sábado, janeiro 02, 2016

Eu Li: Peça-me o que quiser - Megan Maxwell

Título:
Peça-me o que quiser
Autora:
 Megan Maxwell
Editora:
Suma das letras
Onde Comprar:
Saraiva | FNAC | Submarino

Primeiro volume de uma trilogia, Peça-me o que quiser, da escritora espanhola Megan Maxwell, é um romance sobre desejo, paixão e erotismo sem limites. Lançada na Espanha em novembro de 2012, a trilogia é um sucesso de vendas no país, aparecendo em todas as listas de mais vendidos. Com tempero latino e uma abordagem excitante, a autora conta a história da secretária espanhola Judith Flores e seu chefe, o alemão Eric Zimmerman, também conhecido como Iceman: um homem muito sério e com os olhos azuis mais intensos e sexies que ela já viu. Recém-chegado ao comando da empresa Müller, antes dirigida por seu pai, Eric tem uma atração instantânea pelo jeito divertido de Judith e exigirá que ela o acompanhe nas viagens de trabalho pela Espanha. Mesmo sabendo que está se metendo numa situação arriscada, a ideia de estar ao lado de Iceman é irresistível. Com ele, a jovem viverá experiências sexuais até então inimagináveis, em um universo de fantasias eróticas pouco convencionais. Conciliando sexo e romantismo na medida exata, Peça-me o que quiser é uma história de amor cheia de encontros e desencontros, na qual os jogos eróticos, o voyeurismo e o desejo de ultrapassar todos os limites do prazer são os grandes protagonistas.

Oi gente, estamos nós mais uma vez por aqui!

Hoje, além de fazer uma resenha vim contar o marco que esse livro fez na minha vida de bookaholic!

Uma de minhas bests (Maíra) me indicou esse livro um mês antes de ir para a Bienal do ano passado, e fazendo uma pesquisa básica de autores que estariam presentes no período em que estaria no Rio de Janeiro, a Megan Maxwell estaria lá, confirmada. Então coloquei o nome dela na minha lista de tarefas a cumprir.

No dia, fui ao estande comprar o livro de outra autora, e vi a fila de autógrafos se organizando, como eu sou muito tiete de autores e já tinha recebido a dica do livro, peguei uma senha, e acampei com a minha mala (sim, eu totalmente levo a mala para a bienal, quem é que quer ficar carregando milhões de sacolas por aí?) na fila. Graças a isso eu conheci/encontrei pessoas maravilhosas (Renata Pamplona (essa aí já é brother) Aline - criadora do grupo da autora no FB, Helena e todas as queridas da fila) que fizeram o meu tempo na fila voar. Elas me falaram melhor do livro, me mostraram onde eu conseguiria comprar os 3 primeiros por 40 dilmas, e ainda vigiaram a minha mala, quando eu finalmente decidi ir comprar os livros.

Então, antes mesmo de me encontrar lendo a história, eu me encontrei cara a cara com a própria "Guerreira" Megan Maxweell. Linda e fofa! Acho que ela é uma das primeiras autoras que leio não sendo: Americana, Brasileira ou Britânica. 

Gente, eu li o livro e ele conseguiu fazer uma coisa que poucos livros conseguem: ELE ME CHOCOU E MUITO MESMO!!!!!!!!!

Então, a história pode ser considerada multicultural, o que por si só já foi muito legal, pois saiu um pouco daquela mesmice de Estados Unidos, Rio de Janeiro, São Paulo e por aí vai. Ele se passa parte em Madri, e na outra na Alemanha, fora os outros lugares que aparecem na história de vez em quando.

Conta como a Judith (vulgo moreninha) conheceu finalmente o chefe dela, o Mr. Iceman (Erick Zimmerman), e como ela dentro de uma situação extrema acabou se abrindo com um estranho no elevador e isso mudou a vida dela. Ela é o que podemos considerar uma Workaholic, mas ela parece gostar muito do que faz!

Uma das muitas características que gosto tanto na Judith é que o sangue forte Espanhol corre nela, então ela além de uma boa provocadora não leva desaforo para casa. Ela é muito passional, tanto no lado bom, quando no ruim. Ela também é uma competidora de motocross. E odeia (eu também) a chefa safada dela, que pega um dos amigos da Judith no trabalho, e ainda canta de vaca para o lado da Judith.

Depois que a Judith descobriu que o cara para quem ela contou sobre as suas brotoejas, e colocou um chiclete na boca delebera o chefe dela que veio da Alemanha trabalhar em Madri um tempo, ela ainda passa por um aperto louco, quando fica presa na sala de cópias com ele enquanto a chefa dela está transando com o amigo dela na sala ao lado, e fazendo o maior barulho.

Erick percebe como a Judith reage a situação, e começa a ter umas ideias bem devassas para tentar com a Judith, e assim começa a largada do chefe correndo atrás da secretária. Judith percebe que ele é totalmente cheio de si e dominador, e que rejeitar o jantar com ele está fora de questão, o que ela nem desconfiava era que o restaurante não era qualquer restaurante. E sim uma casa de swing. #PASMEM. Quem é que leva uma mulher no primeiro encontro em uma casa de swing?

E nesse instante a Judith totalmente percebe o que o Iceman quer com ela. E para ela aquilo está fora de questão, apesar do corpo dela dizer outra coisa. Então o decorrer do livro conta como é essa descoberta para os dois. Para ela, pois vai se permitir vivenciar intensamente esse mundo sexual novo com ele, e para ele que vai descobrir que a sua moreninha é bem mais que só uma secretaria na vida dele. 

Achei a história super bem escrita, me pergunto se a autora chegou a frequentar alguma casa de swing para laboratório, pois as cenas que ela descreve são muito reais. E para variar ela coloca todos os seus sentidos para trabalharem durante a leitura. Nem preciso dizer que o livro é super sensorial.

Gente, eles são tão opostos, ele gosta de silêncio, ela de cantar dentro do carro, ele é rico e ela adora descontar sua raiva em uma boa faxina, ela tem uma família super amorosa, e ele tem uma família em recuperação, ela é super livre com a vida, e ele tem um trauma que o prende ao controle. Ela vai apresentar para ele a vida de um namoro, e ele vai apresentar para ela novos prazeres na cama.

Apesar do livro ter TOTALMENTE me deixado de boca aberta, eu adorei a forma como a Megan escreve. E ela também constroí personagens secundários tão bons que acabam ganhando um livro próprio. Tipo o melhor amigo deles, e parceiro de swing , Bjorn.

Gente, vou logo avisando que esse livro não é para os fracos...kkkk...porque além das cenas super detalhadas de swing, ele também tem uma serie infinita de brigas entre eles dois, que dá vontade de dar uns belos cascudos na Judith e no Erick...francamente.

Esse livro é totalmente diferente de muitos livros hots (e eu poderia citar uns 50 tons de livros...kkkk) que já li. E em muitos sentidos com personagens muito bem construídos. Ele faz parte de uma trilogia, e possui uma possível sequencia contando a história do Bjorn.

P.S: ninguém bate em ninguém no livro...kkkkkkkk

Fica a dica.


Um comentário:

  1. Ola.amei o post.kkk.e sim. Bjorn da um grande soco em eric no vol 4 do livro. E fico me prrguntando tem de continuar a historia .meu deus é muito boa.

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo