quinta-feira, outubro 08, 2015

Eu Li: O Conde Enfeitiçado - Julia Quinn

Título:
O Conde Enfeitiçado
Autora: 
Julia Quinn
Editora:
Arqueiro
Onde Comprar:
FNAC | Submarino | Saraiva


Toda vida tem um divisor de águas, um momento súbito, empolgante e extraordinário que muda a pessoa para sempre. Para Michael Stirling, esse instante ocorreu na primeira vez em que pôs os olhos em Francesca Bridgerton.

Depois de anos colecionando conquistas amorosas sem nunca entregar seu coração, o libertino mais famoso de Londres enfim se apaixonou. Infelizmente, conheceu a mulher de seus sonhos no jantar de ensaio do casamento dela. Em 36 horas, Francesca se tornaria esposa do primo dele.
Mas isso foi no passado. Quatro anos depois, Francesca está livre, embora só pense em Michael como amigo e confidente. E ele não ousa falar com ela sobre seus sentimentos – a culpa por amar a viúva de John, praticamente um irmão para ele, não permite.
Em um encontro inesperado, porém, Francesca começa a ver Michael de outro modo. Quando ela cai nos braços dele, a paixão e o desejo provam ser mais fortes do que a culpa. Agora o ex-devasso precisa convencê-la de que nenhum homem além dele a fará mais feliz.
No sexto livro da série Os Bridgertons, Julia Quinn mostra, em sua já consagrada escrita cheia de delicadezas, que a vida sempre nos reserva um final feliz. Basta que estejamos atentos para enxergá-lo.

Oláaaaaaaaaaaaaa pessoinhas!!!

Aqui estamos nós para falarmos de mais um livro da diva Julia Quinn!

Quem leu minhas últimas resenhas dessa saga familiar intensa e extensa, sabe que eu meio que surtei ( tá, eu surtei mesmoooooo e muito) no livro anterior porque a escritora achou de querer inverter a ordem das histórias. Não sei se foi a escritora ou a editora arqueiro quem propôs isso (isso não se faz com uma leitora compulsiva, não é de Deus), mas no livro anterior eu fiquei perdida, pois uma das Bridgertons já estava casada e o livro ainda não tinha saído no Brasil. Quem me acompanha no Twitter viu meu desespero nesses dias negros de leitura!

Geralmente eu indico a série de forma aleatória a quem quer começar e não sabe por onde, e apesar de "O Duque e Eu" ser o meu favorito da saga, não vejo problemas por começar fora de ordem, ou seja, você não precisa ler eles todos na ordem para gostar das histórias. Mas, o legal é acompanhar o crescimento deles quanto família, o amadurecimento dos personagens é ótimo. Mas esse livro foi diferente em alguns sentidos interessantes, e diferente em um bom sentido!

O livro conta a história da Francesca, Franny, para os íntimos (ou para os amantes dela...kkk). A história dela é paralela a outras duas histórias. Ou seja, você não vai poder ler esse livro sem ter lido os dois livros anteriores, pois uma história entra na outra. #PARTIU caçar os livros anteriores.

Franny, diferentemente de seus outros irmãos, não se casou por um amor inabalável, ela se casou por se sentir confortável e parceira do primo de Michael, um grande amigo seu. E a partir desse momento ela começa a construir um amor leve e parceiro com John. E a história corre tranquila com o triangulo amoroso, que não tem consciência de triangulo. Uma das coisas que eu não sei se desaprovei na história começa aí. Ou a Franny era muito inocente, ou no fundo ela sabia que ficava alimentando os sentimentos de Michael! POWWWWWWWWWW...não tinha como não ver que ele era muito afim dela. E que história é essa, de que toda vez que o marido dela não podia ir passear com ela no parque, ela logo colocava o Michael na jogada e deixava ele super desconfortável. AAAAAAAAAA Vá!!!!

Tipo, deixou o Michael em banho maria! #TADINHO

Até que um dia acontece uma fatalidade e Franny fica viúva, o Michael acaba por ser forçado a ocupar o lugar de seu primo, o título e muitas outras coisas mais, só que o que ele mais queria ele não se permite ter, que é a viúva do primo. E para controlar seus impulsos apaixonados, ele resolve fugir para outro pais e deixa Francesca sozinha para tomar conta de todas as propriedades e para representar perante a Escócia e Inglaterra o título. E a Franny, nem desconfia porque ele foi embora. (será?)

A Franny, passa por muitas coisas delicadas, até o dia que ela toma uma decisão 4 anos depois da morte de seu marido. Ela decide às avessas ser mãe. Ele quer ter um filho, mas nem parou para pensar que para ela ter esse desejo realizado ela precisa se casar de novo. Assim largando as roupas de luto ela parte para a nova temporada londrina de caça aos maridos. O legal do livro nessa parte, é quando o Michael volta, e começa a confraternizar com a família dela.

Bom o livro conta um pouco da vida da Franny com o John, e posteriormente como o Michael e a Franny, se permitem voltar a viver sem culpa pela morte do John.

Um dos pontos que mais gostei no livro foram as cenas do Michael com o Collin, e como esse Bridgerton acabou tomando a decisão de pedir uma certa moça em casamento. Assim como mostra nesse livro a reação da família pelos bastidores quando a Eloise aprontou uma coisas irreversível. Esse livro mostra bem isso, os bastidores das outras duas histórias.

O final que é emocionante e bem mais real que os demais livros. Michael após voltar ao país começou a apresentar novamente os sintomas da malária, uma doença tropical, e a Franny toma conta dele. No fim do livro, a Julia Quinn, faz um apanhado da sua pesquisa sobre a doença e explica porque o marido anterior da Franny faleceu tão subitamente.

Além disso, a nossa diva mor, ainda destinou parte da renda arrecadada pelo livro ´´O conde enfeitiçado`` para a pesquisa atual sobre a doença e suas formas. É diva ou não é, nossa amada Julia?

Foi o livro com menos romance na minha opinião, e ainda assim um dos melhores. Se você espera um final de conto de fadas nesse livro, sinto te decepcionar desde agora, mas você não vai encontrar! Mas, ainda assim, o final não poderia ser menos maduro ou lindo!

#FICAADICA



Um comentário:

  1. Eu li todos os livros dos Bridgertons de uma vez só quando descobri a série, não conseguia parar de ler, hahahaha. Gostei desse também e ele me surpreendeu, porque não estava muito interessada na história da Franny, ela parece meio alheia ao resto da família. E aí, bam! Veio a história dela, um pouco mais madura talvez que as anteriores. Mas não achei que ela brincava com os sentimentos do Michael não. Ele que parecia muito na dele, hahahaha
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo