terça-feira, fevereiro 27, 2018

Eu Li: Herdeiros de Drácula - Richard Dalby

Título:
Herdeiros de Drácula
Organizado por:
Richard Dalby
Autor:
Diversos
Editora:
Harper Collins
Ano:
2017

Adicione ao skoob


Drácula, de Bram Stoker, é a mais famosa história de vampiro já escrita, embora não tenha sido a primeira a descrever a malignidade dos mortos-vivos — muito menos a última.

Em comemoração aos 120 anos de publicação de Drácula, esta antologia única reúne 25 contos raros escritos entre 1867 e 1940 por autores igualmente geniais, como Sir Arthur Conan Doyle e M.R. James.

Herdeiros de Drácula é um verdadeiro banquete para todos os aficionados por literatura fantástica e sobrenatural, um delicioso mergulho na história desses seres fascinantes e assustadores.

Oi, gente! Que tal uma resenha um tanto diferente?
Quem aí gosta de contos levanta a mão!
E pergunto mais: quem aí gosta de contos de terror vitorianos?!

Pois é, talvez eu tenha conseguido chamar a sua atenção, e se isso ainda não aconteceu leia até o final do post e me responda se o livro não chamou a sua atenção por algum motivo! ok? Então vamos lá!

"Herdeiros de Drácula" é uma antologia de contos de terror que foi organizado por Richard Dalby, onde o mesmo selecionou 25 contos escritos entre os anos de 1867 à 1940, e que estes contos sofreram inspiração direta ou indireta na figura vampiresca tão famosa do Conde Drácula. Os contos selecionados no livro são:

  1. Os últimos senhores de Gardonal - William Gilbert (1867)
  2. O destino de madame cabanel - Eliza Lynn Linton (1872)
  3. A árvore assassina - Phil Robinson (1881)
  4. O vampiro - Vasile Alecsandri (1886)
  5. O mistério de Campagna - Anne Crowford (1887)  
  6. O mistério de Ken - Julian Hawthorne (1888)
  7. Solto - Mary Chomondeley (1890)
  8. A parasita - Sir Arthur Conan Doyle (1894)
  9. A boa Lady Ducayne - Mary E. Braddon (1896)
  10. Um dedo morto - Sabine Baring-Gould (1897)
  11. Vontade - Vincent O'Sullivan (1899)
  12. O quarto de pedra - H. B. Marriott Watson (1898)
  13. A donzela vampira - Hume Nisbet (1900)
  14. O velho retrato - Hume Nisbet (1900)
  15. Marsias em Flandres - Vernon Lee (1900)
  16. Uma história não cientifica - Louise J. Strong (1903)
  17. O travesseiro de penas - Horacio Quiroga (1907)
  18. A estranha morte de Morton - Algernon Blackwood (1910)
  19. Aylmer Vance e a vampira - Alice e Claude Askew 
  20. O sumugre - Ulric Daubeny
  21. O poço das lamentações - M. R. James (1927)
  22. A árvore da morte - Barry Pain (1928)
  23. Outra selvagem? - E. Heron-Alley (1934)
  24. A pedra viva - E. R. Punshon (1939)
  25. A princesa da escuridão - Frederick Cowles (1940)
O livro, na minha humilde opinião, tem várias propostas pertinentes ao leitor que se permitir ler. Em primeiro lugar ele vem te mostrar logo no prefácio que o termo "vampiro" ou "vampirismo" vai ser empregado nos contos das mais diversificadas formas que você já ousou sonhar. Desde o mais convencional tipo de vampirismo encontrado na literatura, assim como o vampirismo descrito dentre seres que são inanimados e naturais como uma árvore. Isso mesmo, você não leu errado, pois em "A árvore assassina - Phil Robinson" vamos encontra possivelmente a fonte da qual poderia ter (ou quem sabe até mesmo inspirou) inspirado alguns inanimados famosos como: O Salgueiro Lutador (Harry Potter), A árvore carnívora (a lenda do cavaleiro sem a cabeça) e mesmo a árvore da ilha viva da aventura de um indiano chamado Pi. Quem sabe? 

Claro que também temos contos com a narrativa de vampiros mais convencionais, assim como encontramos alguns possivelmente zumbis... Vai da interpretação do leitor. Nossa, tem tanta coisa que gostaria de contar para vocês sobre esse livro, mas tenho medo de soltar um spoiler, e também não sei bem por onde começar pois gostei de tantos contos! O conto do Sir Arthur, por exemplo, conseguiu explodir a minha mente, pois foi como se estivesse lendo uma história que estava acontecendo ali na vizinhança de Holmes. Foi tão natural pensar no detetive durante a leitura do texto que tem tanto dos trejeitos do autor. E como imaginar que o autor conseguiria te apresentar um tipo de vampirismo tão alienante? Passei alguns dias sem conseguir ler nada depois desse conto e fiquei me perguntando como viveria em um mundo onde outra pessoa poderia "drenar" o meu tão amado livre arbítrio?

Outra das principais propostas do livro é te apresentar um rol fantástico de autores que não são tão conhecidos assim. Certa noite estava conversando com nosso amigo o contista Fabio Andrade, e mesmo vi uma live dele como contista Lenmark, no instagram, onde surgiu o celebre comentário sobre a ausência ou pouca divulgação de contistas mulheres de terror clássico além da autora Mary Shelley. Eis que em "Herdeiros de Drácula" temos algumas autoras incríveis. Então, a partir de agora já podemos oferecer mais referências femininas, não é mesmo?

Em cada início de conto é possível observar que o organizador tem todo o cuidado de apresentar o contista da vez, e sua interação com publicações em jornais e revistas a época ou mesmo se eram autores próximos de Stoker. Ele te introduz o autor do conto de forma a você se familiarizar rápido com o contexto do autor perante a proposta dele de vampiro.

Outra coisa que chama a atenção no livro é que os contos possuem tamanhos e formas diversificadas, mesmo a maioria deles tendo em comum a abundância nas narrativas e o uso de poucos diálogos. É perceptível a valorização da construção do contexto para então dissertar sobre a figura vampiresca escolhida pelo autor contista. Em meio ao livro me surpreendi por encontrar até mesmo um poema vampiresco fatal, que por sinal me fez ver que preciso melhorar minha interação com a poesia.

Então gente, espero não ter sido muito prolixa, mas foi uma novidade para mim ter essa oportunidade de resenhar um livro de contos. E particularmente não tem nenhum conto que eu não tenha gostado, claro que há aqueles que chamaram bem mais a minha atenção, mas todos conseguiram cumprir o seu objetivo em mostrar para o leitor que vampiros podem ser uma figura com tantas formas diferentes e extraordinárias de serem exploradas. Eu amei o livro e agradeço mais uma vez a Harper Collins por me enviar um exemplar e por ter presenteado o mundo com esse livro incrível.

Espero que tenha instigado vocês a darem uma oportunidade para as histórias mas desde já adianto que: o livro não foi feito para ser lido de uma só vez. Há a necessidade de degustá-lo de uma forma mais lenta, até para que você não passe batido em alguns detalhes muito importantes das histórias. 

Então eis a dica desta noite... rsrsrs... espero que tenham gostado e até o próximo post!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo