Eu li: Cortesã por uma noite - Lisa Kleypas

Título:
Cortesã por uma noite
Autora:
Lisa Kleypas
Editora:
Arqueiro
Ano:
2021
Série:
Os mistérios de Bow Street #1



Certa noite, o belo e misterioso policial Grant Morgan é chamado para investigar uma vítima de afogamento no rio Tâmisa. Quando chega lá, fica surpreso ao reconhecer Vivien Rose Duvall, um de seus grandes desafetos, a mais famosa e exclusiva cortesã dos salões londrinos.
Grant fica mais surpreso ainda ao perceber que a moça está viva. Sem saber o que fazer, ele decide levá-la para casa, apesar de seu desprezo por ela. Quando Vivien acorda, porém, os dois percebem que ela não se lembra de nada.
Durante a investigação, logo fica claro que a moça sofreu uma tentativa de assassinato e que sua vida ainda está correndo perigo. Enquanto tenta protegê-la, Grant se sente cada vez mais atraído por ela. E Vivien, incapaz de recuperar a memória, se entrega de corpo e alma a seu salvador.
Nesse mistério envolvente cheio de pinceladas de romantismo, duas vidas se cruzam de maneira inesperada e uma paixão avassaladora coloca em dúvida tudo que eles achavam que sabiam.

Olha que pensei já ter visto muita coisa no mundo dos romances de época, mas encontrar Lisa Kleypas, mais que rainha por estas bandas, como escritora não apenas de romances de época hots, mas como uma excelente escritora de mistério e suspense foi surpreendente. De cara eu amei as capas propostas pela editora para esta série de novos romances, mas nada me preparou para o conteúdo deles. 
Segundo minha fonte, vulgo goodreads, esta é uma série lançada incialmente pela autora em 2002 na gringa. E até onde consta, fecha em três livros direitinho. Então se você está adentrando esse universo de romances de época, fica aí mais uma boa indicação para começar por esta série. 
E mais um bom motivo para começar por está série é que o segundo livro já está entre nós... acredito que até o fim do ano a Arqueiro também já lançado o último livro. 
Legal, né? Então vamos a resenha?
Certa noite, onde a neblina era densa e só permaneciam na rua aqueles que por ali sabiam se defender e precisavam se ocultar por motivos escusos, as margens do rio Tâmisa, certo barqueiro encontrou algo muito inusitado e por isso enviou um menino a Bow Street, sede da polícia Londrina, solicitando seus serviços. A muito contragosto Grant Morgan, um dos policiais mais bem sucedidos e ricos da Bow Street, foi até o barqueiro investigar certo mistério. Ao chegar no local, mesmo de longe seu instinto e uma rápida olhada, foi o suficiente para ele já saber de quem era o cadáver boiando perto da margem. 

Ele era muito bom no que fazia, e diferente de muitos segundos filhos nobres que se aventuravam na polícia, Grant Morgan fez seu bom nome e império vindo das cinzas como a fênix. Mas não foi o seu talento nato que o ajudou a resolver o mistério em segundos, foi sua história antiga com Vivien Rose Duvall, ninguém menos que a cortesã mais requisitada e exclusiva de Londres desta temporada, assim como um de seus principais desafetos, eles tiveram uma breve, mas marcante história, afinal, ela desdenhou dele por ser um mero policial certa noite em que nem mesmo ele conseguiu resistir em apreciar os majestosos encantos de Vivien. Nem preciso dizer que o orgulho dele ficou bem abalado... mas ele não teria conseguido chegar onde chegou se fosse dominado sempre por seus impulsos. Então o tempo passou e eles seguiram seus caminhos o mais distantes possível.

Então descobrir que o corpo boiando no Tâmisa era dela foi bem impactante e gerou um mix de sentimentos. E tudo só ficou pior quando ele estava verificando os sinais vitais de Vivien e descobriu que ela não estava morta e sim desacordada. Mesmo com seu orgulho do passado ainda ferido e ressurgindo a epiderme, ele resolve levar ela para sua casa para cuidados, assim como informar a Bow Street. Quando finalmente consegue fazer com que ela acorde a história fica ainda pior, afinal de contas, ao que tudo indica Vivien sofreu uma tentativa de assassinato, mas como única testemunha deixa muito a desejar já que aparentemente perdeu a memória após bater com a cabeça.

Como única testemunha e com o assassino a solta, Grant toma a decisão de não contar a ninguém que não seja seu chefe, Sir Ross, que a cortesã ainda está viva e começa a investigação mantendo-a em sua casa para tentar ajudá-la a recuperar a memória para então concluir o caso. Mas se Grant for verdadeiro consigo mesmo, admitirá que seu principal motivo de manter Vivien em sua casa é fazê-la pagar pelo momento vivido por ambos no passado. Então ele une o útil ao agradável e assim que vê uma oportunidade declara para Vivien que ela é uma cortesã, que está apaixonada por ele, sendo ele seu atual protetor.

Lembra que eu disse que a Lisa Kleypas se mostrou uma excelente escritora de mistérios? Pois é. Só que Grant vai descobrindo que não só ela perdeu a memória, mas também mudou brutalmente de personalidade. De femme fatale ela passou a ser uma moça muito virginal, culta, doce e gentil, deixando-o assim cada vez mais desconcertado. Afinal, como manter a farsa se a cada novo dia ela vem ganhando mais espaço em sua casa e coração? E ele passa a se questionar quem de fato é Vivien: uma pessoa que finge ser uma cortesã ou aquela mulher em sua vida que o aceitou tão bem e confiou nele com todo o seu ser? Aquela mulher que o ignorou ou esta que debate teóricos da filosofia como se seu mundo fosse mais feliz ao ler cada dia mais livros?

E assim o livro transcorre entre o mistério de quem é de verdade aquela mulher deslumbrante e quem poderia querer matá-la? 
O livro é envolvente em tantos sentidos diferentes que me divirto imaginando a reação de vocês ao descobrirem todos os mistérios da narrativa desde já. A história é bem fechadinha e o link da série vai ser a Bow Street, logo vamos encontrar alguns policiais bem cativantes no decorrer dessas leituras #adoro. 

Espero que tenham gostado da dica e até o próximo post!


 

Assistente Social por amor a profissão, descobriu em 2013 uma nova paixão: ser blogueira literária. Desde então vem se apaixonando mais a cada novo livro lido. Descobriu através de Jose de Alencar e só reafirmou ao ler Jane Austen, que Romances de Época são imprescindíveis para a sua vida assim como respirar. Adora intercalar suas leituras com momentos em família, séries de tv, doramas, música, bujo, fotografia, saídas com amigos e seus cachorros lindos. Encontra na literatura uma forma de desbravar o mundo e fazer novos amigos.

Recomendado Para Você

Comentários