quarta-feira, abril 23, 2014

Eu Li: Flash Forward - Robert J. Sawyer


Título:
Flash Forward
Autor:
Robert J. Sawyer
Editora:
Galera Record
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC

O que faria se tivesse um vislumbre trágico do seu próprio futuro? Tentaria mudar as coisas, ou aceitaria que o futuro é imutável? Em Flashforward - Presságio do Futuro, é iniciada uma experiência científica que conduz ao inesperado: o mundo inteiro cai inconsciente por instantes e todas as mentes são projetadas vinte anos no futuro. Quando a humanidade desperta, o caos impera por todo o lado: carros arruinados, cirurgias falhadas, quedas, destruição em massa e um elevado número de mortes. Mas esse é apenas o início. Passado o choque das visões, cada indivíduo tenta desesperadamente evitar ou assegurar o seu próprio futuro vislumbrado… Expondo as perspectivas de várias personagens, Robert J. Sawyer realiza uma brilhante reflexão filosófica sobre viagens no tempo, consciência, destino e o que significa ser humano. “Uma reflexão criativa e profunda sobre o destino, o livre arbítrio e a natureza do universo.” Publishers Weekly "Sawyer apresenta uma abordagem original ao tema das viagens no tempo numa história que explora as consequências de se conhecer o futuro. Uma boa escolha para apreciadores de ficção cientifica." Library Journal

Flash Forward...esse nome nunca me foi estranho, e só com o livro em mãos eu descobri o porquê: o livro inspirou uma série de mesmo nome que estreou nos EUA em 2009 e no Brasil em 2010, uma série que tinha como objetivo atrair os fãs de Lost para o grande mistério do enredo, e por isso todo o bafafá da época gravou o nome em minha mente. Bem, posso adiantar para vocês que a série já está em minha watchlist, tudo por que o livro me deixou muito curiosa para saber o que eles conseguiram retratar na televisão. 

Em 21 de abril de 2009, a equipe de cientistas do CERN - Organização Européia para Pesquisa Nuclear, o maior laboratório de física de partículas do mundo - está se preparando para acionar o LHC, o Grande Colisor de Hádrons, em busca do Bóson de Higgs, ou partícula de Deus, para alguns. Porém, no exato  momento em que a máquina é acionada, todas as pessoas do mundo ficam inconscientes por 2 minutos e 17 segundos, mas na verdade as pessoas não estão inconscientes, mas sim vivenciando alguma cena de um futuro 21 anos depois, ou não vivenciando nada. 

Durante esse tempo catástrofes aconteceram no mundo todo: carros ficaram desgovernados, aviões caíram, veleiros afundaram, pessoas caíram de escadas e quebraram o pescoço, etc. Todos estão se perguntando o que aconteceu, lamentando as mortes. Enquanto isso a equipe do CERN coloca no ar um website voltado para reunir todas as informações sobre os flahsforwards das pessoas, a fim de tentar montar um imagem do futuro. Mas o mais importante: quais as consequências de saber de seu futuro? É possível mudá-lo? Ou a simples ciência de como ele será começa a te levar a tomar atitudes que resultarão no que foi previsto, mesmo que a intenção tenha sido o oposto? 

Durante todo o livro vamos acompanhando a tentativa de descobrir o que causou o 'apagão' e também as consequências das pessoas terem visto o futuro. Lloyd Simcoe, o chefe do projeto, se viu em uma cama com uma pessoa que não era sua atual noiva, e isso vai influenciar sua decisão de levar o noivado adiante, pois se ele vai se separar mesmo (e ele odeia separações, por causa do divórcio doloroso de seus pais), então por que casar? Mas decidir não casar, nem tentar, não vai levar ao futuro de qualquer jeito? Já Theo Procopides, o sub-chefe do projeto, não viu nada, o que levou todos a deduzirem que ele estará morto. E agora? Dá para tentar mudar o futuro?

É um livro realmente ótimo, apesar de não ter um ritmo muito agitado ou corrido. É mais como se o autor estivesse discorrendo sobre fatos reais, como uma estratégia para o leitor se aproximar mais do tema e da narrativa, já que fica mais fácil se imaginar na situação de um personagem, como Theo, por exemplo, que está desesperado para evitar sua futura morte. Porém essa falta de ação pode ser desanimadora em alguns momentos, principalmente quando parece que estamos caminhando para um clímax mas nada acontece. 

Os personagens são bem caracterizados em seu medo pelo futuro, sua busca por respostas. Todos os conceitos de física e a forma como são apresentados não deixam dúvidas nem no leitor mais leigo de todos, e isso é muito legal. São conceitos complexos explicados com a ajuda de exemplos acessíveis. O final não é daqueles OMG que final magnífico, e eu fiquei com uma vontade imensa de saber mais sobre que fatos previstos aconteceram, se houve muitas mudanças, e etc. Isso vai ficar por conta da minha imaginação. 

P.S. Em breve vou fazer review da série. E você que viu a série mas não sabia da existência do livro, corre para comprar e comparar ;) 

2 comentários:

  1. uau! O livro parece ser muito bom..

    Eu imagino o caos que deve ser ver o futuro por alguns instantes e tentar ficar mudando-o. Esse tema de viagem no futuro quando bem abordado (o que parece ser o caso do livro) acaba sendo um coringa e tanto, porque todo (nerd) gosta do tema, e todo mero humano fica imaginando o seu futuro, e consequentemente se o visse ia querer muda-lo, mesmo sem saber os riscos.

    ResponderExcluir
  2. Eu vi a série, mas nunca li o livro. Na verdade, comigo o processo foi o contrário do seu, hehehe.
    Eu só conhecia a série, não sabia da existência do livro até pouco tempo, quando foi lançado aqui no Brasil. Fiquei curioso pra saber se é muito diferente.
    Faz um certo tempo que assisti a série, então não lembro tããão bem.
    Mas eu adorei! Juro. Era viciado. A série é muito boa. Tem esse mistério todo do que foi o apagão, quem causou. Do homem que aparece nas câmeras de um estádio como sendo o único acordado durante o apagão (Quem é ele? Ele é o responsável?).
    Paralelo a todas essas coisas de conspiração e FBI, tem coisas cotidianas. Como as pessoas estão lidando o fato de terem visto o seu futuro? É engraçado ver como as pessoas reagem diferentes a isso, algumas se conformam, aceitam, até desejam o que viram; outras querem evitar o máximo que podem. A minha história preferida é do Bryce Varley.
    É interessante tbm esse questionamento sobre o futuro ser inevitável ou não. Será q o próprio fato de você tê-lo visto e estar tentando fugir dele é exatamente o que lhe levará a ele? Será que se você não fizesse nada em relação a isso, talvez aí sim ele não ocorresse?
    Achei o final da 1ª Temporada surpreendente e ADORARIA uma segunda temporada. Mas, infelizmente,entrou para aquela lista das séries boas e canceladas cedo demais.

    ResponderExcluir

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo