segunda-feira, outubro 30, 2017

Eu li: A melodia feroz - Monstros da violência #1 - Victoria Schwab


Título:
A melodia feroz
Autora:
Victoria Schwab
Editora:
Seguinte
Duologia:
Monstros da violência
Ano:
2017

Adicione ao Skoob

Kate Harker e August Flynn vivem em lados opostos de uma cidade dividida entre Norte e Sul, onde a violência começou a gerar monstros de verdade. Eles são filhos dos líderes desses territórios inimigos e seus objetivos não poderiam ser mais diferentes. Kate sonha em ser tão cruel e impiedosa quanto o pai, que deixa os monstros livres e vende proteção aos humanos. August também quer ser como seu pai: um homem bondoso que defende os inocentes. O problema é que ele é um dos monstros, capaz de roubar a alma das vítimas com apenas uma nota musical. Quando Kate volta à cidade depois de um longo período, August recebe a missão de ficar de olho nela, disfarçado de um garoto comum. Não vai ser fácil para ele esconder sua verdadeira identidade, ainda mais quando uma revolução entre os monstros está prestes a eclodir, obrigando os dois a se unir para conseguir sobreviver.

Seeeeeeeeeenta, que lá vem história! Eu ACABEI de terminar esse livro e já vim correndo escrever, enquanto a euforia está tomando conta de mim!!!


Venham surtar junto comigo!

Em A melodia feroz somos apresentados a um cenário onde a fantasia contemporânea está inserida em um futuro distópico em que a violência cria monstros cruéis e reais. Nunca a frase " violência gera violência" fez tanto sentido, como nesse livro. 
Veracidade é um dos principais territórios que restaram de um Estados Unidos pós-guerra, que foi devastado depois de algo que eles chamam de "Fenômeno". Alguns anos depois, por causa das ondas de violência quase incontroláveis, uma trégua a restaurou, mas o que antes era uma cidade se tornou duas. Os conflitos de interesse entre os lideres do território os forçaram a criar um limite, uma espécie de fronteira entre Cidade Norte, comandada por Callum Harker, e Cidade Sul comandada por Henry Flynn.

Doze anos desde o Fenômeno, quando a violência começou a tomar forma e a Cidade V desmoronou.
Seis anos desde a trégua que a restaurou, não como uma cidade, mas como duas.

Nessa sociedade somos apresentados a monstros que nascem a partir de atos violentos: os Corsais que são sombras disformes, vivem na escuridão, se alimentam de carne e osso e nascem a partir de crimes não fatais; os Malchais, apesar de terem silhueta humana, tem a pele transparente revelando seus ossos pretos, vivem na Cidade Norte onde são escravos de Harker, se alimentam de sangue e nascem a partir de assassinatos; por último, os mais raros são os Sunais, existem apenas três e todos vivem na Cidade Sul protegidos por Flynn, que os tem como filhos. São os mais próximos da forma humana, nascem a partir de tragédias em massa e se alimentam das almas de pecadores. 

Monstros grandes e pequenos, cadê?
Eles virão para comer você.
Corsais, corsais, dentes e garras,
sombra e ossos abrirão as bocarras.
Malchais, malchais, cadavéricos e sagazes,
bebem seu sangue com mordidas vorazes.
Sunais, sunais, olhos de carvão,
com uma melodia sua alma sugarão.
August é um desses monstros, o mais novo dentre os sunais e super protegido pela família. Em um cenário onde a trégua entre as cidades está prestes a ruir, os filhos de Flynn são quem ele mais quer proteger, mas ao mesmo tempo, são como armas capazes de causar muita destruição. Ilsa é doce, amorosa, é o coração dos três; Leo é a bravura, a justiça, e a razão; August é o equilíbrio, um personagem que você cria simpatia logo de cara, e se vê muito angustiado com os questionamentos que o garoto faz sobre a sua existência. Quem são os monstros afinal? Pessoas que cometem atos monstruosos Harker por exemplo, ou aqueles que foram formados por causa desses atos?



Enquanto August é o equilíbrio, Kate é a rebeldia, só quer chamar atenção do pai e provar que é uma verdadeira Harker, alguém sem piedade e que tem coragem para enfrentar seus monstros. Enquanto August, no fundo, gostaria de ser humano, Kate acha que precisa tomar atitudes monstruosas pra sobreviver.

Na escola, quando ela e August se conhecem, ela nem imagina que ele foi enviado para vigiá-la, assim como o garoto nem imagina que por trás de uma paternidade cruel, existe uma garota com feridas deixadas por causa da perda de sua mãe.
Os dois fazem uma bela dupla, e uma série de decisões arriscadas faz com que eles acabem trabalhando juntos para defender suas vidas e o que eles acham que é justo.

Comecei a ler esse livro depois de uma ressaca literária de QUATRO meses. Quatro meses sem ler absolutamente nada, e A melodia feroz me tirou desse castigo!
O que eu mais gostei nesse livro é como a autora trata o conceito de violência, ela faz uma metáfora mais do que apropriada ao que atos cruéis podem causar na sociedade: mais atos cruéis. Para cada crime uma personificação diferente, algo muito crível, e que poderia ser muito bem o contexto da nossa sociedade.

Victoria consegue passar para o leitores exatamente o que imaginou para esse universo, e não tem como não pensarmos que poderíamos viver essa realidade. Um elemento que é fundamental no livro é a música, e pelo título já dava pra imaginar, mas não esperava que fosse da forma como é. Outra metáfora incrível de como a música pode transcender o corpo, a alma e a mente. Outro ponto que achei super positivo, é que a história não cai no clichê do romance, pelo menos não nesse volume. Nesse livro a relação dos dois se trata de construção de confiança e amizade, eles tem suas diferenças óbvias, e é por causa delas que irão aprender um com o outro.

O final foi inesperado e cheio de ação, não previa muitas coisas que aconteceram, o que me deixou muito ansiosa para o segundo e último volume chamado Our Dark Duet (Nosso dueto sombrio, em tradução livre). Foi lançado na gringa em Junho desse ano, ainda sem previsão de lançamento no Brasil. Enquanto isso vou me aventurar em outras obras da Victoria, porque amei real esse livro e acredito que os seus outros sejam tão bons quanto.

Leiam A melodia feroz e mergulhem nesse universo criado pra prender o leitor do começo ao fim.
Espero que tenham gostado, e até a próxima!

Muitos humanos são monstruosos, e muitos monstros sabem se fazer de humanos. - V. A. VALE

Beijos!

Precisam ler!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo