quarta-feira, junho 22, 2016

Eu li: Trama - Michael Jensen e David Powers King


Título:
Trama
Autores:
Michael Jensen e David Powers King
Editora:
Arqueiro
Adicione ao Skoob


O sonho de Nels era ser cavaleiro do reino de Avërand. Filho obediente, ajudava como podia os moradores de sua pequena e tranquila aldeia. Querido por todos e tratado como herói, acreditava que logo seria selecionado como escudeiro da cavalaria.
Mas isso foi antes de ser assassinado por uma figura misteriosa.
Nels virou um fantasma, e agora só uma pessoa consegue vê-lo: a princesa Tyra, herdeira do reino e sua única esperança de entender o motivo do crime. A princípio, a jovem mimada não dá a menor confiança para o rapaz, mas, à medida que o mistério da morte dele vai se desenrolando, os dois percebem que têm em comum um segredo e um inimigo terrível, que pode se disfarçar de qualquer pessoa.
Nels e Tyra não têm escolha. Precisam fugir do castelo, desbravar um mundo oculto repleto de magia e espectros sombrios e encontrar uma agulha, a relíquia capaz de remendar o que foi descosturado na Grande Tapeçaria.


Trama foi uma grata surpresa pra mim: é uma história de fantasia infanto juvenil que me lembrou bastante a sensação que eu tive ao ler As Crônicas de Nárnia pela primeira vez. Michael Jensen passou dez anos imaginando o mundo fantástico por trás desse livro e se juntou a David Powers para inserir os personagens e desenvolver a história dentro desse novo universo.

A ideia por trás desse mundo é que o tempo é tecido através da Grande Tapeçaria e cada pessoa existente é uma linha que irá levar o tecido adiante. Ao morrer, o fio de uma pessoa é cortado e destecido da trama, mas suas ações em vida deixam sempre uma marca no tear do tempo. Aqueles que conseguem usar a magia da Urdidura (o poder mágico baseado nos fundamentos da costura e tecelagem da Grande Tapeçaria) obtêm grande poder e se tornam poderoso magos. Mas a Urdidura já se tornou uma arte quase esquecida.
- Paciência - respondeu Bosh - A Urdidura é uma arte tenaz que exige atenção meticulosa. - O velho baixou as mão para os bolsos e tirou um pequeno carretel de linha de um deles e uma tesoura de outro. - Como eu disse, cada pessoa é um fio valiosíssimo no desenho da Grande Tapeçaria, mesmo que pareça insignificante. As escolhas das pessoas fazem o tecido, e o tempo o comprime. - Bosh tirou um fio do carretel e cortou-o com a tesoura. - Quando uma vida acaba, o fio desse indivíduo é cortado e ele deixa para trás um padrão que foi tecido de forma permanente na Grande Tapeçaria durante toda a sua vida.
E nesse universo conhecemos Nels: um garoto obediente, que tem o sonho de se tornar um cavaleiro do reino de Avërand, mas é impedido pela mãe. Essa, cheia de segredos, nunca explicou a Nels sobre seu passado, sobre o porquê de morarem no meio da floresta ou sobre seu pai. Mas quando começamos a conhecer mais sobre o garoto e sua história começa a ser mais desenvolvida, ele é assassinado por uma figura misteriosa (calma, não é spoiler). 

É aí que entra Tyra, a princesa do reino de Avërand. Uma garota extremamente mimada, que tem alguns problemas com seus pais (o rei e a rainha) e, por algum motivo, é a única que consegue enxergar e conversar com o fantasma de Nels. Nenhum dos dois sabe exatamente o que está acontecendo com o garoto, como ele se tornou um fantasma ou porque somente Tyra pode vê-lo. Mas ambos terão que partir em uma jornada atrás de um artefato antigo da magia de Urdidura para poderem remendar a Grande Tapeçaria, uma missão que só eles podem cumprir.

Mapa do Mundo de Trama
Apesar de ter inúmeros (é ótimos) personagens coadjuvantes, a trama de Trama (oi?) é focada principalmente em Nels e Tyra. É até meio difícil determinar quem é o protagonista: no início do livro o foco é totalmente direcionado a Nels, mas ao longo do desenvolvimento, a jornada do herói é totalmente de Tyra. É ela quem recebe o chamado ao dever, a missão e é ela quem precisa evoluir e se tornar a heroína. Funciona muito bem como um conto de fadas as avessas e eu achei isso espetacular.

A dinâmica entre Nels e Tyra é o ponto alto do livro. Eles não se dão muito bem desde o início: Nels é humilde e honesto, mas é um camponês, algo que Tyra despreza. Ela é muito mimada, coisa que o garoto destesta. A relação dos dois tem um pouco de tudo, drama, humor, aventura e por aí vai. Numa parte você até começa a shippar os dois, apesar de um estar morto (eita). Junte a isso uma trama de mestre e aprendiz para explicar exatamente o passado do reino, a história dos pais e do assassinato do garoto e chegamos ao vilão da história: Rasmus. Ele foi a única coisa que realmente me incomodou no livro. Numa história tão boa quanto essa, achei ele genérico demais: parece estar ali só para levar a trama adiante e é bem pouco desenvolvido.

Mas, algo realmente espetacular desse livro, é o universo por trás dessa história. O mapa acima foi minimamente explorado pelos personagens e, mesmo assim já apareceu muita coisa. Por isso que no meu comentário inicial falei que lembrei muito da primeira vez em que li O Sobrinho do Mago (primeiro livro das Crônicas de Nárnia). A história de Trama é muito boa, engraçada e criativa (a ideia por trás da magia de Urdidura e a Grande Tapeçaria foram sacadas espetaculares), mas eu realmente fiquei com a sensação de que todo o universo que está em volta é muito maior e tem muito mais coisas a oferecer. 

O livro Trama em si tem a história fechada e redondinha. Mas eu vou lamentar de verdade se os autores não lançarem outras histórias desse universo. 

Pra mim foi uma ótima leitura. Recomendo de verdade para todo mundo e, minha nota final é:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo