Eu Li: Heroínas Negras Brasileiras - Jarid Arraes

Título:
Heroínas Negras Brasileiras
Autora:
Jarid Arraes
Editora:
Seguinte
Ano:
2020



Em nova edição, esta coletânea resgata ― e celebra ― a memória de quinze mulheres negras que marcaram nossa história, em formato de cordel.
Talvez você já tenha ouvido falar de Dandara e Carolina Maria de Jesus. Mas e Eva Maria do Bonsucesso? Luisa Mahin? Na Agontimé? Tia Ciata? Essas (e tantas outras) mulheres negras foram verdadeiras heroínas brasileiras, mas pouco se fala delas, seja na escola ou nos meios de comunicação. Diante desse apagamento, há anos a escritora Jarid Arraes tem se dedicado a recuperar ― e recontar ― suas histórias.
O resultado é uma coleção de cordéis que resgata a memória dessas personagens, que lutaram pela sua liberdade e seus direitos, reivindicaram seu espaço na política e nas artes, levantaram sua voz contra a injustiça e a opressão. A multiplicidade de histórias revela as mais diversas estratégias de sobrevivência e resistência, seja na linha de frente ― como Tereza de Benguela, que liderou o quilombo de Quariterê ― ou pelas brechas ― como a quituteira Luisa Mahin, que transmitia bilhetes secretos durante a Revolta dos Malês.
Este livro reúne quinze dessas histórias impressionantes, ilustradas por Gabriela Pires. Agora, cabe a você conhecê-las, espalhá-las, celebrá-las. Para que as próximas gerações possam crescer com seu próprio panteão de heroínas negras brasileiras.
Conheça a história de: Antonieta de Barros - Aqualtune - Carolina Maria de Jesus - Dandara - Esperança Garcia - Eva Maria do Bonsucesso - Laudelina de Campos - Luisa Mahin - Maria Felipa - Maria Firmina - Mariana Crioula - Na Agontimé - Tereza de Benguela - Tia Ciata - Zacimba Gaba.

ALERTA DE LANÇAMENTO e que preciosidade de livro! 
Tive a oportunidade de participar da Cabine Literária da Editora Seguinte e posso dizer com todas as letras: que preciosidade de autora também!
Fruto de muita pesquisa e dedicação de Jarid Arraes, a obra "Heroínas Negras Brasileiras" traz 15 histórias incríveis e em formato de cordéis. São parágrafos ritmados, como uma poesia cantada. É impossível fugir, leitores; somos contagiados pelas histórias e pela métrica. 
Cada capítulo constitui a história de uma figura histórica no país. Algumas delas, inclusive, só tive oportunidade de conhecer nessa leitura. 
São aventuras e desventuras permeadas de uma realidade que não deixa de pesar em nossa rotina.
Além de constatar a cruel invisibilidade posta à elas até hoje, há também uma certos ares de revolta. Revolta essa, utilizada pela autora, que veio em forma de arte. Uma arte cantada, ainda por cima. 

As histórias de Antonieta de Barros, Aqualtune, Carolina Maria de Jesus, Dandara, Esperança Garcia, Eva Maria do Bonsucesso, Laudelina de Campos, Luisa Mahin, Maria Felipa, Maria Firmina, Mariana Crioula, Na Agontimé, Tereza de Benguela e Tia Ciata - Zacimba Gaba são tocantes e inspiradoras. Algumas dessas histórias sequer são tão bonitas assim, mas é um texto que exala força e determinação, tal qual as mulheres abordadas na leitura. 

Conhecer e celebrar nossas figuras históricas é mais que necessário.
Resgatar essas histórias que foram esquecidas e/ou invisibilizadas é o nosso papel enquanto sujeitos progressistas. 
Venham conhecer essas mulheres e espalhar por aí que o mundo está repleto de histórias incríveis e ainda desconhecidas para muitos!

A edição que está sendo publicada pela Editora Seguinte hoje vem com uma nova capa com um brinde exclusivo para quem comprar em pré-venda e vocês podem adquirir AQUI.

Leiam!


Assistente social apaixonada por livros. Militante da transformação social através da literatura.

Recomendado Para Você

Comentários