segunda-feira, janeiro 22, 2018

Eu Li: À Margem das Sombras - Anjo da Noite #2 - Brent Weeks

Título:
À Margem das Sombras
Autor:
Brent Weeks
Editora:
Arqueiro
Ano:
2017
Série:
Anjos da Noite

Adicione ao skoob

O jogo parece perdido para a cidade de Cenária.
O golpe impiedoso de Garoth Ursuul, o Deus-rei, foi bem-sucedido. Agora ele domina a cidade, enquanto os invasores de Khalidor massacram habitantes e destroem casas, lojas e esperanças. O antigo governo da cidade foi subjugado e seu líder, substituído.
A magia do Deus-rei é poderosa demais para ser controlada e sua influência se expande até os círculos mais nobres da cidade. As únicas chances de vitória nessa guerra injusta são o honrado Logan Gyre e o derramador Kylar Stern, o Anjo da Noite. Contudo, enquanto o primeiro está enclausurado na mais terrível prisão do reino, o segundo abandonou o caminho da espada e, em nome de Elene, seu grande amor, jurou nunca mais matar.
A resistência agora se resume a ladrões, comerciantes pobres e prostitutas. Mas talvez isso mude muito em breve. Ao descobrir que Logan está vivo, Kylar pode abrir mão da paz que encontrou na nova família e arriscar tudo para retornar ao caminho das sombras.

Vamos falar sobre decepções?
Primeiro, À Margem das Sombras é o segundo livros da série Anjo da Noite. O primeiro livro, Caminho das Sombras, eu resenhei AQUI.

No segundo livro da série, Cenária caiu frente ao golpe do autointitulado Deus-rei, Garoth Ursuul. O Sa'Kagé agora se resume a ladrões, prostitutas, alguns derramadores e o seu novo Shinga, Jarl (o antigo amigo de Kylar Stern. Kylar por sua vez, decidiu abandonar a vida de derramador e assassino e focar em cuidar de Elene (sua amada desde a infância, que ele descobriu estar viva) e Uly, a filha esquecida de seu antigo mestre Durzo Blint e da antiga Shinga, a Mama K. Não há esperanças: o exército Khalidor de Garoth é extremamente poderoso e Kylar, o melhor dos derramadores que ainda resta, resolveu largar a violência em prol do casamento com sua amada. Mas, ao descobrir que Logan Gyre (quem por direito seria o rei de Cenária e seu melhor amigo) está vivo, tudo pode mudar completamente.

À Margem das Sombras é um livro extremamente complicado de ler. Ele é uma continuação direta de Caminho das Sombras, mas as tramas que mais chamaram a atenção no primeiro livro, ficam de certa forma em segundo plano aqui para dar destaque a outras tramas secundárias. Na verdade esse tipo de narrativa em que vários pontos de vista são utilizados por capítulos não é novidade. Game of Thrones é assim e já falamos como O Livro Malazano dos Caídos funciona da mesma forma AQUI. Mas, de todas tramas, podemos destacar três que acabam interligando todos os nós da história:

- Kylar resolve abandonar a vida de assassino, pois sua amada, Elene, abomina a violência, mas, mesmo na cidade onde eles resolvem morar com Uly, Kylar não consegue largar completamente o ofício de derramador e a sua violência;
- Logan Gyre, o rei por direito de Cenária, acaba preso por engano num lugar extremamente miserável, nas profundezas de uma prisão. O lugar é tão pitoresco que recebeu o sonoro nome de C* do inferno. Ninguém sabe que ele está ali e sobreviver vai ser uma dificuldade absurda, entre brigas dos prisioneiros, doenças e a própria condição insuportável do lugar;
- Vi (esse é o nome dela mesmo), uma derramadora a trabalho de Garoth Urssul é encarregada de caçar o novo Shinga (que é um antigo amigo) e também capturar Kylar, mas, em meio a várias dificuldades para cumprir a missão, ela acaba dando de cara com um clã formado principalmente por mulheres que esta muito interessado em seu poder.

O grande problema de À Margem das Sombras é a construção do roteiro: A trama de Kylar (que deveria ser a principal, mas acaba ficando em segundo plano) é praticamente insuportável e arrastada até mais ou menos três quartos do livro. Das outras linhas algumas são ou completamente desinportantes e acabam não tendo relevância nenhuma ou surgem do nada. A história da derramadora Vi é até muito legal: ela é um dos personagens mais bem construídos dessa série. Mas o clã que deseja sequestrá-la aparece do nada, sem nenhum explicação e no final da trama (calma, não é spoiler) praticamente não tem importância nenhuma.

A historia de Logan Gyre (que foi a que realmente se mostrou mais interessante) por vezes é quebrada. Como o texto de Brent Weeks muda os pontos de vista a cada capítulo, acontece de você estar lendo uma trama que até é interessante, mas logo é cortada para outro ponto de vista que não traz tanto interesse assim. Por isso, o texto de Brent Weeks que já era um tanto arrastado no primeiro livro da série, agora, piorou consideravelmente. Por uma boa parte da leitura, você tem a sensação de que nada está acontecendo. E quando chega no final (apesar de ser muito bom) você tem a sensação de que várias tramas são jogadas fora.

Por outro lado, algo que o autor sabe fazer muito bem são cenas de luta. Tudo o que não funciona em planejamento de roteiro  descontado em todas as lutas corpo a corpo, batalhas mágicas, batalhas em campo entre outros. O sistema de magia criado para essa série também é um ponto alto. Nesse segundo livro tudo é expandido e descobrimos novas magias (algumas bem cruéis).

Enfim, À Margem das Sombras era um livro que eu estava esperando com uma boa expectativa, mas que no final, não chegou nem perto da qualidade do primeiro. Mas, o final realmente muito bom, deu uma melhorada na nota.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo