quarta-feira, fevereiro 07, 2018

Leituras Dramáticas: "Cartas para ninguém" de Saulo Sisnando

Oi, gente! Tudo bem?

O post de hoje é um pouquinho diferente dos meus posts habituais pois quero compartilhar com vocês uma vivência espetacular que ocorreu comigo ontem a noite. Mas antes de contar o que me aconteceu, preciso perguntar: Vocês conhecem o grupo "Teatro de Apartamento"? Não? Pois vão conhecer um pouco dele agora!

Este grupo está sendo responsável por encontros mensais na cidade de Belém geralmente na Casa Cuíra ou na Casa do Fauno para realizar a seguinte atividade: Leituras Dramáticas! Isso mesmo... leituras e\ou interpretações de textos em que o grupo escolhe mensalmente autores ou dramaturgos a serem homenageados... tais como Miguel Falabella e mesmo nosso trevosinho mor Edgar Alan Poe, dentre outros tantos.

Aqueles amados amigos que acompanham o blog com certeza devem lembrar que nossa colunista Fernanda Karen veio recentemente ao blog Garota Pai D'égua contar um pouco de uma de suas experiências com o grupo Teatro de Apartamento assim como convida-los a prestigiar a peça de teatro "A Outra Irmã", também produzida pelo grupo.

Acontece que somos muito amigos do criador e diretor do grupo e peças... acredito que vocês já conheçam nosso amigo Saulo Sisnando!

E o que Jane Austen juntou, critico nenhum vai conseguir separar! E foi por causa dessa paixão que Saulo, Fernanda e eu compartilhamos é que na noite de ontem na Casa Cuíra estivemos juntos para uma nova experiência em nossa vida bookaholic.

Dramaturgia ou Literatura? Literatura ou dramaturgia? Ou nenhum dos dois? Ou de preferência os dois juntos? Pronto... a Anne ficou louca de tanto ler! Calma aí... que não cheguei nesse extremo ainda! É que há alguns dias atrás nosso querido Saulo nos convidou para fazermos parte de um bate-papo sobre Jane Austen, pois no dia 06 de fevereiro (ontem) uma de suas peças estaria completando 10 anos. E ele queria aproveitar que o elenco original da peça estaria todo aqui em Belém para comemorar fazendo a Leitura Dramática do roteiro da peça. 

"Cartas Para Ninguém" conta a história de uma jovem mulher chamada Margô, que era muito fã (coloque aqui seu medidor de fãgirl bookaholic em mode hard) de Jane Austen.

Acontece que em um belo dia na academia Margô visualiza o amor de sua vida, e a partir daí ela começa uma jornada Austeniana em busca de maiores informações sobre o belo rapaz. Mas para conseguir isso ela pede ajuda a sua melhor amiga Carolina (uma personagem incrivelmente "gente como a gente") para conseguir driblar a segurança da academia e conseguir os dados dele na ficha pessoal.

A peça transcorre da seguinte forma: na maioria do tempo a peça apresenta algumas pessoas que "acreditam conhecer Margô". Então temos a narrativa de um jornalista que escreveu um livro sobre ela, temos seu fiel amigo cabeleireiro que sabe tudo sobre a intimidade dela, há também seu antigo amigo e instrutor de academia e por fim temos uma embuste que tinha um mega "recalque" com Margô e por isso descontava sua frustração nela. E todos eles alegam com convicção que sabem o que aconteceu com ela anos depois... acontece que as histórias deles não coincidem em nada.... e isso é muito hilário.

O discurso deles é como se fosse no presente, e entre as falas acontecem as cenas de simulação (no estilo do programa "Você Decide", lembram como é, né?) do que aconteceu com Margô e sua busca romântica pelo amor perfeito. Então nas simulações nós conseguimos descobrir o que de fato aconteceu com ela. Sempre lembrando que a peça vai e volta no tempo.

Muito do espírito por trás das obras de Austen pode ser encontrados na peça de teatro, inclusive Saulo confidencializou que um dos personagens foi inspirado em um famoso filme que fala das obras de nossa querida autora britânica. Em nossa roda de conversa antes da peça, em que estivemos falando de Jane Austen com Saulo pudemos contar com a presença de autores como: Andrei Simões (autor de Zon), Lenmarck (autor de Névoa) e Edyr Augusto (autor de Pssica) onde debatemos de maneira muito única a forma como literatura e dramaturgia se embaraçam. 

Como blogueira e bookaholic me senti honrada de participar desse momento, pois ele passou a fazer parte de um rol de acontecimentos que me ajudaram ou ajudam a engrandecer e amadurecer meu lado amante de literatura e seu universo contagiante, assim como o evento de ontem abriu um espacinho cheio de carinho para a dramaturgia no meu coração e mente.

Obrigada Saulo por me proporcionar isso!

Deixo vocês com as fotos da leitura da peça... e espero que tenha ficado na mente de cada leitor deste post um gostinho de quero mais!

Não esqueçam de ficar de olho nas redes sociais do grupo Teatro de Apartamento para saberem quando, onde e sobre qual autor vão rolar os próximos encontros do grupo para Leituras Dramáticas.



Beijos e até o próximo post!



2 comentários:

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo