sexta-feira, novembro 07, 2014

Eu Li: Ligeiramente Casados - Os Bedwyn #1 - Mary Balogh


Título:
Ligeiramente Casados
Autora:
Mary Balogh
Editora:
Arqueiro
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC

À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse Custe o que custar!. Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.
Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias.
Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.
Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...
Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página.

Romances de Época são um fraco meu. São histórias que você sonha protagonizar, clichês que nunca cansam ou saem de moda, e que eu amo! Ligeiramente Casados é o primeiro volume de uma série de livros que falam dos fantásticos irmãos Bedwyns, cada um deles um verdadeiro mistério a ser desvendado. Lorde Aiden é o primeiro e envolvente mistério de nossa lista.

Aidan (sou íntima e posso chamar pelo primeiro nome, okay?), é um coronel da cavalaria inglesa e sua aparência é rigida e muito séria (Oh MY). Durante uma batalha contra os franceses, um de seus soldados, com que tinha uma grande divida, é ferido gravemente e em seu leito de morte pede ao coronel que ele pessoalmente dê a notícia a sua irmã, Eve Morris, e cuide dela custe o que custar. Aidan não hesite em fazer essa promessa, e uoou, mal ele sabia no que estava se metendo.

Eve Morris é uma senhorita de 25 anos (já velha para a época) que cuida de uma próspera propriedade e emprega várias pessoas que não teriam chance em outros lugares, como um administrador sem braço, uma governanta que já foi presa, uma preceptora com um filho bastardo, e dois órfãos que ela ama como filhos, entre outros. Quando sabe da morte do irmão ela tem um choque, e junto com a dor da perda há o medo do que acontecerá com as pessoas que moram com ela, pelo simples motivo de uma cláusula no testamento de seu pai que a propriedade só seria dela caso ela casasse antes de um ano, senão passaria para seu irmão. Claro que seu irmão deixaria a propriedade com ela, mas ele morreu, e agora apenas quatro dias a separam do prazo final para se casar. Ela só não contava com a proposta de um casamento de conveniência feita por Lorde Aiden, e o pior, que aceitaria. 

A relação dos dois começa abrupta e ambos precisam deixar sonhos de lado para cumprir esse acordo tão repentino. É difícil e a inevitabilidade de uma vida de solidão para ambos é dolorosa. Eles estão muito apegados a definição de casamento de conveniência para sequer tentarem conhecer um ao outro. É irritante e deu vontade de sacudir os dois ARGHHH. Mas então o Duque de Bewcastle, irmão de Aidan, descobre sobre sua nova cunhada e decide que ela deve ser apresentada corretamente a sociedade, fazendo com os dois se aproximem e se conheçam mellhor.

É muito bonito a relação de Eve com as pessoas que trabalham para ela. Ela os ama e não os considera incapazes, mas sim pessoas que tiveram má sorte e que precisam que alguém as ajude. Sua relação com os órfãos evolui a olhos vistos, ganhando a confiança dos dois. Com a convivência, Aidan também acaba por desenvolver uma relação bonita com todos, principalmente com as crianças, e vai superando seu preconceito inicial com tudo relacionao da Eve: sua origem galesa, sua falta de origem nobre, seu apreço pelos "incapazes".

Eu fiquei muito assustada com a personalidade de Aidan no começo. Ele parecia uma pessoa rude e preconceituosa irrecuperável. Seu ceticismo e sarcasmo em relação a bondade de Eve me deixava perplexa. Aos poucos fui começando a conhece-lo, entender seus motivos, suas origens, as cobranças que ele sofreu, sua falta de opções. Fui me apaixonando juntamente com Eve, a medida que o conhecíamos, e consegui perdoá-lo. 

Seus irmãos também dão um toque especial ao livros, pois já temos vislumbre das personalidades que desvendaremos ao longo da série, no momento a história de Bewcastle é a que mais me atrai, por ele ser uma pessoa aversiva a principio, mas que com certeza tem algo de bom no interior. 

Há muitas outras coisas cativantes no livro, e a que eu mais gostei foi do fato dos filhos serem adotivos, onde normalmente o filho de sangue é mais valorizado e etc. Achei ousado por parte da autora colocar esse elemento na história. O chove-não-molha do casal no final do livro me irritou, pois só eles não percebiam os sentimentos um do outro (como frequentemente acontece nos romances), e durou mais do que deveria, mas a cena final foi tão linda que eu abracei o livro no final. Sou tão sensível com essas coisas <333333 div="" nbsp="">

A editora Arqueiro acertou muito em publicar essa série aqui no Brasil. Foi uma aposta muito boa, que vai encantar muitos fãs de romance de época, viciar muita gente na série, e nos fazer implorar pelos próximos volumes. POR FAVOOOOOR!


(4,5)


12 comentários:

  1. Apesar de muitas diferenças, essa história me lembra demais de Orgulho e Preconceito. Inclusive essa personalidade do Aiden é BEM parecido com a do Mr. Darcy!!
    E como eu adoro o livro da Jane Austen, não teria como não ficar animada com Ligeiramente Casados. A narrativa parece boa e cativante!!
    Espero ter a chance de ler um dia.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana! Sabes que eu não pensei no Mr. Darcy em momento algum? rsrs Mas é verdade, as personalidades são parecidas, apesar de serem expostas de maneiras diferentes. Vais gostar de Ligeiramente Casados :)

      Excluir
  2. Gostei bastante da história, apesar de já ter visto ela em muitos livros de romance que li. Confesso que desse gênero, muito poucos livros me atraem realmente, e os de época são os que mais me chamam atenção. Achei a premissa interessante, e peso que seria curioso ler como o amor da casal vai se desenvolvendo aos poucos, a partir de uma situação inusitada.
    Gostei da resenha
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Romances de Época não deixam de seguir uma fórmula não é? Mas alguns autores tem a habilidade de lidar com as fórmulas e clicês de forma a tornar a história interessante e "diferente". A escrita da Mary Balogh foi assim pra mim :)

      Excluir
  3. Já vi várias resenhas sobre o livro, e mesmo não lendo não tenho muita vontade, pois não gosto de romances de época, são completamente chatos e me entedia rapidinho, admiro quem consegue ler, eu não tenho muita paciência, já até tentei ler, mas sabe quando você ou seu cérebro não aceita? É uma pena pois vejo muitas pessoas amando esses romances de época!
    Beijos Bianne, até mais.
    ThaynáQ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, para algumas pessoas simplesmente não funciona rsrs. Mas quem sabe um dia você não dá uma nova chance? =D

      Excluir
  4. Olá,

    A Arqueiro está nessa fase de romances de época, né?
    Te falar que não li nenhum dos que ela lançou, mas tenho grande curiosidade de ler. Ligeiramente casados deve ser uma leitura muito gostosa. Sabe uma coisa que me agrada muito nesses romances? A descrição das roupas e festas. (Li Perdida da Carina Rissi e li Outlander esses dias que acho que se enquadram nesse gênero, ahhh tem As peças infernais da Cassaandra que sou apaixonada.)
    Voltando, espero em breve ler esse livro e ficar ansiosa pelos próximos. Quero conhecer mais de Aidan e Eve.

    Visite: http://paradisebooksbr.blogspot.com.br/

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. É maldade, quando estou mais sem tempo vejo séries maravilhosas que queria ler, mas está complicado iniciá-las, mas é praticamente impossível resistir a um romance de época, principalmente quando acontece na Inglaterra <33
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  6. Estou doida pra ler esse livro, amo romance de época, o livro parece ser ótimo, e sua resenha me deixou ainda mais ansiosa pra conferi a história, essa série prometem hem!

    ResponderExcluir
  7. Tenho uma queda bem grande por romances de época, acho lindo o modo como as autoras descrevem a realidade da época que estão vivendo e ainda coloca algo diferente, é isso que me faz gostar desses romances pois são cliches e ao mesmo tempo não são, esse livro é exatamente assim e parece ser ótimo, estou bastante curiosa para ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. *Amo* romances históricos e sempre fico suspirando pelos cantos quando leio um. Não conhecia essa série nem a autora, mas muito feliz de a Arqueiro trazer pra cá. Livros assim nunca são demais haha

    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Apesar de adorar romances, os de época não me atraem muito.
    Já sei que estou perdendo uma super leitura, espero passar dessa fase e dar uma chance!

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo