quinta-feira, novembro 09, 2017

Quinta em Outra Língua #61 - Vicious - The Villains #1 - V. E. Schwab


Título: 
Vicious

Autora: 
V. E. Schwab

Editora: 
Tor


Victor e Eli começaram como colegas de quarto na faculdade - jovens brilhantes, arrogantes, e solitários que reconheceram a mesma perspicácia e ambição um no outro. No seu último ano, um interesse compartilhado numa pesquisa de adrenalina, experiências de quase-morte, e eventos aparentemente supernaturais revelam uma intrigante possibilidade: que sob a certas condições, alguém poderia desenvolver habilidades extraordinárias. Mas quando a tésis sai do papel para o experimental, coisas dão terrivelmente errado.
Dez anos depois, Victor sai da prisão, determinado a apanhar seu velho amigo (agora inimigo), auxiliado por uma jovem cuja natureza reservada obscurece uma habilidade deslumbrante. Enquanto isso, Eli está em missão de erradicar todas as outras pessoas com superpoderes que ele pode encontrar - menos a sua ajudante, uma mulher enigmática com uma vontade inquebrável. Ambos os lados armados com terríveis poderes, impulsionados pela memória da traição e da perda, os arqui-inimigos estabeleceram um caminho para vingança - mas quem ficará vivo no final?


Nesta Quinta em Outra Língua vamos mudar um pouco o ritmo das coisas. Aqui estão oito razões para por que você PRECISA ler essa belezura de livro:

Você é inteligente demais para o seu próprio bem. Alguém já te disse isso?
Sim

1. Melhores amigos que viram inimigos

Victor e Eli são dois lados da mesma moeda, a mesma ambição, mesma fome por conhecimento e poder (duas crianças sonserinas). Enquanto Eli consegue tudo o que quer com seu charme, Victor consegue tudo com as suas mentiras. Eli é melhor em esconder o seu lado mais sombrio do mundo, mas Victor consegue ver através dos sorrisos. É isso que o atrai em Eli. Victor não é muito bom em esconder as suas tendências antisociais. É justamente a pesquisa em pessoas super-poderosas que leva a tona toda a obsessão do Eli. Os dois podem ser melhores amigos, arqui inimigos (e o meu ship errado), mas não conseguem ficar longe um do outro.

Eu serei a atriz estrelado os seus pesadelos.
(Uma imagem real de Victor Vale saindo da cadeia)


2. Super poderes - Qual é a diferença entre vilões e super-herois?


Em vez de se focar nos heróis altruístas da linha “com grandes poderes, vem grandes responsabilidades”, Vicious humaniza os seus personagens, deixando a linha entre heróis e vilões bem tênue. Eli se auto proclama um herói, mas as suas ações são bem questionáveis. E Victor, bem, só se importa com a vingança. Vicious nos faz nos perguntar o que torna alguém um herói ou um vilão. 
“Muitos humanos são monstruosos, e muitos monstros sabem se fazer de humanos.” Victor Vale
Personagens femininas bad-ass - Muito mais que sidekicks
As manas fazem as paradas acontecerem!

3. Personagens femininas badass

Se você pensa que esse livro só fala de meninos com super poderes e seus egos frágeis, pense de novo. Metade da graça da história são duas garotas, uma aliada ao Eli e outra parte do Squad do Victor, que simplesmente mandam na porra toda (literalmente, no caso da Serena). 
Serena e Sydney são irmãs que acabam em lados opostos nessa luta entre psicopatas rancorosos. São personagens incríveis, com histórias e motivações próprias (e com super poderes, claro) que não necessariamente tem relação com Victor ou Eli e, muitas vezes, elas são as únicas razões pelas quais os planos desses dois dão certo.

Eu tenho uma lista de nomes e o seu está em vermelho,
sublinhado
Eu checo uma vez, então eu chego duas vezes

4. Um rancor que durou 10 anos

Para as pessoas rancorosas como o Victor (e todos os cancerianos do planeta), ser traído pelo melhor amigo só pode significar uma coisa: caçar e destruir o elemento, no caso, o Eli.
Nosso psicopatinha favorito devota dez anos da sua vida só pensando no ex melhor amigo (que fofo) e em todas as formas de tortura conhecidas pelo homem que ele vai querer testar no dito amigo (talvez não tão fofo). 
E a gente sabe que existem poucas coisas melhores na vida que personagens sem jesus no coração dando uma de Beatrix Kiddo (vulgo A Noiva, vulgo Mamba Negra) atrás do Bill.
"Se Eli realmente era um herói, e Victor pretendia para-lo, isso o tornava um vilão?
Ele tomou um longo gole de sua bebida, inclinou a cabeça para trás contra o sofá e decidiu que poderia viver com isso."
UM PÔNEI?!

5. Um cachorro do tamanho de um pônei

Um cachorro do tamanho de um pônei! O que mais você precisa saber?


6. Mitch

Todo super vilão tem o seu Igor. No caso de Victor é Mitch, todo tatuado e com quase dois metros de altura Mitch também é mais do que parece. Junto com Sydney faz parte do squad do Victor. Colega de cela do Victor na prisão confia no Victor, ao mesmo tempo tenta proteger Victor de si mesmo e o mundo do Victor. Cota humano normal que você passa o livro rezando para não morrer.

Meu deus, olha que horas são. Hora dos feels ;-;

7. Feels, feels everywhere...

Bem, como todo livro da Victoria Schwab você vai ter vários ataques cardíacos. O ritmo é cinematográfico. Na primeira parte temos ao mesmo tempo o Victor saindo da cadeia indo atrás do seu ex, ex melhor amigo Eli; e também mostra 10 anos atrás, os dois ainda amigos com futuros promissores na faculdade e como tudo deu tão errado. A segunda parte é o jogo entre o Eli e o VIctor de vingança e acerto de contas. E eu não sei se eu torcia para eles se encontrarem logo ou ficar longe um do outro. 
Isso sem contar que é preciso de experiências de quase morte para garantir os superpoderes, o que nem acabou comigo. Não mesmo. 


8. Victoria Schwab, um chuchu que não tem pena de nós, pobres leitores

Victoria Schwab: um chuchu que não tem pena de nós, pobre leitores.
Ela é um docinho de pessoa que escreve as MELHORES histórias, sempre se preocupa com os leitores, faz questão de que o primeiro livro das suas séries possam ser lidos como um stand alone, cria personagens com dilemas e motivações reais (e com os melhores ships) e acaba com o nosso psicológico. Veio recentemente ao Brasil, na Bienal do Rio e respondeu perguntas dos fãs, autografou TODOS os livros de cada um (mesmo quando a pessoa tinha mais livros que os três permitidos) e foi, em geral, uma bolinha de açúcar. 
Como vários dos fãs naquele dia mencionaram amar Vicious (como não amar, não é mesmo?), que ainda não foi publicado no Brasil, os dois editores que representam ela no Brasil começaram a cogitar uma possível publicação por aqui...seria nosso sonho?

E é isso pessoal!
(eu nunca vou me cansar desse gif!)
Uma última informação nesse post que está só um pouquinho gigante, a Victoria Schwab está escrevendo uma continuação de Vicious. Segundo as poucas informações já liberadas, a história vai focar em novos personagens mas algumas pessoas desse livro também vão aparecer.
Cinco desfibriladores!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo