quarta-feira, outubro 17, 2012

Eu Li: O Começo do Adeus - Anne Tyler



Título:
O Começo do Adeus - Aprendendo a se despedir...
Autora:
Anne Tyler
Editora:
Novo Conceito
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC

Anne Tyler nos leva a um romance sábio, assustador e profundamente tocante em que descreve um homem de meia-idade, desolado pela morte de sua esposa, que tem melhorado gradualmente pelas aparições frequentes da mulher — na casa deles, na estrada, no mercado. Com deficiência no braço e na perna direita, Aaron passou sua infância tentando se livrar de sua irmã, que queria mandar nele. Então, quando conhece Dorothy, uma jovem tímida e recatada, ele vê uma luz no fim do túnel. Eles se casam e têm uma vida relativamente modesta e feliz. Mas quando uma árvore cai em sua casa, Dorothy morre e Aaron começa a se sentir vazio. Apenas as aparições inesperadas de Dorothy o ajudam a sobreviver e encontrar certa paz. Aos poucos, durante seu trabalho na editora da família, ele descobre obras que presumem ser guias para iniciantes durante os caminhos da vida e que, talvez para esses iniciantes, há uma maneira de dizer adeus.

Aaron tem uma deficiência no braço e na perna direitas, o que nunca o impediu de fazer muitas coisas, e nunca fez com que ele se sentisse inferior as outras pessoas. Pena que sua mãe e sua irmã agiam como se ele fosse de porcelana e muitas vezes o sufocavam com tantos cuidados. Quando conhece Dorothy, sente que poderá conquistar certa independência, já que ela não tenta cuidar dele, nem um pouco. 

Eles formam um casal improvável que foi unido pelas forças do destino, e causam certa estranheza aos conhecidos de Aaron, já que ela é mais velha e demonstra um certa frieza em relação as coisas que concernem a ele. Mas Aaron não se importa e apesar de pequenos desentendimentos, acha que o casamento deles é ótimo e feliz. 

Quando Dorothy morre, o mundo de Aaron sofre uma sacudida enorme, e ele acaba voltando a morar com a irmã. Depois de alguns meses de saudades imensas de sua esposa, ele começa a vê-la nos lugares e situações mais inesperadas. E da mesma forma inesperada ela desaparece. Ele passa a buscá-la nos lugares onde imagina que ela apareceria, como por exemplo na casa em que moraram, e nos breves diálogos que eles travam Aaron vai percebendo que seu casamento não foi tão perfeito assim como imaginava e poderia ter sido.

Eu peguei esse livro para ler por que ele é bem fino, e eu imaginava que a leitura fosse ser rápida. Ledo engano. Apesar do tema ser promissor e o começo ser interessante, logo cai numa monotonia da qual eu levei vários dias para sair. Sério, ficou muito entediante. Várias vezes eu pensei em desistir, mas tive força de vontade e continuei. 

O final salva o livro em muitos aspectos. Vê-lo finalmente parar de se lamentar e se reconciliar com a verdade sobre seu casamento foi bem legal. Saber que apesar das deficiências ele nunca se deixou abalar nem se fez de coitadinho também somou pontos. Dorothy eu achei um pé no saco do começo ao fim do livro ;) Outra coisa que me deixou menos insatisfeita com o livro foi o fato de Aaron ter encontrado seu caminho depois de tudo. Foi difícil ( e chato rsrs) para ele chegar até lá, mas conseguiu. Mesmo assim...não gostei. Achei que fosse algo meio sobrenatural e acabou sendo meio auto-ajuda, dramático... Mas talvez você esteja precisando de algo assim ;)



Um comentário:

  1. Eu não estava morrendo de vontade de ler esse livro, mas fiquei curiosa quando ele chegou, porque eu não conhecia e nem nada. Porém, agora fiquei desanimada. Ainda bem que vou demorar pra pegar ele.

    Beijos,
    Mandi - Book and Cupcake.

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo