sábado, dezembro 17, 2016

Nerdice Pai D'égua #16 - Livros, Quadrinhos e Mangás da CCXP

E foi épico mesmo!
Siiiim, pessoal, a Comic Con Experience 2016 acabou, mas ainda temos muita coisa para falar sobre ela. Não viu nossa cobertura? Mas que vacilo. Siga nosso Instagram e não perca as próximas novidades (vem algumas coisas por ai)! Enfim...

A Comic Con é o evento mais nerd do ano no Brasil e com ela vem, claro, os gastos. Várias editoras preparam atrações especiais e lançamentos para esse evento e vamos falar um pouquinho sobre alguma ótimas aquisições da feira, todas super indicadas para todos. Vamos lá:

1 - A Rosa e o Espinho - Theodora Goss

Duas história, um amor. 

Adicione ao Skoob 
Quando Evelyn Morgan entrou na livraria da pequena cidade de Clews não imaginava que iria encontrar ali seu grande Amor... E quando Brendan Thorne entregou-lhe um romance medieval, também não sabia que tal fato mudaria tudo... Era como se os dois fizessem parte daquele velho livro e a história de Amor registrada naquelas páginas ganhasse vida. A Rosa e o Espinho é um artefato literário especial: o leitor é convidado a escolher qual lado da história prefere ler primeiro, pois, neste caso, o livro dispõe um formato sanfonado. Não há exageros estilísticos e estruturais, de forma que a leitura seja ainda mais prazerosa e apaixonante. Um Amor eterno, onde o fim é só o recomeço.



O Stand da Plataforma 21 (editora V&R) estava espetacular. A editora de Maze Runner criou um ambiente bem estilizado, meio steampunk e tinha ótimas promoções. 

Plataforma 21 e seu espaço
Eis que encontrei esse livrinho a venda: A Rosa e o Espinho. Ele tem um proposta diferente, que ainda não tinha visto. Ele é sanfonado, sendo que, cada lado do livro conta a história vista por um personagem diferente.



O livro estava R$15,90... Não deu pra resistir. Resenha em breve.



2 - Ghost in the Shell - Shirow Masmune

Segura esse hype

Influenciado por obras “cyberpunk” do final dos anos 1980 como Akira e por filmes como Blade Runner – O Caçador de Androides, o cenário escolhido por Shirow para The Ghost in the Shell foi o futuro distópico de 2029, onde a alta tecnologia se mistura a uma sociedade decadente e desigual.
É nesse mundo à beira do colapso que a Major Motoko Kusanagi encabeça a Seção 9 da Segurança Pública. Motoko é uma ciborgue altamente treinada incumbida de desmantelar uma série de crimes cibernéticos realizados por um hacker conhecido como o Mestre dos Fantoches.
Em meio à caça ao criminoso virtual, Masamune Shirow insere na trama questionamentos existencialistas, ponderando até mesmo se alguém provido meramente de Inteligência Artificial é, de fato, um ser vivo. E foi exatamente essa mistura de ficção científica, ação e temas filosóficos que fizeram do mangá The Ghost in the Shell uma leitura obrigatória.

Outra área que estava muito interessante foi a Anime Experience. Lá havia a exposição com as 12 armaduras de ouro de Cavaleiros do Zodíaco, alguma lojas de action figures de animes e a loja da JBC, que estava trazendo vários lançamentos. Um deles (esperadíssimo) é Ghost in the Shell.

Ghost in the Shell é uma das obras da cultura cyberpunk mais cultuadas que existem. Foi adaptado para uma versão anime em 1995, que fez sucesso e gerou uma grande quantidade de continuações, spin-ofs e stans-alones. Eis que ano que vem sairá uma versão live action protagonizada pela Scarlett Johansson e, aproveitando o hype, a JBC relançou no Brasil o mangá de Ghost In the Shell em uma edição única. 

E está linda. A capa da imagem acima é uma jacket. Por si só já é ótima, mas se você preferir, pode retirar e usar a capa original. Além disso, diferente da maioria das publicações de mangás no Brasil, algumas páginas dessa edição são coloridas, assim como a versão original.




3 - O cão de caça e outras histórias (H. P. Lovecraft) e Nijigahara Holograph (Inio Asano)

Adicione ao Skoob


Com adaptação e arte de Gou Tanabe, o mangá é baseado em três contos escritos pelo autor americano H.P. Lovecraft, famoso principalmente por seus trabalhos no gênero de horror e terror.

“H.P. Lovecraft: O Cão de Caça e Outras Histórias” foi publicado originalmente no Japão entre 2009 e 2014, nas páginas da revista Comic Walker, e apresenta adaptações dos contos “The Temple”, “The Hound” e “The Nameless City”.







Adicione ao Skoob

Com palco no terreno chamado Nijigahara, o passado e o presente dos alunos de uma escola se entrelaçam intensamente. O boato sobre o monstro que vive no túnel, o segredo que cada família carrega, um “surto” de borboletas que infestam a cidade… Através dos infindáveis eventos e “linhas do destino”, o mestre Inio Asano convida o leitor para adentrar um mundo nunca antes visto.



E mais uma vez a JBC esvaziando a minha carteira. Esse era o "Combo Terror Psicológico". Levando os dois mangás, você tinha um desconto muito interessante. Eu, como fã de Lovecraft e fã recente de terror não podia perder essa. 




4 - O Despertar do Cthulhu em quadrinhos - Vários Autores


Ó, o bicho vindo...
O Desespero é verde

A cultuada obra de H. P. Lovecraft é a principal inspiração dessa coletânea com oito HQs que transportarão a imaginação para o lado mais obscuro da mente humana, um horror cósmico em preto, branco e verde.



São 168 páginas desesperadoras onde criaturas tão antigas quanto o universo são capazes de corromper a alma humana apenas com sua presença. Onde a doença, a loucura e a perversão são pano de fundo para histórias que vão testar os limites de sua sanidade.



A organização do álbum envolveu Raphael Fernandes, que maculou a alma do time de quadrinistas formado por Dudu Torres, Antonio Tadeu, LuCas Chewie, Airton Marinho, Fabrício Bohrer, Caiuã Araújo, Marcio de Castro, Lucas Pereira, Samuel Bono, Jun Sugiyama, Daniel Bretas, Hilton P. Rocha, Bárbara Garcia e Elias Aquino. Todos perdidos em uma enigmática capa de João Pirolla.



O despertar de Cthulhu em Quadrinhos é o horror que não pode ser pronunciado, perca-se em imagens e histórias que não deveriam ter sido concebidas. Agora não há mais volta para os envolvidos pelos tentáculos do desespero, é hora de acordar para uma realidade decadente e tingida em apenas duas cores.


Outra área muito legal da Comic Con Experience é o Artists' Alley. Lá é possível encontrar uma infinidade de artistas nacionais e internacionais expondo suas obras, originais e posters, tudo a ótimos preços. Fora a oportunidade de conhecer o artista por trás dos quadrinhos que você curte. 

E nas andanças por lá encontrei esse quadrinho: o despertar do Cthulhu é uma coletânea organizada pela editora Draco, com oito contos em quadrinhos que buscam trazer um pouco do terror inominável de H. P. Lovecraft e sua mítica criatura, o Cthulhu. A edição está espetacular, toda em tons de verde e com artes impecáveis. Sem contar que a minha tem autógrafo. 

5 - Pretérito mais que Perfeito - Vários Autores


Um banco. Um lugar participa da vida de todas as pessoas que passam por ele compartilhando suas vidas, dramas, emoções, momentos. talvez com o tempo de sua existência, esse lugar comece a acumular esses pedaços de vida, esses pequenos momentos vividos de que ele só entendeu uma parte, um excerto, um quadro da história toda. 


Outra aquisição do Artists' Alley (também está autografado) e essa eu adquiri após uma indicação. A HQ traz uma viagem pelo tempo (desde 1869 até 2032) por Belém do Pará. Sempre tendo como pano de fundo a Praça de Republica. A edição está realmente muito bonita e com a arte impecável.


6 - Pieces: partes do todo e Terapia - Mario Cau





Um olhar poético sobre os pequenos pedaços que constroem a vida, seus encontros e desencontros, desejos, corações partidos e amizades. São peças de um quebra-cabeça que desconhecemos por completo.










Da bem-sucedida web-comic para as páginas de quadrinhos. Terapia é a história de um garoto que, mesmo tendo uma vida normal, não se sente feliz. E, o fato de não identificar o motivo de sua angústia, o leva a se afogar em um infinito de questões.
Contudo, na sala de seu terapeuta, passa a explorar seu presente, suas inseguranças, mergulhando fundo em recordações nebulosas, pela busca do eu.
Enquanto constrói e desconstrói tudo o que sente, vive e deseja, refugia-se em velhas canções de blues – visualmente bem expressadas nesta instigante HQ –, cujas letras empoeiradas parecem explicar o mundo (e a si mesmo) de forma muito mais satisfatória. 






Mais pérola do Artists' Alley. Conheço o Mario Cau já há um tempo, desde que eu comprei uma Graphic Novel da Dom Casmurro adaptada por ele e pelo Felipe Greco. A arte é espetacular e pude ver ele desenhando ao vivo o autógrafo na HQ.



Aproveitei a visita e comprei duas novas obras dele. A primeira, Pieces, é uma conjunto histórias curtas com tema cotidiano, vistas de uma forma poética. A segunda é Terapia, uma webcomic (é possível ler nesse link: http://petisco.org/terapia/) desenvolvida em parceria com Marina Kurcis e Rob Gordon e que saiu num impresso de capa dura pela editora Novo Século. Ambas são muito lindas, recomendo a leitura para todos.

Ufa... Foi muita coisa não? Mas aguardem que ainda tem mais sobre a CCXP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo