terça-feira, dezembro 29, 2015

Eu Li: Fury - Novas Espécies - Laurann Dohner


Título:
Fury - Novas Espécies
Autora:
Laurann Dohner
Editora:
Universo Dos Livros
Onde comprar:
FNAC | Saraiva | Submarino

Ellie é uma enfermeira e fica horrorizada ao descobrir que a companhia farmacêutica para qual trabalha – as Indústrias Mercile – tem feito experimentos genéticos ilegais. Os cientistas combinaram DNA de humanos com o DNA de animais, criando uma nova espécie: seres humanos mais fortes e desenvolvidos. Um desses ''experimentos'', o prisioneiro 416, captura o coração de Ellie enquanto ela tenta salvá-lo.
Fury – como o 416 também é conhecido – nunca conheceu compaixão ou amor. Ele passou a vida inteira em uma cela, acorrentado e sofrendo abusos. Ellie, a única mulher em quem ele confiou, o traiu, e agora Fury está livre e à procura de vingança. O ex-prisioneiro jura acabar com a vida da enfermeira que o salvou, contudo, quando ela finalmente está em suas mãos, a única coisa que Fury não quer fazer com esta mulher pequenina e sexy é machucá-la.
Oi pessoas lindas!

Volteiiiiiiiiiiii...saudades eternas de vocês, mas devo admitir que ando meio corrida no trabalho e quando chego em casa me acabo de ver doramas e séries. E assim minha torre de livros só cresce para resenhar. Tô aproveitando que os eventos literários estão de recesso, então parei de comprar livros e diminuí a quantidade de livros pedidos as editoras para poder dar baixa nas resenhas acumuladas.

A resenha de hoje é de um livro que comprei por causa da indicação de uma das minhas Best´s, a fofa da Thais Jansen. 

Pode não parecer pela capa, mas esse livro é uma distopia! Mas, calma aí... que não é só uma distopia, é um distópico com colheres de sopa (colheres de gigantes) de hot.

No sul da Califórnia, muitos anos à frente uma enfermeira chamada Ellie, se infiltra em uma base paramilitar que realiza experiências com mutações genéticas entre humanos e animais ferozes, onde eles criam novas espécies de ´´humanos`` para serem vendidos como soldados para diversos exércitos, tipo, para quem pagar melhor. Ellie, fica escandalizada com o que ela descobre e é abordada por uma organização governamental interessada em acabar com as experiências absurdas que acontecem nessas clínicas (ponha aqui nesse cenário um governo que não cultua as guerras e só quer se redimir do estrago que foi feito a estes seres).

E por muitos meses ela vai juntando informações sobre os experimentos e passa para o governo, até que um dia ela fica indignada com os maus tratos (físicos e sexuais) feitos a um hibrido em especial, que ela já observa faz um tempo, por causa de um dos chefes de pesquisa que suspeito tenha uma quedona pelo hibrido chamado Fury, e decide chutar o balde, e acabar com toda o projeto, mas para isso, ela precisava sair viva da base paramilitar, e acaba por matar uma pessoa grotesca desse grupo, e coloca a culpa no cobaia Fury, que está super dopado e não consegue reagir a nada, e foge. Foi meio covarde da parte dela, mas dá até para entender depois.

O que ela não sabia é que até o Fury ser resgatado pelo governo americano depois que ela foge, ele é mantido em cativeiro em um esconderijo paramilitar onde ele sofreu muito na mão do grupo, pois eles o culparam pelo assassinato, e quando enfim ele foi resgatado, levou muito tempo para se recuperar fisicamente dos abusos sofridos, e psicologicamente ele não se recuperou, ele só queria uma coisa: VINGANÇA.

Fury, só tinha um objetivo na vida, vingança, contra aquela enfermeira que abandonou ele sem poder se defender, culpando ele de um assassinato que ele queria, mas que não praticou. Após seu resgate e inúmeros testes, foi detectado que ele é um beta, e foi nomeado chefe dos exércitos da comunidade hibrida quando ele é colocado após sua recuperação física em uma espécie de condomínio de luxo para híbridos como ele, para efetivar seu posto de beta.

O desejo de Fury se realiza quando ele é convocado a uma reunião nesse condomínio militar, e acaba se deparando com a enfermeira Ellie que agora é a chefe humana do dormitório das mulheres hibridas, que é mantida a parte do masculino, pois elas sofreram muitos outros tipos de abusos, se é que dá para entender, e Ellie é responsável por cuidar delas e fazer com que elas se familiarizem com tudo novo na vida delas, como TV, roupas, e comida. Nesse dia o Fury literalmente quase esganou a Ellie.

A reação deles a esse encontro foi bem extremo, ela adorou vê-lo, pois ela sempre pensou e esperou por ele no abrigo, e ele sempre quis se vingar dela, e partindo desse encontro, ele fica meio que caçando ela, para conhecer melhor seu inimigo. E ela quer saber como ele está, dá para perceber ela super resignada com a ameaça dele, pois ela diz que tem culpa, e aceita o castigo que ele tiver que impor!

Enfim, junte esse casal se degladiando, uma conspiração militar governamental e um monte de gente que disse que os híbridos eram uma aberração do demo, e vamos ter uma história intrigante e ótima para curar a ressaca literária. O que me preocupa um pouco é que já vi o segundo circulando pelas livrarias, e ainda não parei para pesquisar para saber quantos livros tem pela frente. Eu até prefiro nem saber, para não me assustar! kkkkkkkkkkkkkkkk

Bom, eu gostei MUITO!

Até a próxima...bjus.





segunda-feira, dezembro 28, 2015

Eu Li: Segredos de uma Noite de Verão - As Quatro Estações do Amor #1 - Lisa Kleypas


Título:
Segredos de uma noite de verão
Autora:
Lisa Kleypas
Editora:
Arqueiro

Apesar de sua beleza e de seus modos encantadores, Annabelle Peyton nunca foi tirada para dançar nos eventos da sociedade londrina. Como qualquer moça de sua idade, ela mantém as esperanças de encontrar alguém, mas, sem um dote para oferecer e vendo a família em situação difícil, amor é um luxo ao qual não pode se dar.
Certa noite, em um dos bailes da temporada, conhece outras três moças também cansadas de ver o tempo passar sem ninguém para dividir sua vida. Juntas, as quatro dão início a um plano: usar todo o seu charme e sua astúcia feminina para encontrar um marido para cada, começando por Annabelle.
No entanto, o admirador mais intrigante e persistente de Annabelle, o rico e poderoso Simon Hunt, não parece ter interesse em levá-la ao altar – apenas a prazeres irresistíveis em seu quarto. A jovem está decidida a rejeitar essa proposta, só que é cada vez mais difícil resistir à sedução do rapaz.
As amigas se esforçam para encontrar um pretendente mais apropriado para ela. Mas a tarefa se complica depois que, numa noite de verão, Annabelle se entrega aos beijos tentadores de Simon... e descobre que o amor é um jogo perigoso.
No primeiro livro da série As Quatro Estações do Amor, Annabelle sai em busca de um marido, mas encontra amizades verdadeiras e desejos intensos que ela jamais poderia imaginar.

O que esperar de uma série de época que fala sobre a aventuras de quatro futuras solteironas que resolvem se unir para arranjar casamentos satisfatórios umas para as outras? Muita diversão e suspiros, pelo menos é o que encontramos nesse primeiro volume da série As Quatro Estações do Amor. 

Como a sinopse diz, Annabelle é linda e tem modos encantadores, porém não tem dote, o que é o mesmo que não ter nada, e por isso está há muitos anos tomando chá de cadeira nos bailes da sociedade londrina. Em um desses bailes ela conhece Lillian, Daisy e Evangeline, outras três damas em busca de pretendentes, mas até o momento sem um único convite para dançar, quanto mais um pretendente. Contra todas as possibilidades elas resolvem se unir para achar uma marido para cada uma delas, e como Annabelle é a mais velha o foco dos planos logo se torna ela. Depois de listar todos os cavalheiros disponíveis, logo decidem arranjar o enlace dela com Lorde Kendall. Mas é Simon Hunt quem vem atraindo a atenção, mesmo negativa, de Annabelle há alguns anos. 

Ele não é membro da aristocracia britânica, e sim um plebeu que enriqueceu através da especulação financeira, uma ocupação nada digna perante a aristocracia. Ele não faz parte dos altos círculos da sociedade, mas é ocasionalmente convidado a participar de festas e bailes devido sua amizade com pessoas importantes. Não é bem visto, mas não se importa nem um pouco com isso. E claro, sempre que vai a alguma baile não perde a oportunidade de convidar Annabelle para dançar. Ela sempre nega. Eles tem uma história pregressa que conhecemos bem no início do livro, mas não vou contar a vocês. E as investidas dele vão se tornando mais fortes, as negativas mais cheias de hesitação, os beijos roubados mais sensuais, e a história mais e mais legal.

É uma história divertida e ao mesmo tempo romântica e sensual. A atração entre Simon e Annabelle é visível e tangível, mas a teimosia dos dois os faz protagonizar um jogo perigoso. As cenas hot entre os dois são muito hots mesmo, não só por serem explícitas, mas por toda a bagagem de sedução que carregam, e eu amei cada uma delas. Todo romance de época é clichê, pois sabemos que o casal vai terminar junto, mas é o caminho até essa conclusão conhecida que nos move, que nos faz devorar os livros como eu devorei esse. 

Estou muito ansiosa para conhecer as histórias de Lillian, Daisy e Evangeline. A de Lillian principalmente,pois ela tem um língua ferina e eu tenho 99% de certeza que seu par romântico será Lorde Westcliff ( na verdade 100% de certeza, pois já fui confirmar a informação hahahaha), melhor amigo de Simon Hunt e uma pessoa que ela não suporta. Nossa, certeza que vem muita trama boa por aí.

muito #amor 

Essas são as capas e títulos dos próximos livros da série:

*-*

quarta-feira, dezembro 23, 2015

Eu Li: Solteiro sofre demais - Bruno Godoi


Título:
Solteiro Sofre Demais
Autor:
Bruno Godoi
Editora:
Empíreo
Onde Comprar:
Saraiva | FNAC | Submarino

Copacabana. Três solteirões numa república. Muita festa, muita pizza, muita bebida (sexo quase nada). Uma cadelinha pinscher chata. Filmes, videogame, super-heróis. Tudo isso misturado num livro recheado de histórias engraçadas com coisas de nerd. E claro, muita bobagem idiota. (Né nada! É tudo inteligente.)




“Solteiro sofre demais” foi anunciado como o primeiro barba-lit nerd da galáxia e eu fiquei muito curiosa com o que resultaria desta história. Sou fã declarada de chick-lit então o relativo ao masculino do gênero despertou demais o meu interesse...

Glossário: Lumber Lit (barba lit) gênero de ficção dentro da ficção masculina que tem como idéia principal abordar questões cômicas do homem atual... Viram? Um chick-lit masculino... Óbvio que eu precisava ler.

O livro vai contar a história de Larry James Lurex, um professor de literatura bem esquisitão que sofre de uma síndrome mais esquisita ainda: ESCSEreção Só Com Safadas. Por conta dessa doença, ele vai passar por tantas confusões que vocês nem imaginam. Larry mora com dois amigos, Léo e Freddie, e uma cadelinha chamada Ritinha, num apartamento que eles batizaram de “nossa república”. Esses amigos de Larry possuem personalidades bem diferentes mas uma coisa os coloca no mesmo saco: os caras são loucos!

Depois que Larry foi diagnosticado com a ESCS, seu médico o recomendou visitar uma igreja e é na “Minha Igreja” que ele conhece Sasha, uma moça virgem que nada tem a ver com aquela estrela pornô – exceto o nome -, mas que arrebata o coração do homem. Larry terá que fazer algumas escolhas e suas consequências serão de muita diversão para o leitor.

“Solteiro sofre demais” é um livro insano e muito divertido. É para quem é homem, ou tem amigos homens (meu caso), não dá para se surpreender com as situações, por mais absurdas que possam parecer. Achei estranhamente realista, inclusive. Aquela história de sair para beber e pegar mulheres mas voltar só bêbados mesmo tem muito na narrativa e nada vida real. Ri muito de Larry e seus amigos loucos de pedra e, admito, não gostaria de cruzar numa festa com o Léo (que homem bizarro!).

E por falar em narrativa, Bruno Godoi foi muito criativo a nos oferecer capítulos com parágrafos simétricos. É sério, todo o livro é constituído de 77 capítulos com 770 parágrafos. 100 palavras para um parágrafo e 10 parágrafos para 1 capítulo. Parece meio obsessivo compulsivo, mas gostei do desafio,. A narrativa do autor também é interessante pois não é uma prosa comum. É narrado em 3ª pessoa por um voz muito zoeira que, por vezes, me deixou meio confusa. Normalmente, a voz que narra fala diretamente com Larry e eles parecem se entender muito bem, mas Larry sofre, olha... Como sofre...O único ponto pouco satisfatório é o enredo confuso. Me perdi algumas vezes na história e tive que voltar algumas vezes para em encontrar (certeza que Larry, Léo e Freddie estão revirando os olhos para mim, mas é verdade).

“Solteiro sofre demais” é um livro que, definitivamente, precisa ser conhecido. Quero opiniões, principalmente masculinas, a respeito. A sensação de estar em um bar conversando com seus amigos mais retardados está presente o tempo todo no livro e gostei dessa familiaridade (sim, também tenho amigos retardados).

A produção do livro está, como é de se esperar da editora Empíreo, impecável. O livro é muito bonito no miolo, com algumas ilustrações, e o meu ainda veio autografado! Nunca tinha lido nada de Bruno Godoi e a curiosidade foi despertada; o autor também tem mais 2 livros, entre eles “Sete Cabeças”, também lançado pela editora Empíreo. Para quem quer uma leitura divertida e diferente, o papai Noel já mandou esse presente adiantado.

E vocês, leitores, conhecem? Não deixem de comentar a opinião de vocês!

Até breve!


segunda-feira, dezembro 14, 2015

I Torneio Paraense de Quadribol


Oi gente, Volteiiiiiiiiiiiiii... 


Estou aqui hoje, ainda um pouco acabada e cansada, para contar para vocês que ontem participei de
outro evento baseado no mundo da saga de Harry Potter, mas não necessariamente um evento literário, dá pra imaginar um evento esportivo? Pois é o pessoal do Support Potter imaginou, e adequou o nosso aclamado e famoso torneio bruxo de Quadribol. Ao lado temos Francisco, Everton, Guto, eu e a fofa da jujuba (Renata para os não íntimos)! Essa foto foi tirada na metade do evento, em que as pernas não aguentaram mais, porém nós queríamos muito ver no que ia dar esse torneio!

Neste domingo aconteceu o primeiro torneio de Quadribol Paraense, e foi organizado pelo Support Potter, o fã-clube mais ativo e presente de Harry Potter da cidade. Começando às 9h da manhã com muito agitação de fãs se organizando nas arquibancadas das suas respectivas casas, pintando o rosto e encontrando amigos, ao som de apresentações musicais, foi assim que começamos nossa manhã.


Muita gente bonita, animada, caracterizada com as cores das casas, imprensa, blogueiros, vlogueiros e muito mais, foi o que encontramos de cara...além de ficar encantada com os uniformes e vassouras de cada time. Mas o que mais me inquietava era descobrir como eles tinham adaptado o jogo ao chão, pois como sabemos (e se não sabe...tá marcando!!) o Quadribol é um esporte aéreo. Também percebi algumas (muitas) pessoas que eu não conhecia de outros encontros do fã-clube...E fiquei super feliz de ver que eles conseguiram mobilizar outros fãs.

Tivemos apresentação de cantores da cidade, para colocar as torcidas mais animadas ainda. Todo mundo recebeu os blogueiros super amavelmente, perguntando sobre quais casas nos eramos e coisas assim... Gente, apesar de estarmos lá como ´´imprensa e mídia`` não tinha como não ficar empolgadíssimo com a expectativa de ver sua casa em campo e ganhando. Estávamos Everton e Francisco do Blog Sobre os Olhos da Alma, Patrick do Corujando Livros a Helena Macedo do Blog Literaturament e Eu claro....Respectivamente eramos: Sunserina, Grifínória, Corvinal, Corvinal e eu fofissima Lufana. E calma que nós não nos matamos!


Guerreiros até o fim esse time...olha a linda da Nina ali no cantinho!


Me diz se eles não tem cara de sunserinos? #MEDO


O André como sempre com o seu característico chapéu corvino!


E os lindos e maravilhosos Lufanos... que vieram mostra que fofinho é o ca**********, jogaram muito esses amados!

Quando nossos times não estávamos jogando um contra o outro, estávamos torcendo juntos, porque mandamos para longe a imparcialidade...gente, é sério, não tinha como não ficar emocionada quando a lufa lufa entrava em campo, ou ficar com medo/raiva da Sunserina quando eu vi os jogadores deles...ixi...xinguei e briguei muito sobre os sunserinos, e acho que as orelhas do Thiago (um dos jogadores mais fortes deles) deve ter ficado queimando...o engraçado é que no intervalo dos jogos depois que passamos a falar com ele, acabou mais a rixa entre os blogueiros e jogadores, porque tava todo mundo entre amigos, e no maior papo descontraído e trocando dicas e táticas.


Bem, no todo o jogo foi bem adaptado, na minha opinião ficou uma mistura de queimada, handebol,
uma pitada de basquete e futebol americano. Com varias bolas em campo e com direito a pomo de ouro e tudo...kkkkk...morri com essa parte...o pomo eram dois atletas vestidos de amarelo e correndo para qualquer lugar (até na arquibancada) do ginásio. Esses meninos são guerreiros, porque os tadinhos correram, e se esquivaram, e empuraram, e correram mais um pouco, e foi o dia todo nisso!

Então ficamos de 9 da manhã às 18:30 da noite nesse clima misturado de competição e amizade, porque no final tava todo mundo mais cansado do que em clima de rixa...e apesar dos galos na cabeça de uns e outros, as vasouras (muitas) quebradas e todo mundo morto, estávamos em um clima muito legal!!!

Adorei cada momento, as novas pessoas que conheci, ao time da lufa lufa que comemorou quando descobriram que eu também sou lufana e por aí vai...o Erick que recebeu os blogueiros super bem.

A disputa pelo terceiro lugar seria entre Lufanos e Corvinos, mas eles decidiram dividir o terceiro lugar e manter tudo entre amigos, como sempre RavenLuff arrasando. Bem legal, eles sentaram no meio do ginásio em circulo, juntos e começaram a brincar de outra coisa e rir muito!!!

E o no final do torneio, todo mundo morto, mas não poderia ter sido uma disputa diferente. Grifinória X Sunserina.


A sonserina levou o troféu de primeiro lugar no torneio, mas posse dizer que todos os times foram e são campeões, pois eles mostraram no decorrer do dia todo que a disputa acirrada era dentro do ginásio, pois nos corredores do vestiário, apesar de alguns comentários ácidos e hilários sobre um time ou outro, o clima de amizade prevaleceu. Quantos times vocês conhecem que conseguem fazer isso? Parabéns a todas as casas suas lindas!

Deixo vocês com mais algumas fotos de ontem, e até o próximo post!



 Tá vendo com tinha gente famosa nesse evento?





 Lindoooooooooooooo!




Os ganhadores da noite, não foram só os times, mas tivemos estes sortudos aqui!



P.s: Ganhei duas vassouras do jogo uma do Silvio, o coordenador da casa Lufa Lufa, e a outra do grande jogador da sunserina o Thiago...kkkkk...e o Erick ainda me prometeu uma da Corvinal...^^...só falta a da Grifinória para fechar a coleção!


Beijos...#Fui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo