sexta-feira, agosto 31, 2018

Eu Li: A Duquesa feia - Eloisa James

Título:
A duquesa feia
Autora;
Eloisa James
Editora:
Arqueiro
Ano:
2018
Série:
Contos de fadas #3

Adicione ao Skoob


Baseado na história O Patinho Feio, esse é o terceiro volume da série Contos de Fadas.

Como ela ousa achar que ele a ama, quando Londres inteira a chama de Duquesa Feia?
Theodora Saxby é a última mulher com quem se poderia esperar que o lindo James Ryburn, herdeiro do ducado de Ashbrook, se casasse. Mas depois de um pedido romântico feito na frente do próprio príncipe, até a realista Theo se convence de que o futuro duque está apaixonado.
Ainda assim, os tablóides dizem que a união não durará mais do que seis meses.
Em seu íntimo, Theo acredita que os dois ficarão juntos para sempre… até que ela descobre que o que James desejava não era seu amor, mas seu dote.
E a sociedade, que primeiro se chocou com seu casamento, se escandaliza com sua separação.
Agora James precisará enfrentar a batalha de sua vida para convencer Theo que ele amava a patinha feia antes que ela se transformasse em cisne. E Theo logo descobrirá que, para um homem com alma de pirata, vale tudo no amor – e na guerra.

Oi, gente! Quem aí está ansioso para saber, enfim, do que se trata o livro "A duquesa feia"? Todos supomos desde o início que o livro é uma nova versão da história do patinho feio... mas até que ponto?


quarta-feira, agosto 29, 2018

Eu Li: Uma noiva para Winterborne - Lisa Kleypas

Título:
Uma noiva para Winterborne
Autora:
Lisa Kleypas
Editora:
Arqueiro
Ano:
2018
Série:
Os Ravenels #2

Adicione ao Skoob


Rhys Winterborne conquistou uma fortuna incalculável graças a sua ambição ferrenha. Filho de comerciante, ele se acostumou a conseguir exatamente o que quer - nos negócios e em tudo mais.

No momento em que conhece a tímida aristocrata lady Helen Ravenel, decide que ela será sua. Se for preciso macular a honra dela para garantir que se case com ele, melhor ainda.
Apesar de sua inocência, a sedução perseverante de Rhys desperta em Helen uma intensa e mútua paixão.
Só que Rhys tem muitos inimigos que conspiram contra os dois. Além disso, Helen guarda um segredo sombrio que poderá separá-los para sempre. Os riscos ao amor deles são inimagináveis, mas a recompensa é uma vida inteira de felicidade.
Com uma trama recheada de diálogos bem-humorados e cenas sensuais e românticas, Uma Noiva Para Winterborne é o segundo volume da coleção Os Ravenels.

Cadê a galera que ficou ansiosíssima para a publicação deste livro logo após ter lido "um sedutor sem coração", que é o primeiro livro da série nova da Lisa Kleypas, publicada pela Arqueiro? Até que não tivemos que esperar tanto assim pelo livro que começou a roubar o sossego e a paz de espirito de muita gente em meio a história de um outro casal! Sei que parece meio #queendrama e tals mas, gente, quem leu o primeiro livro vai me dar razão. Esse casal roubou ou não roubou a cena?

terça-feira, agosto 28, 2018

[Listopia] - Cinco Favoritos da Nora Roberts


Alô fãs da Norinha diva Roberts! Eu já vou avisando que esse post vai ser dividido em duas partes. Essa mulher escreveu muitoo livro (até hoje me pergunto como ela consegue) e é tremendamente complicado me decidir em quais eu amo mais. Então eu vou fazer assim, esse post vamos falar apenas dos livros solos ou duologias e em um outro post que prometo que vai sair logo a gente fala sobre as melhores trilogias e séries dela (pra não causar confusão na cabeça de todo mundo e nem na minha). Estamos combinados? 

Vamos lá.

Imagem relacionada
To empolgada!

segunda-feira, agosto 27, 2018

Eu Li: Pertinácia - Sue Hecker

Título:
Pertinácia
Autora:
Sue Hecker
Editora:
Harlequin Brasil
Ano:
2018
Série:
Mosaico #5

Adicione ao Skoob


A vida de Rafaela nunca foi fácil. Da infância passada em um orfanato à mudança para São Paulo, ela sempre teve que superar diversos obstáculos que surgiam em seu caminho. Quando tudo parecia entrar nos trilhos e a jovem enfermeira pensava ter encontrado o amor, um erro lhe tirou tudo, e ela não sabe como recomeçar. É exatamente em seu momento mais frágil que Rafaela conhece Jonas, um advogado confiante, sexy e vaidoso, que parece determinado a seduzi-la.

Mas, depois de uma grande desilusão, Rafaela não quer ceder à atração que sente por Jonas e correr o risco de se machucar de novo. Será que essa jovem inocente e pertinaz conseguirá resistir aos encantos de um homem experiente? Pertinácia é uma história sobre conquista: de confiança, de objetivos e, especialmente, de amor.

O que vocês acham manter o romance na jogada e chamar uma autora nacional para o post de hoje? Quem aí conhece a autora Sue Hecker? Atualmente ela está sendo publicada pela Harlequin Brasil e vem chamado bastante a atenção dos leitores do gênero romance. Por aqui ela é uma autora novata e como fazemos todas as vezes ao conhecermos autoras novas... vamos as apresentações? 

sexta-feira, agosto 24, 2018

Eu Li: O ar que ele respira - Brittainy C. Cherry

Título:
O ar que ele respira
Autora:
Brittainy C. Cherry
Editora:
Record
Ano:
2017
Série:
Elementos 1/4

Adicione ao Skoob

Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.

Nesses últimos dias tenho turbinado a sua timeline com resenhas de romances de época, medievais e afins... então hoje resolvi manter vocês nos romances, mas com uma pegada mais para o drama. Afinal de contas, vocês já conhecem a autora Brittainy C. Cherry? Desde o ano passado ela tem bombado nas redes sociais tanto pelo brilhantismo de suas obras, e em especial essa série, quanto pela sua parceria com a The Gift Box em eventos que aconteceram no Brasil, com a presença dos "crushs literários" que são os modelos das capas dos dois primeiros livros e posteriormente outros "crushs".

quinta-feira, agosto 23, 2018

[Listopia] - Adaptações Melhores que o Original

O filme fez valer a expressão "Filmão da Porra"
HOJE É DIA DE TRETA! Ok, talvez nem tanto. A gente sabe que sempre que anunciam uma adaptação de alguma obra que a gente gosta, sempre é preciso dar aquela baixada nas expectativas porque nunca é exatamente como a gente quer. Mas hoje vai ser diferente. Hoje nós vamos listar 5 adaptações que acabaram sendo melhores que o material original.

Começando...

1 - Homem de Ferro 3


Ok, esse deve ser o momento em que você está gritando "whaaaat?", mas, antes que você tenha um infarto, não, eu não estou aqui para defender Homem de Ferro 3. É praticamente um consenso que o terceiro longa do Tony Stark para o Universo Cinematográfico da Marvel é um dos piores já feitos (só não é o pior porque existe o primeiro filme do Thor). Mas, algo que pouca gente sabe, é que o filme foi baseado numa HQ relativamente recente do herói (2006). O arco se chama Extremis e figura na maior parte das listas de piores HQ's já publicada na história. Com uma trama realmente intragável, inúmeros personagens vazios e um Tony Stark mais insuportável que nunca, Extremis conseguiu ser algo que faria jus aos anos 90 da Marvel. No final, o quadrinho acabou sendo tão ruim, que você aceita classificar Homem de Ferro 3 pelo menos como "assistível".

2 - Maze Runner


Maze Runner é uma série de livros com a qual eu tenho uma relação de amor e ódio. Já resenhei o Primeiro Livro, o Segundouma HQ derivada do filmes e estou enrolando para ler o terceiro livro que fecha o primeiro arco dos personagens principais. A questão toda é que a ideia por trás da trama (algo entre o pós apocalíptico e o distópico) somado com os mistérios até era uma ideia muito boa. Mas o livro se perde entre todos os mistérios, as sub tramas que não chegam a lugar nenhum e personagens insuportáveis (essa é pra você Tereza). Por outro lado, adaptação para os cinemas trouxe uma trilogia com um roteiro muito mais enxuto e coeso, com um mínimo de sub tramas desnecessárias e uma boa revisada no arco de vários personagens. Ponto pros cinemas!

3 - Ataque dos Titãs

Animes adaptados de mangás, em geral costumam ser um tanto mais arrastados porque os produtores das animações precisam inventar arcos novos, enquanto os capítulos oficiais do mangá não saem (quem lembra do episódio de Dragon Ball Z do Goku tirando a carteira de motorista?). Em Ataque dos Titãs a estratégia utilizada foi outra: a animação foi dividia em temporadas, seguindo os arcos do mangá. Assim, anualmente é produzida uma quantidade específica de episódios, sem existir a necessidade de produzir além do que está no mangá. Fora isso, o mangá em si possui diversos problemas que foram corrigidos no Anime. A arte do autor é péssima ao ponto de depois de 20 edições ainda não ser possível diferenciar alguns personagens mais parecidos. O roteiro das edições também é uma coisa completamente perdida: tramas são cortadas para retornarem apenas duas ou três edições depois, personagens aparecem e desaparecem sem explicação e vários deles tem motivações que não fazem sentido nenhum. Por isso, minha indicação é sempre pelo anime, ao invés do mangá.

4 - Kick-Ass

Kick-Ass é o raro caso de uma HQ muito boa, sendo adaptada para um filme muito bom. Claro, mantidas as devidas proporções (um filme jamais seria violento no nível que o quadrinho é). Mas temos aqui dois pontos que dão uma vitória para o filme em cima do quadrinho: primeiro, a arte do material original é do John Romita Jr., um artista que absolutamente não sabe desenhar rostos, ficando todos os personagens mais ou menos com a mesma cara sempre. Segundo, apesar do filme ser bem fiel, há uma mudança absurda no personagem do Big Daddy (interpretado pelo Nicholas Cage) que foi consenso nas resenhas que ficou muito melhor que no material original.

5 - Logan
I hurt myself today...
É consenso que Logan é um dos melhores filmes produzidos adaptados de quadrinhos. A trama levemente baseada na HQ Velho Logan, conseguiu trazer um atmosfera depressiva, com camadas de western e um pouco de road trip. Por outro lado, apesar de Velho Logan até ser uma história interessante e trazer uns conceitos muito bons (e que plot twist!) ela acaba caindo em alguns clichês das histórias em quadrinhos que tiram boa parte da seriedade do que deveria ter uma Graphic Novel. Tem várias cenas que deveriam ser mega filosóficas e reflexivas que acabam sendo atrapalhadas por coisas como o Bug do Homem Aranha andando pelas paredes ou o Hulk como um vilão extremamente tosco. Ponto para as telonas!

Ufa... será que essa lista vai dar treta? O que vocês acham? Qual adaptação vocês acham que deveria ter aparecido nessa lista?

quarta-feira, agosto 22, 2018

Eu Li: Misterioso - Selvagem Irresistível - Christina Lauren

Título:
Misterioso - Selvagem Irresistível
Autora:
Christina Lauren
Editora:
Universo dos Livros
Ano:
2015
Série:
Selvagem Irresistível #3

Adicione ao Skoob

O que acontece em Vegas, fica em Vegas. No entanto, o que não aconteceu em Vegas, parece os seguir em todo lugar Lola e Oliver agradecem por terem tido o bom-senso de não consumarem o casamento bêbado em Las Vegas. E se eles duvidassem que isso fora um erro, a situação de "apenas amigos" não seria tão boa quanto é agora. Ou isso é o que eles pensam... Na verdade, Lola desejou Oliver desde o primeiro dia – e isso só se intensificou com o tempo e com o sotaque australiano dele. Passando mais tempo em casa do que encarando as pessoas, o afeto de Lola por Oliver parece bom demais para ser verdade. Então por que arruinar uma coisa tão boa? Mesmo com tantas garotas rodeando Oliver, ele não consegue se esquecer do que não fez com Lola quando teve a chance. Agora ele tem certeza do que quer com ela... e vai muito além da "friendzone". Quando o trabalho de Lola com quadrinhos se torna um sucesso nacional, e depois é cotado para se tornar uma longa-metragem, Oliver decide ficar ao lado dela para o que ela precisar. Afinal, Lola não é o tipo de garota que gosta de ter todas as atenções voltadas para si, mas talvez ela é o tipo de garota que poderá se atrair por ele.

A primeira coisa que deve ser levada em consideração quando se lê esse livro é: Ele é o terceiro de uma série... então pode ser que você vá levar alguns spoilers na cara... ou não! Comprei ele esse ano na Feira Pan Amazônica do Livro no primeiro semestre e só consegui ler agora. Tá pensando o que? Vida de blogueiro não é essa moleza toda que o pessoal fica falando por aí. É muita coisa para ler mas, "detalhes" a parte, e apesar de ter advertido vocês sobre este ser o terceiro livro... eu admito que só li o primeiro livro da série e pulei para o terceiro. #Choices

terça-feira, agosto 21, 2018

Eu Li: Praticamente inofensiva - O Guia do Mochileiro das Galáxias #5 - Douglas Adams

Título:
Praticamente Inofensiva
Autora:
Douglas Adams
Editora:
Arqueiro
Série:
O Guia do mochileiro das Galáxias

Adicione ao Skoob

Os anos mais conturbados como um viajante solitário já haviam passado. Arthur Dent se resignara à nova condição e se acostumara à vida pacata e relativamente feliz como Fazedor de Sanduíches em Lamuella. Conquistara até um certo prestígio junto aos habitantes locais e fazia disso um bom argumento para continuar por lá. 

Ao mesmo tempo, Ford Prefect via-se num conflito profissional ocasionado pela repentina venda do Guia do Mochileiro das Galáxias para outra editora. Sem compreender o funcionamento do novo Guia – que passara a se "comportar" de forma estranha – e não gostando nem um pouco de seu novo cargo como crítico de restaurantes, Ford se mete em alucinantes roubadas para não sair prejudicado (e para obter algum lucro, é claro).
Em outro ponto do Universo, Tricia McMillan havia feito fama intergaláctica como repórter e levava uma rotina razoavelmente satisfatória, até um pequeno planeta chamado Rupert ser descoberto e tudo começar a dar estranhamente errado em sua vida.
Espalhados pelos mais insondáveis cantos da Galáxia, Arthur, Ford e Tricia iam tocando suas vidas da melhor forma que podiam, mas tudo se complica novamente quando eles se reencontram. Tentando manter a sanidade e salvar a si mesmos, eles acabam assistindo juntos ao inevitável destino da Terra. Com reviravoltas surpreendentes, Praticamente Inofensiva traz aguardadas respostas, lança novas perguntas e, acima de tudo, faz o leitor lamentar o fim da saga de Dent e seus companheiros.
Com um novo olhar sobre seu próprio trabalho, Douglas Adams amadureceu os personagens e a habilidade de criar situações cômicas para criticar a sociedade. Ele se aproveita da trama para discutir as relações de trabalho, as políticas corporativas, as questões éticas da modernidade e as novidades tecnológicas. Mas ainda consegue superar sua capacidade de nos fazer rir de nossas próprias atitudes.
Usando e abusando da mesma imaginação ilimitada que demonstra nos livros anteriores, Adams apresenta em Praticamente Inofensiva uma Mistureba Generalizada de Todas as Coisas que fizeram da coleção um grande sucesso ao redor da Borda Ocidental desta Galáxia.



Essa é a resenha do quinto livro da série e pode conter alguns spoilers dos anteriores. Se você quiser, abaixo estão listadas as resenhas anteriores:

E chegamos finalmente ao último livro da série do Guia do Mochileiro das Galáxias. Pelo menos o último livro oficial, sendo que após ele ainda existe o E tem outra coisa... (sexto livro da série, escrito pelo Eoin Colfer, após a morte de Douglas Adams) e o Salmão da Dúvida (livro que o autor estava escrevendo antes de morrer e contem alguns trechos relacionados a série).

No último livro e após várias loucuras passadas por toda a galáxia, o grupo formado lá no primeiro livro está todo disperso pelo universo. Ford Prefect está em uma jornada pessoal no planeta onde fica a sede da editora do Guia do Mochileiro das Galáxias e prestes a descobrir que muita coisa mudou enquanto ele esteve fora. Arthur está novamente perdido pela galáxia viajando de planeta em planeta sem exatamente muito propósito. Trillian ganhou fama intergalática como repórter e teve uma filha com a qual está tendo dificuldades na educação pois ela está crescendo rápido demais devido algumas viagens no tempo. Então, descobre-se que os novos donos do Guia do Mochileiro das Galáxias tem uma ambição bem complicada que vai levar os três a se reunirem novamente, mas não como esperavam.
Os homens sempre se consideraram mais inteligentes que os golfinhos, porque haviam criado tanta coisa – a roda, NY, as guerras, etc – enquanto os golfinhos só sabiam nadar e se divertir. Porém, os golfinhos, por sua vez, sempre se acharam muito mais inteligentes que os homens exatamente pelos mesmos motivos.
Ler qualquer livro da série do Guia é sempre uma complicação. Todas as tramas sempre vão sendo desenvolvidas sem muita lógica: as coisas vão acontecendo e você nunca sabe exatamente para onde a trama irá ou mesmo porque aquele trecho está sendo contado. Além disso, sempre temos as citações maravilhosas do Guia em si ou de outras obras como da Enciclopédia Galática. Tudo vai prosseguindo, até que em dado momento você consegue finalmente sacar tudo o que está acontecendo. Com Praticamente Inofensiva não foi diferente, mas, o momento em que eu finalmente entendi do que a trama se tratava foi exatamente quando cheguei na última página (e isso é genial).

Ao longo dos anos, foi possível perceber como o texto de Douglas Adams foi mudando e evoluindo. Apesar de todos os 5 livros manterem um nível de acidez e humor britânico altos, foi possível analisar ao longo de toda a leitura que a cabeça e as convicções do autor mudaram. Isso já foi um grande destaque em Até Mais e Obrigado pelos peixes (o livro 4) onde é possível ver como a posição pessimista de Adams em relação a tecnologia foi completamente mudada e aqui em Praticamente Inofensiva vemos que até a visão dele em relação às pessoas e ao mundo sofreu algumas mudanças.

Fora isso, o texto se mantém louco e desvairado como sempre com várias pitadas de sarcasmo e um tanto de humor negro misturados. Arthur Dent continua como o inglês chato e monótono de sempre; foi super interessante o crescimento de personagem que ocorreu com Trillian (aliás o livro possui duas versões dela e a dinâmica disso é maravilhosa); e tivemos até um Ford Prefect um tanto mal humorado, resultado de suas aventuras atrás da editora do Guia.

Não tem como dizer que o final (tanto do livro como da série) foi esperado ou previsível. Quando finalmente percebi o que estava acontecendo, tenho que admitir que fiquei chocado com a coragem de Douglas Adams para escrever um final desse tipo. Mas, apesar disso, foi um mais que digno para a série, ainda que Eoin Colfer tenha revisitado esses personagens depois.


segunda-feira, agosto 20, 2018

Eu Li: Os segredos dos olhos de Lady Clare - Carol Townend

Título:
Os segredos dos olhos de Lady Clare
Autora:
Carol Townend
Editora:
Harlequin Brasil
Ano:
2018
Série:
Os Cavaleiros de Champagne #4

Adicione ao Skoob


Enquanto investiga a causa do aumento de bandidos em Troyes, sir Arthur Ferrer encontra a misteriosa Clare, uma possível filha ilegítima do conde de Fontaine, da Bretanha. Ele então percebe que ela pode ser a chave para a sua própria salvação. A honra exige que Arthur a leve até o pai para que possa ser reconhecida, mas o desejo prefere que ela fique em seus braços.
Será possível conciliar honra e desejo?

Quem está na vibe de romances medievais levanta a mão? Pois é... se não me bastasse o amor por romances de época regenciais, ainda estou me desbravando nos romances medievais, e sabendo disso a Harlequin Brasil mandou para o blog esse livro lindinho para nossa "degustação", o que agradecemos muitíssimo pois já conhecemos o trabalho da autora Carol Townend e sabemos que vem coisa bom misturada com treta por aí.

quinta-feira, agosto 16, 2018

Quinta em Outra Língua #72 - The Hating Game - Sally Thorne


Título: 
The Hating Game

Autora: 

Sally Thorne

Editora: 

William Morrow



Lucy Hutton e Joshua Templeman se odeiam. Não desgosto. Não relutantemente tolerar. Ódio. E eles não têm problema em exibir seus sentimentos através de uma série de manobras passiva agressivas ritualísticas enquanto se sentam frente a frente, sendo assistentes executivos para co-CEOs de uma editora. Lucy não consegue entender a abordagem meticulosa e despreocupada de Joshua ao seu trabalho. Joshua está claramente perplexo com as roupas excessivamente brilhantes de Lucy, a sutileza e a atitude de Pollyanna.
Agora para conseguir a mesma promoção, sua batalha chegou ao auge e Lucy se recusa a desistir quando seu último jogo pode custar-lhe o emprego dos sonhos... Mas a tensão entre Lucy e Joshua também atingiu seu ponto de ebulição, e Lucy está descobrindo que talvez ela não odeie Joshua. E talvez ele não a odeie também. Ou talvez isso seja apenas outro jogo.

Vocês sabem aquelas maravilhosas comédias românticas, onde o casal briga o tempo todo e então passam de inimigos para amantes? “The Hating Game” é esse livro!!! E vamos falar sério aqui, quem não AMA um livro estilo sessão da tarde. 

Resultado de imagem para the set it up gif
YESSSS

quarta-feira, agosto 15, 2018

Eu Li: A noiva do highlander - Michele Sinclair

Título:
A noiva do Highlander
Autora:
Michele Sinclair
Editora:
Astral Cultural
Ano:
2017
Série:
The McTiernays #1

Adicione ao skoob

O escocês Conor McTiernay sonhou a vida inteira com um amor verdadeiro e duradouro. Mas ele sempre se deparou com uma situação oposta... As mulheres sempre o desejavam por causa de suas terras e títulos. Por isso, ele decidiu que nunca iria se casar. Mas isso mudou quando ele viu, pela primeira vez, uma mulher vinda da Inglaterra, encontrada escondida na floresta. Por trás da sujeira, ele tinha certeza de que Laura Cordell era uma mulher linda. Porém, ela conseguiria provar a ele que, ao contrário das outras mulheres que só queriam seduzi-lo por interesses materiais, ele tinha encontrado, de fato, uma esposa a quem poderia entregar seu coração?

Olá, Caraidean (amigos em Gaélico)!  

Hoje é dia de conhecer um novo Kilt para roubar o folego de vocês! E mais uma vez eu repito que: de fato não canso de descobrir novos livros de romance de época que se passam nas Highlanders para apresentar a vocês. Para quem acompanha minhas resenhas sobre e não viu o seu livro queridinho por aqui ainda... já sabe que é só comentar o post com sua dica que ficarei imensamente grata e assim que possível resenharei o querido livro!

quarta-feira, agosto 01, 2018

Experiências de Leitura: Agenda para a Bienal de SP 2018

Olá, leitores mais lindos do Brasil!

A Bienal do Livro de SP de 2018 está chegando e alguns dos colunistas aqui do blog vão marcar presença para amar livros e, claro, para trazer novidades (e brindes) para vocês! 
ESTAMOS MUITO ANIMADOS! 

Vem, Bienaaal

Provavelmente teremos as perspectivas de Anne e Victor em formas de posts aqui no blog também então os conteúdos irão fervilhar!
Eu, particularmente, já tenho em mente os eventos que irei dar as caras  por lá - que serão basicamente para celebrar autores nacionais  - portanto irei dividir a minha agenda com vocês para, quem sabe, nos encontrarmos pelas filas e etc. 
Só deixando claro que ficarei apenas no 1° final de semana de evento, portanto, terão muitas outras atrações. Vocês podem conferir a programação completa da Bienal de 2018 AQUI
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Garota Pai D'égua - Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianne Souza.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo