sábado, novembro 08, 2014

Eu Li: Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira


Título:
Cartas de Amor aos Mortos
Autora:
Ava Dellaira
Editora:
Seguinte
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC

Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.


“Cartas de amor aos mortos”, de Ava Dellaira, foi lançado pela Editora Seguinte no Brasil e trouxe uma proposta interessante: Tudo começou com uma tarefa de escola, onde ela teria que escrever uma carta para alguém falecido. Um ex-presidente, talvez? Sua irmã? Bem, o fato é que no meio dessa atividade ela percebeu que poderia abrir seu coração e sua mente para seus ídolos.

Toda a narrativa é em carta. Tudo que descobrimos sobre a vida de Laurel, seus amigos e sua família, são através de suas missivas. Os destinatários? Kurt Cobain, Judy Garland, River Phoenix, Jim Morrison, Janis Joplin e, posteriormente, até para Amy Winehouse e Heath Ledger entre outros. Laurel conta seus anseios, dúvidas e medos para os ídolos que um dia sofreram com todos esses sentimentos. Ela os enxerga como pessoas e dá ao leitor uma perspectiva interessante de vida.


“- Se tenho medo da minha voz? ... É, acho que sim. Então Sky inclinou a cabeça para o lado um pouco e ficou mais sério.-Acho que todos nós temos. Mas Kurt enfrenta o medo, sabe? ... Acho que é por isso que ele canta tão alto. Quer dizer, ele precisa cantar. Porque está enfrentando o monstro de frente, e a única coisa a fazer é revidar. - Você acha que ele venceu? - A resposta obvia é não, porque ele morreu. Mas acho que sim, de certa forma. Quer dizer, escuta só. – Sky aumentou o volume. – Agora temos isto. E vamos ter para sempre.”


É importante destacar que Laurel não está passando por uma fase fácil da vida. Sua irmã mais velha morreu recentemente e sua mãe foi morar em outra cidade. Então Laurel alterna suas semanas na casa de seu pai – que parece destruído - e sua tia solitária que é muito religiosa. Laurel tem um olhar muito sensível das coisas que passam ao seu redor, e ela precisará reconstruir algo dentro dela para poder continuar.

Mesmo o livro sendo em 1° pessoa, a autora conseguiu passar ao leitor os sentimentos de outros personagens. Os pais de Laurel, sua tia Amy, suas amigas que se amam, o garoto por quem ela é apaixonada, Sky... temos um vislumbre das cargas que cada um carrega para se manter firme frente as dificuldades da vida.

O que realmente me chamou atenção nesta história é que Laurel, mesmo sendo uma adolescente bem comum, com uma rotina adolescente meio louca, não é uma personagem fraca. Ela concorda com várias ciladas, se mete em diversas confusões (desnecessárias), mas não porque ela é influenciável; As motivações de Laurel são bem mais complexas. Laurel parece perdida. Depois que sua irmã morreu, ela ficou desnorteada.
Tudo muda com a morte. E, definitivamente, algo dentro de Laurel mudou.

“Sabe, acho que, quando você perde alguma coisa próxima, é como perder a si mesmo. É por isso que, no final, até escrever é difícil para ela. Ela quase não sabe como fazer. Porque quase não sabe mais quem ela é.”


O livro não tem um enredo linear. Ava Dellaira usa uma narrativa fácil que envolve o leitor de forma incrível. O presente e o passado se misturam enquanto vamos conhecendo Laurel mais profundamente. Alguns segredos (chocantes) serão revelados enquanto acompanhamos o obvio crescimento da personagem, mesmo que certas dúvidas continuem a lhe rondar.

“-Sabe, docinho, existem duas coisas importantes no mundo: estar em perigo e ser salvo. - Você acha que corremos perigo de propósito, para sermos salvos? -Sim, às vezes. Mas às vezes o lobo desce da montanha, sem que você tenha pedido. Você só estava tentando cochilar no sopé da colina. - Mas, se essas são as coisas importantes, onde se apaixonar se encaixa?
- Sabe porque se apaixonar é o que pode acontecer de mais profundo com uma pessoa? Porque quando estamos apaixonados, estamos totalmente em perigo e completamente salvos, os dois ao mesmo tempo.”

“Cartas de amor aos mortos” é um livro incrivelmente bonito, com um toque melancólico. Ava Dellaira nos deu um presente com esse livro belamente triste. Fiz sua leitura com um nó na garganta permanente e, em sua conclusão, esse nó se desfez... em lágrimas.
Amei. 




Fernanda Karen Estudante de Serviço Social com o coração no curso de Letras. Apaixonada por séries, dramas e café. Bookaholic  irrecuperável e promíscua literária. Eventualmente estou trocando um de meus rins por livros muito desejados. (Qualquer coisa é só entrar em contato). Amo YA, ficção-fantasia, clássicos (brasileiros, portugueses, ingleses, latinos etc), chick-lits... Perceberam que meu preconceito literário é zero? Ops, quase zero; não leio auto-ajuda.

15 comentários:

  1. Eu estou um pouco em duvida quanto a leitura desse livro por conta da Laurel ,eu vi uma resenha dizendo que ela fez uma coisa ridícula para ter atenção e eu não sei o que eu faço se leio ou não ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruna! Laurel realmente faz umas coisas que não são legais, mas não diria que é para chamar atenção. Ela simplesmente está em dúvidas com relação a várias coisas na vida e toma algumas atitudes equivocadas. Porém, tudo que ela passa - todos os seus erros - vai se refleti em forma de crescimento no decorrer da história.
      Bem, o ideal mesmo é que tu leia para tirar tuas próprias conclusões ;)
      Espero que curtas a leitura <3

      Excluir
  2. Oi Fernanda!
    Estou com muita vontade de ler esse livro exatamente pela complexidade da personagem e da situação de vida pela qual está passando.
    Acho que num contexto desse, fica realmente difícil de condenar a Laurel. Ainda que suas atitudes não sejam as melhores, ela está perdida e precisa redescobrir o sentido das coisas. E nesse processo, erros e acertos são feitos, naturalmente.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paula!
      Foi um livro que me pegou pelo pé e desavisadamente!
      Acho importante o leitor ter um olhar sensível, afinal, estamos vendo pelo que o personagem está passando. Laurel está, de fato, sem norte depois da morte da irmã, e tudo que acontece com ela no decorrer da narrativa são consequências necessárias para seu crescimento.
      Recomendo fortemente esse livro, viu. Beijo.

      Excluir
  3. Estou neste momento a ler este livro, amo a capa por isso espero que o livro me agrade, até agora ele não está a ser nada de especial... http://diariosdeumadesconhecidacomilona.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida!
      A capa é linda mesmo!
      Espero que ele te agrade no decorrer da história. Pelo começo Laurel é meio evasiva, e isso pode irritar alguns leitores, mas depois ela vai se abrindo e nos revelando os segredos.
      Quando concluíres, divide aqui ;)
      Beijo

      Excluir
  4. E por incrível que pareca vi notas a respeito desse livro bem baixo, achei meio chato o enredo do livro, pra mim não fez sentido nenhum, ela conta coisas sobre os próprios mortos, a vida é deles como eles não saberiam sua história? Achei bem história para encher de linguiça, não me agradou, apesar de ver muita gente que amou, não vi sentido algum. Acho que ficar se lamentando por ter uma vida difícil não vai ajudar em nada, mas enfim cada um tem seu gosto literário, este com certeza não é o meu.
    Beijinhos Bianne, Até mais.
    ThaynáQ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thayana! Bem, isso tudo é bem subjetivo, não é mesmo?
      Talvez, se tu der uma chance para a leitura, podes chegar a gostar.
      Diferente de ti, achei a premissa muito interessante. É algo diferente escrever cartas aos seus ídolos mortos. Laurel não tinha com quem se abrir e eventualmente (mesmo em casos reais) as pessoas fazem coisas do tipo, como escrever em diários (qual o sentindo de escrever para mim mesma se já sei o que estou sentindo, não é mesmo? Mas ainda assim, existem muitos diários. hahahha).
      Enfim, se um dia tu tiver curiosidade e acabar lendo, não deixa de me falar a respeito, viu.
      Obrigada por comentar!
      Beijo.

      Excluir
  5. Olá, Fernanda.

    Eu achei a capa desse livro maravilhosa e acabei comprando.Está aqui paradinho na minha estante desde o dia que chegou. Tenho feito uma lista de livros por mês para leitura e não coloquei ele ainda. Agora eu li algumas resenhas que amaram o livro e outras que odiaram o livro, eu acho que tenho que ler pra ter a minha opinião formada a respeito. Nunca li um livro todo narrado por cartas e acho que será uma experiência bacana. Espero em breve tirar ele da estante. Curtir a leitura tanto quanto tu.

    Visite: http://paradisebooksbr.blogspot.com.br/

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Paula!
      Acumulação de livros é um esporte hahahah
      Que bom que "Cartas de amor aos mortos" já está te esperando em casa.
      Espero que gostes, realmente. As opiniões tem sido bem dividas a respeito desse livro então os leitores precisam conhecer para se posicionar. haha
      Obrigada pela visita!
      Beijos.

      Excluir
  6. Oi Fernanda,
    Eu li o livro tão rápido que só percebi que tinha acabado quando eu fechei o livro. A maneira como a Ava escreveu a história me deixou envolvida com a Laurel e sua história desde a primeira página, a diagramação foi outro fator que me fez AMAR esse livro, ela é simples e perfeita. Só não me desfiz em lágrimas.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  7. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela capa, título e sinopse, depois de ver essa resenha fiquei ainda mais ansiosa pra conferi essa história incrível e super emocionante.

    ResponderExcluir
  8. Esse livro é um dos muitos que eu estou curiosa para ler, vi muitos comentários positivos sobre ele e depois de ter lido sua resenha fiquei mais curiosa. Me parece ser um livro bem bonito e emocionante com uma história totalmente diferente de qualquer outra que eu já tenha visto. Laurel parece ser uma garota diferente, que vê as coisas diferentes, eu aprecio pessoas assim. Tenho certeza que irei amar ler esse livro, ele já está na minha lista.
    Linda resenha Fernanda.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Quando anunciaram o lançamento desse livro fiquei bem curiosa, mas confesso que agora não tenho mais vontade. Depois de ler tantas resenhas negativas por mais que falam bem dele pra mim simplesmente não consigo gostar :\

    ResponderExcluir
  10. No primeiro momento, não achei tudo aquilo.
    Mas confesso que saber o final me deixa super curiosa! Já quase peguei uns spoilers, mas quero ler por mim mesma!

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo