quarta-feira, fevereiro 18, 2015

Eu li: Quando Um Homem Ama Uma Mulher - Bella Andre


Título:
Quando um homem ama um mulher
Autora:
Bella Andre
Editora:
Novo Conceito
Onde Comprar:
Submarino | Fnac | Saraiva

Os olhos de Jack estavam mais negros, até mesmo mais intensos, do que ela se lembrava conforme ele caminhava em sua direção. Ela se esforçou para suas pernas não tremerem, e para não sair correndo direto para os braços dele.
Para Mary Sullivan, reunir-se com os oito filhos, genros, noras e netos no chalé do Lago Tahoe é sempre um motivo de alegria. Cada um dos objetos que decoram a casa traz consigo um turbilhão de lembranças, todas elas guardadas com muito carinho em seu coração.
Ao acender a lareira em mais uma noite de inverno, Mary imediatamente volta aos dias do início do seu tórrido romance com Jack, vivenciando novamente o amor que mudaria a sua vida para sempre.


Oi gente...! Como estamos?

O livro de hoje bem poderia ser uma balada romântica do Brian Adams. O título dele em português bem me lembra uma, aquelas bem melosas dos anos 80. Ou quem sabe um clássico do cinema...com direito a uma deliciosa dança na chuva à noite em São Francisco, na Califórnia, uma história de amor que aconteceu há 40 anos atrás e não tem um ´´feliz para sempre´´ como imaginamos que todo o conto de fadas deva ter, mesmo os contemporâneos, mas, nem por isso essa história não deve ser suspirada ou contada.

Quem acompanhou minha saga as resenhas surtadas sobre a diva de romances clichês, Bella Andre...sabe que um dos meus desejos mas constantes em meio a estas, era encontrar no fim da história (pelo menos dessa parte da família) um novo amor para a matriarca e diva Mary Sullivam. Mas, nem tudo são flores, e eu não ganhei o que queria, mas em contra partida ganhamos um livro sobre ela...uhuuuuuu!

E enfim a autora nos prestou com um livro só dela! Uhuuuu...que é o lançamento de março da nossa amada, Novo Conceito. Logo no inicio do livro a autora expõem, que assim como eu muitas pessoas turbinaram ela de vários tipos de solicitações para que a mesma nos presenteasse com um final de cinema para a matriarca mais querida de suas historias. Só que ao no lugar de ela nos dar um novo começo, ela nos contou como tudo começou, um antigo começo.

Posso dizer sem medo de ser feliz, que não era bem o que eu queria ou o que eu esperava quando recebi o livro cheirando a pós impressão da editora. Por que?

- Era a história dela, mas, não uma nova e sim a história de amor dela e do Jack Sullivam (Nada contra o coitada, ele foi um herói insuperável na historia) mas eu queria um romance mais maduro.

- No Brasil surgiu primeiro um livro de uma nova ramificação da família, para do nada lançarem o dela, e poxa custava o livro ter sido lançado no período do natal? 


O livro conta a história de um casal de outro tempo...na passagem de tempo (logo na primeira linha da história) a autora deixa bem claro que o livro se passa 40 anos antes de todas as histórias anteriores. Quando o Jack e a Mary ainda estavam com 32 anos, o que me fez ficar que nem doida tentando montar a linha do tempo de nascimento dos filhos, e me perguntado com quantos anos ela teve as gêmeas, e quando o Jack morreu, quantos anos ele tinha, e como ele morreu? Milhões de perguntas eu fui fazendo ao livro durante o processo de leitura.

Mas enquanto a autora não nós apresenta esses fatos, ela vai nos apresentando a um homem másculo, fofamente relaxado e adoravelmente honesto, engenheiro mecânico e mestre na área, além de inventor, eu vos apresento ao nerd que vai roubar seus suspiros dessa vez. Um Jake Sullivam, lindamente nerd em seu dia a dia, que em meio a um problema estratégico durante o lançamento de sua nova invenção, quando enfim decide ir dar uma caminhada para esclarecer as ideias e achar respostas, caídas no chão quem sabe, aos seus problemas, encontra as respostas para além de seus problemas geniosos, e sim para a sua vida, uma super top model italiana chamada Mary.

A forma que a autora nos conta a troca de olhares, a sintonia estática entre personagens tão diferentes e as mensagens não ditas...me remeteu a uma experiência similar a que tive quando assisti ao filme, diário de uma paixão. Aquele bem estar sem explicação, os olhares que superam qualquer lombada na rua e bueiro aberto...kkkk...

Esse livro é muito diferente dos demais, e isso foi uma surpresa muito bem vinda. Achei divertido a autora ser mais recatada com as cenas hots desse livro, ela escreveu as cenas de amor deles, meio que subentedida, as preliminares estão todas lá, mas o ato em si, ficou a cargo de sua imaginação...mas ela te dá muitos pontos de inspiração...se é que dá para entender. 

O engraçado, foi sentir como se a autora estivesse escrevendo um diário deles, e que possivelmente os filhos deles vão ler em um futuro distante, ficou meio recatado o livro como um todo, mais um romance idealizado e lindo, pois ninguém quer pegar o diário dos pais e dar de cara com a descrição precisa deles se pegando...arghhhhhhh... então a autora descreve todos os conflitos internos da Marry antes de se permitir viver ao lado de Jack. 

Gente, eles lembram tanto os filhos deles, e se você prestar a atenção nos detalhes bobos da história deles, vai encontrar um pouco de cada filho deles no meio do caminho, um passeio a um vínicula, uma ida a Itália, um vestido customizado, cara de rica para as câmeras...e tantos outras características do personagens sucessores que é para ficar encantada, e ficar com saudade deles.

Mas a minha discordância com o livro, nem esta na história, e sim com a editora ou com a autora, não sei. A história deles, é totalmente um conto de natal...tudo rola naquele clima gostoso de fim de ano, junte romance, uma cidade linda, neve e o nerd de matar de tão lindo e você vai ter uma perspectiva próxima da historia de Marry.

Esse livro tinha que ter sido lançado no natal, e antes do livro que conta a história do Rafe, um membro do clã de Seatle. #XATIADA 

Mas, no todo eu fiquei super feliz com a leitura, e torcendo para que, a minha ideia de juntar a Marry (atual) com o irmão do Jack que mora em Londres, e que é solteiro, rico lindo e taciturno (combinação perigosa) surja na mente da autora e ela faça outro livro, só que dessa vez contemporâneo, para a Marry que merece um final mais feliz ainda. 

Bem, foi mal ter escrito tanto assim, e espero que tenham gostado da resenha...beijos!


2 comentários:

  1. Acho que eu já não leria porque não era o que eu estava esperando... mas pela curiosidade eu acabaria voltando atrás para descobrir o início de tudo. Ainda não terminei todos os livros dos Sullivans mas fiquei agora morrendo de vontade de saber a história dos progenitores. E acho que o mais interessante de tudo deve ser esse recato da autora. Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  2. Apesar de ainda não ter lido nenhum dos livros da série, também concordo que esse livro deveria ter sido lançado para finalizar a parte do clã Sullivan original, para depois começar a parte de Seatle. Mas, fazer o quê, não é?!?! Pior que também fiquei me questionando com quantos anos a Mary acabou de parir seus filhos. Acho que, no mínimo uns 40 anos.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo