Eu Li: Projeto duquesa - Sabrina Jeffries


Título:
Projeto Duquesa
Autora:
Sabrina Jeffries
Editora:
Arqueiro
Ano:
2021
Série:
Dinastia dos Duques #1


Lydia Fletcher é uma mulher notável. Casou-se três vezes. Com três duques. E deu a cada um deles um herdeiro, tornando-se, assim, mãe de três duques. Agora, viúva pela terceira vez, ela quer assegurar a presença de todos os seus filhos no velório de seu último marido.
Seu primogênito, Fletcher Pryde, o duque de Greycourt, se transformou, após uma infância difícil, em um homem com um coração inacessível, uma riqueza invejável e a fama um tanto injusta de libertino. Concentrado em expandir sua fortuna, ele nem pensa em casamento.
No velório de seu padrasto, Grey conhece Beatrice Wolfe, a protegida de sua mãe, uma jovem encantadora e deliciosamente franca, e fica desconcertado ao descobrir quanto eles têm em comum. Mas ela também já desistiu do amor há muito tempo, e não é o arrogante duque que vai fazê-la mudar de ideia.
Então ele concorda em ajudar a pobre mãe enlutada a preparar a atrevida moça para ser apresentada à sociedade. Assim que ela conhece de perto o verdadeiro Grey, se vê incapaz de resistir a seus encantos.

Apesar da história não ser dela, não teríamos como escrever esta resenha sem falarmos primeiramente desta mulher que conseguiu a proeza de ter três filhos Duques. Para quem já está acostumada com romances de época por certo sabe que para ser detentor de um título de nobreza é necessário ser o primogênito de um casamento nobre. Então como Lydia Fletcher conseguiu nada menos que ter três filhos com o mesmo título? Simples, ela se casou e enviuvou três vezes! Guarde esse informação, pois chega uma parte da história em que você vai precisar dela.


Enquanto isso, em uma nobre casa em Londres, Flecher Pryde, Duque de Greycourt, entra apressado em casa já com o tempo cronometrado em mente para sua próxima atividade quando se depara com seu mordomo fazendo caras e bocas, e sem saber traduzir em palavras a agonia estampada no rosto deste, seguiu entrando em casa, mal sabendo que estava prestes a cair em uma armadilha, pois logo se deparou com sua prima Vanessa lhe chamando a atenção pela falta de consideração em não atestar sua presença ali. Então, as caretas do mordomo enfim fizeram sentido na cabeça de Grey, no entanto já tarde demais.

Vanessa e Grey foram criados feito irmãos e tinham um carinho e amor muito fraternal, coisa deturpada na cabeça da mãe de Vanessa que insistia no matrimonio dos dois para ter acesso ilimitado a fortuna de Grey. Mas ele não conseguiu nem cogitar ter esse tipo de intimidade com sua amada priminha. Após uma breve atualização sobre os próximos planos nefastos da tia, Vanessa enfim informa o real propósito de sua visita: entregar uma carta de sua mãe, Lydia Fletcher.

Nesta carta ele descobre que sua mãe acabou enviuvando pela terceira vez e se encontra inconsolada. Ela insiste muito que ele vá a seu encontro com brevidade pois não vai conseguir passar por essa perda mais uma vez sem seu filho primogênito que consegue sempre arrumar tudo, assim como a presença de todos os filhos. Então sem mais delongas, Grey segue para a cidade campestre sede da casa do Duque, agora seu meio irmão.

Ao chegar na casa se depara com uma jovem, possivelmente uma dama de companhia, ajustando alguns retoques do cortejo fúnebre. E sem se preocupar em ser educado acaba sendo bastante arrogante, ao que ela rebate na mesma pisada, chocando imediatamente o Duque. Alguns minutos depois, seu meio irmão, o novo Duque, chega para fazer as devidas apresentações. E não é que a jovem dama era, na verdade, a prima de seu meio-irmão? Quem poderia imaginar que ela teria uma seria dificuldade de controlar o que sai pela sua boca?

Beatrice Wolf quis se enterrar viva quando descobriu que foi ríspida com ninguém menos que o imponente Duque de Greycourt, atual maior libertino londrino. Mas também quem o mandou ser tão mal-educado e abordá-la de forma tão autoritária? Naquele momento ela decidiu ficar o mais longe possível dele, que era pura encrenca só de se olhar. Mas com seu jeito muito singular, ela não conseguia entender, mesmo naquele momento, como chamou tanto a sua atenção, e como ele passou a ficar obstinado em saber mais sobre ela. 

Acontece que a mãe dele tinha outros planos, pois antes de enviuvar repentinamente ela havia se comprometido em tutelar Beatrice para o seu Debut em Londres, e proporcionar a jovem um casamento adequado. Beatrice, por sempre ter morado no pequeno povoado sob a caridade dos tios, foi praticamente quem coordenou o cortejo fúnebre como manda toda a tradição local. A Duquesa Viúva aproveitou que praticamente todos seus filhos estavam reunidos novamente e pediu ajuda para começar o treinamento de Beatrice e sua filha para o Debut. 

Logo sua tia frustrou os planos de Beatrice de ficar bem longe de Grey, pois ele acabou se tornando meio que o responsável pela sua educação em dança, e todo o seu estudo passaria a ser responsabilidade dele, tendo em vista que a mãe se encontrava indisposta emocionalmente. Grey viu nessa oportunidade uma forma de conhecer mais sobre a jovem e frustrar os planos de seu irmão, que do nada apareceu com a ideia de cortejá-la. O que Beatrice não sabia dessa investida de Grey era que ele estava ajudando o novo Duque a investigar se, de fato, seu pai tinha morrido em um acidente ou se ele foi vítima de um assassinato, possivelmente orquestrado pelo irmão (fera) de Beatrice. 

A construção do romance de Grey e Beatrice é recheado de respostas ácidas e nenhum controle sobre os ímpetos deles dois, se é que deu para entender... também vamos conhecendo um pouco mais dos demais Duques e irmãos. Assim como o passado tempestuoso de Beatrice, sendo o real motivo do porquê ela não acreditar em um casamento realizado por amor.

O livro é muito peculiar pois, ao mesmo tempo que consegue concluir de forma coesa o romance, ao seu término deixa muitas migalhas para o próximo livro... e ao que me parece a autora vai estender esse mistério da morte do Duque até o final da série, pois ela conseguiu jogar uma bomba de suspeitas no colo dos leitores ao fim da história, o que foi difícil de digerir.

Bom, sem mais delongas, espero que tenham gostado da resenha, e até o próximo post.

Assistente Social por amor a profissão, descobriu em 2013 uma nova paixão: ser blogueira literária. Desde então vem se apaixonando mais a cada novo livro lido. Descobriu através de Jose de Alencar e só reafirmou ao ler Jane Austen, que Romances de Época são imprescindíveis para a sua vida assim como respirar. Adora intercalar suas leituras com momentos em família, séries de tv, doramas, música, bujo, fotografia, saídas com amigos e seus cachorros lindos. Encontra na literatura uma forma de desbravar o mundo e fazer novos amigos.

Recomendado Para Você

Comentários