Quinta em outra língua #92 - A court of Silver Flames - Sarah J. Maas

Título:
A Court of Silver Flames
Autora:
Sarha J. Maas
Ano: 
2021
Editora:
Bloomsbury Publishing
Série: 
A Court of Thorns and Roses #4

Adicione ao Skoob

Nesta Archeron has always been prickly-proud, swift to anger, and slow to forgive. And ever since being forced into the Cauldron and becoming High Fae against her will, she's struggled to find a place for herself within the strange, deadly world she inhabits. Worse, she can't seem to move past the horrors of the war with Hybern and all she lost in it.
The one person who ignites her temper more than any other is Cassian, the battle-scarred warrior whose position in Rhysand and Feyre's Night Court keeps him constantly in Nesta's orbit. But her temper isn't the only thing Cassian ignites. The fire between them is undeniable, and only burns hotter as they are forced into close quarters with each other.
Meanwhile, the treacherous human queens who returned to the Continent during the last war have forged a dangerous new alliance, threatening the fragile peace that has settled over the realms. And the key to halting them might very well rely on Cassian and Nesta facing their haunting pasts.
Against the sweeping backdrop of a world seared by war and plagued with uncertainty, Nesta and Cassian battle monsters from within and without as they search for acceptance-and healing-in each other's arms.


Hoje é um dia muito especial para os fãs brasileiros de Sarah J. Maas, por isso segurei por tanto tempo a resenha do livro. É especial pois hoje marca o início da pré-venda do mais novo livro da série da Corte de Espinhos e Rosas de nossa magnânima autora, na tradução ele ficou nomeado como "Corte de chamas prateadas", livro este que foi tão esperado pelos fãs do mundo todo, pois vem contar a história depois de todos os acontecimentos dos três (quatro) primeiros livros da série, em especifico o livro é destinado principalmente aos fãs de Cassian e Nestha.


Como disse anteriormente, apesar do livro ser escrito muito tempo depois dos três primeiros, afinal, o último foi publicado no Brasil em 2017, "A corte de chamas prateadas" começa do ponto onde termina o livro "A corte de asas e ruinas", e de antemão já digo que ler fora de ordem ocasiona SÉRIO prejuízo a leitura, então tentarei não dar muito spoiler no meio desta resenha. 

Para quem já leu a série principal, este novo livro foi um alento ao coração do fandon, pois a autora fez o favor de deixar a todos enamorados por um certo Illyriano cabeça dura, com envergadura de asa proeminente (entendedores entenderão) e um irmão/amigo muito leal. Mas o que é realmente mais extraordinário, é que apesar de muitos amarem Cassian, o livro na verdade é muito mais voltado para uma personagem não tão amada assim, apesar de ter ajudado muitíssimo no momento mais crítico da série, ainda assim ela era muito insuportável para os fãs, em sua grande maioria.

Nestah Archeron é a irmã mais velha da grande senhora da corte noturna. Antes de Feyre se tornar essa grande senhora, vivia em um sobrado no mundo humano, e tinha por responsabilidade auto imposta de cuidar de suas irmãs, assim como de seu pai. E foi tomando conta delas que ela acabou se metendo na maior aventura de sua vida. Acontece que ainda no mundo humano, Nestha era visivelmente o maior pesadelo de Feyre, já que essa irmã mais velha foi criada em meio a muito luxo e em um passado em que o pai era um homem muito reverenciado. Então, para ela a falência da família não era um assunto fácil de aceitar ou mesmo falar.

Então essa irmã mais velha nunca ajudou Feyre em nada e ainda a criticava ferozmente em qualquer oportunidade. Assim como ela ignorava o pai, pelo que ele havia feito a família. Mesmo durante a mudança de Feyre para o mundo Feérico, Nestha não deixou de ser difícil, mesmo depois que Freyre conseguiu restaurar a riqueza e prestígio da família Archeron. Logo seria inimaginável ter o livro em que ela fosse a protagonista, mas a sua interação com Cassian durante a saga roubou tanto a cena que a autora deu um jeitinho de tentar redimir essa personagem. E posso dizer sem medo que a autora foi fantástica!

Aparentemente essa personagem não consegue lidar bem com adversidades pois, como narrei anteriormente, a pobreza da família não foi bem encarada por ela. E agora neste livro ela está sucumbindo amargamente na não aceitação do que a transformaram, assim como em tudo que aconteceu e nas perdas de pessoas durante o combate. Então Nestah se mete em bares a noite toda, bebe até quase perder a consciência, transa com quem ela quiser e vive em um casebre caindo aos pedaços. Praticamente cortou relações com sua nova família, e vem gastando horrores dos cofres públicos de Vellares, deixando Rhyasand louco de raiva. 

E tudo ia do seu jeito até que certo Illiryano estúpido (gostoso), na opinião dela, pousou em sua porta certo dia exigindo uma audiência em nome do grande casal. Para Cassian, ver Nestah neste estado de morta-viva lhe doía demais, mas depois do que ela disse e fez no campo de batalha, ele esperava outro comportamento dela, ao invés de se afastar como se ele fosse uma praga na terra. Em respeito a ela, ele se afastou até quando conseguiu, mas com a possibilidade dela e Rhysand se atacarem por causa do seu comportamento, ele precisou interceder o mais breve possível.

Nestah foi ao encontro do grande casal, e descobriu que pelo seu comportamento irresponsável seria castigada com a suspensão do acesso as contas públicas e uma viagem para o campo de treinamento dos Illyrianos, onde teria que treinar técnicas de combate e ficar sob a supervisão de Cassian e Azrael, assim como trabalhar em uma biblioteca sob os olhares atentos das acolitas e sacerdotisas. Nem preciso dizer que ela chiou na hora, mas teve que aceitar já que a alternativa era o exílio em terras humanas. 

No início ela foi muito insuportável daquele jeito que só ela sabe ser, mas com uma paciência que me surpreendeu muito, com o decorrer do tempo, Cassian consegue meio que convencê-la a cooperar, alegando que saber se defender pode ser muito útil à sua vida. E por certo tempo no campo de treinamento eles convivem bem mas na casa em que tem que morar juntos com Az a história já é bem diferente, já que o tesão/sentimentos que sentem um pelo outro é muito constrangedor para Az, que constantemente faz alguma piadinha para Cassian e o lembra que ele não pode ter nada com Nestah. Nesse ínterim, vamos conhecendo melhor o porquê de ela ser daquele jeito, o passado dela é revirado pela autora, e Nestah consegue te mostrar o porquê de sempre querer afastar a todos de sua vida, e a absoluta negação de viver a sombra de sua irmã perfeita. 

Nestah também consegue fazer amizade com outras duas mulheres com passados que as assombram. E com o decorrer do tempo consegue convencer Cassian a treinar a todas as mulheres que assim quisessem. Mas como diz o ditado "alegria de pobre dura pouco..." quando ela estava começando a se acostumar com sua nova vida, e já nem cogitava mais voltar a morar em Vellaris, o trio parada dura é chamado à corte do grande casal, para descobrirem que novos inimigos se apresentaram como uma iminente ameaça e que os três vão ter que trabalhar juntos para conseguir três artefatos místicos que poderão ajudar a vencer uma possível nova guerra.

Rhy e Feyre explicam que pelo que foi feito a Nestah, ela seria a melhor pessoa para conseguir localizar os artefatos, e quando ela questionou o porquê de Feyre não fazer ela mesma, descobriu um segredo muito perigoso do grande casal. Por este segredo, e seu censo de dívida com a irmã mais nova, ela parte, mesmo deixando Cassian contrariado para as missões. Cassian e Nestah passam a ter um relacionamento mais amigável, quando eles conseguem ignorar os sentimentos que possuem um pelo outro. De antemão já digo que eles não conseguem ignorar por muito tempo e o livro fica apimentado daquele jeito que a gente ama!!!!

Mas nem só de passado vive este livro, Cassian aos poucos vai descobrindo o que de fato foi mudado em Nestah após a guerra e sua transformação. Já que ela não conta para ninguém qual é o seu verdadeiro dom. Quanto ao casal, eles ainda levam um tempo para irem se acostumando um ao outro, e Nestah ainda consegue machucar por mais algum tempinho o coração do nosso herói alado. Mas calma, que tudo fica incrível depois. E o que a autora resolveu fazer com a personagem para que a mesma pudesse aceitar a nova vida que estava construindo foi perfeito. 

Vale ressaltar que no meu entendimento o livro terminou fechadinho para estes dois, mas com alguns ganchos soltos para outros personagens!



A autora Sarah J. Maas me lembra muito de Anne Rice. Ambas conseguem reler suas histórias, achar ganchos para novas aventuras, te chamarem de trouxa por você, enquanto leitor, não ter percebido o que vinha pela frente, e mesmo assim você termina feliz e saltitante o livro. Sem tirar que os livros são tão viciantes que Sarah anunciou este ano que a série ACOTAR vai sair dos livros direto para a telinha!

O livro "A corte de chamas prateadas" é muito intenso, e por mais que sejam mais de 700 páginas, a história não se torna lenta... e é emocionante do início ao fim. Amei o que a autora fez, e tenho vontade de contagiar o mundo com as palavras dessa mulher! Mas a pergunta que não quer calar é: a senhora não ficou devendo mais um livro aí não? Cadê o desenrolar da história do Az e da prima do Rhys?

De toda forma, obrigada Sarah J. Maas pelo livro. Valeu muito a pena esperar!

.

Assistente Social por amor a profissão, descobriu em 2013 uma nova paixão: ser blogueira literária. Desde então vem se apaixonando mais a cada novo livro lido. Descobriu através de Jose de Alencar e só reafirmou ao ler Jane Austen, que Romances de Época são imprescindíveis para a sua vida assim como respirar. Adora intercalar suas leituras com momentos em família, séries de tv, doramas, música, bujo, fotografia, saídas com amigos e seus cachorros lindos. Encontra na literatura uma forma de desbravar o mundo e fazer novos amigos.

Recomendado Para Você

Comentários