quarta-feira, junho 01, 2016

Eu Li: Nove regras a ignorar antes de se apaixonar - Sarah McLean


Título:
Nove regras a ignorar antes de se apaixonar
Autora:
Sarah MacLean
Série:
Os Números do Amor
Editora:
Arqueiro

Adicione ao Skoob.

A sonhadora Calpúrnia Hartwell sempre fez tudo exatamente como se espera de uma dama. Ainda assim, dez anos depois de ser apresentada à sociedade, ela continua solteira e assistindo sentada enquanto as jovens se divertem nos bailes. Callie trocaria qualquer coisa por uma vida de prazeres.

E por que não se arriscar se, aos 28 anos, ela já passou da idade de procurar o príncipe encantado, nunca foi uma beldade e sua reputação já não lhe fará a menor diferença? Sem nada a perder, a moça resolve listar as nove regras sociais que mais deseja quebrar, como beijar alguém apaixonadamente, fumar charuto, beber uísque, jogar em um clube para cavalheiros e dançar todas as músicas de um baile. E depois começa a quebrá-las de fato.

Mas desafiar as convenções pode ser muito mais interessante em boa companhia, principalmente se for uma que saiba tudo sobre quebrar regras. E quem melhor que Gabriel St. John, o marquês de Ralston, para acompanhá-la? Afinal, além de charmoso e devastadoramente lindo, ele é um dos mais notórios libertinos de Londres.

Contudo, passar tanto tempo na companhia dele pode ser perigoso. Há anos Callie sonha com Gabriel e, se não tiver cuidado, pode acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.

Oláaaaaaaaaaaaaaaaaaa amadinhos...

Hoje vim falar/escrever um pouco sobre um livro que me marcou muito, em vários sentidos, mas em especial dois deles valem ser ressaltados: A personagem tem exatamente a mesma idade que eu e a mocinha da história entrou para a minha lista de ´´PIORES NOMES POSSÍVEIS``...argh...meu god.

CALPÚRNIA...que mãe amorosa teve a audácia de colocar esse nome medonho na filha? A mãe da Cally! Não basta a coitadinha estar sendo estigmatizada por ser uma encalhada e feia, nãooooooooo...para complementar ela tinha que ter um nome em homenagem a uma das peças de Shakespeare que a mãe dela mais gosta! E os irmãos de Cally, todos tem nomes comuns, só a tadinha que foi presenteada com um nome horrendo. Ok, temos aqui o típico caso de: mulher solteira procura encalhada e com uma mãe louca por um título! 

Em um belo dia, nossa entusiasta a heroína, depois de muito sofrer bullyimg, resolve chutar o pau da barraca de uma vez por todas. E no silêncio da noite e na companhia das suas lágrimas derramadas, ela faz uma lista escandalosamente audaz. Com os seguintes itens a serem executados por ela:
  1. Beijar alguém...apaixonadamente.
  2. Fumar charuto e beber uísque.
  3. Montar com as pernas abertas.
  4. Esgrimar.
  5. Assistir a um duelo.
  6. Disparar uma pistola.
  7. Jogar (em um clube para cavalheiros).
  8. Dançar todas as danças de um baile.
  9. Ser considerada linda. Pelo menos uma vez.
Depois de executar todas os itens da lista, ela vai poder aceitar e viver a sina de uma solteirona que a vida lhe reservou. Mas antes disso, ela decide que a vida de solteirona não vai começar cheia de lamentos e arrependimentos de coisas que ela queria ter feito e não fez. Ela não poderia começar melhor do que isso! 

No inicio admito que pensei que ela ia seguir a ordem da lista, mas me enganei, um dos poucos itens que ela segue a ordem é o primeiro. E é por causa dele que temos um desfecho diferente para essa história.

Cally sempre se deliciou a admirar a beleza de Gabriel St. John, o marquês de Ralston, eles se conhecem desde a infância, mas ela nunca foi devidamente notada por ele. Até porque o tipo de mulher que ele nota é bem diferente da Cally. Quando adulto Gabriel se tornou o libertino mais aclamado da época...e o fato dele ser pecaminosamente bonito nem é o principal motivo dessa aclamação toda. Digamos apenas que Gabriel tem ´´a pegada``!

Nossa querida Cally, decide colocar em prática a lista na mesma noite em que ela foi redigida, então ela vai na casa do eterno crush dela, Gabriel, e por motivos que não vou contar ela acaba no quarto dele, e ele não reconhece ela logo de cara, e a confunde com uma cortesã. Quando Gabriel descobre quem é a mulher muda de capa no quarto dele, o choque não poderia ser maior...e nessa fatídica noite eles selam um acordo, se ele realizar o primeiro item da lista dela com maestria e fazer ela acreditar no momento, ela ajudaria ele a tentar resolver um problema na vida dele que pode escandalizar o bom nome da família dele. Nem preciso dizer que o trato foi selado belamente!

E começa o jogo! É importante ressaltar que a Cally só pediu ajuda com um item de sua lista para ele, mas com o decorrer do tempo Gabriel vai ficando tão intrigado com as coisas que pega a Cally fazendo, que o jogo vira e ele já não se importa tanto assim com o escândalo que pode embarcar a família dele, o que mais lhe interesa é saber quais são os outros itens da lista de Cally, e o que ele pode fazer para evitar que ela faça, ou melhor ainda, o que ele pode fazer para participar de todos os itens da lista!

Como eu disse no início da resenha, esse livro me prendeu em muitos aspectos, alguns eu já citei, mas o que me prendeu mesmo a história foi suspirar e adorar a forma como eles vão passando a se perceber e como das desventuras dela ele vai começando a amar uma solteirona que sofre bullying, e é majestosamente linda para ele.

Um ponto que quero ressaltar nessa resenha que achei diferente dos demais livros de época que leio, é que para delírio da população feminina, Gabriel tem um irmão gêmeo! Ou seja se já suspirei horrores no primeiro livro, imagina quando chegar o livro do Nicolas? Não lembre de ter lido algum livro que o herói da história tenha um gêmeo idêntico e ainda assim com complexo de inferioridade...#Tadinho (manda ele para a minha casa que tiro esse complexo dele na marra e com muito amor).

Então, fica a dica e espero que gostem do livro tanto quanto eu!


2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Nove regras a ignorar antes de ler uma resenha...
    Se um dia eu escrever um livro terá esse título.
    Por muitas vezes tentei comprar livro apenas pelo título ou por uma breve leitura do início, mas ao ler esta resenha sinto que conheço cada vírgula do livro, e ao mesmo tempo sinto uma vontade intensa de ler e reler o mesmo, é como se de repente o leitor se tornasse o escritor e quebrasse quantas regras fossem necessárias para dar aquilo que o leitor quer ler. E talvez por isso, agora possa entender a frase "a primeira impressão é a que fica", ler esta resenha e não comentar é a primeira regra da minha lista, espero ter quebrado como expressão do quanto gostei de ler.

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo