Na Tela #28 - Aves de Rapina (Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa)

No Na Tela de hoje falamos da nova aposta do DCEU, Aves de Rapina (arlequina e sua Emancipação Fantabulosa). Admito que estava receosa com esse filme desde Esquadrão Suicida — cujo trailer ao som de Bohemian Rhapsody foi melhor que o filme em si. Mas a menininha em mim que que é obcecada com glitter ficou animada desde que vazaram e subsequentemente foram liberadas as primeiras imagens dos figurinos da Arlequina.


É importante ressaltar que Aves de Rapina é o primeiro filme de super heróis protagonizado por um grupo totalmente feminino. A Margot Robbie além de protagonizar o filme também é produtora, e desde o início ela fez questão de envolver mulheres em vários aspectos da produção assim a direção ficou sob o comando de Cathy Yan e o roteiro escrito por Christina Hodson (que já está trabalhando no roteiro de Batgirl).


Robbie foi quem fez questão de trazer para o lado de Arlequina algo que muitas vezes é negado às mulheres em filmes de ação: outras mulheres ao seu lado. E o grupo escolhido para essa girl gang foi as Aves de Rapina.

Ao se falar da personagem Arlequina, os fãs de quadrinhos a associam a outro grupo feminino, as Gothan City Sirens, que é composto pelas mulheres mais infames Gothan: Arlequina, Hera Venenosa e Mulher Gato. Mesmo que nas telonas elas nunca tenham aparecido juntas, Margot Robbie julgou que as três já eram grandes conhecidas pelo grande público, portanto ela quis que se desse vez para outras personagens não tão conhecidas.

Em Aves de Rapina, como o título indica, temos a emancipação da Arlequina do relacionamento tóxico com o Coringa. Depois do seu término, Arlequina se vê alvo de todo mundo que um dia ela prejudicou, pelos mais diversos motivos. E o principal deles é o vilão Máscara Negra, Roman Sionis interpretado por Ewan McGregor, que se destaca no papel do vilão louco. Só que ela não é a única mulher em Gothan buscando a sua emancipação. A cantora Canário Negro, a detetive Renne Montoya, a assassina Caçadora e a batedora de carteiras Cassandra Cain acabam como alvos de Máscara Negra e se juntam para derrotar o vilão.

O filme é contado pela perspectiva caótica da Arlequina, indo e voltando com cenas muito coloridas e com um design primoroso (o figurino é o sonho de qualquer cosplayer). Em Aves de Rapina vemos uma Gothan diferente de qualquer outro filme, ela ainda é sombria mas conta com uma colorido próprio da Arlequina. As cenas de ação também chamam a atenção, com coreografia de lutas muito bem trabalhadas que enchem os olhos de qualquer fã do gênero (sem aquele um milhão de takes pra um soco). Lembrando que o corógrafo de lutas responsável por John Wick também trabalhou nesse filme.

Esse lookinho é o meu favorito *-*
Em meio a esse novo momento da DCEU onde cada filme apresenta seu próprio universo Aves de Rapina cumpre seu papel muito bem. É um ótimo filme pipoca para encher os olhos das cenas de ação e que não tem medo de ser um filme para adultos com bastante pancadaria e momentos engraçados. O ponto fraco em si do filme é o roteiro, ele é bem arroz com feijão mas pra quem ama uma boa farofa vai curtir. Agora é esperar que tenhamos um filme das Gothan City Sirens e que Batgirl (agora sem Joss Whedon hehe) seja bom.

Quero tanto uma Babs no cinema, Christina Hadson não me decepcione.
Confiram o trailer!



Recomendado Para Você

Comentários