segunda-feira, fevereiro 05, 2018

#Diferentona 02 - Emma - Jane Austen



Título:
Emma
Autora:
Jane Austen
Editora:
Nova Fronteira





Emma Woodhouse é uma mulher rica e aparentemente esnobe, mas no fundo, sua maior ambição na vida é ver os outros felizes. Quando decide que tem o talento para formar novos casais, passa a trabalhar de cupido na pequena aldeia inglesa de Hartfield. Emma foca suas atenções em Harriet Smith e, em meio à busca de pretendentes para a amiga, se mete em diversas confusões, sempre resgatada pelo amigo, o cavalheiro sr. Knightley.

Jane Austen é um ícone da literatura mundial, e não é por menos: seus livros são apreciadíssimos tanto na Inglaterra, país da autora, quanto no mundo.
Aqui no blog tem pelo menos 3 colunistas (eu, Anne e Vivian, para ser específica) apaixonadíssimas por seus livros e já até realizamos eventos sobre ela mas, pasmem, não tinha nenhuma dica de livro em resenha para vocês. Vamos resolver isso já! 

Por nada.

O talento de Jane Austen é incontestável. Suas prosas são maravilhosas e encantadoras, e levam o leitor numa verdadeira viagem ao século XVIII. A autora abre portas e janelas da sociedade daquele século e nos presenteia com sua descrição minuciosa sobre atitudes e costumes, sempre com uma ironia sutil. 
As heroínas de Jane Austen são singulares para sua época. Mulheres fortes e inteligentes, com o pensamento a frente de seu tempo, (assim como a autora) que queriam algo mais do que o simples casamento. Queriam um amor digno, e normalmente os livros nos contam essas narrativas. 

Emma não foge ao estilo da autora quando se trata da força das heroínas. Mas algo a faz singular: sua personalidade.
Rica e mimada por seu pai, Emma é a perfeita senhora de Hartfied. Com a morte da mãe e o casamento da irmã, Emma Woodhouse é a dona da casa desde muito jovem e todos os seus caprichos foram concedidos por seu pai e por Miss Taylor, a governanta que lhe criou. Os mimos não a fez uma pessoa má. Longe disso. Mas algumas de suas atitudes faz justiça ao ditado: "De boas intenções o inferno está cheio".

Emma é bonita, inteligente e solteiríssima, e assim ela quer continuar. Quando Miss Taylor se casa com Sr.Weston e deixa Hartfied, Emma fica muito feliz pela felicidade do casal, e se julga responsável pelo casamento; fato que lhe dá muita satisfação. Mas teme que não encontre companhia que lhe agrade. Miss Taylor, ou Sra.Weston, sempre foi uma boa amiga, que promovia agradáveis conversas e diversões à Emma. E mesmo que sua nova casa seja perto de Hartfied, as coisas mudarão, e Emma tem pleno conhecimento disso.

Seu ciclo de amizades é relativamente grande, mas ninguém que consiga substituir Miss Taylor. Todos na sociedade a admiram, e Emma está convencida que é digna de tal admiração. Afinal, quem se compara à ela em beleza, modos, e riqueza? Ninguém. 
Sr.Knightley "era uma das poucas pessoas que podiam ver defeitos em Emma, e a única que ousava menciona-los a ela." Ele é o irmão do marido de Isabella, irmã de Emma, e um amigo intimo da família. 
Sr.Knightley é um verdadeiro cavalheiro, (muito natural nas prosas de Jane Austen) com uma personalidade forte, mas agradável. Sua franqueza com Emma não a surpreendia, e também não a agradava. 

.

Poucos dias depois Harriet Smith é apresentada à Emma. Harriet é uma jovem simples e doce, e Emma se encanta com suas maneiras. Ela passa a frequentar Hartfield e Emma tem vários planos para o futuro dela. Quando Harriet recebe um pedido de casamento, que Emma julga inapropriado, ela influencia Harriet a declinar do pedido. 
Esse fato deixa Sr.Knightley extremamente chateado, pois o Sr.Martin é um homem honrado e o mais apropriado para as condições de Harriet. Emma não se importa com seus argumentos, sempre dando razão a si mesma, e decide encontrar um marido para Harriet. 
As consequências desse ato desencadeia uma série de eventos não muito felizes, mas Emma não dará o braço a torcer. 

Todos estão com expectativas para a chegada do Sr.Frank Churchill, filho do Sr.Weston, e Emma está bastante curiosa para conhece-lo. Sr.Churchill é muito agradável e dá a entender que desejava muito conhece-la também, deixando o Sr. e a Sra Weston com esperanças para o futuro.
As páginas do livro está repleta de segredos nas entrelinhas, deixando o leitor curioso para descobrir o que nos aguarda no final. 

Jane Austen nos apresenta personagens interessantes e fornece muita informação, nos fazendo rir ou criticar algumas atitudes, mas acima de tudo, nos fascinando. Jane Austen tem esse poder. 
Emma é uma prosa rica com diálogos inteligentes e encantadores. 
As maneiras e o convívio desses personagens, no século XVIII, é exposta de maneira deliciosa.
Uma leitura acessível e, por mais que o livro seja um pouco longo, é muito agradável. 
Ler Jane Austen é sempre delicioso, e todos deviam um dia comprovar isso. 

Recomendo Emma, e todos os livros dessa autora maravilhosa.

CURIOSIDADE: O filme "As Patricinhas de Beverly Hills" foi inspirado nesta obra de Jane Austen. 
Veja mais informações aqui.

CONVITE 

E por falar em Jane Austen, na próxima terça feira, às 19h00, vai rolar mais uma edição do PROJETO: LEITURAS DRAMÁTICAS, pela organização do Grupo Teatro de Apartamento, com a leitura do texto “CARTAS PARA NINGUÉM” e um bate-papo super gostoso sobre a escritora Jane Austen com Anne Magno e Fernanda Karen do blog Garota Pai D'Égua. Falaremos sobre todas as obras da autora no geral e obviamente que daremos um pouco de amor para Emma. 
Vai ser divertidíssimo e imperdível. ENTRADA FRANCA!

Data: 06 de fevereiro - terça feira 
Hora: 19h
Local: Casa Cuíra (Rua Dr. Malcher, 287)




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo