terça-feira, janeiro 30, 2018

Eu Li: Uma Dobra no Tempo - Uma Dobra no Tempo #1 - Madeleine L'Engle


Essa edição está espetacular!

Título:
Um Dobra no Tempo
Autora:
Madeleine L'EngleEditora:
Harper Collins
Série:
Uma Dobra no Tempo


Adicione ao Skoob


Um clássico da fantasia e da ficção científica emerge!
Era uma noite escura e tempestuosa; a jovem Meg Murry e seu irmão mais novo, Charles Wallace, descem para fazer um lanche tardio quando recebem a visita de uma figura muito peculiar.
“Noites loucas são a minha glória”, diz a estranha misteriosa. “Foi só uma lufada que me pegou de jeito e me tirou da rota. Descansarei um pouco e seguirei meu rumo. Por falar em rumos, meu doce, saiba que o tesserato existe, sim.”
O que seria um tesserato? O pai de Meg bem andava experimentando com a quinta dimensão quando desapareceu misteriosamente... Agora, com a ajuda de três criaturas muito peculiares, chegou o momento de Meg, seu amigo Calvin e Charles Wallace partirem em uma jornada para resgatá-lo. Uma jornada perigosa pelo tempo e o espaço. 
Uma dobra no tempo é uma aventura clássica, que serviu de inspiração para os mestres da fantasia e da ficção científica do mundo, agora adaptada para os cinemas pela Disney. Junte-se à família Murray nesta jornada, entre criaturas fantásticas e novos mundos jamais imaginados.

Como a própria sinopse diz Uma Dobra no Tempo é um clássico de fantasia e ficção científica. Mas como um livro infantil consegue misturar ambos? Essa é a maior magia desse livro!
Uma Dobra no Tempo, assim como As Tumbas de Atuan é um clássico e um dos primeiros livros de fantasia a ter uma protagonista feminina. Publicado originalmente na década de 60, a trama trás uma fantasia infantil, comum de livros como as Crônicas de Nárnia (aliás, ambos são mais ou menos da mesma época), misturada a psicodelia típica do anos 60/70 (que você conseguiria notar numa revista do Doutor Estranho, por exemplo) e uma ficção científica leve (também comum da época).

Meg (a protagonista), é uma garota comum que está tendo problemas com a escola desde o desaparecimento de seu pai. Aliás, é estranho até dizer que ele desapareceu: sua mãe apenas fala que ele estava trabalhando num projeto secreto do governo que envolvia a quinta dimensão e que logo ele irá voltar. Seu irmão mais novo Charles Wallace, sempre foi diferente e teve uma percepção peculiar do mundo, mas nada que ela conseguisse verbalizar em palavras. Tudo fica completamente estranho quando a Sra. Quequeé (uma senhora misteriosa com alguns poderes estranhos) aparece na casa deles, informa que seu pai está vivo, que o tesserato é real e que eles devem ir numa missão para salvar toda a Terra de um grande mal.

É até meio estranho dar essa sinopse e logo em seguida dizer que o livro tem vários pontos de ficção científica. De fato, toda a parte que envolve o tesserato (ou para quem viu Vingadores entender, tesseract) é bem embasada em conceitos da física como a quarta dimensão, hipercubos e a própria dobra no tempo em si. O clássico "a menor distância entre dois pontos nem sempre é uma reta" é o principal cerne da ciência que está envolta na trama. Em dados momentos você percebe que os personagens estão discutindo a teoria da relatividade de Einstein e mesmo assim continua sendo um texto simples e de fácil entendimento. Ao mesmo tempo, vários conceitos fantásticos estão também inseridos entre os personagens. Acaba que a fantasia e a ficção científica se misturam de uma forma que ficou muito bem feita.

Fora isso, os personagens são todos muito bons. A protagonista Meg cumpre muito bem o papel de ser aquela que está entendendo o universo e, ao mesmo tempo, explica todos os conceitos ao leitor sem que fique óbvio ou arrastado. Charles Wallace que funciona como uma "criança prodígio" é a chave da trama e tem umas cenas bem interessantes. Além disso, as quatro personagens que dão o tom fantástico a trama, a Sra. Quequeé, a Sra. Quem, a Sra. Qual e a Médium Contente tem uma dinâmica bem bizarra e principalmente delas vem o psicodélico que citei lá atrás.

Ponto alto da autora para mim está justamente no poder descritivo dela. Existem cenas que são extremamente abstratas e lembram muito o filme do Doutor Estranho, mas Madeleine consegue fazer com que o leitor entenda perfeitamente o que está acontecendo. Minha única ressalva é para alguns trechos do início do livro que parecem completamente desconexos do resto da trama, mas nada que incomode ou atrapalhe a leitura.

É um livro que eu recomendo de verdade para todos porque é uma leitura bem gostosa e rápida.

O livro aliás vai ganhar uma adaptação produzida pela Disney que será lançada em março desse ano. Confiram o trailer a seguir:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo