quinta-feira, junho 18, 2015

Eu Li: Olho de Boto - Salomão Larêdo + PROMOÇÃO! YAY!


Título:
Olho de Boto
Autor:
Salomão Larêdo
Editora:
Empíreo
Onde Comprar: 
Submarino | Saraiva | FNAC

UM ROMANCE HOMO(AMA)ZÔNICO.
Inacha é um povoado pacato e ordeiro da floresta amazônica, onde ninguém contesta o poder do regime militar recentemente implantado no Brasil. Porém, tudo muda quando um acontecimento grandioso é agendado: dois homens decidem se casar, décadas antes do mundo discutir os relacionamentos homoafetivos.
Inspirado em fatos reais, Salomão Larêdo apresenta um romance contestador, que deseja disseminar o amor livre por todos os lugares e criticar a incompreensão e a violência comuns numa terra tão afastada da civilização.


Recorte de jornal anunciando o casamento entre homens no interior do Pará.
Dessa vez foi a A Província do Pará em 29/12/1967 – 2ª página

“Olho de Boto” é o primeiro livro de Salomão Larêdo que leio (o autor tem mais de 40 livros!) e, confesso, não apenas a temática me chamou bastante atenção como também o fato de o livro ser baseado em fatos reais (vide o recorte de jornal acima). Atualmente, muito se fala a respeito de relações homoafetivas e podemos ver com muita clareza o impacto que tais discussões estão causando. Como já comentei nas resenhas que fiz sobre os livros de David Levithan, é notório que personagens homossexuais estão enfim tomando espaço e considero de uma riqueza inestimável para a representatividade que nós, leitores, nos identifiquemos com os personagens das histórias que lemos. Claro que ainda temos personagens homens, brancos e héteros, mas toda forma de particularidade/singularidade é importante.


O que Salomão Larêdo traz com “Olho de boto” é uma história muito interessante e fora do padrão considerado comum de narrativa. Como paraense, percebi muitos traços regionais no livro e adorei me sentir próxima da minha cultura com alguns termos que, aposto, só paraense vai ler sem estranhar. O fato é que a obra é nacional e trata o fator importante de discutir o amor homoafetivo, não nos dias atuais (que já não é tão simples), mas nos anos 60, nos tempos da ditadura militar em plena Amazônia.

Inacha é um povoado de Cametá que se alvoroça inteira quando dois homens decidem se casar. Inajacy e Inajá se amam e se querem e decidem formalizar o ato. A população, mais do que qualquer coisa, fica curiosa. É interessante como foi proposto pelo autor que esse casamento é um espetáculo que todos querem participar, belo bem ou pelo mal, e que essa cerimônia será o inicio de algo grandioso para o mundo.

“Tem calma, minha mana, aguenta as pontas, este pequeno será causa da queda de muita gente e de muitas mudanças pelas quais o mundo vai precisar passar para que o homem se entenda e se respeite, trate a si e aos outros, principalmente a mulher, com respeito e admiração. Ele é sinal de contradição. Um facão amolado, grande e pesado, vai te trespassar teu corpo e tua alma e desse um também. Através dele tudo será revelado. Te segura!”

O povoado está passando pelas mudanças normais que o tempo impõe a todos e Salomão Larêdo nos dá essa perspectiva clara de novos conhecimentos e nova ideias, porém não esquecendo que nos anos 60 a mitologia era extremamente forte, principalmente no meio Amazônico. O ponto que me chamou mais atenção foi que Inajacy, um dos noivos, se vê como mulher. Ele não quer viver como homem para seu amado, mas ele se considera mulher e crer piamente que um feitiço desfaria sua condição errada para a certa, completando assim sua felicidade.

“Preciso encontrar este homem que quebre meu encanto para me tornar mulher completa e ser uma pessoa; existir, quero existir, quero voltar a ser mulher. Já fui, me arrependo de ter sido e não ter percebido que era e agora quero voltar e não posso, não passo no teste, ó castigo.”

É importante lembrar que o contexto histórico em que o livro se passa é muito adequado para as situações narradas. Mais que um casamento homoafetivo, “Olho de boto” nos mostra como aquela sociedade vivia, conta seus “causos”, suas histórias, de maneira crua e direta. Conhecemos inúmeros personagens e fragmentos de seus cotidianos, com seus respectivos dramas e alegrias. É de uma riqueza incrível a experiência que Salomão Larêdo dá aos seus leitores através desse enredo.
Como comentei anteriormente, a narrativa é fora do padrão; Em 3ª pessoa, com uma linha atemporal e repleto de pequenos fragmentos de vários moradores de Inacha.

Neste vídeo (ASSISTAM, SÉRIO! ♥), Salomão Larêdo comenta que seu intento é que por meio do compartilhamento das experiências através dos seus textos, as pessoas possam entrar em contato não apenas com a realidade amazônica, mas com a realidade do ser humano no mundo. Do meu ponto de vista como leitora, essa intenção foi alcançada.
A editora Empíreo fez um trabalho maravilhoso com a edição do livro e toda sua produção foi realizada com primor e singularidade, desde o título do livro (quem assistiu o vídeo vai ter uma pista) a arte da capa (que vem de um projeto chamado “Fragmentos irrecuperáveis”, de Gabriel Dias, mais informações aqui) ... sinceramente, quero abraçar o trabalho incrível da editora.

“Olho de boto” é uma obra atemporal que relata um fato que aconteceu no passado com os olhos no futuro, dando ao leitor questionamentos relevantes sobre como vemos o outro, sobre como meu ponto de vista pode afetar de forma fatal e, claro, sobre o amor. Após seu lançamento recente, em maio, já foi alvo de participação de uma palestra sobre Homossexualismo na literatura, levando a temática vivida na Amazônia para novos horizontes. 
Constelações para Salomão Larêdo!


Claro que de livro bom tem que ter promoção né pessoal? Não deixem de concorrer a chance de ler esse livro tão, tão bom!

Para participar, além de seguir as orientações do Rafflecopter, é preciso seguir algumas regrinhas:

- Ter endereço de entrega no Brasil;

- Fazer comentários consistentes nas resenhas, caso queira usar esses comentários como chances extras;



BOA SORTE! ♥

Um comentário:

  1. Que legal. Me interessei pelo assunto. Como paraense, tenho curiosidades com essas particularidades.
    Espero ganhar.

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo