sexta-feira, setembro 19, 2014

Eu Li: A Escola do Bem e do Mal - Soman Chainani


Título:
A Escola do Bem e do Mal
Autor:
Soman Chainini
Editora:
Gutenberg
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC


No povoado de Gavaldon, a cada quatro anos, dois adolescentes somem misteriosamente há mais de dois séculos. Os pais trancam e protegem seus filhos, apavorados com o possível sequestro, que acontece segundo uma antiga lenda: os jovens desaparecidos são levados para a Escola do Bem e do Mal, onde estudam para se tornar os heróis e os vilões das histórias.
Sophie torce para ser uma das escolhidas e admitida na Escola do Bem. Com seu vestido cor-de-rosa e sapatos de cristal, ela sonha em se tornar uma princesa. Sua melhor amiga, Agatha, porém, não se conforma como uma cidade inteira pode acreditar em tanta baboseira. Ela é o oposto da amiga, que, mesmo assim, é a única que a entende. O destino, no entanto, prega uma peça nas duas, que iniciam uma aventura que dará pistas sobre quem elas realmente são.
Este best-seller é o primeiro livro de uma trilogia que mostra uma jornada épica em um mundo novo e deslumbrante, no qual a única saída para fugir das lendas sobre contos de fadas e histórias encantadas é viver intensamente uma delas.
Já imaginou se você morasse em um povoado onde a cada quatro anos sumissem dois adolescentes, que segundo a lenda estão destinados a ir um para a Escola do Bem e outro para a Escola do Mal, e a se tornarem um herói e um vilão dos contos de fadas? E você acreditasse na lenda e tive se preparado a vida toda para ir para a Escola do Bem porém acabasse na Escola do Mal?

É o que acontece com Sophie. Seu sonho é se tornar uma princesa, e para isso se veste de rosa, cuida muito da beleza e da saúde, com direito a máscara de argila, pepino nos olhos, hidratante para os pés e etc. Já sua amiga Agatha só se veste de preto, tem um mau humor dos diabos, e não acredita nem um pouco na lenda. Porém ambas são levadas do povoado para a Escola do Bem e do Mal. E aí você imagina que a Sophie vai para a escola do bem ser uma grande princesa enquanto a Agatha estudará para ser uma grande vilã, certo? NA-NA-NI-NA-NÃO! Sophie vai para a Escola do Mal enquanto Agatha vai para a Escola do Bem, e aí as coisas começam a ficar sérias.

A princípio parece uma historinha para crianças, não é? O grande objetivo do autor foi jogar com o modo como a aparência engana. Tudo começa pelas meninas, que sempre foram criadas de um jeito que não conseguiam enxergar nada de bom (no caso da Agatha), ou de mal (no caso da Sophie) em si mesmas, pois sempre foram tratadas de acordo com o que aparentavam ser.

Agatha foi a que mais me impressionou, pois seus pensamentos são sempre voltados para sua amiga, mas isso para ela não é um sinal de bondade. Os colegas delas as tratam com preconceito. Como pode existir uma bruxa que se veste de rosa e uma princesa que se veste de preto? É muito interessante. Imaginem duas jovens moças aprendendo sobre si mesmas de uma maneira bem drástica, descobrindo que pode haver bondade em uma pessoa má assim como pode haver maldade em uma pessoa boa. É um retrato da natureza humana em forma de contos de fadas! É muito, muito legal!

Minha única reclamação é em relação ao desenrolar da trama. Em alguns momentos eu achei o livro maçante, isso porque, ao colocar como pano de fundo uma escola, o autor teve que trabalhar esse cenário, retratando as aulas para as duas meninas, os bailes, as competições, etc. Claro que durante tudo isso ele foi amadurecendo as personagens, desenvolvendo suas personalidades e nos fazendo conhecê-las melhor, mas mesmo assim eu acho que ele poderia ter encurtado mais a história.

Ele construiu uma trama que explora os estereótipos de príncipes, princesas, bruxos e bruxas, como o fato as princesas só terem aulas de embelezamento, como falar com animais e outras coisas toscas, enquanto só os homens podem aprender a lutar.

Mas o livro também tem muitos outros momentos legais, que quebram um pouco a aura de lição de moral. Momentos engraçados, toscos, irônicos. As princesas protagonizam algumas cenas hilárias outras que te fazem revirar os olhos de uma maneira boa. E elas são jovens, e agem como jovens rsrs. Eu gostei muito do livro, muito mesmo! O autor foi bem-sucedido em criar um conto de fadas sobre os contos de fadas, e tudo que existe por trás, com todo o ar de magia, a maldade espreitando das sombras, o mistério sobre quem é o diretor da escola, a profecia sobre as meninas... Só fiquei assustada quando soube que é o primeiro livro de uma trilogia, mas para quem já acompanha tantas outras trilogias e séries, o que é mais uma, principalmente uma tão promissora? 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo