sábado, fevereiro 20, 2016

#PensandoBem quadrinhos na Tv (Parte I)

Oi Gente!

Resolvi variar um pouquinho das resenhas de livros, então... depois de uma maratona alucinante de séries de Tv que fiz recentemente para me ajudar a curar de uma ressaca literária daquelas, e aproveitando para matar a saudade que tenho de algumas delas, pois ainda estão em recesso, resolvi fazer um post bem legal do #PensandoBem para dar umas dicas de séries incríveis para assistir, e se viciar!

Para você que já leu resenhas minhas anteriores e posts aleatórios, e pensa que vai encontrar logo abaixo um lista sem fim de séries românticas ou séries de Tv mais apimentadas, se enganou, se prepare para conhecer um outro lado meu. Um lado de uma bookaholic que também adora séries de Tv inspiradas em quadrinhos!

Surpreenda-se!

DC Comics:

Após um naufrágio, o playboy bilionário Oliver Queen (Stephen Amell) é dado como morto por cinco anos, até que é descoberto vivo numa ilha remota no Pacífico. Retornando a Starling City, Oliver é recepcionado por sua devotada mãe, Moira (Susanna Thompson), sua irmã Thea (Willa Holland) e seu melhor amigo, Tommy Merlyn (Colin Donnell). Todos notam que Oliver retornou mudado.
Escondendo de todos a transformação que sofreu, Oliver desesperadamente busca remediar os atos que cometeu quando era apenas um jovem irresponsável, se reaproximando de sua ex-namorada, Laurel Lance (Katie Cassidy). Ao mesmo tempo, ele cria a identidade do vigilante Arqueiro, na esperança de combater os males da sociedade, salvando sua cidade e compensando os erros de sua família. De dia, Oliver finge ser o mesmo bilionário de sempre, sempre tendo ao seu lado seu segurança e chofer John Diggle (David Ramsey). O pai de Laurel, o Detetive Quentin Lance, está determinado a prender o Arqueiro. E o herói nem imagina que sua própria mãe sabe muito mais sobre o naufrágio que mudou sua vida

Essa é uma das minhas séries favoritas, apesar de pouco curtir os trabalhos da DC Comics, com exceção do nosso cavaleiro das trevas, claro! Uma das coisas que mais gosto na série, é que ´´vira e mexe`` aparece algum personagem que já conheço de algum outro lugar, tipo: A Caçadora, Flash, Ra´s Al Ghul, Canário Negro, Pistoleiro (Esquadrão Suícida), Capitão Bumerangue (Esquadrão Suícida), Katana (Esquadrão Suícida)...e por aí vai!


Barry Allen (Grant Gustin) era um funcionário da Polícia Científica que, ao sofrer um acidente, foi banhado por produtos químicos em seu laboratório e, em seguida, atingido por um raio. Foi a partir disso que ele começou a ser capaz de canalizar os poderes vindos do “Campo de Velocidade”, e se locomover em altíssimas velocidades. Usando uma máscara e um uniforme vermelho, ele começa a usar suas habilidades para patrulhar Central City e descobrir quem foi o assassino de sua mãe.
Devo admitir que a maioria das vezes que assisto a série do Flash, é porque os produtores das séries adoram ficar fazendo crossover entre Arrow e Flash.

O primeiro episodio que assisti do Flash foi uma luta épica para ver quem ganhava, o Flash ou o Arrow! Mas não vou dizer quem ganhou pois é spoiler.

E esse crossover levou uns 2 ou 3 episódios rendendo a conclusão da história. E ficamos meio loucos pois uma hora você assiste Flash, e tem que procurar a continuação da luta em Arrow. Particularmente, apesar de achar louquinho, eu gostei!

A trama acompanhará o personagem do título (Ryan), um londrino de classe operária com humor seco que estuda desde jovem o ocultismo e misteriosamente trabalha como um detetive do Além, defendendo a humanidade contra as forças das sombras, enquanto se vê em dúvida em relação à sua fé, assombrado pelos pecados do seu passado.
John tenta se conectar com a alma da pessoa que ele mais procura – sua mãe, que morreu durante o parto – sem sucesso. Quando Liv (Lucy Griffiths), a filha de uma falecida amiga, vira alvo de demônios, John intervém para salvá-la, e juntos eles formam uma aliança.
Embora a ideia de John Constantine ser um autodidata do ocultismo quando jovem diferir dos quadrinhos – originalmente ele vem de uma família dedicada à magia – a premissa que envolve a mãe morta é a mesma da origem do personagem.
Dessa série somente ouço elogios!

Ela está na minha lista de séries que tenho que assistir, mas infelizmente para ela, foi lançado recentemente Jessica Jones (Marvel) e a concorrente passou na frente de um monte de gente na fila, e é o que estou assistindo atualmente.

Achei incrível a participação do personagem em alguns episódios de Arrow. Ele é um personagem estranhamente carismático...no bom sentido!

O Comissário Gordon é um dos maiores inimigos do submundo do crime e um homem cuja reputação é sinônimo da lei e da ordem. Mas o que sabemos sobre a história de Gordon, desde um jovem detetive até virar comissário de polícia? Como ele fez para percorrer as múltiplas camadas de corrupção que secretamente comandam Gotham City, o local de desova dos maiores criminosos do mundo? E quais as circunstâncias em que estes criminosos foram criados? Gotham é uma “origin story” dos super-vilões e vigilantes, revelando um capítulo totalmente novo e nunca contado, seguindo a ascensão de um policial numa cidade perigosamente corrupta e à beira do mal, narrando o nascimento de um dos heróis mais populares do nosso tempo. Crescido nos subúrbios da cidade, Gordon romantizava a cidade como uma metrópole glamorosa e excitante, onde seu pai serviu como um bem-sucedido promotor. Agora, como detetive na polícia de Gotham e noivo da jovem Barbara Kean, ele está vivendo um sonho: restaurar sua cidade.

Gostaria de saber como contar a história de Gotham sem colocar os holofotes em um certo morcego? Simples, comece a contar a história desde a infância do nosso cavaleiro das trevas! A série é cheia de personagens conhecidos nossos, e vem sido muito elogiada pelos loucos por séries. Também consta na minha lista: To Watch!


Quando os heróis não são suficientes… o mundo precisa de lendas. Depois de ter uma visão do futuro, Rip Hunter (Arthur Darvill de Doctor Who) reúne um grupo de super heróis e vilões para uma viagem no tempo, a fim de prevenir os eventos que estão por vir. Pode este time desorganizado derrotar uma ameaça imortal diferente de tudo que já conhecemos?
Gente, terminando esse post meio P....da vida, pois estava eu fazendo uma pesquisa básica para o post, e descubro que essa série foi lançada e já tem dois episódios ...e eu tava perdendo tudo isso!

Então termino o post aqui, para correr com os episódios atrasadas na minha lista... E nem deu para colocar outras séries da DC Comics aqui como: Super Girl e I Zombie, sim, você leu certinho...I Zombie é uma série livre adaptada de um quadrinho da DC Comics.

Beijos da fofa...e ficam essas dicas de séries para vocês. Não esqueçam de conferir daqui a alguns dias, a segunda parte desse post em que vou dar minhas dicas de séries da Marvel!

Um comentário:

  1. AMO Arrow, e fiquei com muita vontade de assistir Flash depois que vi o Barry na série. Gotham e Legend's of Tomorrow também estão na minha lista!

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo