segunda-feira, janeiro 05, 2015

Eu Li: Princesa Adormecida - Paula Pimenta


Título:
Princesa Adormecida
Autora:
Paula Pimenta
Editora:
Galera
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC


Era uma vez uma princesa... Você já deve ter ouvido essa introdução algumas vezes, nas histórias que amava quando criança. Mas essa princesa sou eu. Quer dizer, é assim que eu fiquei conhecida. Só que minha vida não é nada romântica como são os contos de fada. Muito pelo contrário.
Reinos distantes? Linhagem real? Sequestro? Uma bruxa vingativa? Para mim isso tudo só existia nos livros. Meu cotidiano era normal. Tá, quase normal. Vivia com meus (superprotetores) tios, era boa aluna, tinha grandes amigas. Até que de uma hora pra outra, tudo mudou.
Imagina acordar um dia e descobrir que o mundo que você achava que era real, nada mais é do que um sonho. E se todas as pessoas que você conheceu na vida simplesmente fossem uma invenção e, ao despertar, percebesse que não sabe onde mora, que nunca viu quem está do seu lado, e, especialmente, que não tem a menor ideia de onde foi parar o amor da sua vida.
Se alguma vez passar por isso, saiba que você não é a única.
Eu não conheço a sua história, mas a minha é mais ou menos assim...



Olá leitores!
Vim para contribuir para as leituras amorzinhos de vocês!
O livro é “Princesa Adormecida”, de Paula Pimenta, e... que fofo, gente! 

Peguei o livro só para folhear rapidinho e acabei lendo de uma sentada só; em 3 horas, acho.É uma narrativa fácil e bem fluída onde a autora nos apresenta uma releitura moderna da história de Aurora, a nossa eterna “Bela Adormecida”.

É um conto de fadas bem contemporâneo, mas ainda temos uma plebeia, uma figura da realeza, uma bruxa invejosa e perigosa (vulgo, mina da friendzone) e uma criança que cresceu separada dos pais para sua proteção. Ah, não posso esquecer a figura do príncipe adorável (que aqui seria o filho de um embaixador brasileiro na França. Está mais do que valendo, óh!).

Aos 16 anos, Ana Rosa vive com os 3 tios super (ultra mega) protetores e estuda em um colégio interno só para meninas. O intuito é mantê-la segura de uma ameaça terrível que uma francesa recalcada deu a ela na infância.  Após uma saidinha (escondida, claro) que ela deu com as amigas do colégio, Ana Rosa começa a receber SMSs de um rapaz que parece ser muito simpático. Obviamente que ela fica com os dois pés atrás, mas, já que nunca se teve notícias de um assassinado pelo telefone, ela começa a manter um contato frequente com ele. 

Phill é encantador, educado e muito gentil e Ana Rosa, que nunca manteve um contato amoroso com o sexo aposto, fica arrebatada quase que imediatamente. Após várias mensagens e telefonemas, Phill e Ana Rosa decidem se encontrar em um recital que ela apresentará no colégio (com bastantes testemunhas e seus tios por perto), mas aí a coisa começa a desandar. Primeiro, Phill some por uma semana inteira e, no dia do encontro, acontece um terrível mal entendido.  Os mistérios são facilmente resolvidos e nossos pombinhos aparentam que vão viver felizes para sempre.

O enredo é bem simples e previsível, mas não tira o encanto que da história. As ações de Ana Rosa são bobas algumas vezes, mas ela tem 16 anos e ninguém na adolescência está em seu juízo perfeito. 

O livro tem uma narrativa super corrida e, algumas vezes, aparecem imagens dos SMSs e bilhetes, diferenciando o texto em prosa. Encaixou perfeitamente no contexto da história. Paula Pimenta tem um público predominantemente infanto-juvenil e é nessa proposta que ela nos presenteia com um livro adorável, fácil e muito rápido de ler. A Galera Record fez um belo trabalho na edição; o livro tem uma boa diagramação, com folhas grossas e uma capa bonita (eu achei).

Um adendo legal (e pessoal): Paula Pimenta foi em vários estados para o lançamento de “Princesa Adormecida” e quando a autora veio para o lançamento do livro aqui em Belém, encarei uma fila terrível de horas, mas consegui meu exemplar autografado. *Dando tchau de miss* 

Se vocês esperam algo muito elaborado, parem. A história é simples e acaba super rápido, mas fica com um gostinho de quero mais no final e com um bom sentimento no coração. Sério, também quero o filho de um embaixador (e nem precisa ser francês!).  


Fernanda Karen Estudante de Serviço Social com o coração no curso de Letras. Apaixonada por séries, dramas e café. Bookaholic  irrecuperável e promíscua literária. Eventualmente estou trocando um de meus rins por livros muito desejados. (Qualquer coisa é só entrar em contato). Amo YA, ficção-fantasia, clássicos (brasileiros, portugueses, ingleses, latinos etc), chick-lits... Perceberam que meu preconceito literário é zero? Ops, quase zero; não leio auto-ajuda.

8 comentários:

  1. Fiquei na dúvida, por a história parecer bem previsível e também sobre fadas. Eu realmente, no momento, estou fugindo de temas de fantasias. Mas por a autora ser nacional, queria muito conhecer. Já li um quadrinho de fazendo meu filme, e adorei. O romance que enrola no livro, é realmente leve e fofo. Para ler em 3 horas, com certeza a escrita é fluida e também gostosa de ler.
    Abraços Fernanda,
    ThayQ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thay! Não tem fantasia, não, mulher. Quer dizer, a história é bem fantasiosa e tal, mas não tem nenhum ser mítico, nem nada. E é super rapidin mesmo.
      Se tu encarar, não esquece de comentar o que achou ;)
      Beijos e obrigada por comentar!

      Excluir
  2. Esse livro é super fofo! O final é realmente previsível, mas teve horas que eu pensei "tá, isso vai ter que acontecer, mas como????" hahaha Adorei tudo, tudo! Estou recomendando pra todas as primas que não tem o hábito de ler! Também enfrentei mil adolescentes pra conseguir o autógrafo e valeu super a pena! <3

    ResponderExcluir
  3. Oi Fernanda,
    Deve ser um livro bem levinho e de leitura rápida, afinal, você o leu em três horinhas *----*
    Pode dar tchauzinho de miss rsrs. O que eu achei bacana é que com toda simplicidade a leitura fica com o gosto de quero mais, eu quero ler essa releitura.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  4. Os nomes, Paula poderia ter modificado, ficaria claro ao leitor de quem se tratava. Bom, a diagramação do livro ficou linda. Adorei o modo como ela implantou tecnologias. A inocência de Ana Rosa, me deixou um pouco desconfiada, confesso. Foi o primeiro livro que li da Paula, na realidade, só havia lido o conto da Cintia. Gostei dela estar na trama novamente e ter um papel importante nela, porém, fui com muita expectativa e vi que não era muito pro meu perfil de leitora. :P

    beijos,

    Amy - Macchiato

    ResponderExcluir
  5. Sempre leio resenhas positivas em relação aos livros da Paula Pimenta, mas ainda não tive oportunidade de ler nenhum deles. Ultimamente tenho gostado bastante dessas releituras de Contos de Fadas Clássicos. Apesar de ser bastante previsível, acho que a narrativa da Paula faz tudo ser muito agradável de se ler. Claro que quero ler muito em breve (apesar de não fazer parte do público alvo do livro).

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  6. Awmmmmm eu gosto muito de livros nesse estilo, desse gênero!
    E a autora é sempre bem elogiada, então tenho interesse em ler algo dela.
    E releituras de contos de fada? =D Tenho muito interesse em lê-lo.

    ResponderExcluir
  7. Esse livro vai fazer um ano na minha estante e nada de ler, tenho que pegar vontade! Falam muito bem da Paula.

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo