de vampiros, sabemos que eles são imortais; A não ser que eles encontrem com estacas, inimigos perigosos ou com o bom e velho sol, essas criaturas costumam viver muito tempo (assim disse a expert no assunto: euzinha ahahah). 
E entre demônios, espectros e outras criaturas perigosas e sobrenaturais do folclore japonês, Kaori vive altas aventuras junto com o samurai sem braço Kitarô e a sua fiel companheira, Omitsu, a mulher–raposa. 
Os três estão à procura de Shinkû, um monstro devorador de almas que trará diversos desafios perigosos para o trio que serão extremamente emocionantes para os leitores! Em meio a essa aventura, eles passam por diversas situações isoladas, dando ao leitor praticamente uma história diferente por capítulo. 

O livro é esteticamente lindo. Já devo ter comentado aqui, mas vale repetir: amo os livros da Giz Editorial. Eles são muito cuidadosos e obviamente interessados em deixar seus livros bem feitos e atrativos aos leitores. “Kaori e o samurai sem braço” é repleto de ilustrações - que foram feitas pela própria autora - e diagramação, capa, revisão... tudo ótimo. 

Todo o enredo de “Kaori e o samurai sem braço” é delicioso. Os personagens me lembraram muito os de mangás e animes, então quem curte esse tipo de arte, vai adorar. Também, em meio ao enredo, dá para mensurar bem a diferença da cultura japonesa da brasileira. Eles são tão educadamente serenos. Até em fúria eles são corteses e isso é tão awn ♥. A autora Giulia Moon é descente de japoneses então ela sabe do que está falando! 

O livro foi lançado em 2012 e para quem quer uma fantasia leve para se deliciar, “Kaori e o samurai sem braço” é uma ótima pedida. O li de uma sentada só e realmente adorei. 
"Mas Fernanda, tem problema ler primeiro este e depois ler os livros centrais sobre Kaori?" Não, queridos leitores, não há problema nenhum em começar pelo spin-off. Essas histórias são aleatórias e só vai fazer vocês se apaixonarem e correrem para "Perfume de vampira" e "Coração de vampira". 
A autora também lançou no ano passado um livro de contos chamado "Flores Mortais", que já foi resenhado aqui. Também tem um conto sobre Kaori nele ♥ 

E vocês, já conhecem, ou querem conhecer, alguma obra de Giulia Moon? Se sim, dividam comigo aqui nos comentários!



segunda-feira, agosto 17, 2015

[Novidades] 'Amor na TPM', da Fernanda Mello, é lançamento de agosto da Editora Empíreo



Se as pessoas que convivem com as mulheres que estão na TPM se sentem mal por tabela, imagina como estamos nos sentindo?! A escritora Fernanda Mello decidiu escrever um livos com dicas bem-humoradas sobre o que fazer nesses dias de tensão (literalmente!). Confiram um pouco sobre o livro que será lançado agora em agosto pela Editora Empíreo.

~> Sobre o livro


Todo mês é a mesma coisa. Um turbilhão de sentimentos e sensações provocado pela tão conhecida TPM, uma verdadeira montanha-russa com o painel de controle quebrado. Mal compreendida por muitos, a tensão pré-menstrual faz parte da vida das mulheres desde muito cedo e, por tabela, da rotina de qualquer um que esteja a um raio de 500 metros. Pensando nesse dilema universal, a escritora Fernanda Mello lança o livro Amor na TPM – Saia com vida desse labirinto emocional feminino.  Com base em experiências pessoais e em entrevistas com médicos, psicólogos e convidados, Fernanda conta com muito humor tudo que a maioria das mulheres passa quando está de TPM. Mais do que isso: ela dá dicas preciosas sobre como lidar com as situações mais embaraçosas que os hormônios descontrolados podem criar. “Escrevi com intuito de expor maneiras de amenizar os inevitáveis impactos desse comportamento”, conta.  Segundo a autora, Amor na TPM é um verdadeiro manual de sobrevivência para qualquer pessoa que conviva com, pelo menos, uma mulher. “Namorados, namoradas, maridos, filhos, pais, irmãos, primos, vizinhos, colegas de trabalho, pipoqueiro, o homem da banca da feira etc”, não há quem não consiga aproveitar a dicas de Fernanda. ”Quem tem ou convive com uma mulher na TPM, sabe que todas as relações sociais são afetadas pela confusão que os hormônios executam no corpo feminino e é preciso sabedoria para lidar com elas”, diz Fernanda.

~> Sobre a autora


:)

Escritora e compositora, Fernanda Mello ficou conhecida por seu blog Coração na Boca e pela composição de músicas para bandas como Jota Quest, Tianastácia, Wanessa Camargo, Negra Li, entre outros, incluindo sucessos como: “Só hoje; “O que eu também não entendo”; “Mais uma vez”. 

Como escritora, a mineira possui dois livros publicados. Em 2009, lançou “Princesa de Rua”. O livro de crônicas foi sucesso entre o público e teve sua primeira edição esgotada em menos de um ano. Em 2011, investiu em um novo formato para seus textos: as crônicas digitais. Os vídeos foram publicados em seu canal, que possui hoje mais de um milhão de acessos. Em 2013, ela lançou o livro infantil "O menino que queria abraçar o mundo".

~> Sobre o lançamento:


O lançamento oficial do livro será dia 18 de agosto, a partir das 18h, no Bar Jângal (Rua Outono 523, Cruzeiro), em Belo Horizonte, Minas Gerais, e a entrada é gratuita.

Mas se você não puder ir ao lançamento, não se preocupe, o livro está em pré venda pelo site http://www.kickante.com.br/campanhas/pre-venda-do-livro-o-amor-na-tpm. Através desse link você pode escolher comprar o kit que quiser do livro, ou seja, pode escolher comprar com arcadores ou não, autografado ou não, e o preço varia de acordo com o kit que você escolher. Os kits disponíveis para o livro são: 

.

É ótimo poder escolher o kit que é a mais a sua cara né? Então aproveita e corre para comprar! Em breve mais novidades sobre o livro :)


sexta-feira, agosto 14, 2015

[Novidades] Lançamentos de agosto das Editoras Arqueiro, Sextante e Saída de Emergência!

Os meses vão passando, mais livros lindo vão sendo lançados, e nossas wishlists vão crescendo mais e mais. Precisamos de um vira-tempo para ontem! 

Maaas, como somos sadomasoquistas em relação aos livros, que tal conhecer mais livros que muito possivelmente entrarão nas wishlists de vocês? 

~> Editora Arqueiro 



O despertar do príncipe é o primeiro volume da aguardada série Deuses do Egito, uma aventura fascinante que vai nos transportar para cenários extraordinários e nos apresentar a criaturas fantásticas da rica mitologia egípcia.

Liliana Young tem uma vida aparentemente invejável. Ela mora em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem-sucedidos, recebe uma generosa mesada e tem liberdade para explorar a cidade. Um dia, na seção egípcia do Metropolitan Museum of Art, Lily está pensando numa maneira de convencer os pais a deixá-la escolher a própria carreira, quando uma figura espantosa cruza o seu caminho: uma múmia — na verdade, um príncipe egípcio com poderes divinos que acaba de despertar de um sono de mil anos. A partir daí, a vida solitária e super-regrada de Lily sofre uma reviravolta. Uma força irresistível a leva a seguir o príncipe Amon até o lendário Vale dos Reis, no Egito, para salvar a humanidade do maligno deus Seth.



O conde enfeitiçado é sexto livro da série Os Bridgertons.

Depois de anos colecionando conquistas amorosas sem nunca entregar seu coração, o libertino mais famoso de Londres, Michael Stirling, enfim se apaixonou. Infelizmente, conheceu a mulher de seus sonhos no jantar de ensaio do casamento dela. Em 36 horas, Francesca Bridgerton se tornaria esposa do primo dele. Quatro anos depois, Francesca está livre, embora só pense em Michael como amigo e confidente. E ele não ousa falar com ela sobre seus sentimentos – a culpa por amar a viúva de John, praticamente um irmão para ele, não permite. Em um encontro inesperado, porém, Francesca começa a ver Michael de outro modo. Quando ela cai nos braços dele, a paixão e o desejo provam ser mais fortes do que a culpa. No sexto livro da série Os Bridgertons, Julia Quinn mostra, em sua já consagrada escrita cheia de delicadezas, que a vida sempre nos reserva um final feliz. Basta que estejamos atentos para enxergá-lo.



Cada livro da coleção Signos do Amor é inspirado nas características de um signo do Zodíaco. Baseado na mitologia de Sagitário, A voz do arqueiro é uma história sobre o poder transformador do amor.

Bree Prescott quer deixar para trás seu passado de sofrimentos e precisa de um lugar para recomeçar. Quando chega à pequena Pelion, no estado do Maine, ela se encanta pela cidade e decide ficar. Logo seu caminho se cruza com o de Archer Hale, um rapaz mudo, de olhos profundos e músculos bem definidos, que se esconde atrás de uma aparência selvagem e parece invisível para todos do lugar. Intrigada pelo jovem, Bree se empenha em romper seu mundo de silêncio para descobrir quem ele é e que mistérios esconde. Alternando o ponto de vista dos dois personagens, Mia Sheridan fala de um amor que incendeia e transforma vidas. De um lado, a história de uma mulher presa à lembrança de uma noite terrível. Do outro, a trajetória de um homem que convive silenciosamente com uma ferida profunda. Archer pode ser a chave para a libertação de Bree e ela, a mulher que o ajudará a encontrar a própria voz. Juntos, os dois lutam para esquecer as marcas da violência e compreender muito mais do que as palavras poderiam expressar.


Chris Pavone é autor de Os impostores, vencedor do prêmios Edgar Allan Poe e Anthony na categoria Melhor Romance de Estreia.


Não existe no mundo uma única pessoa que possa comprovar tudo o que está nestas páginas. Mas há uma pessoa que pode chegar perto disso. Há outras pessoas que poderiam, se devidamente motivadas, confirmar certos fatos. Talvez este livro seja a motivação para essas testemunhas, um impulso para revelarem suas verdades, para comprovarem esta história. Mas o autor não é uma dessas possíveis testemunhas. Porque, se o que você está lendo for um livro concluído, impresso, encadernado e distribuído para o mundo, é quase certo que eu já esteja morto.





~> Editora Sextante




Retratos de respeito, amor-próprio, direitos e dignidade.


Em 2014, a ilustradora Carol Rossetti começou a desenhar mulheres diversas para testar seus lápis de cor. Nunca poderia imaginar que suas criações despretensiosas ganhariam o mundo e iriam viralizar na internet a ponto de se tornarem matéria na CNN. Com um traço característico e frases inspiradoras, Carol quebrou tabus e espalhou uma mensagem que ecoou em mulheres do mundo todo: somos fortes, merecedoras de respeito e especiais do jeito que somos, independentemente de opiniões e julgamentos alheios. Agora, essa mensagem ganha o formato de livro e inclui textos sobre os temas centrais abordados em suas ilustrações, como corpo, estilo, identidade, relacionamentos e superação. 


Paul McKenna tem mais de 6 milhões de livros vendidos no mundo. 


Ao contrário do que se pensa, a felicidade não é determinada por fatores externos. Você pode ter muito dinheiro, uma família amorosa, uma carreira de sucesso, e ainda assim sentir um vazio por dentro. Isso acontece porque desenvolvemos hábitos e formas de pensar que nos colocam para baixo e os reforçamos dia a dia, fazendo com que nossa mente adote padrões nocivos que alteram o funcionamento do cérebro. A boa notícia é que a felicidade é uma escolha e está à disposição de todos nós. Você não precisa mais achar que só será feliz quando conseguir atingir algum objetivo — a hora de mudar e aprender a ser feliz é agora mesmo. Com um método simples e amplamente comprovado, o hipnotista Paul McKenna vai ensinar você a fazer as pazes com as suas emoções e a criar uma sensação duradoura de felicidade. Assim, a cada dia, você vai experimentar mais e mais episódios de alegria verdadeira, amor e gratidão.



A executiva de Wall Street Caroline L. Arnold um dia percebeu que seu sucesso profissional não se refletia nas realizações pessoais. Quando decidia emagrecer, economizar dinheiro ou ser mais organizada, começava com entusiasmo e determinação, mas logo perdia a força de vontade. Se você se identificou, saiba que quase 90% das resoluções de autoaperfeiçoamento acabam em fracasso. Essas derrotas consecutivas podem fazer você tomar medidas cada vez mais drásticas para conseguir alguma mudança, mas, na verdade, é uma pequena atitude que lhe dará mais chances de alcançar seu objetivo. Este livro apresenta o bem-sucedido sistema das microrresoluções – um conjunto de regras, modelos e exemplos que irá ajudar você a concentrar seu autocontrole em um comportamento específico até ele se tornar tão automático quanto amarrar os sapatos. Ao redirecionar o foco da sua força de vontade, você poderá ter êxito logo na primeira tentativa e verá o impacto que uma grande mudança pode ter na boa forma, nos relacionamentos, na carreira, na saúde, no sono, nos gastos, na organização e na pontualidade. Pequenas atitudes, grandes mudanças mostra que, enquanto a resolução tradicional promete recompensas a longo prazo, as microrresoluções funcionam porque os benefícios são imediatos, alterando nossa rotina e, em última análise, a nós mesmos.



Com 25 milhões de livros vendidos sobre temas como crescimento pessoal, inteligência e qualidade de vida, o psiquiatra Augusto Cury debruça-se aqui sobre nossa capacidade de sonhar e quanto ela é fundamental na realização de nossos projetos de vida. Os sonhos são como uma bússola, indicando os caminhos que seguiremos e as metas que queremos alcançar. São eles que nos impulsionam, nos fortalecem e nos permitem crescer. Se os sonhos são pequenos, nossas possibilidades de sucesso também serão limitadas. Desistir dos sonhos é abrir mão da felicidade, porque quem não persegue seus objetivos está condenado a fracassar 100% das vezes. Analisando a trajetória vitoriosa de grandes sonhadores, como Jesus Cristo, Abraham Lincoln e Martin Luther King, Cury nos faz repensar nossa vida e nos inspira a não deixar nossos sonhos morrerem.





Gerenciar o próprio dinheiro não é uma tarefa fácil para quem desconhece o poder do planejamento e da organização. Como organizar sua vida financeira apresenta dicas certeiras para você que deseja tomar decisões mais conscientes sobre o seu dinheiro. O renomado consultor Gustavo Cerbasi reuniu neste livro todos os temas-chave que você precisa conhecer para alcançar o equilíbrio das finanças e planejar um futuro mais próspero. Ele começa realizando um diagnóstico da sua situação atual, levando em conta dados como idade, dívidas, despesas, bens, investimentos e planos para a aposentadoria. Depois de chegar ao valor do patrimônio ideal para obter a tão sonhada independência financeira, é hora de aprender a analisar seu orçamento doméstico e identificar os pontos que podem ser aperfeiçoados. Após traçar seu perfil de consumo e investimento, você poderá passar para os tópicos mais específicos, dominando de uma vez por todas os assuntos que sempre considerou complexos.



Muitas pessoas acreditam que não há nada que se possa fazer para prevenir o Alzheimer. Mas os cientistas estão provando que isso não é verdade. Estudos recentes mostram que, com o estímulo certo, as chances de demência se reduzem de forma drástica. A cura ainda não existe, mas a ciência vem mostrando que a prevenção pode evitar o aparecimento dos sintomas. Ao descobrir que carrega o gene que aumenta as chances de desenvolver a doença, a jornalista americana Jean Carper passou a buscar formas de neutralizar essa ameaça. Assim, descobriu que atitudes surpreendentemente simples podem reduzir de forma considerável a probabilidade de desenvolver o Alzheimer, a perda de memória associada à idade e outras formas de demência. Neste livro, a autora apresenta 100 dicas de como você pode se proteger desde já de uma das doenças que mais intrigam a medicina.





Você acha que os zumbis são diferentes da gente? Então ficará surpreso com o que vai descobrir. Você tem nas mãos o diário de um zumbi de 12 anos. Nestas páginas, você terá a oportunidade de conhecer o dia a dia na Escola Monstro e vai saber o que realmente se passa na cabeça de slimes, esqueletos, creepers, endermen e outros personagens do universo Minecraft. Entre um passeio para o Nether e um quase encontro com o Ender Dragon, o maior desafio na vida de um jovem zumbi está em jogo: conquistar Sally Cadáver e derrotar Jeff, o maior imbecil da escola. A vida (ou seria a morte?) de um zumbi não é nada fácil... NÃO PERCA TEMPO E MERGULHE NESTA AVENTURA!




~> Editora Saída de Emergência





Mara, a Senhora dos Acoma, conhece melhor que ninguém os segredos do Jogo do Conselho. Por meio de sangrentas manobras políticas, ela se tornou uma poderosa força no Império. Mas, rodeada de rivais impiedosos, terá que ser a melhor se quiser sobreviver. Como se isso não bastasse, a jovem precisa lutar em duas frentes. Na corte dos Tsurani, intrigas e traições desestabilizam o poder. Em seu coração, a paixão por um bárbaro do mundo inimigo de Midkemia a leva a questionar os princípios que sempre nortearam sua existência. Com seu filho em perigo e a continuidade de sua Casa ameaçada, Mara usa de todos os meios para tentar controlar a crueldade dos seus inimigos.




Claire Randall finalmente conseguiu voltar no tempo e reencontrar Jamie Fraser na Escócia do século XVIII, mas sua história está longe do final feliz. O casal terá que superar muitos obstáculos, de fantasmas a perseguições marítimas, mas o principal deles são os vinte anos que se passaram em suas respectivas épocas desde a última vez que se viram. Se a intensa paixão e o desejo entre eles não parecem ter diminuído nem um pouco, o mesmo não se pode dizer sobre a confiança. Jamie agora é um homem endurecido pelo que aconteceu após a Batalha de Culloden. Claire, por sua vez, precisa lidar com o segundo casamento de seu amado e suportar a saudade de Brianna, que ficou sozinha no ano de 1968. A união dos dois será posta à prova quando o sobrinho de Jamie for sequestrado. Juntos, eles precisarão singrar pelos mares e cruzar as Índias Ocidentais para resgatá-lo, provando mais uma vez que nada é capaz de deter uma história de amor que vence as fronteiras do tempo e do espaço.

Oficialmente falida! haha

terça-feira, agosto 11, 2015

Eu Li: Para Todos os Garotos que Já Amei - Jenny Han


Título:
Para Todos os Garotos que Já Amei
Autora:
Jenny Han
Editora:
Intrínseca
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC

Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.
Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

Minhas experiências anteriores com a Jenny Han não foram do tipo que te torna fã de carteirinha da autora logo depois do primeiro livro lido. Isso não quer dizer que foram ruins, pelo contrário. Foram muitos boas e sempre deixaram um gostinho de quero mais, mas nunca me pareceram ter muito diferencial de outras histórias do gênero. Foram super bem escritas, mas davam a impressão de que faltavam detalhes enriquecedores, mais ou menos isso. 

Quando eu o vi o título e a sinopse desse livro eu senti que essas impressões iriam mudar. Eu me empolguei muito com a sinopse! Eu logo imaginei como seria se eu tivesse escrito cartas de amor e um belo dia descobrisse que as cartas foram entregues. Como os ditos cujos me olhariam? Eles viriam tirar satisfações? Ririam da minha cara? Eu teria vontade de me enterrar? (provavelmente, independente dos itens anteriores se confirmarem hahaha. Sou tímida. XD )

É bem isso que acontece com Lara Jean. Ela é jovem e sua vida amorosa era nula e só existia no papel até o dia em que as cartas chegam a seus destinatários. De repente ela se vê tendo que equilibrar como ela imaginou que seria sua vida amorosa com o que ela realmente é: uma confusão de sentimentos. A história de Lara nos mostra de um forma bem leve que as vezes idealizamos muito uma relação ou uma pessoa simplesmente pelo fato de ter medo de encarar a realidade, de não ser o que imaginava-se. Idealizamos até mesmo o sentimento, atribuindo nomes complexos a sentimentos simples. E acabamos perdendo momentos e deixando de viver situações incríveis por causa disso.

É um livro muito divertido. Todos os personagens tem algo a acrescentar e as vezes se envolvem em situações hilárias. A irmã mais nova da Lara é a minha preferida. Eu o li em poucas horas pois é de uma linguagem simples e bem narrado, além de fluir bem. Há reviravoltas, cenas fofas, cenas tensas, lágrimas. O cotidiano da vida uma jovem literária rsrs. Minhas impressões foram diferentes de antes e acho que ela soube cuidar dos detalhes enriquecedores. Eu me identifiquei muito com a personagem em váaaarios sentidos. 

Com certeza será uma leitura muito proveitosa para você que curte essas leituras jovens e divertidas, mas não sem conteúdo. Passei bons momentos lendo o livro e estava precisando muito desses bons momentos com um livro sem pretensões. Pode investir seu tempo nesse livro. Ah, é um ótimo começo para quem nunca leu nada da Jenny Han :)


"Quando escrevo, não reprimo nada. Escrevo como se ele nunca fosse ler. Porque não vai mesmo. Cada pensamento secreto, cada observação cuidadosa, todos os sentimentos que guardei dentro de mim, coloco tudo na carta. Quando termino, fecho o envelope, escrevo o endereço e coloco dentro da caixa de chapéu azul petróleo. (...) Se o amor é uma possessão, talvez minhas cartas sejam meu exorcismo. As cartas me libertam. Ou pelo menos deveriam."


.

segunda-feira, agosto 03, 2015

Eu Li: Eu Te Darei o Sol - Jandy Nelson


Título:
Eu Te Darei o Sol
Autora:
Jandy Nelson
Editora:
Novo Conceito
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC


Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia.
Mal-entendidos, ciúmes e uma perda trágica os separaram definitivamente. Trilhando caminhos distintos e vivendo no mesmo espaço, ambos lutam contra dilemas que não têm coragem de revelar a ninguém.
Contado em perspectivas e tempos diferentes, EU TE DAREI O SOL é o livro mais desconcertante de Jandy Nelson. As pessoas mais próximas de nós são as que mais têm o poder de nos machucar.



“Eu te darei o sol” foi um livro muito comentado e estava ansiosa para pôr minhas mãos nele. A autora já é querida por “O céu está em todo lugar”, lançado pela Editora Novo Conceito há alguns anos e sua fama de escrever bons romances já a precede. 

Nessa nova obra, Jandy Nelson vai trabalhar com muita sensibilidade a relação dos gêmeos Jude e Noah. Eles sempre tiveram uma conexão que somente quem dividiu o mesmo útero pode ter, porém pequenas tragédias precedidas de uma grande tragédia irão abalá-los de tal forma que os laços se romperão. 

A narrativa é bem interessante, pois divide a perspectiva entre Jude e Noah em períodos de tempos diferentes. Os capítulos de Noah são “O museu invisível” e aos 14 anos o conhecemos com uma personalidade sensível e extraordinariamente artística, porém sua fase da adolescência traz muitas dúvidas no que diz respeito a sua sexualidade e o seu lugar no mundo. 

Noah sonha em ir para escola de artes pintar o mundo que está dentro dele e tem o total apoio de sua mãe e o desconforto do seu pai. Então um novo menino, que é totalmente singular, vem passar as férias de verão ao lado de sua casa e Noah começa a ter sensações que ele não sabe entender direito. É interessante quando a dúvida e o texto nas entrelinhas começam a se tornar em certeza para Noah, pois sua personalidade tímida e aparentemente serena vai se tornando arrebatadora. 

Em paralelo, temos os capítulos de Jude que se chamam “A história da sorte”, onde ela está com 16 anos e fica bem claro que muita coisa mudou em dois anos. O contexto e a personalidade da Jude de 14 que Noah nos mostra em seus capítulos está completamente transformada, e num sentido bem estranho. 

Aos 16, Jude está na escola de artes que seu irmão sempre sonhou estar. Ela está na corda bamba de ser expulsa se não começar a se dedicar adequadamente. Jude é uma escultora talentosa, mas estranhamente todas as suas obras se quebram e ela acha que algo sobrenatural está tentando provar algo. Jude é extremamente ligada a questões exotéricas e mitos, isso sem falar no transtorno obsessivo compulsivo. E Noah, que neste momento parou de pintar, age como um típico adolescente. Noah que sempre foi extraordinário, no hoje de Jude, é um cara como outro qualquer. 

A partir dessas perspectivas alternadas, vamos desvendar o que mudou na vida de Jude e Noah e porque as expectativas do futuro foram intensamente modificadas. 

“Eu te darei o sol” fala sobre reconstrução. Os gêmeos estão quebrados por dentro e com a ajuda de pessoas que surgirão em suas vidas, juntamente com descobertas de algumas verdades, eles serão reconstruídos e remoldados. 

A narrativa de Jandy Nelson é de uma sensibilidade maravilhosa ao expor ao leitor a vida e as circunstancias que afetam Noah e Jude. Fiquei muito envolvida com suas histórias e comovida com seus pesares. Compartilhar com o personagem é diferente de simplesmente observá-lo e a autora tem essa habilidade de lançar o leitor no redemoinho de emoções que é compreender outra pessoa. 

A leitura desse livro me fez enxergar o mundo através de uma perspectiva que eu ainda não tinha: a partir dos olhos de artistas. O livro é repleto de referências de pintura e escultura e estou certa que para quem tem afinidade com esse tipo de arte, vai amá-lo mais do que eu. 

“Eu te darei o sol” é um livro sensível e intenso e, sem dúvida, uma ótima pedida de leitura.

“Arrisque-se (uma, duas, três, quatro vezes). Reconstrua o mundo.” 



domingo, agosto 02, 2015

Eu Li: Não Pare! - FML Pepper


Título:
Não Pare!
Autora:
FML Pepper
Editora:
Valentina
Onde Comprar:
Amazon | Saraiva | Submarino

Não Pare! - Uma vida normal e tranquila seria tudo que uma adolescente odiaria ter, certo?
Não para Nina!
Por que tinha que viver como uma nômade (ou fugitiva!), mudando de cidade ou
país a cada piscar de olhos? Por que não podia saber nada sobre o paradeiro de seu
pai? Por que sua mãe era tão neurótica e supersticiosa?
Milhares de perguntas.
Nenhuma resposta.
O que significavam aqueles estranhos calafrios, acidentes e mortes que insistiam
em acontecer ao seu redor? Teriam eles alguma ligação com o seu defeito de nascença?
Ou seriam causados pelo selvagem bad boy de hipnotizantes olhos
azuis-turquesa que costumava aparecer nos momentos mais assustadores?
Nina jamais poderia imaginar que aquele garoto sombrio de corpo escultural e
fisionomia atormentada lhe abriria os olhos para um universo paralelo.
Só ele tinha as respostas para os seus mais íntimos questionamentos, mas cobraria
um preço muito alto para fornecê-las:
A vida dela!
Oi gente, voltamos com mais uma quentinha nacional para alegrar os nosso dias!
Dessa vez temos o livro da fofíssima da FML Pepper. O livro Não Pare é um dos livros da minha lista de desejados desde o início do ano, quando vi muitas resenhas positivas sobre ele. Me alegro em poder me juntar ao grupo para venerar o livro a ser resenhado a seguir.
E...melhor que ler um livro de uma revelação nacional, é antes de começar a ler o livro receber uma mensagem super fofa no Skoob, da própria autora sobre a leitura.

Como não começar bem a leitura?
Como eu disse a própria escritora  quando respondi a uma das suas mensagens...
Essa fui eu surtada 7 minutos depois de terminar de ler o livro. Sentiram o impacto que ele teve? Pior que isso foi só o meu chororo quando a Biah me disse que o segundo livro ainda não foi lançado pela linda da editora Valentina.

Passemos a resenha!

Você já reclamou em algum dia na sua vida, sobre o quanto é azarada? Após a leitura desse livro, e conhecer as desventuras que a Nina se mete, você nunca mais vai reclamar que tem má sorte. O livro começa narrando o quão difícil é a vida da Nina Scott, como praticamente uma nômade. Pulando de país em país feito uma louca com a neurótica da mãe dela. Ela já perdeu as contas de em quantos paises diferentes já viveu, e tem um forte instino de proteção que não a permite fazer amigos reais por onde passa, pois ela já sabe que não vai ficar muito tempo por lá.

Inicialmente pensei que elas precisavam mudar tanto devido ao trabalho da mãe dela, mas depois percebi que esse não é bem o caso, elas mudam de acordo com o humor da mãe dela. E como a Nina ainda é de menor, por mais que ela proteste, ela sempre vai acabar seguindo a mãe. Mas ela está chegando no limite dela!

A Nina começa a história jogando na  sua cara o quão infeliz e neurótica ela está ficando por causa da mãe. E posso dizer sem medo de dar spoiler, por que esse próximo fato que vou contar está na capa do livro, os olhos da Nina são iguais aos de um felino. Eis o porque da mãe dela estudar feito uma louca sobre confecção de lentes de contato.

A história da Nina parece um daqueles dias chuvosos de cidades agitadas, em que tudo e mais um pouco pode acontecer de forma angustiante e no fim das contas você vai estar encharcado e triste. A vida dela tem um grau de periculosidade diária, e na maioria dos casos ela nem conta mais para a mãe, porque se não ela ia mudar de cidade todos os dias. E ela percebe que com o chegar de seu aniversário de 17 anos as coisas estranhas estão passando a se tornar bizarras. Tipo, mortes estão acontecendo e acidentes horripilantes estão surgindo na cidade desde a sua chegada a Nova York.

E tudo fica pior e melhor quando no primeiro dia de escola ela conhece o ´´anjo`` dela chamado Kevin, um cara com feições angelicais e que tende a salvar ela de todos esses ´´acidentes`` recentes. E infelizmente ela conhece o Richard o ´´Demônio`` que enche o saco dela. Enquanto o Kevin é angelicalmente lindo, o Rick é o típico bad boy, com direito a jaqueta de couro, cabelos negros e olhos azuis, que não facilita em nada a vida dela.

Quando enfim parece que elas vão se estabilizar na cidade, a Nina consegue o emprego dela de meio periodo dos sonhos em uma livraria famosa na cidade. Quando as coisas ficam mais ´´interesantes`` entre esse trio, Kevin > Nina > Rick, a vida de Nina joga na cara dela uma realidade chocante novamente, que faz a Nina acabar sendo ´´sequestrada`` novamente e indo parar em outra cidade DE NOVO. E a ficha vai caindo sobre o porquê a vida de Nina ser do jeito que é, e o que realmente aconteceu com o pai dela. E que nem tudo que parece ouro é de fato ouro.

Devo admitir que no início pensei que ia ser mais um daqueles livros sobre anjos, nephilins e etc, e já estava meio desanimada para continuar lendo, porque a Nina é meio trágica no início, mas antes de chegar na metade do livro eu descobri que de anjos nada tem o livro, o babado dele é por qual morte você vai se apaixonar. Isso mesmo, a Morte!

Gente é serio, o mundo a parte que a escritora criou para contar a história da Morte da Nina, é fantástico, e promete muito! Tô meio triste só porque eu não sou beta da escritora, logo vou ter que aguardar ser publicado o livro dois para saber o que aconteceu depois do final bombástico do livro.

A quem interessar possa, o livro está mais para fantástico do que para romance! E ao que tudo indica é uma triologia!

Fica a mega ultra super dica...Beijos!


sábado, agosto 01, 2015

Eu Li: After: Depois Da Verdade - Anna Todd


Título:
After: Depois Da Verdade
Autora:
Anna Todd
Editora:
Paralela
Onde Comprar:
Saraiva | Fnac | Submarino

Depois de bater a marca de um bilhão de acessos na plataforma de leitura Wattpad, a série After vira o novo fenômeno editorial. No segundo livro, Tessa tenta esquecer Hardin, o jovem caótico e revoltado que partiu seu coração em vários pedaços. Mas ela está prestes a descobrir que alguns amores não podem ser superados. Como apagar da memória as noites apaixonadas em seus braços, ou a eletricidade de seu toque? Hardin sabe que cometeu o pior erro de sua vida ao ter magoado Tessa tão profundamente. Ele não acha que merece tê-la de volta, mas se recusa a deixá-la partir. Neste livro, Hardin vai lutar com toda a sua força para reconquistar o grande amor da sua vida. Ao longo do caminho, os seus mais profundos segredos serão revelados. Depois da verdade, será que o amor de Tessa e Hardin resistirá?
Hey babys...como estamos?

Mais uma resenha quentinha para adoçar (ou nesse caso amargar de vez) as nossas estantes e nosso dia a dia. Acho eu que a autora Anna Todd tem o dom divino de montar livros gigantescos no drama e fisicamente bem providos. Vocês já viram como eles são avantajados? E olha que era para ser uma fan fic. Imagina só! Oremos para que ela não resolva fazer como certas autoras amadas nossas que escreveram diversos derivados da mesma história, senão vou ter que comprar uma estante só para comportar a saga #AFTER...KKKK

Hoje passaremos direto para a resenha de mais um livro tenso da fofa da Anna Todd. Quem viu minha resenha do livro After #1, se deparou com a sofrência desmedida e sem precedentes na minha lista de livros lidos. Acho que muitos se surpreenderam com a forma que a escritora encontrou de nos apresentar o Hardin e a Tessa...e como aconteceu a construção desse ´´relacionamento`` do lindo e impactante Hardin, com a desengonçada e inteligente Tessa.

Pois é! O final do primeiro livro foi absurdamente intenso, e eu fiquei penalizada pelo absurdo ao qual a Tessa foi exposta! Mas ainda assim, fiquei pensando o que ia acontecer com o Hardin. Porque ao que deu para entender ele é uma pessoa (leia aqui personagem) com sérios problemas, no quesito de fazer besteiras colossais. E a autora esclarece bem o porquê dele ser assim. Então para balancear o jogo no livro, a autora nos mostra o amadurecimento gradativo da Tessa.

Recapitulando para quem não lembra, ou para quem está com preguiça de ir procurar a resenha...kkk...o Hardin é o típico punk bad boy, lindo, mas não bombado, inteligente demais para o gosto dele, com direito a tatuagens e piercings, assim como o bom gosto para livros. E melhor que tudo: ELE É BRITÂNICO! A Tessa é a garota toda certinha, ganhando independência na faculdade e longe da mãe opressora dela. Melhor descrição para ela, não há!

Para os leitores que estão com medo de encontrar mais drama ainda, sinto informar que isso é um fato em abundância nessa continuação, e acho que as coisas só vão melhorar a partir do próximo livro, ou assim eu espero. Mas pelo menos foi um consolo saber que nesse segundo livro os personagens amadureceram algumas coisas. Altamente necessárias. Tendo em vista que apesar da Tessa ser a certinha da história, ela também precisa amadurecer algumas coisas ainda muito infantis ou ingênuas em sua vida. Tal qual o Hardin, que pode ser considerado maduro em alguns aspectos é muito travado em outros.

Para quem lembra o Hardin no final do primeiro livro pensava que o relacionamento entre eles, era somente a Tessa que tinha que fazer concessões, e ele podia continuar agredindo o mundo com os punhos. E sendo o idiota que ele quer mostrar ao mundo. Ele teve que enfrentar uma barra para compreender o que ele podia fazer para conseguir a Tessa de volta. E isso inclui a família dele ficando contra ele, e do lado da Tessa. O Hardin é o típico caso de ´´só valoriza o que tem, quando perde!``

Acredito que podemos dividir esse segundo livro em duas partes. A primeira, separados e cada um no seu canto tentando se recuperar. E ainda assim se importando muito um com o outro. O Hardin na Inglaterra com a mãe. E a Tessa com a família "americana" do então namorado dela. Hardin, apesar de longe, não tem uma recuperação das melhores, podemos até dizer que ele regride muito no seu comportamento agressivo e autodestrutivo. Enquanto que a Tessa apresenta uma melhora nas dores dela, por momentos nessa primeira parte eu pensei que ela nunca mais iria voltar para o Hardin.

Acho que não chega a ser considerado spoiller quando digo que na segunda parte, quando a Tessa se permite ficar perto do Hardin, ajudando ele com a mãe dele, ela começa a rever se quer ou não voltar com ele. É como se ela deixasse o estado de negação de lado, e aceitasse que sua sina é ficar com o Hardin e ponto final, e só ela que pode enfim controlar ele.

E como se as coisas já não estivessem ruins o suficiente a Tessa ainda tem que lidar com a mãe dela tratando ela como uma criança especial, e escondendo as coisas dela. Na segunda parte desse livro, vamos ser jogadas em meio as bombas do passado da Tessa, e adivinha quem vai estar lá do lado dela para segurar a barra? Lógico que o nosso cretino britânico.

Sinceramente, não sei se eu gosto ou não do Hardin. Gostei muito da forma como a autora escreve. E todas as intrigas entrelaçadas são muito legais e tal, mas esse Hardin é um caso sério de ou ame ou odeie.

Um dos pontos que eu amei nesse livro, foi uma carta que o Hardin escreve para a Tessa, em que ele começa com os primeiros parágrafos da carta do senhor Darcy para a Elizabeth Bennet em orgulho e preconceito. Foi lindo!!! Quando ele resolve pedir perdão sem fazer alguma loucura, ele prefere escrever.

Então, no todo esse livro continua uma torturinha básica para os leitores, mas o final te dá certa esperança que o próximo livro da série vai ser menos dramático.

Fica a Dica, até o próximo post!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo