quarta-feira, abril 16, 2014

Eu Li: Manuscritos do Mar Morto - Adam Blake


Título:
Manuscritos do Mar Morto
Autor:
Adam Blake
Editora:
Novo Conceito
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC

A ambiciosa policial Heather Kennedy está em seu trabalho mais difícil: seus métodos de investigação são criticados e ela está sendo assediada por colegas rancorosos porque não lhes dá atenção. Até que lhe é atribuída o que parece ser uma investigação de rotina, sobre a morte acidental de um professor da Faculdade Prince Regent, mas a autópsia deste caso volta com algumas descobertas incomuns: o inquérito vincula a morte deste professor às de outros historiadores que trabalharam juntos em um obscuro projeto sobre um manuscrito do início da Era Cristã. Em seu escritório, Kennedy segue com sua investigação e logo se preocupa com o rumo para onde está sendo levada. Mas ela não está sozinha em sua apreensão. O ex-mercenário Leo Tillman — seu futuro parceiro — também tem angustiantes informações sobre estes crimes. E sobre a misteriosa organização mundial a que os crimes se relacionam… Escondido entre os pergaminhos do Mar Morto, um códice mortal pretende desvendar os segredos que envolvem a morte de Jesus Cristo. Entre um terrível acidente de avião no deserto americano, um brutal assassinato na Universidade de Londres e uma cidade-fantasma no México, Manuscritos do Mar Morto é o mais emocionante thriller desde O código Da Vinci.

Nada como um bom livro policial para dar uma variada nas leituras, e o livro acima foi uma ótima escolha. Quem me conhece e acompanha o blog já deve ter me ouvido falar dezenas de vezes que eu adoro romances que mexem com nossas crenças atuais, sejam elas religiosas (adoro!) ou não. Isso por que, mesmo que nada do esteja escrito seja real, é interessante imaginar como as pessoas reagiriam, quais seriam seus preconceitos, suas decisões, principalmente no que tange à religião.

Em MdMM temos dois personagens principais, Heather Kennedy e Leo Tillman, cujas histórias aparentemente não tem nada a ver uma com a outra. Heather está sofrendo represálias de seus colegas pelo desfecho de um caso, e como parte do 'bullying' é encarregada de cuidar de um caso sobre a morte acidental de um professor universitário, morte essa que se revela mais tarde nada acidental e intimamente ligada à morte de outros historiadores que trabalharam juntos em um projeto. Já Leo é um ex-mercenário que procura há muitos anos notícias de sua esposa e três filhos que sumiram sem deixar pistas exceto o nome da última pessoa com quem ela falou, um nome que não é desconhecido para Heather. Juntos os dois se envolvem numa trama que tem como base os Manuscritos do Mar Morto e o que está escrito em suas entrelinhas. 

Inicialmente, nada na história dos protagonistas parece ter relação. As mortes dos historiadores e o desaparecimento da mulher e filhos de Tillman são fatos tão distantes no tempo que você não vê relação. Porém a investigação começa a se aprofundar e nomes conhecidos por ambos começam a surgir, aventando possibilidades das histórias se cruzarem, e quando isso finalmente acontece, é surpreendente. 

Todo o lado religioso da trama também é muito interessante. O que está escrito nas entrelinhas dos manuscritos é algo que poderia mudar todo o conceito que as pessoas tem sobre um personagem muito importante na história de Jesus Cristo, e os mais religiosos iriam recusar acreditar nisso até a morte. Temos uma amostra disso na própria reação dos protagonistas com a descoberta. Toda a crença é motivo de um segredo tão grande que levou à necessidade de esconder todas as informações por séculos e a matar todos os que pudessem chegar perto de descobri-la. 

É um thiller policial muito, muito bom! Eu adorei o assunto abordado, a maneira como as histórias foram se cruzando aos poucos, os personagens, o desfecho, a narrativa. É um livro grande, e os questionamentos religiosos são polêmicos, instigantes, e te deixam curioso para pesquisar mais sobre o assunto, navegar em novas águas, matar a curiosidade que o livro deixa. Em minha opinião não deixa nada a desejar em relação a livros famosos, como O Código Da Vinci e Anjos e Demônios, que eu adoro, com a vantagem de ter uma escrita um pouco mais trabalhada. Por sinal, Adam Blake é o pseudônimo de um escritor best-seller mundial. Será? 




2 comentários:

  1. Sobre esse livro: HEATHER <3 <3 <3
    Gostei muito desse Manuscritos do Mar Morto. Achei a trama boa, os personagens bem construídos e a ligação entre eles genial... só acho que o Adam pecou um pouco em relação à história porque alguns detalhes não bateram, mas ok, acho que na ficção essa é uma liberdade possível.
    Amei também o fato de a protagonista ser lésbica! Nunca tinha lido nenhum romance policial, com uma protagonista mulher em que ela não se envolvesse com algum cara... no caso da Heather, isso nem acontece porque ela não se interessa por eles! genial!

    ResponderExcluir
  2. Concordo, os livros policias são ótimos para quebrar aquela "depressão literária", ainda mais quando vc le diversos romances ou termina sagas ;'(

    Como ainda não li vou colocar ele na minha lista do Word pra comprar (essa é a vantagem de ter um cartão do sub.. rsrrs)

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo