domingo, abril 08, 2018

Eu Li: Uma Proposta e Nada Mais - Mary Balogh

Título:
Uma Proposta e Nada Mais
Autora:
Mary Balogh
Editora:
Arqueiro
Série:
Clube Dos Sobrevivente #1
Ano:
2018

Adicione Ao Skoob


Primeiro livro da série Clube dos Sobreviventes, Uma Proposta e Nada Mais é uma história intensa e cativante sobre segundas chances e sobre a perseverança do amor.

Após ter tido sua cota de sofrimentos na vida, a jovem viúva Gwendoline, lady Muir, estava mais que satisfeita com sua rotina tranquila, e sempre resistiu a se casar novamente. Agora, porém, passou a se sentir solitária e inquieta, e considera a ideia de arranjar um marido calmo, refinado e que não espere muito dela.
Ao conhecer Hugo Emes, o lorde Trentham, logo vê que ele não é nada disso. Grosseirão e carrancudo, Hugo é um cavalheiro apenas no nome: ganhou seu título em reconhecimento a feitos na guerra. Após a morte do pai, um rico negociante, ele se vê responsável pelo bem-estar da madrasta e da meia-irmã, e decide arranjar uma esposa para tornar essa nova fase menos penosa.
Hugo a princípio não quer cortejar Gwen, pois a julga uma típica aristocrata mimada. Mas logo se torna incapaz de resistir a seu jeito inocente e sincero, sua risada contagiante, seu rosto adorável. Ela, por sua vez, começa a experimentar com ele sensações que jamais imaginava sentir novamente. E a cada beijo e cada carícia, Hugo a conquista mais – com seu desejo, seu amor e a promessa de fazê-la feliz para sempre.

Surra de romances de época! #Amo

Ontem e hoje estamos em clima de romances de época e sabe o que eles têm em comum? Três coisas: Uma viúva linda e inteligente; são histórias divertidíssimas e inusitadas e são lançados pela divante editora Arqueiro. A história de hoje é de uma autora já conhecida chamada Mary Balogh e para quem ainda não está conseguindo lembrar pelo nome, vale lembrar da série de romances de época chamada "Os Bedwyns" com os livros Ligeiramente Casados, Ligeiramente Perigosos e por aí vai.

Em "Uma proposta e nada mais" temos uma nova série de romances da autora que tem uma premissa muito sedutora pois a história já começa te apresentando 7 pessoas: seis homens e uma mulher. Pelo menos uma vez ao ano eles marcam de se encontram na residência campestre do Lord Stanbrook e se alto intitulam O Clube dos Sobreviventes, pois todos eles estiveram nessa residência se tratando de algum mal de guerra. Esses sobreviventes são: Lady Imogen, uma viúva de um oficial militar; Hugo Emes o atual Lorde Trentham; Sir Benedict Harper; Vincent Hunt, o Lorde Darleigh; Lorde Stanbrook; Flavian Artnott, Visconde Ponsonby e Ralph Stockwwod, atual conde de Berwick. Podemos supor que a autora pretende fazer um livro para cada um destes sobreviventes que possuem suas particularidades pós-guerras napoleônicas. Neste primeiro livro vamos conhecer a sina de Hugo Emes.

Hugo está concluído o que chama de ano de luto, pois há um ano atrás ele perdeu o pai. E como se não fosse o bastante ficar órfão, ele ainda foi presenteado pelo rei com um título de nobreza por ter ido em uma missão suicida em nome da coroa. Hugo sempre teve uma vida abastada pois seu pai conseguiu criar um império de importação e exportação e sempre valorizou o trabalho árduo que o pai tinha. E aprendeu desde cedo, com o pai, que a nobreza não passava de um bando de preguiçosos que não sabiam o valor do trabalho.

Durante um ano Hugo conseguiu se esconder em sua propriedade rural e ignorou o título de nobreza que possuía junto com suas responsabilidades com sua meia irmã e sua madrasta. Só que sua irmã tem mandado cartas insistentes narrando a Hugo que precisa dele na residencia principal do pai. Então Hugo toma uma decisão: ele vai encontrar uma esposa que o ajude a conseguir um bom casamento para sua irmã e que seja uma referência positiva para a moça.

Então quando Hugo chega na casa de Stanbrook ele confidencia aos amigos que tanto ama seus planos de se casar e pede ajuda a eles para entender como conseguir esse ato. Em uma das brincadeiras dos amigos eles dizem que Hugo precisa dar uma volta perto da praia e que lá, quem sabe, ele encontre uma mulher com quem se casar. E apesar das brincadeiras dos amigos, ele vai até a praia para pensar no que vai fazer da sua vida neste ano. Quando de repente vê uma mulher subindo a ribanceira e torcendo o pé. Por um tempo ele pensa em permanecer em seu esconderijo, mas algo nele desperta a necessidade de ir ajudar a mulher.

E assim Hugo conhece Gwendolin, a viúva Lady Muir. Como soldado que estava acostumado a ver machucados de guerra ele logo se coloca a examinar a perna de Gwen mesmo ela ficando chocada demais para protestar. Quando percebeu que talvez ela tivesse uma fratura séria na perna, resolveu carregá-la para a casa de Stanbrook para chamar um médico. Gwen entra em pânico pois todos na aldeia acreditam que o lorde Stanbrook foi o responsável por empurrar sua esposa pelo penhasco e ela sempre foi orientada a não chegar perto dele ou da casa. Então quando se vê carregada por um homem que acreditar ser o lorde assassino ela tenta a todo custo voltar para a aldeia mesmo não conseguindo colocar o pé no chão.

Logo Gwen descobre que aquele homem lindo, sombrio e direto na verdade é lorde Trentham, e ela é apresentada aos demais membros do clube, incluindo Lord Stanbrook que não é nada do que descreveram para ela. Quando é alojada na sala para esperar o médico ela revela a identidade de sua amiga que a está abrigando na aldeia. E a "amiga" é chamada, mas desafiando a vontade de Gwen, Vera consegue convencer a todos do clube que o melhor para Gwen é permanecer na casa de Stanbrook até sua recuperação. E ela também se compromete a vir todos os dias ver sua amiga. Nem preciso dizer que essa Vera é uma completa vaca!

Hugo e Gwen acabam por passar muito tempo juntos e consegue despertar coisas nele, e mesmo ela sendo da nobreza e Hugo tenha uma imagem bastante pejorativa da classe de Gwen, ele se vê envolvido e cativado por ela. Ela passa a compreender e assimilar bem as respostas diretas de Hugo, o que a deixa ainda mais fascinada. Particularmente amei o jeito de Hugo, ele sempre parece com as sobrancelhas franzidas e um olhar agudo, mas ainda assim ele é muito encantador. E a forma que ele vai amadurecendo na presença de Gwen é um processo bem lindo. Ele se permite transitar no mundo dela, mas pede a ela que se permita transitar no dele.

Hugo é um personagem principal diferente dos principais personagens masculinos de romances de época que tenho lido. As passagens que narram os pensamentos confusos dele, ou mesmo as deduções que ele vai chegando com o tempo são muito fofas. E uma das principais características que admiro nele é a perseverança. Todos os membros do clube são cativantes da sua forma, e fiquei muito interessada em descobrir se de fato cada um deles vai ter um livro próprio.

Espero que vocês tenham gostado da resenha. Tem tantas coisinhas que eu gostaria de contar para vocês, mas que se caracterizam como spoilers... afff

Beijos e até o próximo post.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo