quinta-feira, junho 04, 2015

Eu Li: Neve na Primavera - Sarah Jio



Título:
Neve Na Primavera
Autora:
Sarah Jio
Editora:
Novo Conceito
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC

Seattle, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho.
Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade.
Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve.
Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos,
Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.


Neve na Primavera é de uma leitura muito fácil (li em duas horas!) e daqueles livros que misturam flashbacks do passado para ajudar a desvendar um mistério do presente, sabem como é? Confesso que não sou muito fã desse tipo de narrativa, apesar de já ter lido livros assim e gostado (não sou doida, okay?), mas o mistério deste me deixou muito curiosa! 

Tudo gira em torno do desaparecimento de Daniel, um garotinho de três anos, que sumiu durante uma nevasca fora de época que aconteceu quase 80 anos atrás. Sua mãe, Vera Ray, havia saído para trabalhar e precisou deixar o garoto sozinho (era a época da grande depressão e a pobreza da época é bastante ressaltada pela autora), e quando voltou pela manhã seu filho havia desaparecido. 

Já no presente, a jornalista Claire Aldridge precisa escrever alguma reportagem interessante sobre a nevasca que está ocorrendo fora de época de novo, e ela acha que é impossível fazer uma matéria decente, mas na busca por algo interessante acaba descobrindo que durante uma nevasca semelhante de 80 anos antes um garotinho, Daniel, desapareceu. Claire decide investigar, porém suas investigações estão tomando rumos muito próximos a pessoas que ela ama e à família do próprio marido. 

Os flashbacks não me incomodaram de maneira alguma e foram muito bem posicionados, aconteceram na hora certa e deixaram a história mais interessante. Algumas vezes parecia que Claire não ia conseguir avançar muito em sua investigação, mas então ela conseguia alguma pista nova e prosseguia com a investigação até desvendar a história de Daniel. Algumas dessas pistas me pareceram muita dadas, sabem como é? Não digo que isso me incomodou, mas me fez revirar os olhos rsrs.

Em paralelo a isso também acompanhamos a resolução de seus próprios dramas pessoais, que também envolvem a perda de um filho, e quando descobrimos isso podemos entender melhor a fixação dela em descobrir o que aconteceu com Daniel. É o primeiro livro que leio da Sarah Jio e gostei muito da narrativa, não ficou um drama pesado nem denso demais para ser lido com avidez, e eu gosto quando posso ler um livro num ritmo rápido sem me sentir tentando andar em areia movediça. Não deixei de me emocionar nem de desejar o melhor final possível para os personagens. É uma história super rápida de ler, daqueles que se pesca na estante para dar uma olhadinha e de repente a leitura já está quase no final. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo