sábado, abril 07, 2018

Eu Li: Um sedutor sem coração - Lisa Kleypas

Título:
Um sedutor sem coração
Autora:
Lisa Kleypas
Editora:
Arqueiro
Ano:
2018
Série:
Os Ravenels #1

Adicione ao Skoob


Devon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas.

A propriedade está afundada em dívidas e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon.
Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar.
Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu?
Um sedutor sem coração inaugura a coleção Os Ravenels com uma narrativa elegante, romântica e voluptuosa que fará você prender o fôlego até o final.
Oi, gente! Vamos de romance de época?

Lisa Kleypas já é uma autora conhecida nossa na editora Arqueiro. Ela é a mente criativa e responsável por séries de romances de época, tais como: As Quatro Estações Do Amor e Os Hathaways. Fora seus livros mais contemporâneos que a editora tem lançado esporadicamente ou em série, tendo em vista que a autora é chegada em séries curtas de livros amarradas por um mesmo universo. Este ano a Arqueiro está apostando na série de romances de época chamada "Os Ravenels".

Para começar vamos tentar ser empáticos com o personagem principal masculino do livro? Pois, afinal de contas, o que você faria se fosse um libertino londrino muito bem-apessoado no período regencial, que segue bem a sua vida nobre mas sem titulações de nobreza e que vive dentro de suas próprias regras, não deve satisfações a ninguém e adora a sua vida. Até que um dia um estranho bate na sua porta e diz que um primo que sempre foi irritante com você morreu em um acidente estúpido de cavalo e por causa disso você agora é o um nobre com título, terras, responsabilidades para com seus arrendatários e de quebra também herdou uma jovem viúva e três primas que ainda não debutaram e viveram enclausuradas por muito tempo?

Pois é exatamente por esse drama todo que Devon está passando no momento que o livro começa. Ele está "soltando fogo pelas ventas" em meio a sala de visitas da propriedade rural de seu primo; pois ainda é meio inconcebível ser "sua" sala de estar a partir de agora. A única coisa que ele quer é fazer logo um inventário de tudo que tem na casa e vender para que possa voltar a viver a sua vida organizada de sempre. Acontece que em meio a sua fúria ele acaba falando tudo isso na presença da viúva de seu primo, e como todos nós sabemos que na maioria dos casos a primeira impressão é a que fica, imagina como ela deve ter reagido ao ouvir tudo isso?

Se você chutou que ela teve um momento "Queen Drama" errou feio. Acontece que Kathleen é uma das mulheres mais fortes e tempestuosas que Devon poderia encontra pela frente. Ela automaticamente começa a devolver o comportamento de Devon na mesma moeda, sendo ele um nobre com título ou não e o deixa falando sozinho. Só que ele tem um temperamento e teimosia em modo "hard" então não foi nenhuma surpresa, para mim como leitora, quando ele parte em disparada atrás da viúva para tentar "concertar" as coisas. 

Só que Kathleen não se deixa intimidar e continua firme em responder a altura dele, e com isso temos então toda a sua atenção instigada em descobrir quem é a linda viúva de seu primo. E assim começa a relação de Kathleen e Devon. Com o decorrer do tempo ela desperta tanto interesse nele a ponto de fazê-lo refletir sobre as considerações dela a cerca da propriedade e até que decide encarrar seu novo modo de vida, já que não tem outro jeito. 

Como já esperado a autora consegue organizar e inserir no texto diálogos ardilosos, cínicos, hilários e fascinantes. Por isso não me surpreendi em terminar o livro em 2 ou 3 dias. A forma como ela consegue escrever romances de época tão cativantes é muito inspirador. E parando para pensar melhor, todos os livros que li da autora, até agora, me proporcionaram um ritmo de leitura incansável e viciante.

Amei a história de construção do despertar de Devon para as complexidades da vida. E como Kathleen foi soltando as suas amarras sobre assuntos que a machucavam muito, mas que não tinha com quem compartilhar até encontrar Devon. A forma como Devon e seu irmão West passam integrar a vida pacata de Kathleen, Pandora, Cassandra e Helen é única. É possível ver que Devon, em seu amadurecimento, vai um passo à frente e dois atrás, mas ainda assim ele continua tentando dar o braço a torcer, sem Kathleen saber muita das vezes, a refletir sobre o que ela fala.

A única coisa que não gostei tanto assim foi que a autora te deixa com "um fogo" para ler mais da história de Rhys e Helen, e aí você descobre que o livro ainda não foi publicado! Isso, sim, foi meio dolorido. Poxa, Arqueiro, libera logo esse livro! Essa bookaholic que vos escreve está em crise de abstinência da história. Não tô bem... quero logo o segundo livro. #queendrama

Espero que todos tenham gostado da história e que leiam logo o livro. Não se esqueçam que ainda estou sem ninguém para conversar sobre as minhas impressões com spoilers. Então leiam e venham falar comigo, por favor.

Até o próximo post.
Beijocas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo