segunda-feira, fevereiro 13, 2017

EU li: A Maior de Todas as Mágicas - James R. Doty

O subtítulo do livro já entrega
que é de auto ajuda. 

Título: A Maior de Todas as Mágicas
Autora: 
James R. Doty

Editora: 
Sextante/Arqueiro

Adicione ao Skoob

Jim teve uma infância difícil. Cresceu com o pai alcoólatra e a mãe depressiva numa pequena cidade da Califórnia. Para ele, a vida se resumia a uma sucessão de dias tristes, violentos e sem esperança.
Mas tudo mudou ao completar 12 anos, quando entrou numa loja de artigos de magia e conheceu a misteriosa Ruth. Enxergando todo o sofrimento do menino, a generosa senhora resolveu ajudar e prometeu ensinar a ele a maior de todas as mágicas.
Ao longo de seis semanas, Ruth guiou Jim por diversas técnicas de meditação, ensinando-o a relaxar o corpo, esvaziar a mente e abrir o coração – os passos necessários para qualquer pessoa aprender a lidar com a dor e com as próprias emoções.
Os anos se passaram, Jim incorporou as práticas e se tornou o Dr. James Doty, neurocirurgião proeminente e empresário de sucesso. Mas esqueceu de manter o coração aberto, o que gerou terríveis consequências.
Nesta emocionante história real, Dr. Doty mostra o poder que a compaixão tem de transformar vidas e a força que cada um de nós possui para transformar o mundo.

James R. Doty é um personagem real: ele é um neurocirurgião relativamente famoso nos Estados Unidos e tem um grande trabalho filantropo no setor de saúde (instalando postos de saúde para atendimento gratuito em várias partes do mundo). A Maior de Todas as Mágicas é, basicamente, uma biografia rápida adaptada de Jim Doty, com várias crônicas de sua vida, desde sua infância até tempos recentes.

O foco inicial é em sua infância difícil: seu pai era alcoólatra e sua mãe tinha problemas com depressão. Sua família era completamente desestruturada. A vida seguia totalmente sem esperança até que ele é convidado por uma senhora um tanto misteriosa (que ele conheceu numa loja de mágicas), chamada Ruth, a ser treinado para executar a maior de todas as mágicas, algo que poderia trazer a ele tudo o que desejasse. Ao longo de seis semanas Ruth treinou o garoto com um certo tipo de meditação positivista separada em 4 passos: relaxar o corpo, esvaziar a mente, abrir o coração e decidir suas metas de vida. A ideia é que, a partir da hora em que você saiba exatamente o que deseja de coração, nada o impedirá de obtê-lo.

A outra parte do livro trata da vida de Jim já um pouco mais velho, em várias fases da vida,:terminando o ensino médio, estudando medicina, sua vida adulta como marido e pai e um pouco da história de como iniciou seu trabalho filantrópico. E, ao longo dessas crônicas, se demonstra como ele negligenciou alguns passos da meditação ensinada por Ruth e como isso acabou sendo desastroso em sua vida.
Todos na vida passamos por situações que causam dor.
Eu as chamo de feridas do coração.
Se você as ignorar, elas não ficarão curadas.
às vezes, porém, é ao ser ferido que nosso coração se abre.
Não raro, são as feridas do coração que nos dão a maior oportunidade de crescer.
As situações difíceis.
Dádiva mágica.
A história de vida de James Doty é realmente inspiradora. Ele foi de uma infância difícil sem perspectivas até se tornar uma neurocirurgião respeitado e conhecido (seu maior projeto filantropo tem o Dalai Lama como benfeitor). Ao longo da trama se demonstra como a magia ensinada por Ruth o levou realmente a conseguir tudo o que desejava. Fora isso, o autor se preocupa em dar vários alertas sobre esse tipo de positividade e como negligenciá-la pode tornar a pessoa prepotente e arrogante, como ele mesmo reconhece que foi em certos momentos de sua vida. O grande mérito da mensagem final desse livro é mostrar que nada é inalcançável e, mesmo nos piores momentos, sempre há ao menos um fio de esperança. 

Por outro lado, a construção do texto tem vários problemas. Primeiramente a trama é contada de uma forma extremamente arrastada. Ok, o livro é de auto ajuda e, aparentemente, o autor quis muito mais falar sobre o seu conceito positivista que contar a história que estava por trás dele. O grande problema é que existem trechos em que a história é interrompida subitamente para dar lugar a um capítulo inteiro com reflexões que não estão realmente intrínsecas ao que se estava falando antes. Essa mudança repentina de assunto quebra muito o ritmo da leitura e várias vezes parece ser desnecessária.

Outro grande problema são vários capítulo que se perdem em meio a conceitos de medicina neurológica que são bem difíceis de entender. Tem um capítulo, por exemplo, em que o autor fala sobre experiências de quase morte e cita várias teorias neurológicas relacionadas. Tudo recheado de termos técnicos e conceitos extremamente abstratos para quem nunca estudou medicina. Esses capítulos também acabam trazendo uma quebra muito grande para o roteiro. Fora que, como James Doty acredita profundamente na "mágica" que ele está apresentando, a fala dele acaba soando piegas demais, coisa que inicialmente não é tão ruim, mas lá para o fim do livro estava extremamente repetitivo.

Enfim, apesar de ser um livro relativamente curto, foi uma leitura um tanto demorada. Mas, se você já está acostumado com o estilo de livro da auto ajuda, acredito que vale muito a pena pela história inspiradora apresentada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo