sábado, janeiro 04, 2014

Eu Li: O Presente - Cecelia Ahern

Titulo:
O presente
Autora: 
Cecilia Ahern
Editora:
Novo Conceito
Onde Comprar:
Submarino | Saraiva | FNAC


Todos os dias, Lou Suffern luta contra o tempo. Ele tem sempre dois lugares para ir, sempre duas coisas a fazer. Quando dorme, sonha com os planos do dia seguinte e, quando está em casa com a esposa e os filhos, sua cabeça está, invariavelmente, em outro lugar.
Numa manhã de inverno, Lou conhece Gabe, um morador de rua, sentado no chão, sob o frio e a neve, do lado de fora do imenso edifício onde Suffern trabalha.
Os dois começam a conversar, e Lou fica muito intrigado com as informações que recebe de Gabe; informações de alguém que tem observado uniões improváveis entre os colegas de trabalho de Lou, como os encontros da moça que usa Louboutins com o rapaz de sapatos pretos...
Ansioso por saber de tudo e por manter o controle sobre tudo, Lou entende que seria bom ter Gabe por perto — para ajudá-lo a desmascarar associações que se formam fora de suas vistas — e lhe oferece um emprego.
Mas logo o executivo se arrepende de ter ajudado Gabe: sua presença o perturba. O ex-mendigo parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, e, além disso, fala umas coisas muito incomuns, como se soubesse do que não deveria saber...
Quando começa a entender quem realmente Gabe é e o que ele faz em sua vida, Lou percebe que passará pela mais dura das provações.
Esta história é sobre uma pessoa que descobre quem é. Sobre uma pessoa cujo interior é revelado a todos que a estimam. E todos são revelados a ele. No momento certo.

“O Presente” é um livro sobre redenção. Ok, posso ter soado meio dramática, mas se trata justamente disso, porém nós já conhecemos a habilidade de Cecelia Ahern como contadora de histórias. Cecelia apenas flui, entendem? Neste livro, ela nos apresenta um caso corriqueiro da atualidade com uma roupagem nova e... fantástica.

Lou Suffern é um homem muito bem sucedido e seu trabalho está sempre em primeiro lugar. Afinal, ele precisa de dinheiro para dar conforto à sua família. No entanto, Lou comete deslizes difíceis de perdoar. Amantes, bebedeiras, prioridades invertidas... Lou está preso em seu próprio limbo. Todos diziam que ele parecia estar sempre em dois lugares ao mesmo tempo mas, na realidade, não estava em nenhum.

“Lou passara tantos anos movendo-se tão rápido pelos minutos, pelas horas, pelos dias, pelos momentos da vida, que parou de percebê-la. Os olhares, gestos e emoções das outras pessoas, há muito tempo já não eram importantes ou visíveis para ele. (...) Andava rápido demais, nunca parava para tomar fôlego; seu ritmo era veloz, e seu coração mal era capaz de acompanhá-lo.”

As coisas ficam diferentes em uma manhã quando Lou oferece um café a um mendigo em frente ao prédio de seu escritório. Gabe se mostrou muito observador no pouco tempo de conversa com Lou e ele pensou em tirar partido disso dando um emprego à Gabe.

Gabe, porém, desperta sentimentos conflituosos em Lou o lembrando de coisas simples e significativas que ele eventualmente esquece. É uma sensação de incomodo e talvez... culpa. Ele é sereno e despretensioso e parece conseguir estar em dois lugares ao mesmo tempo e Lou não o compreende.

Depois de despertar um pouco para as coisas que o cercam, Lou conseguiu vislumbrar a perspectiva que as outras pessoas tinham dele, e não gostou do que viu. Porém, Gabe ofereceu à Lou um presente fantástico que mudaria todas as suas perspectivas. Agora ele poderia pesar suas prioridades, antes que fosse tarde demais.

Cecelia Ahern é incrível. Talvez um pouco previsível, mas nada que tire seu mérito como excelente escritora. Sua narrativa é leve, fácil, confortável e mesmo que tenha um teor meio “moral da história”, não consigo pensá-la de outra forma. Seu texto é descritivo e muito sensorial e nem todos tem essa habilidade.

Ela me lembra Nicholas Sparks, só que com mais profundidade, mais destreza. Eu realmente gostaria que ela escrevesse algo novo e fantástico, mas estou bem em meio ao seu clichê bonito.

“O presente” é um livro emocionante e, sim, nos dá o que pensar. Como avaliar prioridades, a olhar mais para os lados. Afinal, atitudes que julgamos ser justificáveis podem não ser realmente o suficiente.

“Algo muito importante pode afetar uma pequena parcela de pessoas. Da mesma forma, algo de pouca importância pode afetar uma multidão. De qualquer maneira, um acontecimento – grande ou pequeno – pode afetar uma série de pessoas. Acontecimentos podem conectar várias pessoas.”

“O presente” é um livro ótimo para o clima de fim de ano, onde todos nós vamos renovar nossas resoluções (mesmo que não tenhamos conseguido realizar as do ano corrente) (como é meu caso). É um livro cheio de esperança e de bons sentimentos.

Certamente não agradará todos os públicos, mas acreditem: Cecelia Ahern vale a pena. 






Fernanda Karen Estudante de Serviço Social com o coração no curso de Letras. Apaixonada por séries, dramas e café. Bookaholic irrecuperável e promiscua literária. Eventualmente estou trocando um de meus rins por livros muito desejados. (Qualquer coisa é só entrar em contato). Amo YA, ficção-fantasia, clássicos (brasileiros, portugueses, ingleses, latinos etc), chick-lits... Perceberam que meu preconceito literário é zero? Ops, quase zero; não leio auto-ajuda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer fazer um blogueira feliz? Então deixa um comentário neste post! Você vai fazer todo o trabalho valer a pena rsrs
Mas tem um porém: Comentários ofensivos serão deletados.

Muito Obrigada por comentar! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo