segunda-feira, outubro 23, 2017

#Pensando Bem: Crônicas Vampirescas

Sejam todos bem-vindos a nossa semana temática de aniversário destinada ao Terror. Esperamos que todos estejam gostando das nossas semanas temáticas até agora...

Por dias pensei: O que poderia trazer ao Garota Pai D'égua referente a Anne Rice que outros blogs ainda não tenham trazido? Então resolvi começar atendendo ao pedido feito no Halloween do ano passado pelo Victor Rogério (nosso colunista) e vou fazer um post sobre as ´´AS CRÔNICAS VAMPIRESCAS`` e sua ordem de leitura.

Não sabe o que são? Bem, são um conjunto de livros criados pela autora Anne Rice em que vampiros caminham entre a humanidade até os dias de hoje. A autora compartilha conosco um pouco sua vivência com eles. Sim, porque não tem como não acreditar que eles não vivam com ela devido a forma como as narrativas deles é palpável demais para ser taxada como uma mera ficção. Eles estão vivos no coração e mente dela!

Então vamos ao que interessa:

"— Lembro-me inteiramente dele; apesar de achar que não me lembro de nenhuma alvorada anterior. Lembro-me que a luz atingiu, primeiro, o alto das janelas, uma sombra por trás das cortinas de renda, e até então, um brilho crescente cada vez mais e mais claro, se recortando por entre as folhas das árvores. Finalmente, o sol atravessou as próprias janelas e a renda se estendeu em sombras sobre o chão de pedra, derramando-se sobre minha irmã, que ainda dormia, sombras de renda sobre o xale que cobria sua cabeça e seus ombros. Assim que sentiu calor, ela empurrou o xale sem acordar, e então o sol brilhou com toda força sobre seus olhos e ela apertou as pálpebras. Depois reluziu sobre a mesa onde ela apoiava a cabeça e os braços, e cintilou sobre a água da bacia. E pude senti-lo em minhas mãos, sobre a colcha e, finalmente, em meu rosto. Permaneci na cama, pensando em todas as coisas que o vampiro havia me dito, e foi então que me despedi do nascer do sol e parti, para me tornar um vampiro. Foi... o último alvorecer." (Entrevista com o Vampiro - Anne Rice - 1976)


"Claro que o odiava pelas mentiras que contara sobre mim. Mas o amor era muito maior que o ódio. Ele havia compartilhado comigo os anos sombrios e românticos do século XIX, fora meu companheiro como nenhum outro mortal já havia sido.

E eu ansiava por escrever minha história para ele, não como uma resposta a sua maliciosa Entrevista com o vampiro, mas sim para contar todas as coisas que vi e aprendi antes de encontrá-lo, a história que não pude contar-lhe antes.

Velhas regras já não me importavam mais, tampouco." ( O Vampiro Lestat - Anne Rice - 1985)


"Meu livro permanece, juntamente com a Entrevista com O Vampiro — prudentemente disfarçado de ficção -, e talvez seja melhor assim. Já causei problemas demais, como verão. Desastre, era isso que eu causava com meus joguinhos. O vampiro que teria sido herói e finalmente mártir por um único instante de pura relevância. Imagina-se que eu tenha aprendido alguma coisa com tudo isso, não é? Bem, aprendi mesmo. Mas é que é tão doloroso encolher-me novamente na sombra — Lestat, o bandido vampiro, rápido e anônimo, novamente atacando os pobres mortais que nada sabem de coisas como eu! Tão doloroso ser novamente o forasteiro, eternamente na periferia, lutando com o mal e o bem do imemorial inferno particular do corpo e alma..." (A Rainha dos Condenados - Anne Rice - 1988)


Eis os livros seguintes da ordem:
A História do Ladrão de Corpos - Anne Rice - 1992
Mennoch - Anne Rice - 1995
O Vampiro Armand - Anne Rice - 1998
Pandora - Anne Rice - 1998
Merrick - Anne Rice - 2000
Normalmente as primeiras três leituras são o suficiente para fazer você se apaixonar pela forma que a Anne Rice escreve. Achei válido deixar você acessar pequenas citações dos livros que ganham corações até hoje. 

A partir do livro "A História do Ladrão de Corpos" somos inseridos na mente de um vampiro que tem uma busca filosófica fora da armadura de todo poderoso, o que ele não deixa de ser, levando em consideração toda a sua história. No primeiro livro dessa imagem, o Lestat tem o seu corpo trocado com um humano e precisa aprender a viver como mortal e toda a sua complexidade até voltar para o seu corpo. E em Mennoch o mesmo vampiro senta no divã com o 'diabo'. E as coisas só ficam melhor... Armand ganha um livro só para ele, assim como a Pandora. E em Merrick os vampiros invadem o território das bruxas, pois um certo vampiro emo (Loui) quer sua infanto amada de volta da terra dos mortos e acha que pode recorrer ao Voodu! 

Com o universo das crônicas vampirescas já desenhado para você nos três primeiros livros, os cinco livros seguintes são histórias em que o vampiro Lestat perpassa e protagoniza, sempre lembrando que ele não vira um herói romântico e redentor, que algumas pessoas podem esperar quando romantizam a figura: Vampiro.



















Na sequência temos:
Sangue e Ouro - Anne Magno - 2001A Fazenda Blackwood - Anne Rice - 2002Cântico de Sangue - Anne Rice - 2003
Para quem, no decorrer da história, curtiu saber mais sobre os vampiros da primeira geração, filhos derivados da Akasha, vai gostar de saber que em Sangue e Ouro temos Marius e Thorne protagonizando um livro em que estão a discernem sobre as razões e reflexões da vida eterna.

Na fazenda Blackwood vemos o mortal Tarquinn se tornar vampiro e ainda assim manter sua família, e em sua ansiedade por respostas invade o território do Vampiro Lestat e coloca seu pescoço em risco. Assim como também temos um grande vinculo nesse livro com o universo da outra serie da autora "O Clã Mayfair".

Em Cântico de Sangue temos os espíritos protetores do Clã Mayfair vindo acertar contas com o Vampiro Lestat por certas atividades que ultrapassam os limites pré-estabelecidos entre vampiros e bruxas. E desta forma voltamos a fazenda Blackwood!

E quando pensamos que Anne Rice não pode mais maltratar nossos apaixonados corações, um belo dia, acho que depois de tanto escutar e ler reclamações dos fãs pois as crônicas tinham acabado em 2003, eis que nossa diva vai ler novamente seus livros vampirescos.

E o que acontece?

Ela nos presenteia com a volta das crônicas vampirescas. Mas não é só isso não! Ela além de trazer nossos queridos personagens de volta, ainda consegue amarrar todas as pontas soltas da história, as mesmas que nem você tinha conhecimento. E os tiros ainda não acabam por aí.... Ela ainda nos apresenta a personagens novos que sempre estiveram nas crônicas vampirescas mas a gente não conseguia ver!

- pausa para respirar - Sim, essa mulher é incrível!

Ao ler "Príncipe Lestat" em 2014, fui comedida por uma emoção sem tamanha, nem orgulho e preconceito conseguiu mexer tanto comigo no sentido plots perfeitos. Ler o "Principe Lestat" mesmo depois 11 anos das crônicas paradas, é como se você tivesse sendo inserido no contexto logo após terminar o livro "Cântico de Sangue". 

E sabe o que é ainda melhor? Saber que ainda temos mais livros para esperar! 

Estamos todos aguardando "Prince Lestat and the Realms of Atlantis" para saber o que mais a Anne Rice pode ensinar para nós, meros mortais, sobre a arte de fazer livros maravilhoso.

Novamente, desculpem o post gigante... mas como me empolgar com uma autora tão única?

Espero que tenham gostado do post, e até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo