terça-feira, outubro 11, 2016

Eu li: Warcraft - Christie Golden

Aliança ou Horda?
Título: Warcraft

Autora: Christie Golden 

Editora: Galera Record

A novelização do aguardado filme de ação e fantasia Warcraft.
Há muito Azeroth está em paz. Após expulsar os trolls, com a ajuda de Medivh, Guardião do reino, humanos vivem em paz com os vizinhos elfos e anões. Mas um novo mal desponta no horizonte, e a guerra ameaça engolfar mais uma vez os domínios do justo rei Llane. 
Uma raça temerária de invasores, os guerreiros orcs, insuflados pelo feiticeiro Guldan e liderados pelo monstruoso Mão Negra, fogem de seu mundo agonizante em busca de caça e oportunidades. Com a ajuda da vileza, a mais cruel das magias, Guldan criou um portal capaz de transportar sua Horda até Azeroth. 
A maré verde, de orcs dominados por esse mal, toma de assalto as terras humanas. Morte e destruição ameaçam destruir a tudo e a todos. Então, de lados opostos, dois heróis surgem, em uma rota de colisão que decidirá o destino de sua família, seu povo e seu lar.
Durotan, o líder honrado do clã Lobo do Gelo, quer apenas uma chance para seu filho recém-nascido. Lothar, o Leão de Azeroth, busca redenção. E assim começa uma espetacular saga sobre poder e sacrifício, na qual a guerra tem muitas facetas e todos lutam por algo.

Atenção: Esse livro é uma continuação direta de "Warcraft: Durotan" (resenha aqui) e essa resenha pode conter alguns spoilers do livro anterior.

Warcraft (o jogo, não o livro) é um universo gigantesco e com uma história extremamente complexa. Cada personagem que aparece ao longo da trama tem uma história própria. São 3 jogos de estratégia em tempo real (RTS) e mais o MMORPG World of Warcraft que já conta com 6 expansões (cada uma delas aumentando absurdamente a história desse universo). A série de livros tem mais de 15 edições, sem contar os guias. Enfim, era um trabalho bem complicado adaptar tudo isso em um único filme. Mas eis que esse ano estreou o filme Warcraft: O primeiro encontro de dois mundos (que subtítulo terrível) levemente inspirado no primeiro jogo da série. O livro Warcraft é a adaptação do filme de Duncan Jones, escrito (assim como o prelúdio e vários outros livros do universo) por Christie Golden. 

A trama é divida em duas partes: uma se iniciando imediatamente após o livro de prelúdio, seguindo a história de Durotan e dos orcs do Clã dos Lobos de Gelo que decidiram se unir a Horda. Ao chegarem ao sul de Draenor e se juntarem aos outros orcs, eles descobrem que na verdade a terra prometida por Guldan não está livre e desabitada e deverá ser conquistada. Há um portal gigante alimentado por magia que permitirá levar os Orcs ao novo mundo, mas, para que isso seja executado, são necessários sacrifícios vivos. Vários Draeneis (outra raça vivente do mundo de Draenor) são executados para que os melhores guerreiros sejam enviados ao novo mundo, Azeroth. Ao ver os feitos cruéis da magia  de Guldan, Durotan começa a desconfiar das intenções dele, principalmente quando os orcs que se utilizam da magia do bruxo (a vileza), começam a ficar descontrolados, a invadir várias vilas e matar aqueles indefesos seres chamados humanos.

A outra parte da história foca no lado dos humanos, principalmente em Anduin Lothar (um dos maiores guerreiros de Azeroth), Llane Wrynn (o Rei de Azeroth) e Magna Medivh (o mago guardião de Azeroth). Os humanos começam a receber notícias de que várias vilas estão sendo destruídas por seres desconhecidos e extremamente poderosos e, sem entender bem o que eles querem ou seus poderes, uma grande guerra está por vir. 

Aqui novamente destaco o texto de Christie Golden. Ela escreve de forma fluída, sabe descrever muito bem toda a paisagem do mundo do jogo e as lutas e soube dar a devida profundidade à todos os personagens (coisa que faltou um pouco no filme). Algo que me agrada muito na escrita dela é como consegue desenvolver e apresentar um personagem desconhecido em poucas linhas, de forma que você entenda as ações futuras que ele irá tomar. Isso é ótimo para entender as decisões de alguns personagens secundários como a Garona e o Hadgar que ficaram um pouco mal explicadas no filme. 

Em termos de adaptação, a trama do livro/filme tem algumas alterações em relação a obra original do jogo, mas nem de longe isso é um problema. A novelização é um ótimo complemento para quem viu o filme, trazendo vários aspectos subjetivos de alguns personagens e várias explicações que ficaram superficiais. Além disso é cheio de fanservices para que as pessoas que já gostam do universo do jogo se sintam em casa. O mais interessante é ler tanto o prelúdio quanto a novelização para depois ver o filme.

O final tem um plot twist bem interessante (apesar de um pouco mal explicado) e fecha bem a história. Caso não chegue a existir continuação a trama pode muito bem acabar ali, apesar de ter alguns ganchos. Fora isso eu realmente acredito que o roteirista e a autora conseguiram fazer um obra que consegue agradar tanto o fã do jogo, quanto quem nunca ouviu falar desse universo.

Minha nota final para o livro é;




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo