quarta-feira, fevereiro 26, 2014

#PENSANDOBEM: Romances Históricos X Romances de Época.

Oi gente!

Como estamos?

Tivemos a ideia de fazer um post sobre romances de época, mas durante as pesquisas que foram feitas, acabamos aprendendo que tem gêneros literários que se confundem, porém, são distintos. Estes são: os romances históricos e os romances de época.

No início da pesquisa, foram encontradas várias autoras (algumas que já conhecemos, outras que ficamos com muita vontade de conhecer!), então depois que conseguimos diferenciar (nem que seja um pouquinho) esses gêneros, foi possível enquadrar alguns autores muito aclamados. Escolhemos alguns autores e livros, para que possamos refletir um pouco, assim como visualizar certas diferenças.

ROMANCES HISTÓRICOS:

Estes tem uma maior atenção com a fidelidade da ambientação, caracterização da vida cotidiana do período a ser retratado, roupas, costumes, cultura, marcos históricos reais (derivados de uma pesquisa intensa dos autores, ou no caso de alguns, a própria vivência dos mesmos). Há uma preocupação com a precisão da caracterização, e se houver (pois não necessariamente precisa ocorrer) o envolvimento emocional entre personagens, são descritos conforme os costumes da época, sem romantização extrema ou abordagem sexuais tão descritivas (como as que encontramos nos romances hot). Eis alguns achados de nossa pesquisa:


Título: Guerra e Paz
Autor: Lev Tolstoi

Trata de um imenso e detalhado painel da sociedade russa durante o tumultuado período das guerras napoleônicas, de 1805 (ano da vitória de Napoleão na batalha de Austerlitz) a 1812 (quando ocorrerram a célebre retirada dos franceses durante o inverno e o incêndio de Moscou). Como fio condutor, temos a vida, as misérias e os amores de duas grandes famílias aristocratas. Uma multidão de personagens retrata as diversas camadas do mundo russo, dos camponeses ao tsar, e os protagonistas parecem ter vida própria, tão admirável é a capacidade de Tolstói (1828-1910) de representar pessoas psicologicamente complexas e profundas.


Título: Os Três Mosqueteiros
Autor: Alexandre Dumas

O jovem d’Artagnan chega praticamente sem posses a Paris, mas, depois de alguns percalços, consegue se aproximar da guarda de elite do rei Luis XIII: os mosqueteiros. Nela conhece os inseparáveis Athos, Porthos e Aramis, que passarão a ser seus companheiros de aventuras. Aventura, aliás, é o que não falta nesse romance. Juntos, os quatro enfrentam combates e perigos a serviço do rei e sobretudo da rainha, Ana da Áustria, tendo por inimigos principais o cardeal de Richelieu, a misteriosa Milady e o ousado duque de Buckingham.



Título: Memorial do Convento
Autor: José Saramago

No epicentro desta história, está a construção do Palácio Nacional de Mafra, também conhecido como Convento. O monarca absolutista D. João V, cumprindo uma promessa, ordenou que o edifício fosse erguido no início do século XVIII, em pleno processo colonial, à custa de uma imensa quantidade de ouro e diamantes vindos do Brasil, além do sangue de milhares de operários. Dentre eles, havia um certo Baltasar, da estirpe de Sete-Sóis, inválido da mão esquerda depois de uma guerra, apaixonado por Blimunda, uma jovem dotada de poderes extraordinários. Indivíduos habitualmente não observados pela dita história oficial, mas que no entanto constituem seu tecido mais delicado e essencial.


Título: O corcunda de Notre Dame
Autor: Victor Hugo

Na Paris do século XV, a cigana Esmeralda dança em frente à catedral de Notre Dame. Ao redor da jovem e da igreja, dançam outros personagens inesquecíveis - como o cruel arquidiácono Claude Frollo, o capitão Phoebus, a velha reclusa Gudule e, claro, o disforme Quasímodo, o corcunda que cuida dos sinos da catedral. Com uma trama arrebatadora, que tem a cidade de Paris como bem mais do que um mero pano de fundo, Victor Hugo criou um dos grandes clássicos do romantismo francês, de leitura irresistível.


ROMANCES DE ÉPOCA:

Então, os romances de época são os que mais comumente encontramos resenhas. Toda a descrição de ambiente, roupas, costumes, cultura está presente, porém, foco é o romance entre um pré-determinado  casal (tendo em vista que já conseguimos conhecê-los logo no início do livro). O personagem feminino usualmente é descrito com as características da época (como: recatada, cordial, e a procura de um bom casamento), e a personalidade um pouco destacada das demais senhoritas. O personagem masculino é comumente descrito como uma pessoa bem resolvida, com recursos necessários para constituir uma família, e fama de libertino, um "macho alfa" (como colocado no blog mademoiselle love books). E não é incomun encontramos um ou outro escândalo na trama. Eis alguns:


Título: Orgulho e Preconceito
Autora: Jane Austen

Os amigos Charles Bingley e Fitzwilliam Darcy não se sentem à vontade em meio à gente simples de Hertfordshire, no interior da Inglaterra. De elevada posição social e habituados a lidar com as mulheres sofisticadas e insinuantes da sociedade de londres, eles menosprezam as ingênuas moças do lugar. Atè que o destino coloca em seus caminhos as irmãs jane e Elizabeth Bennet. Bonitas, inteligentes e desinibidas, elas conquistam Bingley e Darcy, pondo em xeque seus preconceitos sociais.



Título: Jane Eyre
Autora: Charlotte Bronte

Jane Eyre, órfã de pai e mãe, vive com parentes que a desprezam até ser enviada para a instituição de caridade Lowood. Apesar das inúmeras privações que enfrenta na escola, a menina leva uma vida quase feliz e se torna forte e independente. Aos 18 anos, decide partir para Thornfield e trabalhar como preceptora de Adèle, pupila do irônico e arrogante Edward Rochester. Jane Eyre narra, além de uma comovente história de amor, a saga de uma jovem em busca de uma vida mais rica do que a sociedade inglesa do século XIX tradicionalmente permitia às mulheres.


Título: Muito Mais que uma princesa
Autora: Laura Lee Guhrke

Filha ilegítima de um príncipe e de uma famosa cortesã, Lucia viveu confinada em escolas e conventos durante a maior da vida. Mas, essas experiências não a impediram de provocar um escândalo depois do outro. Exasperado, o príncipe Cesare de Bolgheri decide que a filha deveria se casar o quanto antes. Para arranjar o casamento, Sir Ian Moore, o mais respeitado diplomata britânico, é chamado às pressas. De volta à Inglaterra, ele promete a si mesmo que achará um marido para Lucia, mas logo vê que sua experiência de diplomata talvez não seja suficiente para quebrar a resistência da moça. Apesar de não faltarem candidatos, nenhum está à altura do espírito e da paixão de Lucia.



Título: Cinco Minutos
Autor: José de Alencar


Um rapaz perde seu ônibus por cinco minutos e, ao entrar no seguinte, senta-se casualmente ao lado de uma mulher cujo rosto estava coberto por um véu. A moça permite que ele lhe segure as mãos e lhe beije o ombro. A fim de localizar sua amada misteriosa, o narrador vai descobrindo mais detalhes sobre sua musa e espanta-se com os recursos da moça para permanecer incógnita. Várias viagens são necessárias até que o mistério se resolva e o casal possa encontrar a felicidade.



Então, esse foi o fruto da nossa árdua pesquisa. Muitos são os romances históricos e os de época, o que aprendemos é que ambos tem muitos leitores vorazes, e que se você ainda não leu um ou outro gênero, vale a pena conferir. Logo abaixo fica um pequeno desafio, para vocês tentarem diferenciar alguns desses livros.


















Fica a dica, espero que vocês tenham gostado ^^!

5 comentários:

  1. Olá meninas!
    Adorei o post (endosso mais posts assim no blog), eu confundia muito esses dois gêneros, chegada até a achar que era a mesma coisa rsrss
    Sem falar naqueles autores que conseguem misturar as duas coisas, um exemplo eu acho que é a Philippa Gregory (que escreve romances sobre os Tudor). Só li um livro dela, mas deu pra perceber que ela ambienta muito bem a história, a trama casa com os fatos históricos muito bem, e apesar dela não ter um enfoque muito grande no romance, o envolvimento emocional entre os personagens, assim como suas próprias batalhas internas, são presentes.
    Enfim, parabéns pelo post! Adorei as dicas :)

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto, Anne. Gostei do esclarecimento e dos exemplo dos gêneros literários.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Adorei o post, não sabia que existia realmente os dois gêneros separados, por mais que sempre que ia falar de algum livro de época ficava incomodada em chamar de histórico. Adorei conhecer mais sobre eles, e acho que nunca li nenhum livro histórico, não sei, acho que só li livros de época. Mas pretendo mudar isso, vou atrás de algum histórico que me chame a atenção e vou ler.

    Beijos,
    Adri Brust
    Stolen Nights

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do post! Eu realmente não sabia que tinha diferença entre romance histórico e de época. Eu não costumo ler nenhum dos dois, mas eu já estava querendo ler algo do gênero pra mudar um pouco. Acho que vou começar com algum romance de época...
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ótimo post! Demorei muito pra entender a diferença entre ambos e achava frescura pura quem ficava corrigindo. Mas após muito pesquisar, aprendi hahahahahahahaha

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo