quinta-feira, fevereiro 18, 2016

[Quinta Em Outra Língua #31] - The Darkest Part Of The Forest - Holly Black



Livro:
The Darkest Part of the Forest
Autor:
Holly Black
Editora:
Little, Brown Books for Young Readers
                                                                        Adicione ao Skoob
                                                                        Adicione ao Goodreads

Crianças podem ter um senso cruel e absoluto de justiça. As crianças podem matar um monstro e sentir muito orgulho de si mesmas. Uma menina pode olhar para o seu irmão e acreditar que eles estão destinados a ser um cavaleiro e um bardo que combatem o mal. Ela pode acreditar que encontrou a coisa que ela foi feita para fazer.
Hazel vive com seu irmão, Ben, na estranha cidade de Fairfold onde existem seres humanos e fadas lado a lado. A mágica aparentemente inofensiva das fadas, atrai turistas, mas Hazel sabe como elas podem ser perigosas e também sabe como pará-las. Ou sabia, uma vez.
No centro de tudo isso, há um caixão de vidro na floresta. Ele repousa diretamente no chão e nele dorme um garoto com chifres na cabeça e orelhas pontudas como facas. Hazel e Ben estavam ambos apaixonados por ele, quando crianças. O menino dormiu lá por gerações, nunca acordando.
Até que um dia, ele acorda...
A medida que o mundo vira de cabeça para baixo, Hazel tenta lembrar seus anos fingindo ser uma cavaleira. Mas mergulhada em um novo amor, lealdades trocadas e a picada fresca de traição, será o suficiente?

Existe um monstro em nossa floresta...

Holly Black é uma autora excêntrica e tem um jeitinho todo especial de escrever, é o típico caso de ame-a ou a odeie. Mas uma coisa é certa, quando se trata de imaginação, ela tem de sobra. 

A história segue a vida de Hazel e Ben, seu irmão, que vivem na cidade de “Fairfold” e sempre foram acostumados a coexistir com fadas. Os dois possuem uma fascinação pelo garoto com chifres na cabeça e olheiras pontudas que dorme no caixão de vidro na floresta (ok gente, quem não ficaria intrigado né?). As fadas nessa cidade são como uma atração turística, mas por experiências próprias tanto a Hazel quanto o Ben não confiam nelas. 

Entre estar apaixonados pelo garoto que dorme por séculos e lembranças de uma infância mágica (onde os dois lutavam contra monstros) a história desses irmãos vai se desenvolvendo cheia de mistérios. E esses mistérios parecem vir à tona ainda mais quando o garoto com chifres um dia acorda. 

Eu amei o senso de justiça que a Hazel tem, ela é aquele tipo de garota centrada ainda com o pé na infância e na imaginação, claro que viver em uma cidade com fadas nos leva a querer ter uma vida incrível hehe. Ela é uma protagonista forte, tem uma personalidade invencível e cara, como você quer ser como ela! Nesse caminho de crescimento da vida, Hazel passa por muitos momentos típicos da adolescência e com isso chegamos no personagem de Jack. 

Jack é o irmão de Carter e ele é um changeling (Conceito de fadas gente e que existe em vários livros! Basicamente, é o filho changeling é deixado na casa de humanos e o bebê humano vai viver com as fadas, sem os pais humanos saberem) Mas bem, voltando ao Jack, a história dele como changeling é bem explicada no livro e ele é um cara super simpático, melhor amigo de Ben e sempre teve um crush na Hazel (mesmo que a Hazel viva ficando com garotos aleatórios por aí), então é uma pessoa muito importante na história, até mesmo pela conexão dele com as fadas. 

BEN!! Desculpa gente, mas eu adoro o Ben. Ele é tão fofinho, tão bonzinho e todo tímido e quieto, ele é o irmão mais velho que sempre ficou na sombra da irmã mais nova, aquele com uma maldição jogada pelas fadas e que mesmo assim é um ótimo irmão, querendo proteger a Hazel. A paixonite dele pelo garoto de chifres é ainda maior que a da Hazel. 

Você luta com as fadas! 
Por fim, o garoto com chifres que é MUITO importante pra essa história! Antes de ele acordar, esperava muitas coisas, depois que ele acordou tudo o que eu imaginei virou de ponta a cabeça e eu fiquei perdida. Não to dizendo que ele me decepcionou, mas ele foi diferente do que eu imaginei, mas tão bom quanto.

Concluindo aqui eu vou falar a verdade que essa foi uma das resenhas mais difíceis que eu escrevi, o livro tem muitas reviravoltas e coisas a se levar em consideração, então eu tomei um cuidado imenso pra não revelar nada que fosse estragar a história pra quem se interessar pra ler. 

Mas eu amei the Darkest Part of the forest por toda a experiência mágica que eu passei enquanto lia e se existe uma coisa que é difícil de encontrar são livros bons de fadas! Quando eu descobri sobre esse eu fiquei louca pra ler já que é muito difícil eu não gostar de um livro da Holly, apesar de muita gente não gostar (mas opinião é opinião e é melhor deixar quieto). A escrita dessa autora é tão bonita, tão diferente, chega a ser poética, a descrição é incrível e o que tem de beleza tem também em obscuridade, incrível! É DARK e estranho galera. 

QUE MARAVILHOSOOO *-*
Tenho o que eu acho ser uma boa notícia sobre ele, esse livro é único, ou seja, o final é o final e ponto final! Me mandem comentários se vocês querem ler, não querem ler, se já leram, se vocês odiaram, o que seja, mas podem falar. 

Enfim, aguardo vocês!

“Once, there was a girl who vowed she would save everyone in the world, but forgot herself.”
Holly Black, The Darkest Part of the Forest

“Um dia, havia uma garota que jurou que salvaria todos no mundo, mas ela esqueceu de si mesma”
Holly Black, The Darkest Part of the Forest


Holly não decepciona

3 comentários:

  1. Vivian! Eu que nunca me interessei muito por livros de fantasia estou começando a mudar com essas tuas resenhas. Na verdade, vários livros de fantasia tem sido indicadas aqui no blog e providenciarei alguma para logo ver se é ou não é hahahah Amei a tua resenha e fiquei realmente interessada. Não conheço essa autora mas dei uma olhadinha e vi que tem livros dela no Brasil. Tu me indica algum para começar?
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Stéphanie, fico muito feliz que a resenha tenha te dado vontade de ler livros nesse estilo, tu não vai te arrepender!:D Olha, acredito que o melhor livro dela pra começar seja "A garota mais fria de Coldtown", eu amo esse livro (daqueles que eu já li várias vezes de tanto que eu gosto, sabe?) e o bom é que ele é livro único também, então se no final tu acabar não gostando, não vai ficar presa em uma série.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo