segunda-feira, abril 02, 2018

Eu Li: A Verdade Sobre Amores E Duques - Laura Lee Guhrke

Título:
A Verdade Sobre Amores E Duques
Autora:
Lara Lee Guhrke
Editora:
Harlequin
Ano:
2018
Série:
Querida Conselheira Amorosa... #1

Adicione ao skoob


Henry Cavanaugh, duque de Torquil, anseia por uma vida ordenada e previsível. A única que o ajuda com isso era a mãe... até ela se apaixonar por um artista e decidir seguir o conselho amoroso de Lady Truelove, largando tudo para seguir os desejos do coração. Agora Henry vai exigir que a mulher mexeriqueira que deu aquele conselho imprudente o ajude a impedir que o nome da sua família acabe na lama.

Irene Deverill é o que a sociedade londrina considera uma ovelha negra: dirige o jornal da família, é uma solteirona e tem orgulho disso! Mas ninguém sabe que ela possui um grande problema nas mãos: o duque de Torquil demanda que ela o ajude a resolver os problemas da sua família. Esse relacionamento forçado fará despertar nela sentimentos que nunca pensou possuir.
Por onde andam meus amados bookaholics fãs de romances de época?

Por hoje o blog é nosso... e viciar vocês em mais uma escritora incrível de romances de época é o pedido de hoje. Mas a pergunta que não quer calar é: alguém aí já conhece a autora Laura Lee Guhrke? 

Para quem ainda não conhece, lá fora na gringa, ela já é bem reconhecida entre os fãs do que chamamos de "romances de banca" com vários títulos de deixar qualquer leitor de romances muito encantado. Porém, aqui no Brasil, talvez ela seja mais conhecida por seus romances de época lançados como livros em parâmetros normais. Tenho conhecimento de apenas mais um livro dela, e se tiver outros por favor me avisem para que eu possa sair caçando por aí, nesse sentido que se chama: "Muito Mais que Uma Princesa" que foi lançado há muito tempo atrás. Porém, agora ela vai começar a ser lançada pela Harlequin, em uma nova série chamada "Querida Conselheira Amorosa...".
O primeiro livro da série é "A verdade Sobre Amores e Duques" que começa te contando uma cena cotidiana de um café da manhã da nobreza britânica. Onde somos apresentados para a maior parte da família do Duque de Torquil (quero saber onde essa mulher arranja esses nomes hilários) onde eles estão confraternizando de forma muito inglesa na mesa do café. Até que em determinado momento uma das irmãs mais nova de Henry engasga ao ler a coluna de conselhos amorosos de um folhetim bem popular de fofocas.

Isso seria quase normal, dado que fofocas entre a nobreza é o prato principal a ser servido no menu dos nobres logo pelo café da manhã, porém esta fofoca em especifico tem o potencial para abalar as estruturas da casa principal da família Torquil. E por isso mesmo a jovem lady passa o jornal para seu irmão mais velho para confirmar o que seus olhos insistem em negar: sua mãe mandou uma carta para a colunista de conselhos amorosos do folhetim, perguntando se deveria ou não fugir com seu grande amor, o libertino mais cobiçado do momento?!

Nem preciso dizer que a confirmação da notícia fez com que o Duque Torquil perdesse todo o apetite. Mas ele é o membro da família que tem decorado todas as obrigações da nobreza para com a sociedade e justamente por isso precisa ir atrás da mãe e de meios para impedir que a mãe cometa uma atrocidade. E em sua partida para Londres, ele traça um plano que envolve detetives e advogados muito bem pagos, porém na viagem Henry tem uma epifania, e ao chegar em Londres ele parte em disparada para a redação do folhetim para confrontar a principal causadora dessa desordem, a famigerada colunista Lady Truelove.

Mas o que Henry não esperava era encontrar uma mulher linda, inteligente e com uma sagacidade acida que era palatável em meio a qualquer dialogo dela. Afinal de contas essa mulher era ninguém menos que a famigerada Irene Cavanaugh, uma mulher responsável, e que conseguiu colocar o jornal em atividade, mesmo depois de seu pai quase ter destruído 50 anos de tradição da família, e ela não era qualquer mulher não, ela era uma que além de de tudo isso também era a favor do sufrágio. E que não estava nada intimidada com o o título de Henry, e se negou com todas as forças a entregar a ele as cartas da mãe com dicas de onde possivelmente ela estaria. O que poderia facilitar e muito o trabalho de Henry, mas ela não ajudou em nada e ainda o deixou enfurecido.

A partir daí a história vira um cabo de guerra onde Henry e Irene vão medir forças e conhecimentos de vida. E em determinado momento eles vão ser obrigados a conviverem juntos sobre o mesmo teto e posso dizer sem dar spoilers que nada vai ser como era antes deles se conhecerem, pois Irene não é nada do que o Duque a rotulou e ela jamais imaginaria que Henry, tão certinho com seu livro de regras no bolso, poderia ser o homem que ela passou a conhecer tão bem depois do primeiro encontro deles. Então é visível quando eles passam a se permitir conhecer um ao outro, e acredito que em determinada parte do livro isso parece ser mais interessante e instigante do que descobrir e sabotar os planos da mãe do duque.

Fiquei extasiada com o livro, porque me proporcionou uma nova perspectiva dentro do romance de época, e ao contrário do que algumas pessoas pensam, as mulheres dentro deste gênero literário em especifico são na minha opinião, mulheres fortes, até porque força pode ter várias maneiras de ser mensurada, e ter força para encarar e correr atras do que quer, isso mesmo quando estamos falando do amor, é sim uma grande qualidade e exemplo de força. Neste livro a força feminina foi mensurada de uma forma totalmente nova para mim, quando abordado em conjunto ao romance o início da construção da voz política das mulheres no período. 

Quando terminei de ler o livro fiquei chocada com essa constatação. E me comprometi a mostrar para outras pessoas que não conhecem ainda o gênero, que romances de época podem sim mostrar mulheres fortes em meio a uma trama romântica que se baseia no amor construído entre os personagens Henry e Irene, mesmo que eles sejam "inapropriados" um para o outro no enredo inicial da história.

Aí gente... queria tantooooo contar mais detalhes incríveis da história, mas ainda não sei se consigo contar sem dar spoiler, então eu peço que vocês corram para ler o livro e venham conversar comigo. Preciso de amigos para surtar e de repente até fazer uma nova leitura do livro, de forma coletiva... quem sabe?

Espero que todos tenham gostado da resenha, e que eu tenha conseguido inspirar vocês a darem uma chance para o livro!

Fica a dica...e até o próximo post!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo