terça-feira, outubro 22, 2013

Eu Li: Corações Feridos - Louisa Reid


Título:
Corações Feridos
Autora:
Louisa Reid
Editora:
Novo Conceito
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC

Hephzibah e Rebecca são irmãs gêmeas, mas muito diferentes. Enquanto Hephzi é linda e voluntariosa, Reb sofre da Síndrome de Treacher Collins — que deformou enormemente seu rosto — e é mais cuidadosa. Apesar de suas diferenças, as garotas são como quaisquer irmãs: implicam uma com a outra, mas se amam e se defendem. E também guardam um segredo terrível como só irmãos conseguem guardar. Um segredo que esconde o que acontece quando seu pai, um religioso fanático, tranca a porta de casa. No entanto, quando a ousada Hephzibah começa a vislumbrar a possibilidade de escapar da opressão em que vive, os segredos que rondam sua família cobram-lhe um preço alto: seu trágico fim. E só Rebecca, que esteve o tempo todo ao lado da irmã, sabe a verdadeira causa de sua morte... Hephzi sonhara escapar, mas falhara. Será que Rebecca poderia encontrar, finalmente, a liberdade?

Vocês vão me perdoando, mas eu provavelmente vou soar incoerente durante essa resenha. Nunca pensei que esse livro tivesse uma capacidade tão grande de mexer com o leitor. Provavelmente vocês não imaginam também, e quando lerem vão se surpreender. Não é só uma história de duas irmãs diferentes entre si e que escondem um segredo bobo, não é! 


Hephzi é linda e rapidamente se torna popular quando começa a frequentar a escola no ensino médio. Rebecca não é bonita e causa estranheza na pessoas. Ele é portadora da doença genética Síndrome de Treacher Collins, que causa má formação nos ossos da face. Seu temperamento introvertido não a ajuda a atrair a simpatia dos outros, o que a faz ser uma pessoa isolada. Hephzi ama sua irmã, mas tem dificuldade em conviver com ela na frente das outras pessoas. Ela quer se livre e ter muitos amigos, e sua irmã atrapalha essa liberdade. 

O segredo que elas escondem me fez sentir um ódio tão grande,tão grande que eu precisei fechar o livro por um instante para me acalmar. Eu queria entrar no livro e matar os pais das meninas. E muitas vezes o ódio dava lugar a uma melancolia tão profunda que meu rosto ficava todo dolorido das lágrimas não derramadas. O pai fanático religioso faz um terror psicológico tão grande com as meninas, principalmente com a Rebecca, que você fica pensando que é muita crueldade e que isso não deveria existir nem em livros, quanto mais na vida real. É muito triste e revoltante gente.

Eu torci tanto, mas tanto para a Rebecca finalmente se revoltar e fugir, e ir buscar sua liberdade, pessoas que a amassem e que não dissessem que ela era uma prova do demônio por ter nascido doente, que era um sinal do pecado humano e etc. Você imagina uma pessoa que provavelmente vai sofrer preconceito de muitas outras pessoas crescer ouvindo isso dos próprios pais? HORRÍVEL! REVOLTANTE!

É um livro forte, com certeza é. É divido entre a narrativa de Hephzi, antes dela morrer, e a narrativa de Rebecca, depois da morte da irmã. Não tenho certeza se deveria ter gostado, por causa da revolta enorme que eu senti. Mas não foi com a autora nem com a escrita, que é belíssima, mas com a situação retratada, até que ponto o fanatismo religioso pode chegar (e isso nós vemos todos os dias nos jornais, com milhares de pessoas inocentes morrendo em nome de Deus, aff), como as pessoas são capazes de ser cruéis. E foi tão triste acompanhar a dor da Rebecca em ter que se libertar sozinha, sem ter sua irmã, que tanto sonhava com isso, por perto para usufruir da sensação...por mais que Hephzi tenha sido odiosa em alguma partes, eu me senti muito de luto por ela sabe? 

Esse livro mexeu muito comigo, e vai mexer muito com você. Não deixe de ler esse livro por causa do sentimentos que ele vai despertar, que não são os que normalmente buscamos ao ler um livro. Sempre queremos que haja um final feliz, que tudo seja perfeito, mas é bom mergulhar de vez em quando em algo mais real, e isso Corações Feridos pode fazer por você. 


5 comentários:

  1. Oi Bianne, nossa sua resenha já me deixou com raiva dos pais do mundo em que a guria viveu HAHAHAHA.. Nem sei se tenho coração para ler algo desse jeito tão forte e profundo..


    www.quatroamigaseumlivroviajante.com

    ResponderExcluir
  2. Eu já sabia que a história desse livro era super triste mas não imaginei que pudesse ser tanto assim, pode ser esquisito dizer que eu gosto desse tipo de livro, mas é a verdade, porque mexe com o emocional e é o tipo de leitura que vai despertar reflexôes.

    ResponderExcluir
  3. Gostei da premissa do livro, parece ser bem interessante e com um ar de mistério e drama. Ele parece ser realmente forte, mas eu gosto de livros assim. Espero ler ele logo :)
    E eu amei essa capa *-*
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Só de ler sua resenha já fiquei angustiada, quando eu for ler esse livro sei que vou chorar e ficar pior. Sei perfeitamente como é ter pessoas cruéis ao seu redor, como é sofrer porque você tem algo de diferente das pessoas "perfeitas" as quais a sociedade tinge. Na minha adolescência eu cheguei a pesar quase 100 kg e por isso eu passei por muita coisa, fui deixada de lado, fui xingada, chamada de estranha... Sei que não é nenhum terço do que a Rebecca deve ter passado - principalmente por ela ter sido agredida pelo pai -, mas é um pouco e eu posso entender pelo menos uma pequena parte do que ela sente.

    ResponderExcluir
  5. Achei a história deste livro emocional demais. Triste e revoltante em certos pontos. As meninas sofreram o cão com esses pais e coitada da Rebecca, passar por tudo isso e ainda perder a irmã. Quero ler este também. Preciso saber o final dele.

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo