sexta-feira, julho 21, 2017

Eu Li: Ligeiramente Perigosos - Mary Balogh

Título:
Ligeiramente Perigosos
Autora:
Mary Balogh
Editora:
Arqueiro
Série:
Os Bedwyns #6
Ano:
2017

Adicione ao Skoob


Aos 35 anos, Wulfric Bedwyn, o recluso e frio duque de Bewcastle, está ávido por encontrar uma nova amante. Quando chega a Londres, os boatos que correm são os de que ele é tão reservado que nem a maior beldade seria capaz de capturar sua atenção.
Durante o evento social mais badalado da temporada, uma dama desperta seu interesse: a única que não tinha essa intenção. Christine é impulsiva, independente e altiva – uma mulher totalmente inadequada para se tornar a companheira de um duque. Ao mesmo tempo, é linda e muito, muito atraente.
Mas ela rejeita os galanteios de todos os pretendentes, pois ainda sofre para superar as circunstâncias pavorosas da perda do marido. No entanto, quando o lobo solitário do clã Bedwyn jura seduzi-la, alguma coisa estranha e maravilhosa acontece. Enquanto a atração dela pelo sisudo duque começa a se revelar irresistível, Wulfric descobre que, ao contrário do que sempre pensou, pode ser capaz de deixar o coração ditar o rumo de sua vida.
Em Ligeiramente Perigosos, o sexto e último livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh conclui a saga desta encantadora família em uma trama repleta de cenas sensuais, tiradas espirituosas e personagens à frente de seu tempo. Ao unir um homem e uma mulher tão diferentes, ela mostra que o resultado só poderia ser um par perfeito.
Oiiii...vamos de romances de época hoje? Claro!

Hoje é com pesar que resenho o último livro da série os Bedwyns. Sim, esse livro conta o que aconteceu no final com o todo poderoso Wulfric, vulgo o taciturno e inatingível Duque de Bewcastle. Para você que ainda não leu nenhum livro da série, me desculpe mais agora no início da resenha já vou ter que soltar alguns spoilers inofensivos para poder dar continuidade, ok? 

No todo são 6 irmãos Bedwyns, Wulfric é o primeiro logo levou o título e a responsabilidade sobre a família. Mas nesse livro ele já está com a certeza de que seus irmãos estão bem encaminhados na vida, então chegou a vez dele se arranjar com alguém? Na Nani Na Não... Wulfric vive muito bem a sua vida de tirano assustador, organiza bem suas terras, posses e afins... fica vigilante sobre os irmãos e tem uma amante que cumpre a sua função sem ficar pedindo mais em troca. E lembra que em um dos livros, se eu não me engano no da Morgan, nós descobrimos o que aconteceu de fato com aquele noivado dele de muitos anos atrás. Pois é... só lembrar dele é traumatizante demais... imagina se ele vai encarar outro.

O problema é quando essa amante dele morre... pois é... nem tudo que é bom dura para sempre. Depois de alguns meses sem a família para fazer barulho na casa enorme e sem a amante para esquentar suas noites, e sem problemas do ducado para resolver, o que sobra? Sobra um convite para ir passar alguns dias no campo para comemorar o noivado de um parente de um ´´amigo`` se é que o outro nobre pode receber esse título. E por incrível que pareça, Wulfric chegou ao ponto de aceitar o convite.

E é no campo que o Duque vai ser afrontado pela Sra. Cristine, a prima por aderência do anfitrião do baile. Cristine é uma mulher viúva que vive com a mãe e a irmã mais velha que tem muito orgulho de ser uma solteirona convicta. Cristine leva uma vida sossegada com elas em um povoado em que todos se conhecem e acolhem ela apesar das fofocas que rodam o nome dela em meio a nobreza.

Cristine não tem muita ambição na vida, ainda sente de forma mais singela a falta do esposo por quem ela se apaixonou de cara, mas que acabou descobrindo posteriormente que ele tinha certos problemas. E assim ela vai levando a vida até que sua grande amiga invade a casa dela em uma bela tarde dizendo que em sua próxima festividade um convidado masculino a mais está chegando repentinamente e ela precisa equilibrar o número de casais e colocou na cabeça que só a Cristine pode salvar a reunião.

Essa amiga dela não deixa brechas para uma recusa, e mesmo com todos os temores dela sobre as fofocas que a rodam ela vai para ajudar a amiga. Cristine, apesar de já ter feito parte da nobreza, não conseguiu deixar de ser ela mesma. Ela não é uma mulher belíssima, mas é uma mulher atraente, cativante, com autonomia e autenticidade, e isso em uma mulher naquele período era sinônimo de problemas. E é mais por causa disso que as pessoas fofocam sobre ela, isso e a misteriosa morte de seu esposo.

Essas características dela chamam a atenção do Duque de Bewcastle, que logo vê uma possível substituta para a sua amante. O que ele não poderia contar era encontrar uma mulher que conseguisse fazer ele ceder, subir em arvores e percorrer labirintos só para encontrá-la no centro e roubar um beijo. É... quem diria que esse Duque um dia estaria fazendo esse tipo de coisa... o embate de forças entre eles é engraçado e por vezes bem distintos. A forma como ela vai conseguindo adentrar a armadura de Wulfric chama a atenção de todos, mesmo a família dele... que na surdina da noite trama altas situações para que Wulfric fique com Cristine.

O livro lembrou bastante meu livro favorito... Orgulho e Preconceito... os diálogos deles foram fantásticos. E admiro o fato da autora não ter mudado drasticamente o personagem Wulfric, acho que isso faria uma desconstrução horrenda dele. O livro é um final real para essa série que eu amei tanto acompanhar, obrigada a Arqueiro e a Mary Balogh pelo livro!

Espero que tenham gostado da resenha, e fica a dica!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo