segunda-feira, junho 12, 2017

Eu Li: Eleanor & Park - Raibow Rowell

Título:
Eleanor & Park 
Autora:
Rainbow Rowell 
Editora:
Novo Século 
Ano:
2014

Adicione ao Skoob

Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

Os sentimentos por esse livro são desses que se gritam aos 7 ventos, de Leste à Oeste. Portanto, esta não é uma simples resenha. É um grito. É um empurrão.
E sobretudo: é um favor, meus caros. E vocês vão ficar me devendo essa. 

"Eleanor & Park" é um livro que fala sobre o primeiro amor. O violento e desesperado primeiro amor que nos corrói a alma. Todos já passamos por isso; e se ainda não passastes, aguarde. Não tem escapatória. 
Rainbow Rowell retrata esse primeiro sentimento de uma forma bem leal. Obviamente que as experiências são diferentes, mas acredito que o despertar do sentimento é tão forte que parece sufocar. Parece que somos pequenos demais para abrigá-lo. E é incrível acompanhar a evolução do amor de Eleanor e Park. 

Eles se conheceram no ônibus escolar e o amor a primeira vista passou longe. Eleanor é estranha. Como se não bastasse seus longos cabelos ruivos e enrolados, ela parece querer se destacar com suas roupas de números maiores e de combinações esquisitas. Sua composição física é grande; não gorda, mesmo que ela ache isso. Eleanor simplesmente chama a atenção, mas definitivamente não foi amor o que Park sentiu naquele primeiro encontro. 
Park é um cara normal que consegue passar bem pelo ensino médio sem ser o alvo dos perigosos. Seus olhos puxados delatam sua descendência asiática, seus gibis sempre a mão declaram sua nerdice e sua personalidade calma delata sua singularidade. Mesmo lutando taekwondo desde criança, Park não faz o tipo assustador.
Eleanor sentou ao seu lado em seu primeiro dia no ônibus escolar e algum tempo depois Park reparou que ela lia suas histórias em quadrinhos. E ele começou a virar as páginas mais lentamente para que ela pudesse acompanhar. 
A rotina de Eleanor e Park era estranha e agradável. Logo eles se pegaram pensando um no outro, esperando o momento em que estariam lado a lado no ônibus, primeiro mudos, lendo "X-Men" ou "Watchman" e, depois com a intimidade e afinidade crescendo, debatendo sobre as histórias que liam ou sobre música... até suas mãos se tocarem. Esse simples contato agitou ainda mais as borboletas em seus estômagos. 

"park: Segurar a mão de Eleanor era como segurar uma borboleta. Ou um coração a bater. Como segurar algo completo, e completamente vivo. (...) Assim que a tocou, perguntou-se como aguentara tanto tempo sem fazê-lo...
eleanor: Desintegrada. Como se tivesse dado algo errado em seu teletransporte para a Enterprise. Se você, alguma vez, já parou para pensar na sensação de ser teletransportado, concluiria que é muito similar a derreter, só que mais violento. Mesmo estilhaçada em milhões de pedaços, Eleanor ainda sentia o toque de Park em sua mão..."
aff, amo demais ♥

Sendo assim, o amor de Eleanor e Park é algo de muito especial. O leitor acompanha o nascer, o crescer e o desesperar passo a passo. É tão adorável! E o legal é que a autora não se baseou apenas no romance dos dois. Ela nos apresenta suas vidas, suas rotinas particulares, suas perspectivas privilegiadas do que é viver um grande primeiro amor e de como eles tentam lidar com isso.
A narrativa é fácil e leve. A voz é em terceira pessoa e dividida entre Eleanor e Park em partes alternadamente longas e curtas. O enredo é bem estruturado e meio cruel, no meu ponto de vista. Ambos passam por conturbações em suas famílias, com seus graus variados de seriedade, e eles veem um no outro um porto. 

Devo estar soando muito clichê mas "Eleanor & Park" é uma história com um bom cunho realista. Esse soar do amor trágico é natural para adolescentes aos 16 anos. O tudo e o nada andam numa linha tênue. 
Mesmo sendo bem normais nos aspectos sentimentais, Eleanor e Park são adolescentes de conteúdo. Os personagens tem perspectivas maravilhosas, ótimos diálogos e dão um show de sugestões de bandas, livros e HQs. Ok, Park dá um spoiler grande de "Watchman", porém vale a pena. "Eleanor & Park" é um livro que definitivamente vale a pena. 

Gostei muito da edição que a Editora Novo Século trouxe para o Brasil. A capa é a semelhante a americana e, mesmo que tenha um apelo inegável para o feminino, quero que vários amigOs leiam. A parte de dentro do livro tem uns detalhes bonitos relacionados a história e a diagramação é ótima. Encontrei apenas um erro de revisão mas nada que abale sua beleza significativa. 
"Eleanor & Park" está acima do bem e do mal. O livro tocou meu coração de uma maneira inenarrável. Ele tem referências ricas e um texto bem inteligente, portanto, espero que vocês não pensem que é mais um livro bobo para adolescentes. O final é particularmente... doloroso. Rainbow Rowell nos embalou em mel, porém não fugiu da realidade que o livro inspira. E mesmo em meio as desventuras, o livro é tão cheio de quotes inteligentes e fofas que meu livro está praticamente mergulhado em grafite. 

"Eleanor & Park" entrou na minha lista de livros julgadores de caráter, juntamente com "A culpa é das estrelas", afinal, quem não gostar desse livro não pode ser uma boa pessoa. Saia do meu ciclo de amizades! Ê. Brincadeira a parte, o livro é realmente fabuloso porque quem for sem coração e achar o romance muito clichê, vai poder se embriagar das muitas referências sobre HQs e músicas que a autora faz.
A editora Novo Seculo Rainbow Rowell já lançou todos os livros da autora do Brasil. Inclusive, estavam uma pechincha na Feira Pan-Amazônica do Livro deste ano. Então quem aproveitou as promoções: Yay! 
Quem não deixou passar batido, espero que vocês acabem de ler essa resenha e saiam correndo para comprar "Eleanor & Park".
Por nada.

Post criado originalmente para o blog Nem te conto 

Amo!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo